Sim, nós temos um playoff!



Como é bom ver jogos equilibrados e de alto nível técnico.

O encerramento da primeira rodada das quartas de final da Superliga masculina foi um prato cheio para quem gosta de um jogo disputado e com alternâncias no placar.

Na Vila Leopoldina, o Móveis Kappesberg/Canoas (por favor, não reclamem de o nome estar inteiro, com a citação ao patrocinador!) surpreendeu ao derrotar o Sesi por 3 a 2, no duelo das viradas, parciais de 25-21, 17-25, 22-25, 25-20 e 15-12.

Gustavo, com 21 pontos, comandou a vitória gaúcha. Ele lembrou seus velhos tempos de Seleção, ao anotar seis deles no bloqueio. Quem já viu um jogo de vôlei na Itália sabe o quanto o central é respeitado por lá, principalmente neste fundamento. No ataque, ele recebeu 22 bolas, colocando 13 delas no chão. Pelo esforço que faz para que o time gaúcho disputasse a Superliga com capacidade de brigar, ao menos, por um lugar nos playoffs, Gustavo merece colher frutos assim.

Quem também deu uma importante colaboração foi Xanxa, que saiu do banco para marcar dez pontos, sendo decisivo no quarto e quinto sets.

O Sesi, sem Sidão, viu os cinco atacantes titulares atingirem dois dígitos na pontuação: Murilo (15), Lorena, Eder e Aracaju (13) e Cleber (11). Terceiro colocado na primeira fase, o time de Giovane voltou a oscilar muito, fato que aconteceu em alguns momentos da competição, principalmente naqueles marcados pela ausência de um ou outro titular. Parece que o time, que é muito bom no papel, ainda não conseguiu, na prática, se consolidar.

Logo depois, em Campinas, mais um time pior classificado na primeira fase conseguiu inverter a vantagem. O Vivo/Minas, quinto, superou como visitante a Medley, quarta, parciais de 27-25, 20-25, 28-26, 22-25 e 15-9.

Tudo isso sem o técnico Horacio Dileo no banco, já que ele viajou para a Argentina para o sepultamento do sogro. Pensei, logo depois do ponto final, como isso pode ter influenciado o time mineiro em quadra. Vocês se lembram de Hugh McCutcheon na Olimpíada de Pequim com a seleção americana masculina? Será que vale a comparação?

Lucarelli, mais uma vez, prova que toda a expectativa depositada nele não é exagero. Ele marcou 27 pontos, liderando a estatística do jogo (20 de ataque – com 50% de aproveitamento, quatro no bloqueio e três no saque). Para quem me segue no Twitter, não se irrite com a repetição. Mas escrevi durante o jogo a seguinte frase: “Cedo para jogar tanta responsabilidade para ele. Mas Lucarelli tem tudo para ser o grande nome no processo de renovação da Seleção de vôlei”. Ele me impressiona cada vez mais.

O tcheco Filip também teve atuação destacada, ao marcar 25 pontos. Jurquin, com 21, liderou o time campineiro.

O jogo teve vários rallies, grandes defesas (uma do líbero Lukinha, creio que no terceiro set, foi fantástica) e a certeza de que a Superliga masculina tem uma imprevisibilidade muito maior do que a feminina.

Por fim, vou citar aqui o primeiro jogo do dia do masculino. O atual campeão Sada/Cruzeiro mostrou sua força e fez 3 a 0 no Volta Redonda (25-20, 25-17 e 25-20). Wallace (14) e Leal (13) lideraram o time mais entrosado do país. Diferentemente dos dois jogos acima, acho impossível o valente time carioca aprontar alguma nesta série.

 

 

 



MaisRecentes

Atuação ruim tira Brasil da final da Copa Pan-Americana



Continue Lendo

Vôlei Renata anuncia novidades para a temporada



Continue Lendo

Jaqueline anuncia aposentadoria da Seleção



Continue Lendo