Recado bem dado pelo Molico/Nestlé



O jogo mais esperado do primeiro turno da Superliga feminina não teve aquela emoção toda que se esperava.

Em casa, o Molico/Nestlé não deu chances para a Unilever (21-19, 21-16 e 21-18) e assim manteve sua invencibilidade na competição.

Com muita justiça, a sérvia Sanja Malagurski foi eleita a melhor em quadra. Ela foi muito consistente no ataque e deu a regularidade que o passe precisava para Fabíola fazer uma distribuição homogênea entre suas várias opções ofensivas. Gostei também da atuação de Bosetti, que me parece mais segura em todos os fundamentos a cada rodada.

Já as cariocas sofreram demais justamente no fundamento recepção. A pobre Fofão correu para todos os cantos da quadra para fazer levantamentos, muitas vezes de manchete, facilitando demais o bloqueio de Osasco. Para piorar, a bola de segurança com Sarah Pavan não funcionou. Na tentativa de mudar o jogo, Bernardinho manteve Mihajlovic e Gabi, colocando Regiane em quadra. Deu certo no início do terceiro set, mas não o suficiente para vencer a parcial.

O resultado também me dá uma certeza. O Molico/Nestlé não perderá o primeiro lugar na fase de classificação. Vejam que a diferença para a Unilever já é de sete pontos (37 a 30), uma distância pra lá de confortável. E talvez seja a chance de o playoff desta temporada ter uma configuração diferente, com Vôlei Amil em segundo. Mas não sou bom em previsões e temos um turno todo pela frente.

O que vocês acharam do jogo, senhoras e senhores?

PS1 – O que foi o árbitro anunciando em bom inglês o cartão amarelo (yellow card for you) e dando o vermelho para a Mihajlovic? Ela não teve ter entendido nada.

PS 2 – Um excelente Natal para todos. Que o bom velhinho possa realizar os sonhos neste dia tão especial.



  • Léo

    Que jogo foi aquele? Mesmo achando que o Osasco ganharia, acho que eu esperava mais do Unilever. Considerações:
    1) SHEILA sempre some em jogos contra o Rio;
    2) SARA PAVAN, como o Daniel disse, “não funcionou”. É incrível a preguiça que ela passa dentro de quadra;
    3) SANJA e Bosetti resolveram jogar;
    4) GABI é ótima jogadora….MAS não decide;
    5) A inversão de 5×1 do Unilever me dá frio na espinha. Não consigo ver ROBERTA como titular de uma equipe de ponta;
    6) A REGIANE, nunca pensei que fosse dizer isso, sempre joga bem quando entra. Pena que é acomodada na condição de reserva do BERNARDINHO;
    7) O passe, sempre ele. O que é o passe do Rio de Janeiro hein? alguém me explica??
    Pelo que vimos ontem parece que esse ano, caso o AMIL não se encontre, temos um possível campeão paulista.

    • Bernardo

      Vai ver que a Sheilla sempre some então nos clássicos pq tb não me lembro de tê-la visto em quadra na final retrasada, me lembro só da HOOKER.

    • Lukas Wolosz

      kkkk se a Sheila sumiu a Pavan entao nem apareceu.

      • @alcidesxavier

        Sou Osasco, mas foi muito boa a resposta do Bernardo!!
        auhahuauhahuahu #Hooker #Destruidora que final foi aquela!!???

  • Afonso RJ

    Parafraseando Garcia Marquez: Crônica de uma morte anunciada.

    Unilever com uma derrota surpreendente para o fraquíssimo Rio do Sul. Vitórias a trancos e barrancos contra o desfalcado Banana Boat e o apenas regular Pinheiros. Derrota para o instável Amil que apesar de contar com o fogo pesado de Tandara e Natália e a experiência de Waleuska é apenas mediano nas demais posições.

    Por outro lado, o time do Molico que começou no campeonato paulista de forma instável, com as duas estrangeiras custando um pouco a se adaptarem, mas que vem subindo de rendimento jogo a jogo e no momento parecem já se sentirem em casa. Manteve-se invicto na superliga sem ser ameaçado em momento algum por nenhum adversário, e vencendo a grande maioria dos jogos com enorme facilidade com uma ou outra excessão, mais por cochilos seus do que por méritos do adversário. Nota-se nítidamente que a confiança está lá encima.

