Seleções não usarão Maracanãzinho em jogos antes da Rio-2016



“As Seleções Brasileiras irão estrear nas edições deste ano do Grand Prix e da Liga Mundial na Arena Carioca 1, no Parque Olímpico da Barra, no mês de junho. O Comitê Rio 2016 fez o pedido de mudança de local do Maracanãzinho, que foi prontamente aceito, à Confederação Brasileira de Voleibol (CBV) e à Federação Internacional de Voleibol (FIVB), para poder testar sua capacidade de operação de eventos com grande público no Parque Olímpico.

Arena Carioca 1 em evento-teste do basquete Matthew Stockman/Getty Images)

Arena Carioca 1 em evento-teste do basquete Matthew Stockman/Getty Images)

Assim, pelo Grand Prix, a Seleção feminina enfrentará na Arena Carioca 1 a Itália no dia 9 de junho, e o Japão, no dia 10, com as duas partidas às 14h45. No dia 12, encara a Sérvia, às 10h05. Já a equipe masculina vai ter pela frente o Irã, no dia 16 de junho, e a Argentina, no dia 17, sempre às 14h45. O confronto com os Estados Unidos, no dia 18, será às 23h10.

– Esse é um horário (de 23h10) que precisamos testar especificamente também. Todo mundo sabe que o Maracanãzinho é a catedral do voleibol no Brasil, por isso agradecemos ao apoio da CBV e da FIVB ao atender o nosso pedido de mudar essas partidas para a Arena Carioca 1 – comentou o diretor-executivo de Comunicação do Rio 2016, Mario Andrada, que esclareceu também que não há chance de se mudar a sede do voleibol durante os Jogos Olímpicos, que será o Maracanãzinho”.

O anúncio oficial, publicado na íntegra acima, aconteceu nesta sexta-feira. Como você já deve ter percebido, as equipes de Bernardinho e José Roberto Guimarães não poderão se “aclimatar” no Maracanãzinho durante Liga Mundial e GP. Certamente esse é o ponto ruim da decisão para as duas seleções. Esportivamente é sempre bom poder jogar o maior número possível de vezes no local da disputa da Rio-2016. A questão das “referências” do levantador sempre é citada em entrevistas quando se joga em um ginásio grande, como é o Maracanãzinho.

Além de tudo sobrarão reclamações sobre o “teste corujão” em vários aspectos. Jogo às 23h10 é apenas para os fortes, eu ouvi ontem. E tem uma razão no exagero da frase. E aí posso citar um vasto número de argumentos para contestar o horário e certamente vou me esquecer de vários outros. Impossibilidade de uso de transporte público para quem vai ao ginásio; forte impedimento para presença de crianças (acordadas até o ponto final) no local; mudança radical no cotidiano de um atleta para atuar neste horário; chance zero de cobertura do jogo por jornais impressos…

Mas é entender a necessidade de a nova instalação esportiva ser testada e imaginar que todos os contras foram colocados na balança.



MaisRecentes

Natália e finalistas da Superliga convocadas para treinos da Seleção



Continue Lendo

Semifinalistas da Superliga e mais alguns são convocados por Renan



Continue Lendo

Vaivém: EMS/Taubaté fala em mais dinheiro e projeto internacional até 2020



Continue Lendo