Rexona-Ades é 10. E a Fofão? 1000!



Valeu, Fofão! Obrigado por tudo!

Talvez o mais simples dos agradecimentos sirva neste momento. Discreto como a levantadora prefere ser desde sempre em quadra, mesmo quando é protagonista. Mas que não diminui os grandes feitos de uma das maiores jogadoras de todos os tempos. Os mais de 25 anos de carreira tiveram um ponto final na Superliga com mais um título, o décimo da história do Rexona-Ades, que neste domingo derrotou o Molico/Osasco por 3 sets a 0, parciais de 25-21, 25-23 e 25-19.

Foi o último jogo oficial de Fofão no Brasil. Faltam agora a despedida internacional, no Mundial de Clubes, em maio, na Suíça, e a festa final do adeus, no dia 24 do próximo mês, em São Caetano do Sul (http://blogs.lancenet.com.br/volei/2015/04/24/fofao-fara-jogo-de-despedida-no-fim-de-maio/).

Fofão fez seu ritual antes do primeiro saque do jogo. Momento de concentração, de pedir proteção. E sei lá mais que filme passou pela cabeça dela naquele instante. A partir dali era jogo, por mais que a emoção teimasse em aparecer com mais força em alguns momentos, a aposentadoria seria esquecida. Ela fez algumas jogadas espetaculares no meio de rede, do tipo que merece estar no DVD dos melhores lances da carreira. Chegou até ter um “dois toques” pelo árbitro Paulo Beal. E, quando ela chegou a contestar com ele o lance, eu, se fosse ele, teria pedido desculpas pela marcação.

Fofão à parte, a final na Arena HSBC não encheu os olhos. Tecnicamente deixou a desejar, levando em consideração o quilate das jogadoras que estavam dois dois lados da quadra.

O Rexona-Ades controlou o primeiro set desde o início. Até a primeira metade, a tônica era saque tentando tirar Carcaces do ataque, Natália rodando quase todas as bolas e o bloqueio pontuando bastante. Já o Molico errava demais no ataque, tanto que Luizomar de Moura logo trocou Ivna por Mari. A parcial só ficou mais equilibrada com uma passagem de Gabi pelo saque paulista. O placar, que estava em 23 a 16, chegou a apontar 23 a 20. Mas insuficiente para uma virada. 25 a 21 para o Rexona.

“Eu errei”. “Mal. Erro meu”. Expressões que só mudavam de uma boca para outra. Dani Lins no levantamento, Mari e Gabi no ataque, Camila Brait no passe, Carcaces no saque… E errando como nunca o time de Osasco ficou atrás do placar durante quase todo o segundo set. Do outro lado, o Rexona até parecia um pouco surpreso com a facilidade que encontrava. E olha que as cariocas não estavam assim tão inspiradas no passe. O jogo, até feio em alguns momentos, foi se arrastando com o Rexona sempre com dois, três pontos de vantagem, até fechar em 25-23.

Já no terceiro o Molico chegou a dar um pouco de esperança para o seu torcedor. A recepção mais estável, a virada de bola mais segura. E teve quatro pontos de vantagem após o primeiro tempo técnico. Mas os erros voltaram. Com Dani Lins, Mari, Camila Brait, Samara… A virada aconteceu no 16 a 15 e a partir daí o jogo acabou. Um incontestável 3 a 0 do Rexona-Ades, decacampeão nacional. E a capitã Fofão, com as todas as honras possíveis, pôde se despedir no alto do pódio, lugar que ela tanto merece.



  • Marcio T.

    O Esporte nos traz momentos únicos, final lógico de uma carreira brilhante. Sem dúvida esta entra as três melhores levantadoras de todos os tempos. Obrigado por ter a oportunidade de acompanhar sua brilhante carreira. Sempre discreta, mas uma líder em quadra. Uma verdadeira comandante. Felicidades na continuidade da sua vida!!!

  • giorgio

    Daniel dizem que o cruzeiro vai emprestar 2 jogadores para o montes claros. Pode ser o eder levi

    e sabe outro que poderá ir também?

  • giorgio
  • Sergio Santos

    A festa é merecidamente da Fofão, mas parabéns Bernardinho.

