Rússia 3 x 0 EUA



O placar já é suficiente para gerar uma boa discussão.

Nesta madrugada, a Rússia conquistou uma vitória maiúscula sobre os Estados Unidos, pela antepenúltima rodada da Copa do Mundo do Japão. As parciais foram 25-17, 31-29 e 25-23.

O resultado deixou a briga pelas duas vagas para a Rio-2016 bem interessante. Russas, chinesas e sérvias possuem oito vitórias e uma derrota, enquanto americanas e japonesas somam sete triunfos e dois revezes. Como ainda haverá o confronto direto entre Rússia e China, a melhor situação para classificação é da Sérvia, que terá duas molezinhas pela frente.

Mas deixando as contas para classificação um pouco de lado (veja abaixo quem são os confrontos diretos dos primeiros colocados nas rodadas finais), o tema deste post é triunfo russo sobre as americanas.

Um 3 a 0, neste nível, sempre faz você parar para pensar. O que aconteceu de um lado para tamanha superioridade? E o que deu no rival derrotado sem dó nem piedade? Vamos por partes:

Shcherban deu estabilidade ao passe russo (FIVB Divulgação)

Shcherban deu estabilidade ao passe russo (FIVB Divulgação)

– A Rússia, surpreendentemente, não sucumbiu no passe. É o fundamento mais deficiente do time de Marichev e sempre será o foco dos adversários para tentar impedir que o forte ataque com Goncharova, Kosheleva e outras tome conta do confronto.  E Shcherban, a jogadora mais caçada pelas sacadoras americanas, deu conta do recado, permitindo que a bola chegasse com constância na mão de Kosianenko, a levantadora.

– Tal situação permitiu que a distribuição não ficasse desigual, tanto que quatro jogadoras ficaram com pontuação bem equilibrada: Kosheleva (16) e Goncharova, Fetisova e Shcherban (14 cada). Quantas vezes você viu um jogo da Rússia terminar com Goncharova ou Kosheleva com mais de 30 pontos e as demais atletas atacando poucas bolas?

– A central Fetisova marcou sete dos seus 14 pontos de bloqueio. Ela sozinha teve quase o mesmo número de pontos de todo o time americano neste fundamento: 9

– Diferentemente de situações que estão se repetindo nos últimos anos, como nas conquistas do Mundial e do Grand Prix, os Estados Unidos não conseguiram fazer com que o leque ofensivo que possuem no elenco fizesse a diferença. Excluindo Akinradewo, que teve 50% de aproveitamento, as demais jogadoras ficaram de 35% para baixo. E neste grupo estão Lowe, Larson, Hill…

– Para deleite de alguns, a derrota americana ainda servirá para dizer que eu “endeusei” o time e farão piadinhas e provocações. Para estes, três frases idênticas que ouvi na semana passada, no Maracanãzinho, de Sheilla, Carlão e José Roberto Guimarães: “O time americano está numa fase muito boa e acima de todos os demais rivais”.  Perdeu, é verdade. Mas a preocupação do mundo até a Olimpíada seguirá sendo grande com os EUA. Porém, agora, todos os rivais terão um jogo para ver e rever dezenas de vezes. E tentar aprender com a Rússia como desestabilizar a força de Kiraly & Cia.

– E as russas não podem extrapolar na comemoração, já que uma derrota diante das perigosas chinesas, já na próxima madrugada, praticamente elimina o atual líder da competição.

Por fim, os últimos jogos de cada um dos líderes nesta reta final de Copa:

Rússia: China e Argélia
China: Rússia e Japão
Sérvia: Quênia e Argentina
Estados Unidos: Japão e República Dominicana
Japão: EUA e China



  • jsg

    O time americano tem muita dificuldade contra as escolas européia : 1*. Marcam poucos pontos de bloqueios. 2*. Tomam muitos bloqueios. 3*. Não possuem uma jogadora de grande potencial de ataque que vire as bolas mais difíceis. Servia (com Mihajlovic e Boskovic) e Russia (com Goncharova e Kosheleva) possuem grandes atacantes. A Russia foi superior em tudo. Saque forçado, passe regular,grande volume de defesa e bloqueio pesado. Me impressionaram as atuações de Kosianenko (muito equilibrada na sua distribuição), a efetividade de Fetisova pelo meio (7 ataques e 7 bloqueios), o bom momento de Shcherban e a Malova bem na defesa. Kosianenko teve a sensibilidade de aproveitar o melhor momento de suas atletas (tipo as duas bolas pra Kosheleva que salvou os dois set points americano quando estava 22×24 no 2* set. Já a Alisha Glass não soube escolher e por vezes fez as escolhas erradas.

