Seleção do Mundial não premiou destaques da final



A escolha do time ideal das principais competições do vôlei costuma gerar polêmica. No Mundial feminino do Japão não foi diferente.

Após a vitória da Sérvia sobre a Itália, a Federação Internacional anunciou a seleção. E sem dois dos principais nomes da decisão: a levantadora Maja Ognjenovic e da ponta Brankica Mihajlovic.

As eleitas foram:

• Pontas: Miryam Sylla (Itália), Zhu Ting (China)
• Centrais: Yan Ni (China), Milena Rasic (Sérvia)
• Oposto: Paola Egonu (Itália)
• Levantadora: Ofelia Malinov (Itália)
• Líbero: Monica De Gennaro (Itália)
• MVP: Tijana Boskovic (Sérvia)

Muitas vezes a FIVB recolhe os votos dos jornalistas (presentes in loco nas decisões) para escolha de destaques antes do fim do jogo.  Em outras ocasiões, a escolha não passa pela mídia e é baseada mais nas estatísticas do que na opinião de especialistas E em ambos os casos o resultado nem sempre é visto como o mais justo.

Na minha modesta opinião, o desempenho de Ognjenovic e de Mihajlovic neste sábado deveria premiá-las com um lugar na equipe ideal do Mundial.

A comparação do desempenho da levantadora sérvia com Malinov na final é definitivo para escolher a melhor. Mas se você olhar as estatísticas da competição, a italiana liderou na posição, com Ognjenovic em sexto, uma posição à frente da reserva Zivkovic, que só chegou em partidas já sem importância, para descanso da titular.

Ognjenovic emocionada ao lado do técnico Zoran Terzic (FIVB Divulgação)

O mesmo vale para Mihajlovic e Sylla. A sérvia foi protagonista na final, enquanto a italiana teve um desempenho sofrível no passe e não conseguiu ser a fiel escudeira de Egonu no ataque, como em outros jogos. Outra olhada nas estatísticas ajuda a “entender” pela escolha da vice-campeã. Sylla só ficou atrás de Boskovic no aproveitamento de ataque, além do oitavo posto entre as passadoras.

Sobre os prêmios para Boskovic e Egonu, o óbvio. A vencedora da final faturaria o MVP, com a perdedora ficando como o troféu de “consolação”: melhor oposto.

LEIA TAMBÉM

+ Sérvia no topo após frustração olímpica

 



MaisRecentes

Dentil/Praia Clube conquista a Supercopa. Mas tem muito a evoluir



Continue Lendo

Dirigente morre ao jogar torneio master em Saquarema



Continue Lendo

Coluna: Uma Superliga 100% transmitida



Continue Lendo