Sem brilhar, Brasil cumpre obrigação e bate tailandesas



A invencibilidade foi mantida. Mas a atuação não encheu os olhos. Assim defino a vitória brasileira sobre a Tailândia, neste sábado, por 3 sets a 1, parciais de 25-23, 20-25, 25-14 e 25-19, no Ibirapuera.

O quinto triunfo em cinco jogos neste Grand Prix mostrou falhas que não foram nítidas em outras apresentações. Desatenções em coberturas, erros em combinações de ataque, passe instável e dificuldades para virar as bolas com as opostos.

A tailandesa Tomkom em ação (FIVB Divulgação)

A tailandesa Tomkom em ação (FIVB Divulgação)

Com esse cardápio, José Roberto Guimarães mexeu no time por obrigação, não apenas para dar ritmo para as reservas. Joycinha saiu no primeiro set para entrada de Monique, que na parcial seguinte foi substituída por Barbara, que até então vinha sendo usada como central na Seleção. Natalia entrou na vaga de Garay, Adenízia entrou no meio de rede na posição de Carol.

Chamo a atenção para o número de Malika Kanthong, responsável por nove pontos de ataque apenas na segunda parcial.

Depois da derrota no segundo set, Zé voltou com o time que iniciou o jogo.  Talvez pensando: a cota de erros está esgotada. É hora de testar essa formação no momento mais difícil. E a aposta funcionou. O time voltou muito mais ligado, os erros diminuíram e rapidamente a ordem natural das coisas foi retomada. 8 a 3 logo na primeira parcial, vantagem foi aumentando, a ponto de permitir que as trocas para dar ritmo pudessem ser feitas, com Ana Tiemi e Jaqueline entrando na partida. Carol, com seis pontos, foi a destaque no incontestável 25 a 14.

No quarto set,  novamente o time-base foi escalado no início.  E o panorama foi parecido com a parcial anterior. Boa vantagem conquistada logo de cara, com o bloqueio anulando o ataque asiático e caminhada tranquila até o fechamento do set, já com várias reservas em quadra.

Analisando friamente, o melhor do jogo talvez tenha sido o susto tomado no segundo set. Contra rivais mais fortes, na fase final, um cochilo assim pode custar bem caro.

 



  • Rafael Silva

    Formação de linha de passe com Garay/Gabi e futuramente Gabi/Natalia não da certo o passe delas e ruim de mais, a Gabi ate que melhorou sua recepção mas ta longe do ideal ainda, no ataque ela vai bem, mas uma partida pra ter ataque primeiro tem que ter recepção. Hoje se não fosse o bom aproveitamento das centrais poderia ter complicado, Carol e Juciele estão regulares, bloqueando bastante e atacando com eficiência. Joyce e Monique sao 6 e meia duzia,nenhuma das duas tao fazendo a menor diferença,fraco desempenho de ambas.Natalia sinceramente ta jogando nada,preocupado quando a Garay for pro pan e ela assumir a vaga.
    Sinceramente ate hoje eu não acho que a Natália justificou a presença dela na seleção, ganhou uma medalha de ouro em Londres fazendo turismo e as custas do corte da fabíola, mesmo depois de muito tempo apos a tal cirurgia na canela, fez uma boa Superliga mas na seleção não fez nada.

  • SOARES

    Apesar dos erros de passe essa foi a melhor apresentação de Fê Garay em ataque no Grand Prix. Carol substituida no fim do 2* set por Adenizia (que nada fez), voltou e deu a volta por cima. Se não me engano Carol e Fê terminaram o jogo com 17 pontos. Isso só deixa claro que jogar com duas ponteiras irregulares do passe não dá certo com o estilo de jogo brasileiro(que depende muito das centrais). Agora imaginem na terceira fase do Grand Prix(no qual enfrentaremos Russia e Itália) e numa possivel fase final(contra EUA e China) que provavelmente teremos Gabi e Natália nas pontas e Sassá ainda se adaptando a função de líbero. E pra completar Monique na saída de rede. ISSO TORNA MAIS NECESSÁRIO AINDA A PRESENÇA DE SUELLE NO TIME TITULAR. Independente de a oposta ser Monique ou até mesmo Natália.

