Sesc vai entrar no vôlei. E com força!



Está nascendo, no Rio de Janeiro, um novo projeto para a temporada 2016/2017.

Ele terá apoio do Sesc (Serviço Social do Comércio) e um orçamento, segundo pessoas ouvidas pelo blog, entre os cinco maiores do país. Giovane Gávio, um dos gestores das competições de vôlei para a Rio-2016, é dado como certo nos bastidores como o futuro treinador do time masculino.

Alguns contatos com jogadores já foram feitos. O levantador Bruninho, que disputa os playoffs do Campeonato Italiano pelo Modena, foi um deles. Neste momento o mercado já se movimenta e é normal que a situação contratual dos “alvos” seja consultada. Tanto que o próprio clube italiano, que conta ainda com o central Lucão no elenco, já está ciente de “um grande projeto no Rio”. Catia Pedrini, presidente do clube, admite que ambos podem “voltar para casa” e lembra que Lucão será pai pela primeira vez, algo que pode pesar.

Pelas regras em vigor na Superliga, o novo time do Sesc não terá vaga automática na elite. Precisará passar pela disputa da Superliga B ou terá de se juntar com outro time já existente. Foi assim, por exemplo, que o Flamengo tentou participar da atual edição, em parceria com Juiz de Fora. Mas sem patrocinador o acordo não avançou.

Confirmações irão ocorrer apenas com o término dos campeonatos nacionais mundo afora.

 

 

 



  • Rodrigo José

    Entre o cinco maiores orçamento do vôlei ou todos os esporte, se cria essa nova equipe é certo o lucão jogar pos Modena está fechando com o central francês Le roux, Bruno eu já não sei pos ele é muito fiel basta vê quanto tempo ele passou na cimed tendo várias propostas e só saiu quando o protesto e quando saiu do rjx o time também acabou, oq pesa a favor na volta do Bruno e o rio de Janeiro a namorada a saudade só isso pos a superliga e fraca com as mesma final sempre desorganizada, ao contrário da liga italiana fortíssima e a Champions.

  • kleber

    Que venha um time forte… Estou querendo saber da movimentação dos times menores.

  • Dener Fondatto

    Daniel. Tem novidades sobre o Masculino e Feminino do SESI??????

  • Edu

    Anunciada naquele blog tendencioso, que dá alguns furos, que a Mari PB vai para o Volero Zurich na temporada 2016-17.Primeira baixa no Minas mas super positiva contratação para ambas as partes tanto atleta como o clube europeu.O Volero repetiu a classificação de 5º lugar na CL dois anos seguidos.Nas duas eliminações de play offs de quatro vergou apenas contra gigantes do voleibol feminino mundial com elencos miliardários em disputas durissimas.Na semana passada, contra o Vakifbank, numa disputa renhida que num dos sets chegou a 34 a 32.O que contou no diferencial é que o técnico Avital Salinger, técnicodo time suiço, teve que improvisar e colocar a libero reserva, jogadora da seleção dos EUA, como jogadora eletiva para estabilizar o passe na emergência da recepção ruim e carência de elenco.No fim pesou a maior quantidade de talentos em favor do time turco.No time suiço quem fez uma partida muito boa, só falhando em alguns saques, foi a craque Akinandewo titular da seleção dos EUA e renovada já para a próxima temporada.Melhor desempenho de uma central que assisti nesta temporada.Uma das coisas visíveis do Volero é o calcanhar de aquiles do time é seu problema crônico de recepção e trabalho de passe A.Suas ponteiras são muito ofensivas,Rabadzieva e Mamadova, mas pecam muito na recepção.Mari deve colocar na cabeça desde já que sua contratação visa estabilizar o passe e melhorar o fundo de quadra.Quando chegar a rede deve ceder lugar no line up das ponteiras acima de um e noventa.Outro fator a seu favor que ela terá a Fabíola para ajudar no entrosamento com as novas companheiras.Todas lutando por um espaço nesta legião estrangeira.O Volero tem apenas uma jogadora suiça para não descaracterizar o time e preencher a cota de nacionalidade.A vantagem e que ela e tão bonita quanto a Mari.Não se surpreendam ,num futuro próximo, Mari encantar um milionário suiço, amigão do dono do time, e voltar casada neste período europeu.E, mais importante esportivamente jogar a CL já que o Volero e campeão suiço dez vezes consecutivas e não perdeu nenhum set no campeonato até agora na fase final de play offs.