    O que está acontecendo com o time da Unilever? É basicamente o mesmo time campeão da última superliga, apenas com Mihajlovic no lugar da Natália. E a sérvia até que vam fazendo bons jogos no saque e no ataque apesar de ter deixado a desejar na recepção. Aliás, o ponto fraco do time tem sido a recepção, e não é a sérvia a única responsável, apesar de ter sua parcela de culpa. Sem recepção, o time fica vulnerável no ataque e cai a confiança, o que acaba por influir negativamente nos demais fundamentos. Se isso não for corrigido a tempo, adeus temporada. Além disso a Sarah Pavan não é a mesma do ano passado. Será que está mais focada nas areias? Será que o Bernardinho diminuiu o foco por causa das pressões para se candidatar ao governo do estado? Não sei. O que sei é que o time ainda tem potencial para crescer, principalmente se conseguir estabilizar o passe. Vamos ver no segundo turno ou nos play-offs, que são ainda mais importantes. Mas, se continuar como está e não subir drasticamente de produção, periga nem chegar à final.

    • Bernardo

      Este time só foi campeão da temporada passada pq a final é em jogo único, pq o melhor time era disparado o Osasco. Então em final única tudo pode acontecer, mas esperar que em 26 rodadas o time se mantenha como o melhor é outra coisa.

      • Afonso RJ

        Como pode afirmar que o Unilever só foi campeão ano passado porque a final foi em jogo único? Como sabe com tanta certeza que nos jogos subsequentes, se os houvesse, o Sollys não daria novamente uma de Titanic? É vidente, por acaso? Se for, por favor, será que poderia fazer a gentileza de me passar o resultado da próxima Mega Sena?

      • Caco

        Na verdade, apesar de o Osasco ter sido o favorito no ano passado, todos os clássicos foram para o quinto set. Unilever ganhou dois e Osasco apenas um. Dessa forma, dizer que o time carioca não venceria em uma melhor de 3 ou 5 é exagero.

      • Samantha

        Pelo que eu me lembre o Unilever ficou em primeiro lugar no 1º e 2º turno na temporada passada, não era o time dos sonhos como o de esse ano definitivamente não é mas fazia ótimas partidas

  • Severino

    Em nenhum momento achei que o Unilever pudesse vencer o jogo, mas com certeza poderia vencer o 3º set, aí o Bernardinho quando o jogo estava 16 a 14 pro Unilever neste set com duas ótimas passagens da Mihajlovic no saque o que faz? Justamente quando a sérvia iria para o saque ele a retira e faz aquela inversão maluca do 5 X 1 com aquelas duas meninas bem fraquinhas, resultado, o Molico virou o jogo 17 a 16 e não mais deu chances e o Bernardo teve que desfazer tudo sem adiantar mais nada. A sérvia do Molico (pra quem disse que Jaqueline é superior em tudo) Jaqueline é bem melhor (mas bem melhor mesmo) apenas no passe, no restante a sérvia é melhor, ataque, bloqueio e saque.

  • Gustavo

    Só acho seguinte, o fator determinante para a vitória do osasco, foi a falta de uma oposta pelo lado do Rio de Janeiro… Gente, Sarah tem 1,96, mas não ataca por cima do bloqueio cara, falta explosão, muita explosão, desde a ultima temporada, falava que ela não seria uma bola de segurança, tanto é que é raro ela fazer ponto limpo(sem tocar no bloqueio e etc), mas fazer o que, posso estar louco, mas acho LIA melhor do que Pavan… Apesar de ser Rio, não gosto muito da Pavan, mas temos que nos contentar com o que temos, ela deve ter saido no maximo com 5 pontos, com tanta oposta boa, renovamos, mas é isso aí, duvido que haverá uma segunda renovação! Feliz Natal a todos!

  • Lilika

    Bom pra quem achava que as estrangeiras do time carioca eram infinitamente melhores (coisas de fã)…enfim parabéns ao time paulista, vantagem muito boa para ser mantida a melhor campanha até os playoffs…e gostei do jogo rs tomara que o Osasco continue assim.

  • Aline

    BRANKICA MIHAJLOVIC é potência pura no saque e no ataque, muito alta e forte fisicamente, ofensivamente é fulminante, porém seu ponto fraco é o passe. No último set, Bernardinho deslocou a MIHAJLOVIC para oposta e pôs DIVA RÉGIS e GABI GUIMARÃES de ponteiras. Resultado: O terceiro set foi o melhor do UNILEVER que liderou até o final, se não fosse a atuação espetacular da outra Sérvia, SANJA MALAGURSKI, no final do terceiro set, o Molico não teria vencido por 3×0.
    Já que a SARA PAVAN se adaptou muito bem ao vôlei de praia, onde é obrigada a passar, acho válido o Bernardinho testá-la como ponteira-passadora e deslocar a MIHAJLOVIC para oposta. Durante a o ano todo, atnes do início da SUPERLIGA, SARA PAVAN disputou as etapas do CIRCUITO MUNDIAL DE VOLEI DE PRAIA representando o CANADÁ, e por isso, treinou muito passe. Por que não aproveitar esse treinamento de passe que ela teve na areia para atuar passando também no vôlei de quadra. Acho que seria uma experiência muito interessante tanto para a SARA qto para a UNILEVER jogar como ponteira-passadora. MIHAJLOVIC liberada só para atacar seria ótimo, pois é o que ela faz de melhor.