    • Murilo

      Parabéns Bernardo! O time bloqueou Ivna, Gabi e principalmente Thaisa – isso é tática de jogo. O cara é fera!!!

  • SAIR FORA LUIZOMAR

    Eu nem falo mais nada. Enquanto a Nestlé manter o Luizomar de Moura no comando técnico vai ser assim. Técnico medíocre que não sabe contratar e treinar.

  • icaro

    Kd o time que arrota arrogância??????

    R: A Natália colocou no bolso kkkkkkkk

    É DECA!!!!!!!!!!!!!!!!!

  • marcian

    O osasco foi osasco nessa final.
    Carcases, foi uma zero a esquerda, alias, um prejuizo. A gabi que brilhou nas semis, foi outra que não jogou nada. Ivna, idem, foi como ela sempre é, uma pra nada. E ainda tem quem defenda essa jogadora na seleção? Só toco, bola pra fora…
    Dani Lins imprecisa, levantamentos equivocados
    Brait vendo a Fabi brilhar do outro lado da quadra com suas defesas…alias, o Unilever ta de parabéns pelo bom posicionamento, defesas e foco. Gabi e Natalia decididas no ataque.
    Eu gostei, apesar de alguns erros, da Mari. Veio com vontade, soube trabalhar a bola em alguns momentos.
    Mas faltou a jogadora de decisão.
    Já no rio, todas estavam com fome de bola, e virando.
    Unilever foi superior todo o campeonato. Na final, só fez repetir o que já vinha executando.
    O molico foi tambem o que apresentou em todo o campeonato, um time fadado a derrota.
    Uma final, em outras palavras, sem graça e previsível!
    Parabéns a Fofão. Vai deixar saudades!

  • JHB

    Molico/Osasco jogou muito mal. Recepção ruim, Dani Lins ruim, bloqueio fraco, Thaissa e Carcaces apagadas. Resultado: Rexona campeão mole(co) mole(co)

  • Carlos

    Triste o nível técnico dessa final, nossa Superliga está indo ladeira abaixo.

  • dudu

    Péssimo,treinador esse do osasco em alem de fazer,péssimas contratações ainda mexe mal no time espero que a diretoria do osasco use o plano pra trazer Jose Roberto Guimarães ai sim.vai ter a cara do Osasco mais parabéns. Ao Rexona Ades/rio de janeiro.

  • Daniel

    Thaisa amarelou,ivna jogou como sempre,nda.Carcaces pipocou,só se salvou a Adenisia.O rio sobrou,a Natália voltou a ser Natália,Gabi bem,Carol bloqueando bem,Fofão maravilhosa.O time jogou p ela….

  • wms

    Não sou torcedor do Rio, mas essa temporada mereceu terminar com título pra equipe carioca. O jogo de hoje também foi coerente com a vitória: saque consciente, defesas sensacionais, ataque e contra-ataque enchendo os olhos. Como se não bastasse o Rio ter feito por merecer o Deca, o Osasco não se apresentou hoje. Ivna (aquela de altos e baixos) hoje acordou com seu lado B e sentiu a pressão logo no início, Carcáces passou longe de seu jogo habitual, e Thaísa… bem, Thaísa não atendeu à chamada no dia da Prova Final (deu uma de Lucão), pra resumir bem.
    Assim como no masculino, a regularidade foi premiada em detrimento do renascimento. É menos emocionante, porém mais justo: A regularidade demonstra um trabalho bem feito, o pequeno milagre demonstra qualquer coisa, menos isto.
    Parabéns ao Rio.

