Sada/Cruzeiro inova ao “patrocinar” desafio eletrônico



O Campeonato Mineiro usará a tecnologia para esclarecer marcações duvidosas da arbitragem. Um “oferecimento” do Sada/Cruzeiro.

O sistema foi comprado pelo campeão da Superliga e será emprestado para a Federação Mineira durante o Estadual. Todos os jogos da competição terão o auxílio eletrônico.

A Data Project, detentora da tecnologia, já tem o sistema de vídeo check em utilização na Liga Italiana. Serão possíveis no Mineiro as conferências de bola dentro ou fora, toque no bloqueio, toque na rede, toque na antena, quatro toques e invasão da quadra adversária, durante o saque e na área de ataque.

– Estamos muito felizes com essa iniciativa do Sada/Cruzeiro. E quem ganha é o voleibol. O uso de um equipamento como esse, já utilizado em torneios como o Mundial de Clubes, trará mais credibilidade ao nosso campeonato e teremos a certeza de um resultado justo. E tudo isso engrandece ainda mais o nosso torneio – disse Tomás Mendes, presidente da FMV.

A estreia do equipamento acontecerá nesta sexta-feira no confronto entre Sada/Cruzeiro e Juiz de Fora, às 19h, na Zona da Mata mineira.

Tecnologia já vem sendo usada em grande competições (Reprodução)

– Há muitos anos nós temos essa preocupação, de que se tenha todas as ferramentas possíveis para um grande jogo e nossa intenção é contribuir. É bom para os atletas, para a arbitragem e também para o público que acompanha a partida. Nós escolhemos esse sistema depois de estudar os que já existem no mundo. Ele já é usado com sucesso na Superliga italiana há vários anos, é mais acessível e mais simples de ser operado, sem prejuízo da qualidade das imagens – explicou Flávio Pereira, diretor esportivo do Sada/Cruzeiro.

Certamente é elogiável a medida de um Campeonato Estadual ter a utilização da tecnologia. Sou um defensor intransigente de usar a tecnologia como aliada da arbitragem, já que o vôlei está cada vez mais veloz e difícil para as marcações corretas a “olho nu”.

O único ponto fora do contexto é ver um clube fazendo o papel da entidade, assumindo o protagonismo ao adquirir uma tecnologia cara para utilização até dos concorrentes.

Aqui não fica uma crítica ao Sada/Cruzeiro, um projeto de muito sucesso esportivo na última década e com uma capacidade financeira imensa graças ao idealizador Vitório Medioli. Mas sim à estranha inversão de valores do filiado assumindo uma função da federação ou confederação.

LEIA TAMBÉM

+ Sesc anuncia reforço para a Superliga



MaisRecentes

Atual campeão abre Superliga feminina com vitória. É o grande favorito?



Continue Lendo

Dentil/Praia Clube conquista a Supercopa. Mas tem muito a evoluir



Continue Lendo

Dirigente morre ao jogar torneio master em Saquarema



Continue Lendo