    O primeiro turno da SUPERLIGA2013/14 foi marcado pelas inúmeras falhas de passe. O que está havendo com as ponteiras-passadoras? Desprenderam a passar? Será que elas têm que voltar para a escolinha para aprender fazer um passe decente? algumas parecem nunca terem sido apresentadas a uma manchete e praticam um passe de toque horroroso( ex.:MIHAJLOVIC, NATÁLIA etc…).
    Mas ainda existe classe no voleibol, e a maior represetante do que é uma ponteira-passadora clássica com ajuste finos nos fundamentos é MICHELLE PAVÃO.
    MICHELLE PAVÃO é uma ponteira-passadora no sentido pleno da palavra, clássica, elegante executa passes de manchete com maestria e leveza, fazendo parecer a coisa mais fácil do mundo. Ponteiras assim estão em extinção, pois está se priorizando muito a força bruta e deixando-se a técnica de lado. Com isso temos tido sequências de jogos feios de se ver, pois as levantadoras têm que ficar correndo atrás de passes horrorosos, que prejudicam ou impedem que se jogue com as centrais, sobrecarregando as pontas.
    Nesse aspecto tenho que parabenizar levantadoras como a Fabíola e a Fofão, que mesmo qdo o passe vem ruim são ousadas e corajosas para tentar acionar as centrais, dando beleza e criatividade ao jogo, enquanto a Dani Lins tem sido pra lá de burocrática no seus levantamentos facilitando o trabalho do bloqueio adversário.
    O Molico sobrou no primeiro turno, apesar disso, essa edição da Superliga tem sido a mais equilibrada de todas, com times de pouco investimento se apresentando bem perante as equipes tidas como favoritas, e com o grande investimento do SESI não surtindo efeito dentro de quadra, por enquanto.

    • Manuel C.

      A Sarah já jogou como ponteira na Itália, a oposta titular era a Brakocevic, deslocar a Mihajlovic para saída poderia ser uma boa estratégia, mas pensando em seleção não seria bom para ela, já que a concorrência por uma vaga seria bem mais difícil.

  • Ismael Colomaca

    Quero destacar o quanto jogo a Camila Brait ontem. Sinceramente se a Sanja não tivesse fechado o jogo daquele jeito eu acho que a Camila teria recebido o troféu VV.
    Concordo com os amigos que já comentaram, que se o Unilever não melhorar o passe urgente periga em não chegar na final.

    • Manuel C.

      Brait está muito bem mesmo, nas Superligas passadas sempre atuava ao lado de jogadoras mais experientes e sempre havia os que falavam que sem uma Jaqueline para ajudá-la não se destacaria tanto, nessa temporada podemos ver que ela assumindo a responsabilidade e organizando o fundo de quadra osasquense com excelência.

      • Iuri

        pena que na seleçao nunca fez nada de relevante.

        • alexandre

          Não fez porque não joga né, temos uma titular incontestavel que é a fabi mas brait é excelente e sempre que foi exigida e isso na SELECAO cumpriu seu papel com glorias… Brait está acima de qualquer outra libero titular do mundo ainda abaixo apenas de fabi que nao vai durar mais muito tempo na selecao espero eu…

          • Iuri

            Fabi tem bola pro mundial e pra olimpíada, NO MÍNIMO. Brait tem que comer muuuita grama ainda pra chegar na pontinha do dedo do pé da Fabi.
            E ah, Brait já foi titular em algumas ocasiões e nunca fez nem 1/10 do que faz no Osasco.

          • Jorge

            Recalque contra brait

  • Raffael

    Só torço pra uma coisa. Que o AMIL termine em primeiro na classificação geral. Esta com 29 e o Osasco com 37, mas Amil com um jogo a menos e pode chegar a 32. Cinco de diferença e se o Amil ganhar do Osasco por 3×1 ou 3×0 cai pra 2. Resumindo, quero o Amil em primeiro pra ver um confronto Rio x Osasco na semifinal disputando uma melhor de 3, o que a tempos não temos por conta de uma formula ridicula de final unica.

    • Iuri

      Acho bem dificil Osasco nao terminar em 1o…mais facil torcer pro Rio ficar em 4o pra acontecer essa semifinal.

    • Daniel_Sam

      É verdade. Sem contar que talvez a única forma de não termos a mesma final, é obrigando esse confronto “antes” da final, pois em uma semi-final o “peso” da camisa(tradição) pode fazer com que times menos experientes se abatam e entreguem o jogo, por exemplo: Praia Clube – tem um jogo que encaixa perfeitamente contra a equipe do Bernardinho, mas sentem o peso da camisa do rival,
      outro exemplo, é o Volei Amil ficar a um ponto de tirar a invencibilidade do Molico, mas jogadoras como Claudinha, Tandara e Natália(Que eu acho que são muito habilidosas) sentem o peso e não conseguem dar seu máximo justo na hora “H”.

