Resumão do restante da rodada de sábado no Mundial



O sábado no Campeonato Mundial da Itália e da Bulgária não ficou restrito ao tropeço do Brasil.

Os Estados Unidos, por exemplo, levaram a melhor no clássico da Guerra Fria contra a Rússia, neste sábado, em Bari (ITA).

Com a vitória por 3 sets a 1, parciais de 25-23, 20-25, 25-23 e 25-20, os americanos assumiram a liderança do Grupo C. São três triunfos e sete pontos, à frente da Sérvia (dois triunfos e também sete pontos) e dos próprios russos (duas vitórias e seis pontos).

Por já ter enfrentando os dois maiores rivais, a seleção comandada por John Speraw tem enormes chances de seguir na liderança ao fim da primeira fase, já que precisará enfrentar Camarões e Tunísia nas próximas rodadas.

Aaron Russell, com 17 pontos, foi o destaque dos EUA. Na Rússia, Muserskiy, Mykhalylov e Kliuka tiveram 13 acertos cada.

Uma ótima resposta americana, que vinha de um tie-break para superar a Austrália. É bom os rivais ficarem de olhos bem abertos!

Sander, novo reforço do Sada/Cruzeiro, marcou 13 pontos (FIVB Divulgação)

Outra invicta no Mundial é a Itália. Uma das donas da casa teve dificuldades, mas derrotou a Argentina, em Florença, de virada, por 3 sets a 1, parciais de 22-25, 25-15, 25-23 e 28-26.

A Azzurra lidera o Grupo A a pontuação máxima em três rodadas: nove pontos. Os hermanos estão em quarto lugar, superando o Japão nos sets average. A mídia argentina reclamou bastante da arbitragem da partida deste sábado, usando a palavra roubo para definir uma marcação decisiva de condução no ataque de Solé no fim do terceiro set.

SUSTOS NO MUNDIAL

Os demais favoritos em quadra neste sábado (sem contar o Brasil) tiveram dificuldades, mas conseguiram os três pontos. A Sérvia perdeu um set para a fraca Tunísia, derrotada na véspera pela Rússia com direito a um 25 a 6, maior diferença já registrada na história dos Mundiais.

O Irã precisou virar após sair perdendo para a jovem equipe cubana, enquanto o Canadá, líder do grupo do Brasil, também precisou de quatro sets para superar a China.

O mesmo aconteceu com a Polônia. A atual campeão do mundo venceu a Finlândia por 3 a 1. E com direito a um pontaço:

CONFIRMAÇÃO DA MINHA EXPECTATIVA

A Eslovênia, minha candidata a surpreender os favoritos, venceu um confronto-chave na primeira fase. Depois de perder os dois primeiros sets para a Bélgica (25-22 e 25-21), a seleção eslovena ganhou as parciais seguintes por 25-19, 25-23 e 15-13.

O oposto Sket saiu do banco no segundo set para ser o maior pontuador da Eslovênia e do jogo: 21 acertos, com o incrível aproveitamento de 87% de aproveitamento no ataque. Colocou 21 das 24 bolas recebidas no chão.

Na reta final da primeira fase, a Eslovênia ainda terá Itália e Argentina pela frente. Uma vitória sobre os hermanos deve ser suficiente para garantir o segundo lugar, já que a Azzurra é favorita para a liderança. Já será um excelente resultado para o time comandado pelo sérvio Slobodan Kovac.

PROGRAMAÇÃO DE DOMINGO NA TV



MaisRecentes

Giovane encaminha manutenção do vôlei carioca na Superliga



Continue Lendo

Basta! Nada justifica ameaças de morte



Continue Lendo

As duas formas de ver o novo Sesi



Continue Lendo