    Servia já classificada. Russia muito perto. É só vencer a China e será campeã, já que na última rodada encara a Argelia.

  • Fernando Marcelo

    Parabéns as Russas, é bom tirar a estabilidade e confiança das Americanas! Assim elas tremem na base. Mas eu tenho medo pelo Brasil, um time com Gabi, Monique, Natalia , Joycinha e Mari Paraíba, não vai chegar a lugar nenhum, é jogar a toalha, levantar bandeira branca!

  • jsg

    Porém a Russia tradicionalmente tem dificuldades contra equipes asiáticas, mas pelo bom momento, acho que estão credenciadas a vencer e se tornarem campeãs da copa do mundo. A Servia chegarà a 10 vitórias e se classificará. Quem deve estar rindo a toa é a boa seleção italiana que terá os principais rivais já classificados pros jogos olímpicos e assim se tornará a favorita absoluta para a conquista do europeu e também carimbar sua vaga.

    • Fernando Marcelo

      Itália tem a Holanda que é mais time! Tem a Bulgária e Bélgica que poderão atrapalhar.

  • Patricia

    O time americano tem duas derrotas na copa do mundo, e também não podemos esquecer que o time chinês venceu esse time completo em 2 amistosos e na última semana da fase de classificação do GP. Esses resultados só confirmam o que eu já sabia: que o time americano é bom e vive(ou vivia) uma grande fase, mas, a Rússia, Sérvia e China são mais fortes (na minha opinião) porque tem atacantes que colocam a bola no chão, simples assim. Depois dessas, vem Brasil e Turquia, infelizmente a nossa seleção, mesmo completa, está atrás das quatro citadas. De qualquer forma, o que vale mesmo é o momento, e espero que com o apoio da torcida possamos fazer a final olímpica contra Rússia, seria uma final maravilhosa contra uma seleção forte e de tradição, cansei de finais chatas contra as americanas. Ah se não tivéssemos entrado em pânico no mundial 2014….

  • Rafa GR

    As russas fizeram um 1º set impecável, aproveitando a grande maioria dos contra-ataques.
    Pontos que me chamaram atenção: Schcherban e Malova segurando o passe russo e deixando Kosheleva preocupada apenas com o ataque, funcionou muito bem essa tática.
    Será que só eu que reparei os inúmeros 2 toques da Alisha Glass??? e os árbitros deixando passar? a Kreklow joga limpo, a Glass para impor a velocidade comete muitos erros, mas os juízes deixam passar…
    E as russas souberam como desestabilizar o time americano: saque forçado e bloqueio vigoroso!!!

    E feliz pela classificação sérvia!!!

    • Sdds Sheshenina

      A Glass tem um toque muito feio/sujo mesmo e venho reparando isso desde o mundial do ano passado.

  • Michel Pereira

    Jogaço das russas. Podiam ter perdido por desatenção, principalmente com a instabilidade do passe no segundo set, algumas imprecisões de levantamento ou quando quiseram encarar o bloqueio desnecessariamente. Shcherban surpreendeu no ataque e ótimo aproveitamento(também dando estabilidade no passe junto à líbero; exceto no segundo set). Kosheleva se mostrou bola de segurança. Gosto da Gonsha, mas, tem hora que ela dá uns rosas incompreensíveis. Fetisova foi uma muralha e também muito precisa em seus ataques. De toda forma, foi um ótimo jogo russo e muito provavelmente será bastante estudado pela comissão técnica brasileira para identificar os pontos fracos das ‘imbatíveis’ (sic) americanas. * P.S.: concordo que na atual conjuntura as americanas estão um nível acima das demais seleções, inclusive no tocante às peças de reposição, mas, que foi prazeroso vê-las perdendo mais uma (após a inicialmente surpreendente virada sérvia na 2ª rodada), ah, isso deu.

  • wiliam dos santos borges

    Eu concordo vi o jogo e a Rússia venceu principalmente porque estabilizou o seu passe somente no 2 set as americanas conseguiram desequilibrar mais foram poucas efetivas no ataque diferente das russas que abusou de Koshelleva e Goncharova e o seu bloqueio deu show numa jornada ruim de toda equipe americana Hill Larson e Lowe e Harmotto anuladas no jogo de hoje acredito na vitória russa contra a china mesmo com o histórico de dificuldades contra equipes asiáticas mais o seu bloqueio e saque podem fazem diferença contra equipe chinesa que joga envolta da ZHU..