  • Wasley

    Daniel,

    Minha impressão é que a Superliga ficará mais consistente após o recesso. Realmente o time do Molico foi melhor que a equipe do Unilever e que foi a equipe mais regular de todas. Todavia, acho que esta primeira fase teve um cronograma um pouco confuso, por conta da mudança na tabela, o início da competição logo após o Grand Prix e o Campeonato Europeu, a pausa para a Copa dos Campeões e, quando as coisas começaram a engrenar, esta pausa para o recesso. Assim, fica difícil afirmar que a equipe de Osasco é a grande favorita da torneio. Acho que teremos um returno mais competitivo, considerando o retorno de atletas lesionadas, adaptação das estrangeiras, leitura de jogo das equipes e um ritmo de torneio mais regular, sem pausas. Talvez até o meio do returno teremos um diagnóstico mais preciso. Gostei muito da equipe de São Caetano, a maior regularidade da equipe do Pinheiros, comparativamente ao ano passado, o retorno da Herrera ao time do Praia e a regularidade do jogo da Glass, o que pode fortalecer muito a equipe, a melhora de rendimento da equipe de Brasília e de São Bernardo. Acho que algumas surpresas ainda poderão ocorrer até o final do returno. Foi uma pena a saída da Cibele na equipe de Barueri e é preocupante a inacreditável inconsistência da equipe do Sesi.

  • Gabriel E.

    Esse jogo na minha opinião mostrou muitas coisas relativas a cada equipe individualmente e sobre as duas no cenário da SuperLiga:
    1. O Osasco foi incontestavelmente o melhor time da 1ª fase, calando a boca de muitos em relação às estrangeiras.
    2. Luiziomar mostrou que sabe trabalhar com um time menos recheado de estrelas.
    3. Bernardinho realmente está em decadência. Vi jogos muito mais “perdidos” pelo time do Unilever e ela venceu todos eles. As semifinais contra o Vôlei Futuro na temporada 2011/2012 são apenas um exemplo disso.
    4. O time do Rio de Janeiro está desmotivado e a torcida começa a reagir, nas redes sociais e nas quadras(quem diria que os Unilovers criticariam a tão amada Sarah Pavan.)
    5. Podemos ter uma final diferente de Osasco x Rio de Janeiro(até que enfim, assim espero). E as chances do Rio de Janeiro não estar nela crescem muito.
    Sobre o jogo podemos destacar a atuação perfeita das estrangeiras do Osasco e o passe do time ganhando o conceito de “bom”, depois de toda a sua irregularidade. Sanja atacou muito, quase não errou e ainda foi vibrante, colocando o time pra cima. Caterina deu as caras em seu melhor fundamento, passou bem(inclusive todas as pancadas de Sarah e Mihjalovic) e Camila Brait fez defesas incríveis. Thaisa, nem se fale, quanto comprometimento em quadra, joga muito, tem um poder de decisão nas mãos e é de uma frieza incrível, pra ser sincero, quase não a vejo errar no ataque, isso acontece muito pouco no bloqueio, sou fã dela. Adenízia como sempre vibrando e jogando muito. Fabíola e Sheilla regulares(se jogassem mais que aquilo seria parciais de no máximo 21×15). O time aprendeu a jogar como equipe e sem a pressão de ser o “Osasco”. Tem tudo pra chegar ao título, ainda vai haver evolução nesse time.
    Sobre o Rio, o time está uma lástima. Sarah Pavan não rende o que fazia temporada passada, erra bolas bobas e sua diagonal não está tão mortal, os bloqueios de Osasco e Campinas já conseguem parar. Gabi está péssima, tudo bem que ela está voltando de uma lesão, mas mesmo lesionada ela deveria mostrar porque substituiu Logan Tom na temporada passada. Fofão precisa do passe na mão, pois apesar de ser a melhor levantadora da história do Brasil, já sente a idade. E Mihjalovic é um excelente jogadora, mas está desmotivada(é visível no rosto dela) pois sabe que o Rio não dará toda a assistência para seu crescimento. E Bernardinho está decadente, enfim, ele é o “especialistas em quases no Unilever”.
    Agora veremos o returno, onde Praia Clube deve crescer. Mas aposto numa final Osasco x Praia ou Osasco x Campinas. Vamos ver até lá.

MaisRecentes

Sada/Cruzeiro sofre com o “próprio veneno” no Mundial



Continue Lendo

Copa Brasil com TV apenas na final



Continue Lendo

Os seis jogos finais do turno da Superliga masculina



Continue Lendo