Semi do Paulista mostra importância das estrangeiras



O início das semifinais do Campeonato Paulista feminino, na noite desta quinta-feira, confirmou uma tendência para a Superliga: as jogadoras estrangeiras devem desequilibrar.

Na vitória do Hinode/Barueri sobre o Osasco/Audax por 3 sets a 1 (26/24, 25/14, 17/25 e 25/20), a maior pontuadora foi a polonesa Skowronska, com 24 acertos. Ela foi a bola de segurança do time e, mesmo ainda não estando no melhor da forma física e sem o entrosamento ideal com Dani Lins, demonstrou evolução em relação à temporada passada.

– Estou muito feliz com o resultado. Agora é pensar na próxima disputa no sábado e ir para cima delas buscando a vitória – comentou Kasia, como é chamada pelas companheiras e pela comissão técnica.

Na segunda temporada na equipe de José Roberto Guimarães, Skowronska jogou pela primeira vez com as selecionáveis que retornaram do Japão após a disputa do Campeonato Mundial: Dani Lins, Thaisa e Amanda, esta última cortada às vésperas do início, mas que permaneceu com o grupo.

Skowronska comemora com Dani Lins (Gaspar Nóbrega/Inovafoto)

Vale lembrar ainda que Barueri não apresentou a segunda estrangeira para a temporada 18/19: a ponta argentina Elina Rodriguez.

Pelo lado de Osasco, a ausência de uma estrangeira não permite fazer prognósticos mais precisos sobre o futuro do time na temporada. A americana Hooker ainda não se apresentou, algo que já começa a preocupar o torcedor, devido ao tempo que ela precisará para entrar em forma e para ganhar entrosamento com as novas companheiras para a Superliga.

Sem ela, a substituta Lorenne e a ponta peruana Leyva dividiram a responsabilidade e terminaram com 17 pontos cada na primeira semifinal. Durante boa parte do jogo, o Osasco sentiu falta de uma estabilidade maior no passe

No segundo jogo, em casa, Osasco precisará vencer o jogo e o golden set para se classificar para a decisão.

Na outra semifinal, o sotaque vencedor foi italiano. A oposto Valentina Diouf marcou 28 pontos na vitória do Sesi Bauru sobre o Pinheiros, fora de casa, no tie-break, parciais de 25/21, 23/25, 19/25, 30/28 e 15/11, mantendo o time do interior paulista invicto na competição.

A jogadora italiana de 2,02m vem ganhando a confiança do técnico Anderson Rodrigues no Estadual. O primeiro passo foi ganhar a titularidade que era de Tifanny. Com um entrosamento cada vez melhor com Fabíola, Diouf parece cada vez mais à vontade na primeira experiência internacional de clubes.

Diouf foi destaque na vitória sobre o Pinheiros (Daniel Vorley/Pinheiros Divulgação)

Pelo lado do Pinheiros, a cubana Herrera foi o maior destaque, com 23 pontos. Bem mais magra do que visto na fase de classificação, a jogadora, que já foi a maior pontuadora de uma edição da Superliga pelo Minas, prova ser uma aposta acertada do técnico Sérgio Negrão. Potência no ataque já é sabido que ela tem. Em boa forma física, ela pode fazer o time da capital paulista encarar adversários mais fortes e com orçamentos bem maiores de igual para igual.

Outras estrangeiras em quadra ontem foram a cubana Palacios, titular do Sesi Bauru, mas substituída por Edinara nos sets finais, além da americana Kelsie Payne, que foi pouco utilizada pelo Pinheiros.

LEIA TAMBÉM

+ Luto na Itália pela campeã mundial Sara Anzanello



MaisRecentes

Douglas Souza desbanca Lipe e Tandara na escolha do melhor do ano



Continue Lendo

Atual campeão abre Superliga feminina com vitória. É o grande favorito?



Continue Lendo

Dentil/Praia Clube conquista a Supercopa. Mas tem muito a evoluir



Continue Lendo