Sada/Cruzeiro volta a se posicionar sobre Simon



O Sada/Cruzeiro voltou a trabalhar nesta semana para a temporada 2018/2019. Mas sem o cubano Simon.

O central parece decidido a trocar o clube mineiro pelo Civitanova, da Itália. O problema é que os dirigentes brasileiros não estão dispostos a liberá-lo antecipadamente do contrato.

Simon tem mais uma temporada de vínculo e a rescisão está prevista mediante a um pagamento superior a R$ 1 milhão. Confira na íntegra a nota do Sada/Cruzeiro.

Simon é um dos melhores do mundo na posição (Divulgação)

“Há alguns anos o Sada Cruzeiro já tinha a intenção de trazer Simon para seu elenco, mas precisou esperar o cumprimento do contrato dele, primeiro no Piacenza, da Itália, e depois dois anos na Coreia. Em 2016, enfim, Simon assinou um contrato por três temporadas com o Sada Cruzeiro e veio a defender as cores do clube. As duas primeiras temporadas foram de muito sucesso, com vários títulos e muitas conquistas. E a torcida cruzeirense tem um especial apreço por Simon.

Entendemos que o atleta passa por um momento pessoal de incertezas. Ao entrar de férias, na última reunião com a presidência do Sada Cruzeiro, Simon solicitou ao clube que o ajudasse a naturalizar-se brasileiro, já que logo terá uma filha com uma brasileira. O clube prontificou-se a ajudá-lo e já está com o processo adiantado.

Em momento algum Simon avisou ou deu um mínimo aceno, durante a última temporada ou ao término dela, de uma intenção de se mudar para outro país e deixar o Sada Cruzeiro. Aliás, deixou claro que queria estender ao máximo a carreira no clube, mais ainda com a naturalização e a união com uma companheira brasileira.

Recentemente ele procurou a direção do clube informando que gostaria de rescindir o contrato, que queria se mudar para Itália. Para o Sada Cruzeiro foi um golpe muito duro, pois o mercado internacional já tinha concluído as suas maiores contratações e seria muito difícil a substituição nessa altura com outro atleta. O Simon é um jogador importantíssimo para o Sada Cruzeiro e peça central no nosso planejamento, com contrato que termina em 31/05/2019. E devido ao desempenho da última temporada ainda foi oferecido ao Simon um aumento expressivo na forma de premiações.

Ele recebeu mensagens atenciosas e de muito respeito da nossa presidência, expondo francamente a surpresa e lembrando as condições contratuais, que, em caso de rescisão, obrigam a parte optante ao pagamento de um valor estabelecido.

A presidência do Sada Cruzeiro inclusive chegou a procurar o Lube Volley, clube que estaria assediando o jogador, mas as tentativas de aproximação com o time italiano não foram atendidas e nem as mensagens endereçadas aos seus diretores foram respondidas. Diante disso, o jurídico do clube passou a cuidar do assunto, inclusive notificando a FIVB sobre os acontecimentos, sobre o contrato e suas cláusulas rescisórias.

O Sada Cruzeiro é um clube ético, carrega o nome de uma empresa internacionalmente conceituada e de eminente expressão econômica, age e sempre agiu com decoro, em absoluto respeito à legalidade e aos contratos contraídos com seus atletas. Dezenas de jogadores de renome internacional almejam uma oportunidade no Sada Cruzeiro. Qualquer intenção do atleta Simon seria compreendida e discutida em um momento oportuno e previsível, que se permitisse readequar o elenco.

O Lube Volley declarou à imprensa italiana que não dispõe de recursos para honrar a rescisão contratual e que a questão seria deixada para o atleta resolver com o Sada Cruzeiro. Contudo, até o momento o clube não teve qualquer posição oficial do atleta, por escrito ou em resposta às mensagens enviadas ao mesmo para que explicasse suas pretensões.

O Sada Cruzeiro iniciou oficialmente as atividades nesta quarta-feira, 04/07, e o atleta ainda não se apresentou”.

LEIA TAMBÉM

+ André Heller sobre a MP 841



MaisRecentes

Douglas Souza desbanca Lipe e Tandara na escolha do melhor do ano



Continue Lendo

Atual campeão abre Superliga feminina com vitória. É o grande favorito?



Continue Lendo

Dentil/Praia Clube conquista a Supercopa. Mas tem muito a evoluir



Continue Lendo