São Caetano surpreende e fica perto de final



O São Caetano deu, na noite de ontem, um passo importante para conseguir a surpreendente classificação para a  decisão do Paulista feminino.

Em casa, no Lauro Gomes, vitória sobre o favorito Sesi por 3 sets a 2, parciais de 29-27, 15-25, 25-23, 25-16 e 15-13.

Agora, o time da capital terá de vencer o jogo de volta, na quarta-feira, e o golden set para impedir a zebra do ABC. Vale lembrar ainda que o Sesi estava invicto até então na competição.

Admito que é bom ver o “renascimento” de times tradicionais, como o São Caetano. Time que já teve patrocinadores de peso (o último foi a Blausiegel) e brigou por título, abarrotado de selecionáveis (Mari, Sheilla e Fofão, por exemplo). Time que também já ficou à mingua, em várias ocasiões, mas nunca deixou de estar presente nas grandes competições.

Parte do mérito do Sanca está no banco de reservas. O bom Hairton Cabral, que possui vários trabalhos dignos de elogios com times de menor orçamento, é o treinador.  É bom ficar de olho nesta equipe!



  • Léo

    O que é a Carol Albuquerque hein? Nem com uma medalha olímpica ela toma jeito.

  • Osmar Cordeiro

    O São Caetano se superou e soube neutralizar a equipe do Sesi com o saque pra quebrar o passe e o bloqueio , a atuação da levantadora Carol e oposto Paula foram louváveis , se equipe se concentrar na recepção que é um dos pontos falhos do Sanca pode surpreender e conseguir a classificação , mas acredito que o Sesi deva superar jogando em casa e com a Fabiana desde o inicio , qdo a equipe teve o controle e a relação saque/bloqueio venceu com tranquilidade o sets , porém nos demais com erros bobos de saque , levantamento e comunicação entre as atletas em quadra deixou a equipe perdida . Achei a equipe do Sesi perdida taticamente e com muitas mudanças , a Carol jogou boa parte do jogo , a Monique jogou abaixo , o Talmo utilizando novamente como na última temporada uma ponteira improvisada como oposto e o troca troca de líberos que na minha opinião atrapalha pq sacrifica uma atacante no banco de reserva , isto quer dizer ao invés de 3 ficaria apenas 2 . Vamos aguardar e o segundo jogo promete um bom jogo .

  • Edu

    Para se ter uma ideia do desnível orçamentário: se somarmos o salário inteiro do time titular do São Caetano não se paga a metade do que ganha, com mérito, a Fabizona.Melhor observarmos com lupa e sem precipitação essa menina Carol, levantadora, do São Caetano.Se ela conseguir manter o nível do que tem apresentado de forma consistente pela temporada da Superliga briga fácil em 2015 para ser uma reserva imediata nas três grandes do vólei feminino brasileiro(Osasco,Rio de Janeiro e Sesi) e se coloca como a terceira levantadora da seleção (posição em aberto, hoje).Podemos destacar a central Mara, uma leoa,a libero Nine e a ponteira Thaisinha (uma especie de miniatura, com muito menos recursos estéticos e técnicos da Sonsirma).Melhor sacadora em estilo viagem do vólei feminino brasileiro essa jogadora já despertava atenção por ser uma boa atacante com apenas um pouco mais de um e setenta.Infelizmente parece já sofrer um problema crônico no ombro esquerdo tamanha a expressão de incomodo que se reflete nas pedidas de tempo.Outra coisa a se destacar e como a Carol Albuquerque com o passe na mão não consegue sincronizar um levantamento tranquilo com a Fabizona mesmo participando do mesmo time há pelo menos três anos.Para não incidir em bulling mas é impossível não estranhar como a Suellen pode estar até mais pesada que a temporada passada.A explicação é o chamado fator Talmo.Ontem mesmo a própria Monique arregalava os olhos depois de uma orientação pessoal técnica requestionando três vezes com “é isso mesmo?”.Mesma característica de que como esse treinador, que foi um ótimo levantador, que tive o privilégio de ver jogar, endossa a contratação da líbero Michelle Daldegan ,recusa a contratação da Fabíola na transição da Dani para o Osasco mesmo contando com os pontos de ranqueamento, orçamento e a simpatia pessoal do Montanaro(diretor do time).Preferindo dar uma oportunidade de mais titularidade a Carol Alburquerque e colocando a Claudinha no elenco.Infelizmente na realidade atual e com devido respeito a essas atletas , a levantadora reserva da seleção brasileira , pelo que já mostrou no Krasnodar, com uma das mãos joga mais que as duas jogadoras juntas.Finalizando, um dos poucos treinadores que o Bernardo tem profundo respeito no volei brasileiro é o Hairton Cabral.Com poucos recursos consegue fazer equipes medianas que se mostram honestamente competitivas.Uma demonstração de como se administra um grupo foi a implantação do sistema definido de jogo.Mesmo se submetendo a certos sacrifícios como colocar a levantadora Juma – uma quase sósia da atriz global Nathalia Dill e uma jogadora em nível de campeonato universitário.,Mesmo sendo muito inferior a titular e promissora Carol, a estrategia contemplava momentos de inversão que deveriam ser efetivos para a estrategia da equipe e dar um descanso maior a rotação titular.