  • Francisco

    Daniel queria saber suas impressões da posição de oposta, além de saber quando a ponteira Suelle vai ter oportunidade no Grand Prix.

    • Daniel Bortoletto

      será assunto aqui em breve.

  • albertho

    Honestamente não creio que o Brasil irá muito longe nesse grand Prix. A Ellen e a Ivna que irão participar da fase final sequer foram relacionadas nessa primeira etapa, imagina serem jogadas no fogo contra China, EUA, Italia. Na minha opinião o Zé errou, deveria priorizar sim o grand prix, já que a seleção não irar jogar mais esse ano contra esses times, prováveis finalistas olímpicos. Outra opinião é sobre a importancia do Bernardinho para o vôlei brasileiro, assisti aos jogos amistosos do time B contra a Argentina e o que mais senti falta foram dos seus chiliques e xingamentos kkk quem diria! Não é possível ver os caras jogando daquele jeito horroroso e observar a postura do técnico, tranquilo, passível.Sei lá, eu no lugar dele distribuiria um monte de tapas kkk

    • Mari

      Senti a mesma coisa!! Rsrsrs
      E o pior é ver q esse é o futuro da seleção!!

  • Edson

    Joycinha só leva toco e nunca ataca sem que a bola bata no bloqueio. Acho que Natália de oposto seria bem melhor.

  • Edson

    Joycinha e bola no chão é que são opostos , ela não oposta de seleção.

  • Edson

    Neste time , só Camila BRAIT, Juciely, Carol, Gabi, Garay e Jaque e as levantadoras. Joyce,Natália…..A pior de todas (pelo pouco que faz com tanto tempo em quadra) é a Joyce. Talvez num time master ela vingue.

  • Kleber Alves

    Joicinha mal recebe bolas. Monique idem. Dani ignora a saída de rede. Nem sabia que a Ivna e a Ellen iam estar na fase final. Que absurdo. Enquanto isso, a Garay vai se desgastando mais ainda e sem necessidade.

  • ZIGFRIDO

    ABSOLUTAMENTE INJUSTIFICÁVEL JOYCINHA JOGAR NA SELEÇÃO – A MULHER COM A ALTURA DELA NÃO COLOCA UMA BOLA NO CHÃO… ONDE JÁ SE VIU UMA OPOSTA EM 4 SETS MARCAR INCRÍVEIS 2 PONTOS DE ATAQUES? O QUE O ZÉ ROBERTO TÁ FAZENDO?
    SÓ QUERIA ENTENDER PQ A SUELLE, MELHOR JOGADORA DO BRASIL NOS AMISTOSOS CONTRA O JAPÃO, NÃO TÁ NEM RELACIONADA PARA ESSAS PARTIDAS!!! SÓ QUERIA ENTENDER PQ ZE ROBERTO INSISTE COM JOGADORAS QUE NÃO VINGAM COMO É O CASO DA NATÁLIA?
    ACHO Q JOGADORAS COMO NATÁLIA, JOYCE E MONIQUE SEQUER DEVERIAM ESTAR NA SELEÇÃO…
    EM CONTRA PARTIDA, TALENTOS COMO DRUSSILA E BRUNA SEQUER FORAM CONVOCADAS, E A SUELLE MELHOR PONTEIRA DO BRASIL E QUE POSSUI UMA EXCELENTE LINHA DE PASSE, ALÉM DE ESTAR NA SUA MELHOR FASE, SEQUER TEM OPORTUNIDADE DE JOGAR…

    FORA NATÁLIA
    FORA JOYCINHA
    FORA MONIQUE

    ZÉ ROBERTO TÁ SE QUEIMANDO…

MaisRecentes

Dentil/Praia Clube e Sesc abrem vantagem



Continue Lendo

Corinthians faz melhor jogo na Superliga



Continue Lendo

Coluna: A imprevisível Superliga feminina



Continue Lendo