  • wms

    Não sou torcedor do Rio, mas essa temporada mereceu terminar com título pra equipe carioca. O jogo de hoje também foi coerente com a vitória: saque consciente, defesas sensacionais, ataque e contra-ataque enchendo os olhos. Como se não bastasse o Rio ter feito por merecer o Deca, o Osasco não se apresentou hoje. Ivna (aquela de altos e baixos) hoje acordou com seu lado B e sentiu a pressão logo no início, Carcáces passou longe de seu jogo habitual, e Thaísa… bem, Thaísa não atendeu à chamada no dia da Prova Final (deu uma de Lucão), pra resumir bem. Mari até fez mais do que o esperado pelo retrospecto, mas fez menos do que era preciso hoje. Adenizia e Brait sozinhas não fizeram verão, Gabi e Samara não somaram uma ponteira, Dani Lins jogou abaixo mesmo (será que é hora de temermos pela seleção?).
    Assim como no masculino, a regularidade foi premiada em detrimento do renascimento. É menos emocionante, porém mais justo: A regularidade demonstra um trabalho bem feito, o pequeno milagre demonstra qualquer coisa, menos isto.
    Parabéns ao Rio.

  • Osmar Cordeiro

    Parabéns Rexona-Ades Rio por mais um título , parabéns Fofão pela linda carreira e todos que ajudaram a conquista deste título . Mais que merecido

  • Aline

    A incrivel pressao do BLOQUEIO do REXONA fez as jogadoras do Molico perderem o controle, o q nao era bloqueado era defendido.
    No contra-ataque Fofao deu show, sendo que uma jogada com a Juciely foi a mais bela do jogo.
    As centrais do Rexona nao deram chance nenhuma para Thaisa e Ade, q so ficaram de caras e bocas.

    • Aline

      Parabens a IDA, MELHOR COMENTARISTA DESSA FINAL!
      Parabens a EXCELENTE COBERTURA DA REDE TV,antes,durante e depois do jogo com A EMOCIONANTE ENTREVISTA DA FAMILIA DA ESPETACULAR FOFAO!

      • Zelirbem

        Adenízia jogou melhor que a dupla do Rexona, mas o time não acompanhou.

        • Carlos

          Não foi Adenízia que jogou isso tudo….foi a táctica do bernardo que notadamente abandou a adenízia para focar o bloqueio nas extremidades …e deu muito certo!
          ai ele batia sem bloqueio…

          ate eu..

  • Romulo

    Do lado do Solys/Nestlé, Bernardinho conseguiu anular Thaisa e Carcaceres. Ivna não conseguiu jogar. Mari e Camila Brait razoáveis. Dani Lins sem o passe A vai ter dificuldades, assim como qualquer levantadora. Do lado do Rexona/Ades sistema defensivo (recepção continua ruim) foi muito bem. As 2 Gabis defendem muito. Natalia e Gabi atacaram muito bem também, mas Osasco não se achou no bloqueio, verdade seja dita. As centrais sempre eficientes e Fofão desfilou sua técnica refinada. Titulo merecido do Rexona/Ades muito mais time do que os outros. Bernardinho faz muita diferença. Reconhece os pontos fracos do time, trabalha eles, mas potencializa os pontos fortes. Bloqueio forte, sistema defensivo exemplar. É necessário entretanto uma oposta mais eficiente. Regis está muito abaixo do time todo.

  • Michel Pereira de Oliveira

    Apesar do resultado gostei muito da atuação de Mari hoje, que deu sobrevida ao Osasco. Jogou muito e atuou bem em todos os fundamentos possíveis (ataque, bloqueio, saque… passou e defendeu bem mais que a especialista na função e do que as ponteiros; e olha que Mari entrou como oposta, posição esta livre da responsabilidade do passe). Pena que Dani Lins novamente não teve sensibilidade, foi paneleira novamente e preferiu consagrar as pipocadas da Carcaces; soltando efetivas ‘jacas’ pra Mari quando não tinha nenhuma outra opção. Aliás, Dani Lins peca muito nesse aspecto, tem o dom de tirar do jogo as atletas que efetivamente estão virando bola; foi assim com a Mari hoje, o mesmo com a Sheilla na semi-final do Mundial. Incrível como o Osasco preferiu abrir mão de Jaqueline pra Dani Lins pipocar feio na final. As demais atletas estiveram muito aquém de seu potencial, junto a Mari a única que ‘quase’ se salvou foi a Adenízia. Muito embora fã confesso, odiei a pífia atuação da Thaísa na final. Mas, justiça seja feita, embora contraditório receber o prêmio de craque da galera justo depois de uma atuação apagada, a atleta jogou bem ao longo da competição. As vaias foram desrespeitosas e desmerecidas; os que vaiaram demonstram que nem todos têm maturidade e educação pra conviver em sociedade. Creio que muitos dos que vaiaram sejam os mesmos que a endeusavam quando jogava pelo Rio ou torcem por ela na seleção. Torci e torço pelo Osasco, mas o Rio, sempre com o brilho de Bernardinho, fez por merecer a vitória. De toda forma reforço minha indignação com a final em jogo único; única competição em alto nível em que as finais são ditadas conforme os caprichos de uma emissora que sequer transmite qualquer jogo que não a final.