  • marcian

    Torço por esses times pequenos. Que apareçam novas jogadores, de raça, e com potencial. Precisamos focar é nessas, precisamos e ver/investir/aproveitar o celeiro de jogadoras promissoras que temos!

  • Juliano

    Sesi subestimou São Caetano. Tinha Carol Albuquerque, que jogou durante boa parte da partida, então não tinha como alegar falta de entrosamento com Fabiana. A central tinha que ter jogado desde o início. No quinto set, quando Fabiana dominou, quem estava levantando? Claudinha. Então a desculpa do Talmo foi mais absurda do que nunca. O problema é que a Bárbara e a Bia estão pau a pau. Realmente fica difícil. Uma é melhor no ataque, a outra no bloqueio. Difícil mesmo escolher, embora a preferência seja inicialmente a Bia por causa do bloqueio pesado.

    A Paula é conhecida na categoria de base, foi MVP no sul-americano deste ano, salvo engano. Boa jogadora, mas ainda sinto que falta impulsão para ela. Vai melhorar muito, pode ser um “monstro” no futuro. Só espero que continue em times com orçamento menor por enquanto, tem potência e não merece ficar numa “grande” equipe no banco.

    Gosto das centrais do São Caetano, mas acho as levantadoras péssimas. Quando tentam forçar a jogada, a coisa desanda de vez. Pelo menos a titular tem bom entrosamento com a Paula, e a jogada rápida realmente funciona, mas é muitas vezes imprecisa, diga-se de passagem.

    Thaisinha sofreu. Muitas jacas. Bola fora de ângulo e bola baixa. É jogadora baixa, mas aqueles levantamentos… Virou algumas na raça mesmo. O péssimo passe da Thaisinha é de conhecimento de todos, então “normal”.

    Monique atuou da forma dela. Só levando bloqueio. Nunca vi nada demais nela. Só acho razoável.

    Pri Daroit não está em boa fase, mas não acho que é ponteira que deveria ficar no banco ou tampouco ser improvisada. Mari improvisada como oposto foi uma cartada boa no ano passado. Funcionava muito bem. Gosto do passe dela, mas ela não tem aquela qualidade de ataque que Daroit tem quando está na ponta. Daroit já não estava a mesma, de oposto ficou ainda pior. Talmo quer recuperar jogadora como? Outra coisa, Deyse está com lesão, mas ela é ponteira. Não entendo este motivo para a Daroit ser improvisada. Cadê a oposto reserva contratada? Pior, Daroit nunca foi uma exímia passadora, mas ainda assim era melhor que Natália e Kosheleva da vida. Ou seja, com o tempo, tinha tudo para virar ponteira de passe A e B. Vai melhorar como atuando como oposto?

    Suelle muito bem no ataque. Explorando e dando trabalho. Virando só jaca. Mas foi bem razoável no passe.

    Aquele quinto set só veio confirmar: Carol vai ficar no banco de novo. Não tem como. Claudinha deu muito mais certo com Fabiana. Forçou jogadas e Fabiana foi pontuando. Carol forçada e dava tudo errado, Fabiana só largava.

    Troca-troca de líbero do Sesi. Só foi para dar experiência, só pode. A Suellen estava subindo tudo. Não entendi a troca. A gordinha pode não conseguir se locomover bem, mas, se no momento estava bem posicionada, subia tudo.

    • Juliano

      OBS1: Na Superliga eu torço muito para Sesi e Praia Clube. Mas no jogo não tinha como não torcer pelo São Caetano.

      OBS2: Este ano meu coração ficará com o Rio, adoro todo o elenco, torcendo por mais evolução da Roberta; melhora grande da Natália; uma mais renovada Andreia; e uma Mayhara pau a pau com a Carol por posição de central.

    • Zelirbem

      Concordo contigo sobre as levantadoras do Sesi. E ainda acrescento a observação de que as bolas da Carol A. pra ponta foram quase todas infração de 2 toques, tudo bem que a Claudinha não jogou tão bem assim, mas a Claudinha joga muito mais que aquilo, no Volei Amil o Zé a culpava por tudo e os leigos que querem se meter a comentar podem acabar se confundindo por conta disso, mas ela tava jogando bem e muito bem por sinal, inclusive com aquele passe da equipe.
      É questão de tempo pra ela mostrar todo o seu voleibol, podem notar que seu toque é lisinho, a bola sai limpinha de sua mão e não como a Carol A. que faza bola parecer um io-iô saindo e suas mãos.
      E ainda teve gente durante a pré-temporada, que falou aqui nos comentários que a Carol A. tinha mais bola que a Claudinha.

MaisRecentes

A velocidade do Sesc, com Thiaguinho, impressiona



Continue Lendo

O novo conceito da FIVB para 2018



Continue Lendo

Apenas Lebes/Canoas faz o dever de casa na rodada



Continue Lendo