Sesc x Camponesa/Minas com portões fechados



O torcedor carioca teve uma péssima notícia nesta quinta-feira. A partida do Sesc contra o Camponesa/Minas, no sábado, pela Superliga Cimed Feminina acontecerá com portões fechados.

Segundo nota oficial do clube do Rio (veja abaixo), as fortes chuvas na cidade, na madrugada de hoje, inviabilizaram a realização da partida na Jeunesse Arena, na Barra da Tijuca. Com isso, o importante confronto foi transferido para o Ginásio do Tijuca, mas sem tempo hábil para conseguir cumprir todos os “trâmites burocráticos”.

Olá, torcida! Comunicamos que a partida contra a equipe do Camponesa/Minas, que seria disputada no dia 17/02, às 15h, na Jeunesse Arena, foi transferida para o Tijuca Tênis Clube, às 15h, devido ao temporal da última quarta-feira, que inviabilizou a realização do jogo no local previamente divulgado. Infelizmente teremos que jogar também com PORTÕES FECHADOS. Sabemos da importância da nossa torcida, mas não conseguimos passar por todos os trâmites burocráticos para ter público no Tijuca Tênis Clube. Para os torcedores que já haviam realizado a compra do ingresso pelo site da GuicheWeb, TODOS SERÃO REEMBOLSADOS através do estorno do valor do ingresso, que será feito de maneira imediata e automática. Contamos com a compreensão de todos! 🙏 #SescRJ #Voleibol #Superliga

A post shared by Sesc RJ Vôlei Feminino🏐 (@sescriovolei) on

Em resposta às reclamações dos torcedores no Instagram, a assessoria do Sesc explicou que “o processo de liberação dos Órgãos Públicos responsáveis leva em média 30 dias. Por essa razão, sempre entramos com os pedidos de liberação com antecedência para a realização das partidas”.

O Sesc promete ressarcir todos os torcedores que já haviam comprado ingressos.

Sesc e Minas jogarão o Sul-Americano (Divulgação)

Ao menos a partida consta na grade de transmissão da RedeTV, às 15h. Um consolo para quem pretendia ver o jogo in loco.

Vale lembrar que Sesc e Camponesa/Minas serão os representantes brasileiros no Campeonato Sul-Americano, na próxima semana, em Belo Horizonte. Se nenhuma zebra gigantesca aparecer na capital mineira, os times de Bernardinho e Stefano Lavarini farão a final continental valendo vaga no próximo Mundial de Clubes.

 



MaisRecentes

Coluna: mercado já sente reflexos da crise mundial



Continue Lendo

Itambé/Minas planeja time “em volta” de Macris



Continue Lendo

Osasco Audax quer a volta de Tandara



Continue Lendo