  • wms

    Será que a Natália finalmente voltou? Se sim, será que ela fará o mesmo na seleção? Tá precisando: Sem os ataques de Sheila e das torres gêmeas (Fabiana e Thaísa) a seleção vai precisar de uma opção confiável (essas 3 estão fechando uma temporada com chave de madeira, apesar de as Torres ainda serem as melhores, penso eu); A jaqueline está jogando seu melhor jogo, mas agora tem ao seu lado uma líbero que ainda não desbanca a aposentada Fabi, talvez o pepino do ataque nas pontas ainda seja da Garay; no levantamento a Dani Lins começa a preocupar (do Mundial pra cá não tá muito bem), é torcer para que Fabíola dê a cobertura por enquanto. A Natália podia voltar a ser uma opção de oposta, já que Gabizinha está se tornando a opção natural de ponteira da seleção.

  • Paulo

    Foi um jogo de um time só. E como disse o Daniel, não foi o melhor jogo do Rexona. Acho que esse tempo de duas semanas entre as semi e a final acabou contribuindo para uma queda no nível técnico do jogo.

    Pelo lado do Molico tudo deu incrivelmente errado. Dani nunca foi levantadora de consertar passe, é excelente com passe A, mas com passe B encarna a Pane e se perde em quadra e foi o que vimos hoje: muitas bolas imprecisas para as ponteiras (nunca foi um primor nisso), quando o passe saia escolhia mal as atacantes, quando tinha a bola nas mãos acionou pouco as centrais. Thaísa muito apagada, mesmo quando acionada não correspondeu e não conseguiu ler o ataque adversário. Carcaces muito irregular. Ivna voltando a ser Ivna. Até Camila Brait cometeu alguns erros de passe, coisa muito rara de se ver. Adenízia foi a única atacante que fez alguma coisa enquanto pode. Mari, pensei que ia fazer o jogo do retorno mas também recebeu muita bola espremida na rede.

    Pelo lado do Rio, acho que venceram por errarem menos. Natália fez um bom jogo, mas nada do que vinha fazendo nos playoffs. Gabi e Régis da mesma maneira. Fabi foi espetacular na defesa, como sempre. As centrais apareceram bem, principalmente porque a Fofão foi magistral nas jogadas pelo meio. Era como se dissesse olha Dani, aprende.

    Merecido o título para o time que fez a melhor campanha. Merecido para o adeus da melhor levantadora que esse país já produziu. Me sinto meio órfão agora que sei que ela realmente parou.

    Valeu Fofão!

  • Bernardo

    O Osasco errou muito, e sem passe as centrais não jogaram. Foi uma final feia, sem grande brilho, se este time do Rio enfrentasse o Osasco de anos atrás que ficou com o vice, certamente perderia. A seleção da superliga também foi triste, imaginem Gabi, Carol e Mimi Sosa juntas, nem a seleção da Tailândia é tão baixa.

