Sada/Cruzeiro e EMS/Taubaté campeões



Os Campeonatos Estaduais de Minas Gerais e de São Paulo seguem dominados por Sada/Cruzeiro e EMS/Taubaté.

Neste sábado, eles confirmaram o favoritismo sobre Minas e Corinthians/Guarulhos, respectivamente, e levantaram a taça, a oitava vez do Cruzeiro e a quarta consecutiva de Taubaté.

A vitória da equipe de Marcelo Mendez sobre o principal rival aconteceu em casa, no Ginásio do Riacho, em Contagem, em quatro sets: 3 a 1 (25-23, 25-15, 22-25 e 25-14). Já o triunfo do time de Daniel Castellani, outro argentino, foi mais suada e como visitante, no Ginásio da Ponte Grande, em Guarulhos: 3 a 2 (21-25, 25-19, 21-25, 26-24 e 15-12).

Resultados que reforçam Sada/Cruzeiro e EMS/Taubaté, finalistas da Superliga na temporada passada, como os favoritos novamente ao título na competição prestes a começar. Antes, farão um aperitivo na Supercopa, em Fortaleza, na próxima quarta-feira. Um ótimo programa para o torcedor nordestino em geral que puder ver o clássico in loco, no Centro Olímpico.

Estou bem animado para a temporada masculina de clubes. Os dois novos (velhos) campeões estaduais seguem com timaços, mas com alterações importantes. Será a primeira Superliga cruzeirense sem William, o que pode (deve) diminuir a diferença para os principais perseguidores. Responsabilidade nos ombros de Nico Uriarte, hermano que chegou para suprir a falta do campeão olímpico. Já Taubaté, ainda sem ver em quadra seu principal reforço, o ponta sérvio Ivovic, que se recupera de problema no tornozelo, manteve a base e trouxe dois estrangeiros para encerrar a hegemonia celeste. No papel está mais perto do Cruzeiro.

Um patamar abaixo aparecem um grupo considerável de times: o Sesc e o Sesi com vários campeões olímpicos e muitos selecionáveis, o Minas que deve ganhar nos próximos dias mais um reforço cubano (voltarei ao assunto em breve), o empolgado Corinthians em sua primeira temporada, além do Vôlei Renata, com outro argentino no banco de reservas (Horacio Dileo), presença constante em fases finais ainda como Brasil Kirin.



MaisRecentes

Reflexão sobre o momento da Seleção é necessária



Continue Lendo

O novo capítulo de uma relação conturbada entre Brait e Zé Roberto



Continue Lendo

Coluna: A empolgante decisão da Superliga feminina



Continue Lendo