Seleção pode resgatar “jogo perdido” nas finais do GP



O Brasil está na fase final do Grand Prix. E com uma atuação convincente (finalmente!) na vitória por 3 a 0 sobre a China, parciais de 25-20, 25-22 e 25-19.

Em Ningbo, também em território chinês, o time disputará o título contras as donas da casa, Estados Unidos, Turquia, Tailândia e Cuba, entre 27 de junho e 1 de julho. Tirando as americanas, que passearam, possuem um elenco de respeito e são candidatas ao ouro olímpico, os demais são bem “ganháveis”, mesmo com o Brasil ainda longe de convencer.

Pontos positivos da apresentação da brasileira: o saque fez muitos estragos na recepção chinesa, nesta manhã. Em alguns momentos do jogo, parecia que do outro lado da quadra estava um time amador, tamanha a dificuldade de receber os passes de Thaisa, Sheilla, Jaqueline & Cia. Isso facilitou a vida do bloqueio, que marcou 13 pontos, bom número em apenas três parciais.

Vale registro também o teste feito por Zé Roberto, revezando Fabi e Camila Brait. Cada vez mais acredito que as duas estarão na lista para a Olimpíada, caso Natália não se recupere.

Os cinco jogos da fase final serão importantes para que o time resgate de vez a confiança e para que o técnico tire as dúvidas que restam para Londres.



MaisRecentes

Giovane encaminha manutenção do vôlei carioca na Superliga



Continue Lendo

Basta! Nada justifica ameaças de morte



Continue Lendo

As duas formas de ver o novo Sesi



Continue Lendo