Rubinho ficou na bronca



A CBV anunciou na quarta-feira Marcelo Fronckowiak e Ricardo Tabach como assistentes de Renan Dal Zotto na Seleção masculina. Sem citar o nome de Rubinho no release, ficou claro que o assistente de Bernardinho estava fora.

Hoje, em entrevista ao companheiro Fabio Aleixo, do Uol, ficou claro também que Rubinho saiu contrariado:

Renan assumiu vaga de Bernardinho na Seleção. Rubinho não quis continuar (Divulgação)

Renan assumiu vaga de Bernardinho na Seleção. Rubinho não quis continuar (Divulgação)

– Fui convidado para continuar e optei por não continuar. Não concordei como as coisas foram conduzidas e tenho esse direito. Não tem só a ver com eu ser preterido. O processo todo não foi muito do meu agrado por estar há tanto tempo na seleção e ter sido peça importante em tomadas de decisão. Poderia ser de forma diferente. Não concordei. E se não concordo como as coisas foram feitas, não devo seguir. Não é nada contra as pessoas que lá estão – disse.

Na semana passada, no evento da Asics, em São Paulo, o próprio Renan falou que uma das prioridades era manter Rubinho. Bruninho fez coro pela continuidade. Mas a mágoa de Rubinho por  não ter sido o escolhido da CBV para substituir Bernardinho impediu qualquer possibilidade de continuidade.

Fronckowiak e Tabach são comprovadamente vencedores. O primeiro como jogador e técnico da Ulbra, com título de Superliga também no RJX e agora fazendo um trabalho com orçamento bem menor no Lebes/Gedore/Canoas. Já Tabach acompanhou Bernardinho nas Seleções feminina e masculina, ficou alguns anos apenas no Rexona e voltou antes da Rio-2016. Conhece bem o modelo vencedor implantado há anos.

Renan vai precisar de jogo de cintura com o grupo de jogadores, além de bons resultados no início de trabalho, para ter tranquilidade de implantar seu estilo de comando na Seleção.

 

 



MaisRecentes

Navajas voltou. E está igual ao o dos velhos tempos



Continue Lendo

Sonhos interrompidos



Continue Lendo

Coluna: O momento é do Minas



Continue Lendo