Recordar é viver: A vez do título olímpico de 2008



Pessoal, resolvi criar uma nova seção aqui no blog inspirado no tal 12/12/12.

A data (que no fundo não diz absolutamente nada) me fez lembrar do 08/08/08. Naquele dia eu estava em Pequim, cobrindo a Olimpíada para o LANCE!. Era o dia da cerimônia de abertura e eu não tinha ingresso para o evento. Só para explicar a situação: cada veículo de comunicação recebe do respectivo comitê olímpico nacional uma quantidade de entradas para os principais eventos, aqueles com maior demanda. Não basta mostrar a credencial e entrar na instalação esportiva. Se não me falha a memória, o L! recebeu dois. Eu, então, decidi não “concorrer” com os demais companheiros que queriam estar presentes na cerimônia no Ninho de Pássaro e fui vagar pela cidade em busca de pautas.

No metrô, após ver o início do desfile numa praça com 1 milhão de chineses, me deparo com um sujeito vestindo agasalho oficial da Nigéria. Fui puxar papo, achando que era um jornalista, assim como eu, em busca de pautas. Para minha surpresa, era um atleta: Olusoji Fasuba, que iria disputar os 100m rasos contra um tal de Usain Bolt.

Eu tinha “achado” a pauta para aquele dia.  Após entrevistá-lo dentro do vagão do metrô, fiz duas fotos no celular e me despedi, satisfeito com o material. O atleta explicou que havia feito o mesmo em Atenas, quatro anos antes, indo passear pela cidade no momento da cerimônia. Em Pequim, ele resolveu comprar eletrônicos, fácil de comprovar pela quantidade de sacolas que carregava.

Ao chegar no hotel, uma rápida pesquisa sobre ele e mais dados interessantes: Fasuba havia faturado o bronze nos Jogos de Atenas no revezamento 4x100m, foi quarto colocado nos 100m no Mundial de 2007 e tinha vencido os 60m no Mundial Indoor de 2008. E falava em brigar por medalha em 2008. Admito que fui dormir satisfeito, mesmo não tendo visto ao vivo o espetáculo que os chineses proporcionaram ao mundo.

Dias depois, fui saber que ficou fora da semifinal.

Depois da longa história para explicar o motivo da nova seção, resgatei os PDF´s da cobertura mais marcante que fiz em Pequim, no dia 23 de agosto. Final olímpica do vôlei entre Brasil x Estados Unidos, no feminino.

Vejam a capa do LANCE!: Capa do LANCE! Eu, particularmente, gosto muito.

Inesquecíveis 3 sets a 1.  Me recordo da emoção que tomou conta do Ginásio Capital após o erro de ataque americano que deu o ouro, então inédito, para a Seleção.

Naquele dia, o amigo Thiago Rocha foi me ajudar na cobertura, já imaginando que o trabalho seria dobrado caso a vitória acontecesse. E realmente trabalhamos como malucos. Ao telefonar para o Brasil e vender o que tínhamos apurado, recebemos a boa notícia: seriam oito páginas na edição do LANCE! do dia seguinte.  Reforçamos o estoque de biscoito/salgadinhos e começamos a bater matéria, como dito no jargão da profissão.

Lembro de ter deixado o Centro Internacional de Imprensa por volta de 6h da manhã, horário chinês. O jogo começou às 20h de lá, se não me engano. Estávamos acordados desde 8h30. Exaustos, mas satisfeitos com a produção.

Abaixo, os PDF´s da cobertura. Espero que consigam ler e relembrar aquele dia:

Visão da Mari

Atuações e opiniões

Conselho de Karpol

Zé Roberto

Zé Roberto 2

Fofão

Desabafo

 

 

 



  • Juju

    Adorei Daniel…Este time foi o melhor que vi jogar, era perfeito, de outro planeta. Perder um set em toda uma olimpiada é um feito memorável! Obrigaduuu pelo post.

  • Perikito

    Emocionante essa postagem. Reviver Pequim foi especial, e em muitos momento quase fui às lágrimas. Se em Londres, o Brasil surpreendeu saindo do fundo do poço, em Pequim o nosso temor era que o time caísse no poço, pois entramos nos Jogos por cima, mas com a pecha de amarelões.

    Daniel, eu reparei que a sua foto no blog é a mesma de quatro anos atrás no jornal. HEhehehehhehe!

    Eu não sou baú e não deixo passar nada! aHAHAHHAHA!

    • Daniel Bortoletto

      não quero dar o braço a torcer que envelheci (rs)

  • Afonso RJ

    Excelente post, Daniel. Tenho no HD o jogo da final quase completo, e de vez em quando dou uma olhada. Emociona até hoje. E essa campanha de Pequim é realmente memorável. Perder apenas um set, e mesmo assim só na final, me parece um fato inédito. Muito bom.

    E esse post serve também para provar a grade mentira, a grande idiotice, e o grande absurdo que volta e meia algum energúmeno menciona: “Quem vive de passado é museu”! Essas bestas quadradas deveriam se tocar que quase tudo que somos como indivíduos ou como sociedade reflete erros, conquistas, derrotas ou vitórias passados, que devidamente relembrados só vão nos fortalecer cada vez mais.

  • Luiz

    Gostei, mas se você mencionou a “mística” envolvendo estas datas, deveria ter mencionado que naquele dia uma das jogadoras fazia aniversário – o que é ainda mais interessante.

    • Juju

      Não me lembro, quem fazia aniversário Luiz?

      • Rafael

        Mari fez aniversário e quis o destino que seu presente fosse o Ouro Olímpico!

  • Daniel_Sam

    Obrigado ! não vou falar muito, vou voltar a ler o mesmo post , e farei isso repetitivamente…

  • marcus

    Boa Daniel!! Tenho esse jornal guardado em minhas pastas !! Foi a melhor cobertura que o volei já teve em relação a numero de páginas em um jornal!!! Lembro que comprei 5 !!! Foi demais!!

    Ah relembre tbm aquela final de superliga Fla x Vasco em 2001 por favor!! Não tenho mais essa reportagem do lance…teria como??

    Um abração!!

  • Daniel

    Fiquei muito emocionado revendo a matéria. Se não me engano, devo ter o jornal guardado até hoje. Parabéns!!!

  • sandra souza

    Realmente esse é um momento histórico, muito aguardado pelos fãs do vôlei e que ficarão para sempre na minha memória. Guardo essa edição do Lance com muito carinho.

  • Perikito

    Daniel, eu gostaria de propor um tema para a postagem. Seria você perguntar para nós qual foi o nosso dia mais marcante no vôlei. Aí, você daria sugestões, se foi a final de Pequim, a de Londres, o jogo de quartas de final de Londres, o bronze de Atlanta depois da pancadaria na semi-final… ou algum outra partida não mencionada por você na lista. Enfim, são inúmeras as possibilidades.

  • Ana

    Excelente post!

MaisRecentes

Vaivém: Mais estrangeiras na Superliga?



Continue Lendo

Com emoção, Corinthians se garante na Superliga



Continue Lendo

Com méritos, Brasil cumpre obrigação



Continue Lendo