  • Rafael silva

    Destaque para Scherban, foi bem no jogo, essa jogadora até bem pouco tempo atrás era bem fraquinha, ta melhorando essa jogadora.Kosianenko foi objetiva e fez o jogo da Rússia acontecer, optou por quem tava virando bola, arriscou quando necessário, jogou bastante com a fetisova e no final com a outra central. Sem falar de goncharova e Kosheleva que assumiram o ataque principalmente nos momentos de dificuldade,a libero malova que e ruiim de passe teve uma noite inspirada.
    Alishah Glass se esforçou bastante para que os EUA perdessem o segundo set,distribuição equivocada e teimosa,insistiu na Akiradewo três vezes sendo que a Hill naquele set tava virando tudo e pronta pra receber bola,sinceramente eu não vejo essa levantadora magnifica que os comentaristas insistem falar da Glass ela e sim uma levantadora talentosa mas ainda ta bem longe de ser excepcional, mesmo caso da Larson e uma ponteira passadora excelente mas não excepcional.
    Mesmo com a derrota o time americano continua sendo uma preocupação, mas ta mais do que provado que não ta tao longe do vôlei dos demais postulantes ao titulo olímpico como endeusaram a mídia de forma geral, nessa copa do mundo dos quatro times que tinham condições de imprimir uma derrota aos EUA dois já derrotaram, Servia e Rússia, China foram derrotadas e Japão jogando em casa ainda pode surpreender.

  • will

    Muito bom mesmo gostei pra mostrar o que realmente acho dessa seleção americana muito boa tem um enorme talento mais ainda considero fraca em relação a que foi pra Olímpiada de Londres melhor que essa, na ponta a Logan Tom é mais completa que e a HILL tanto no ataque quanto no bloqueio e saques bem direcionados na saída Destinne Hooker é mais forte no ataque que as 3 juntas Murphy, Lowe e a boa nicole e a levantadora Bergs apesar de mais baixa e gorda é mais rapída na acelerada e olha o jogo mais rapído que a Glass! em relação a copa do mundo acredito que Rússia e Sérvia se classificam não acredito que as chinesas possam freia o impeto de ataques Russos que voltou a desequilibrar justamente por ter conseguido recuperar o maior problema que é a recepção dos saques a Scherbam está evoluindo como passadora e está conseguindo virar umas e outras e isso já deu um outro nível pro jogo russo que por alguns instantes até utilizou as suas meios de redes muito efetivas no block sobre a dupla sem comentários Goncha e Kosheleva vão ser as armas prós proximos ciclos, acho difícil ainda aparecer uma nova Sokolova extraordinária com os seus ataques e saques como no mundial de 98 mais elas podem evoluir alías não querendo ser repetitivo nessa questão olha o patamar que se encontra a Kosheleva em ataques e decisiva para a Natália que começou na mesma categoria e junta disputando campeonatos contra até hoje é so promessa que não mostrou a que veio na pra seleção!!

  • Marciano

    De alma lavada e ao mesmo tempo preocupado: Russia vence EUA e mostra que é uma ameaça real pro Brasil. É bom ficarmos de olho não só nos EUA, mas em Servia, Russia e China. Uma seleção baixa, sem passe perfeito, e sem jogadora de decisão. Pra perder pra essas outras seleções não é algo tão difícil de ocorrer (vide Grand Prix).
    Essas seleções transpiram juventude, ataque efetivo e altura. A nossa é no departamento médico, na base do toco, no passe irregular.

  • Bruna Flain

    Para um time que está um nível acima dos demais e pelo voleibol que apresentou no grand prix, tinham a obrigação de conquistar no mínimo uma das duas vagas. Esse favoritismo todo pode ser perigoso para esse time que é o melhor atualmente, sem dúvidas, mas com algumas jogadoras muito novas que podem sentir o peso de ter que ganhar sempre, principalmente o ouro olímpico que é o maior objetivo dos EUA.

  • Ícaro varela

    Adorei essa vitória da Rússia , pra quebrar o confiança e a prepotência das americanas e do kiraly. Agora irão ter que jogar o pré olímpico da norceca kkkkk. Bem feito!!!

    Sérvia vai se classificar e acho que a china vence a Rússia e fica com a outra vaga…

  • jose herbert araujo

    Alguem percebeu? a Rússia está jogando somente com duas jogadoras no passe, a líbero e a Scherban. Deixando a Kosheleva livre para os ataques.

MaisRecentes

Joelho afastará Gabi das quadras



Continue Lendo

As primeiras transmissões da Superliga na TV



Continue Lendo

Vaivém: Thaisa jogará a Superliga



Continue Lendo