    • Billy

      Acho que após a chegada (em definitivo)da Fabíola nesse time. O Volero.dará um grande salto de qualidade.Estou na torcida…Abraço Edu.

      • Edu

        O Volero tem se tornado um time mais forte a cada temporada..Nesta jogaram de igual para igual na classificação de play off com o Vakifbank em Istambul perdendo no final do tie break após largar na frente na primeira passagem de rede .Em Zurique,com ginásio lotad,o faltou mais cuidado com a recepção que ficou bem prejudicada.Principal razão da contratação da Mari.E o Vakifbank tinha a Hill no banco que quando entrou substituindo a titular Annes abriu os jogos mais para as pontas.Um problema do time, se podemos chamar assim,é o proprietário que indiretamente começa a pressionar o time.Ele não aguenta ficar quieto e parado assistindo a partida.Na Turquia, desceu do seu lugar de convidado e foi na quadra assistir o jogo em pé.Em Zurique, a mesma atitude e foi para o meio da quadra atras do arbitro principal assistindo ao jogo em pé.Começou a ficar tão flagrante que a transmissão começou a focalizar seu comportamento em cada pausa da partida.Fora que ele ficava ao alcance dos olhos da jogadora pela proximidade fazendo uma pressão desnecessária.

        • Billy

          Exatamente Edu.Assisti toda a partida e o tal do proprietário do time(que eu não sei o nome) realmente não parava quieto(parecia que tinha pregos no assento onde ele estava)e fazia caras e bocas o tempo todo.Ele estava mais tenso que todas as jogadoras juntas do Volero .Imagina se ele estivesse jogando em quadra também…!?Eu estava torcendo muito prás meninas do Volero(pena que no final do tie-break elas vacilaram).

  • Edu

    No terreno dos rumores.O Giggio estaria negociando para pegar o CNPJ do time do Castro que se classificou para a Superliga e compor com alguns atletas daquela agremiação agregando os recursos alocados do Sesc(RJ) a equipe.Já que segundo o Trade, numa determinação absolutamente justa, uma nova equipe na Superliga vem apenas pelo acesso da serie B.Outro rumor é que existe um movimento nos moldes daquele que salvaram por duas vezes o Fluminense da serie B no futebol.A chamada virada de mesa.Em preservar o Maringá pela razão da equipe ter uma certa estrutura e media de publico de 1500 a 2 mil pessoas ,pagando ingresso, na temporada.Uma coisa a conferir.A posição da CBV e que a entidade não tem recursos para agregar mais uma equipe fora do acesso convencional.Nesta temporada a CBV passou a cobrir fora o custo de transporte, a chamada logística, mais o da hospedagem e alimentação no translado.Um exemplo é que se evitou o que ocorria nas temporadas passadas.Os clubes visitantes chegavam seis horas antes do jogo se alimentando em restaurantes de postos de gasolina e deixando a bagagem pessoal improvisada no ônibus durante os jogos.Acabava a partida e a arrumação do vestiário iam ao aeroporto esperar o voo.Frequentemente os atletas colocavam os colchonetes no chão da sala de espera do aeroporto para recuperação do repouso.Nesta temporada o Cruzeiro chegou a ficar direto 3 dias no Vale do Paraiba com hotel e acomodação por parte da CBV nas partidas de ida contra o Taubaté e São José.Antes ficaria como pião no ida e volta no eixo BH e cidades do Vale do Paraíba por economia.

  • Pingback: Vaivém: A situação do novo time do Sesc | Saque - um blog de vôlei | LANCE!()

MaisRecentes

Praia x Minas e Sesc x Vôlei Nestlé. Quer mais?



Continue Lendo

Agora líbero, Murilo volta a ser relacionado após 8 meses



Continue Lendo

E vem mais um Zenit Kazan x Sada/Cruzeiro por aí!



Continue Lendo