Seleção vence a oitava antes de série mais difícil na Liga



A Seleção Brasileira aumentou para oito a série de vitórias na Liga das Nações feminina.

Nesta quinta-feira, em Apeldoorn, triunfo sobre a Holanda, dona da casa, por 3 sets a 1, parciais de 25-23, 26-24, 13-25- e 25-22.

Resultado para dar moral antes da quarta, penúltima e mais difícil etapa da competição para a equipe de José Roberto Guimarães. Na próxima semana, os rivais serão “somente” China, Estados Unidos e Rússia.

Para refrescar a memória de todos, apenas uma pequena descrição do trio. Os Estados Unidos lideram a Liga com 25 pontos, um a mais do que o Brasil. A China, que teve a estreia de Ting Zhu na terceira etapa, é a atual campeã olímpica e algoz brasileiro no Maracanãzinho, nas quartas de final da Rio-2016. Já a Rússia talvez seja a maior rival da Seleção nos últimos ciclos, com jogos marcantes em Mundiais e Olimpíadas.

Com a reta final da fase de classificação se aproximando do fim, a próxima semana pode encaminhar a classificação de algumas seleções. São cinco vagas em jogo, já que a China, mandante da etapa decisiva, já está garantida.

Brasil e Holanda entraram em quadra com a mesma campanha: sete vitórias e uma derrota. E por isso o jogo tinha status de decisão. O time da casa começou pressionando a Seleção no saque e chegou a abrir 12 a 7.

Roberta aciona Bia pelo meio contra a Holanda (FIVB Divulgação)

Com Gabi no saque, o time brasileiro emendou sete pontos seguidos, aproveitando contra-ataques e pontuando também no bloqueio. Abriu, passou e só foi incomodado na última passagem da Holanda pelo saque, com Plak. A vantagem caiu de quatro para um ponto, até que a holandesa exagerou na força e mandou para fora a bola no quarto set point.

O início da segunda parcial foi parecido com o primeiro. Holanda abriu frente e comandou o placar até o 11º ponto. Levou a virada, com o prejuízo de Anne Buijs no passe, e o jogo passou a ser disputado ponto a ponto. 16 a 16, 20 a 20, 22 a 22, 24 a 24… Até Tandara virar um ataque pela saída de rede e depois encaixar um ace para o Brasil fechar em 26 a 24. Foi o 17º ponto dela na partida.

O aspecto a lamentar no desempenho brasileiro foi a quantidade de erros, principalmente no ataque. Minimizá-los certamente teria deixado o triunfo bem mais tranquilo. Contra alguns rivais pode ser bem mais complicado virar sets, como visto no terceiro set em Apeldoorn. As holandesas abriram seis pontos (14 a 8), o Brasil  se desconcentrou com as falhas e perdeu com sobras.

O quarto set foi o único com a Seleção no comando do placar na primeira parada técnica (8 a 5). Mesmo com Suelen com dificuldades em algumas passagens de saque da Holanda, o Brasil manteve-se sempre em vantagem até fechar a partida em 3 a 1.

Tandara terminou o duelo com a Holanda com 32 pontos. Sloetjes, que cresceu muito a partir do terceiro set, fez 20 para as europeias.

LEIA TAMBÉM

+ Novidades da Seleção feminina para a Copa Pan-Americana

 



MaisRecentes

Coluna: O Brasil queria receber os Pré-Olímpicos de vôlei. Mas…



Continue Lendo

Coluna: Minas e um dia histórico para o vôlei nacional



Continue Lendo

O tremendo desafio de Minas e Dentil/Praia Clube no Mundial



Continue Lendo