Sada/Cruzeiro joga por sobrevivência. EMS/Taubaté, por vaga na final



O primeiro finalista da temporada 2017/2018 da Superliga Cimed Masculina pode ser conhecido nesta sexta-feira. Para isso o EMS/Taubaté precisa vencer pela terceira vez consecutiva o Sada/Cruzeiro. O duelo acontecerá às 21h30, no ginásio do Riacho, em Contagem (MG).

Pouca gente apostava que o terceiro jogo da série em melhor de cinco apontasse neste cenário. Nos últimos anos é uma raridade ver o Sada/Cruzeiro nas cordas, usando uma expressão do boxe para mostrar um adversário em vantagem, enquanto o outro está acuado.

O oposto Wallace, um dos destaques da série até aqui e profundo conhecedor do rival, dá as dicas para o Taubaté sair de Minas Gerais com a vaga garantida.

– Temos que ter calma e concentração. Não rifar bolas e dar pontos de graça para eles. Nosso saque funcionou muito bem no último jogo, assim como a nossa defesa foi decisiva. Se conseguirmos repetir essa eficiência, é um grande passo para confirmar outra vitória e avançar à final – comentou o campeão olímpico.

Já o levantador e capitã Rapha vê o EMS/Taubaté numa crescente na temporada. E aponta motivos da evolução do time:

Ivovic encara bloqueio de Simon e Uriarte no primeiro jogo da série semifinal (Divulgação Sada/Cruzeiro)

– O time está entrando no seu melhor momento. Vários jogadores importantes foram ganhando ritmo mais para o final da temporada. Isso está vindo à tona agora. O Ivovic estava machucado até o meio da temporada. E tem as questões da aposentadoria do Dante e da lesão do Lucarelli, além de cada um ter as suas próprias motivações pessoais visando o grupo. Isso é muito legal

Do outro lado, o técnico Marcelo Mendez espera que o saque, um das armas históricas do Sada/Cruzeiro, comece a funcionar nos playoffs. Ele vê o grupo capaz de virar a série para 3 a 2.

– Agora só podemos ir para cima, jogar o que sabemos e o que fizemos durante a temporada. Tivemos uma conversa boa com o grupo, sobre as últimas partidas e todos estão muito motivados para reverter este placar. Vamos fazer valer o mando de campo e precisamos muito do apoio da nossa torcida neste momento. Acreditamos no nosso grupo, na força que nós temos e acho também que a torcida pode ser vital para esta virada – afirmou o comandante, citando o fato de poder ainda fazer dois jogos em casa nas semifinais.

LEIA TAMBÉM

+ Lucarelli assina a renovação com o EMS/Taubaté



MaisRecentes

Coluna: Minas e um dia histórico para o vôlei nacional



Continue Lendo

O tremendo desafio de Minas e Dentil/Praia Clube no Mundial



Continue Lendo

Coluna: Sinal de alerta com as chuvas no Brasil



Continue Lendo