  • Lucas

    Sejamos sinceros: O RIO MERECIA O TÍTULO!
    FEZ A MELHOR CAMPANHA, SÓ PERDENDO 1 VEZ E POR 3 A 2, CONTANDO MAIS C UMA FORMAÇÃO RESERVA!
    O osasco, esse, sim, chegou muuito longe! Essa é a real. Kd a “craque” da galera(thaisa)????? Na moral, o time n teve passe, diante disso, do q adianta ter uma levantadora espetacular…???? NDA! ISSO VEM SENDO DITO NESTE BLOG VÁRIAS VEZES.KD AS PONTEIRAS DO TIME???? AINDA SE SALVARAM A ADENIZIA E A MARI. SÓ. IVNA……….SEM COMENTÁRIOS. SÓ FEZ 1 PONTO! E REPITO:VEIO P SUBSTITUIR , NADA MAIS, NADA MENOS, DO Q :SHEILA!
    SAMARA E GABI , NEM JUNTAS CONSEGUEM SUBSTITUIR A JAQUELINE. IMPOSSÍVEL. SÃO JOGADORAS C POTENCIAL, ASSIM COMO A IVNA, MAS AINDA NN ESTAO preparadas p estarem a frente d um time grande. Tecnico e comissão erraram feio na montagem da eauipe.É ate repetitivo fik falando isso. Todos sabem. Chegaram mto longe, ainda . Foi uma final sem graça. Sem emoção. Pq estava na cara q a Vitória seria do rio , tanto q a emoção da final foi mais pela despedida da fofao, do q oela Vitória em si .IVNA, samara, lara, dani lins, carcaces, diana…acho q são dispensadas . As 3 primeiras devem procurar times menores, como sanca, pinheiros…p cresceram em experiência, p dppois almejarem equipes grandes.

  • Robert

    O ponto negativo desta Superliga é que os 3 principais times não tiveram suas opostas como destaque. Das novas só a Rosamaria e a Paula mostraram alguma qualidade, espero que os principais times apresentem alguma jogadora nova que se destaque na seleção brasileira pensando na seleção. Porque depois de 2016 vai ficar complicado quando a Sheila largar o posto. Natália esta muito bem, bem mais técnica e acho que ela poderia ser uma opção pro futuro!

    • Neide

      Ainda tem muita agua para rolar ate a aposentadoria da Sheilla da selecao, mas por agora, a melhor opcao seria a Monique.

  • Jairo (RJ)

    Emoção nao faltou. Vitória do Rexona por procurar se impor. Faltou um pouco mais de técnica mas valeu pelo Decacampeonato.

    Agora triste foi ver na Arena HSBC cambistas agindo livremente ao lado de PMs vendendo o setor 1 por R$150,00.

    • Aline

      Ninguem eh obrigado a comprar de cambistas… Se vendem eh pq tem quem compre. Basta nao comprar, ai o q os cambistas farao com os ingressos? Jogar fora?

    • Rio de Janeiro

      Concordo plenamente! Vergonha… Terra da corrupção deslavada! Cambistas vendendo meia-entrada de nível 3 a R$ 120. Eu já havia garantido o meu, mas é realmente uma vergonha! Aí, jogo começado, vários lugares em todos os níveis vazios…

  • Rio de Janeiro

    Parabéns Fofão! Irá demorar a termos no Brasil levantadora como você!

  • Léo

    As entrevistas da Fernanda Venturini sobre a Fofão foram bastante respeitosas. Não entendi.

  • Parabéns ao Rio de Janeiro por mais esse título, que por sinal foi muito merecido pela campanha que fez nessa temporada da superliga .Eu também não poderia deixar de parabenizar a Fofão uma grande levantadora que merecia fechar sua carreira brilhante com chave de ouro !

  • Mario

    Maior piada: que time só ganha com recepção nas mãos da levantadora! Isso quando levantadora é preguiçosa e um engodo. Fofão teve Gabi, Natália, Branquica….portanto, nenhuma exímia passadora nos últimos três títulos de SL. Também foi campeã olímpica com o time mais convincente de toda a história, em 2008, com Paula e Mari nas pontas. Claro que é demais querer comparar, porque a distância é imensa e sem sentido, mas outras levantadoras devem aprender, se inspirar, e parar com esta historinha… e vão comer mais arroz com feijão. Resultado é este do Osasco, com a senhora paneleira preferindo Samara, Gabiru, e boicotando uma jogadora do nível da Mari, única a jogar, mesmo sem ter tido chances durante todo o campeonato, nesta partida final.

MaisRecentes

Definidos os grupos do Mundial masculino de clubes



Continue Lendo

As quartas de final do Paulista masculino



Continue Lendo

Bruninho e Renan analisam conquista



Continue Lendo