Quero ouvir os mineiros



Fanática torcida de Minas Gerais, por favor, me explique o 25-8 que a Usiminas/Minas, aquela mesma que derrotou a Unilever, levou do Pinheiros, no primeiro set, na noite de quarta-feira.

Obrigado!



  • leandro

    Daniel, estive no ginásio e acompanhei o jogo. O Pinheiros jogou muito e no 1º set o bloqueio e o saque do pinheiros não deixou o time do Usiminas/Minas jogar. O passe do Minas não existiu, as ponteiras (Carla e Thaisinha) do Minas são muito fracas no ataque. A Carla quando entra de titular não joga nada e a Thaisinha não está jogando nada em comparação com a última temporada. O técnico do Minas é sofrível, isto toda a torcida do Minas sabe.

  • Luan

    R I D Í C U L O!

    Estou envergonhado desse time e da diretoria que fez um time pra disputar entre 8º e 7º lugares. Isso se der muita sorte.

  • Aline

    O USIMINAS parece ser a equipe mais “BIPOLAR” dessa superliga, faz jogo duro com as equipes grandes como: o Usiminas 3×0 Unilever e Usiminas 2×3 SESI e entra de “salto ALTO”, totalmente desconcentrado e perde para equipes lanterninhas como SÃO CAETANO e PINHEIROS. O grande problema do Usiminas é o primeiro set, esse salto alto ridículo, que dá moral Às equipes que são inferiores, fazem essas equipes “GOSTAREM DO JOGO” e acreditarem numa vitória, ao mesmo tempo que é uma ducha de água fria para a equipe do Minas. Se entrasse concentrado assim como entrou contra a UNILEVER e mantivesse esse nível de concentração até o final do jogo, poderia ter evitado essas derrotas. Às vezes penso que é falta de firmeza da comissão técnica cobrar essa concentração das jogadoras desde o início do jogo. Acho que deve ser feito o que o Bernardinho faz com a UNILEVER: cobrar do início ao fim do jogo, não dar margem para as jogadoras entrarem numa “zona de conforto” e acharem que podem ganhar o jogo a qualquer momento, enquanto o time adversário vai ganhando confiança e marcando pontos um atrás do outro.
    Enfim, as minhas explicações para o 25×8 e, consequentemente, a derrota são:
    1. Salto alto, ou seja, não entrar no mesmo nível de concentração de quando o jogo é com um adversário mais forte;
    2. Falta de firmeza e “tempo de reação” da comissão técnica para dar um puxão de orelha nas jogadoras para elas acordarem para a vida;
    3. Depois que a maionese desandou, desespero das jogadoras que passam a querer resolver tudo no individualismo e deixam de jogar como um time, com isso a tática vai para o espaço;
    4. Entregar os pontos e não lutar até o final para reverter a M… do início do jogo.

    • Adriano

      O Minas é o Robin Hood da Superliga feminina. Rouba pontos dos ricos e entrega pontos para os pobres.

  • Afonso RJ

    Não vi o jogo e não posso falar especificamente, mas paro aqui para uma reflexão:
    Perdeu. E daí? Num campeonato de 10 times que após turno e returno OITO clubes se classificam, perder um jogo aqui outro ali acaba dando quase na mesma. Essa fase inteira, que dura MESES, só serve mesmo para entrosar as equipes e definir os adversários dos Play-Offs. Aí sim é que o campeonato começa “prá valer” e aí sim, uma derrota pode custar caro.
    Fico até surpreso com a garra, vontade e concentração que vejo nas meninas, exemplo de profissionalismo diga-se de passagem, em jogos que no frigir dos ovos valem pouco ou quase nada. E acho perfeitamente compreensivel que num momento ou outro, um ou outro time “baixe a guarda”. Ainda mais nessa época de festas de fim de ano, quando a maioria está com a cabeça em família, shoppings e comilança. Se foi o que aconteceu com o Minas, não sei, não posso afirmar, mas acho pelo menos que seja um componente plausível.

    • Luan

      Afonso RJ,

      Garra, vontade e concentração foi algo que não existiu nas jogadoras do Minas. O fato é que, a equipe mineiro tem um time ruim. Ponteiras baixas e fracas. Uma saída que sempre foi uma promessa e nunca virou realidade. Banco em praticamente todas as equipes de ponta da qual jogou. As centrais, há que diga que são as melhores do time, pra mim são duas grandes enganações. A levantadora ano passado fez sucesso porque Herrera virava tudo, ou seja, bola na ponta o tempo todo. Hoje sem uma pessoa pra decidir a garota fica perdida… enfim… Time ruim.

    • Mateus

      Como opinião não tem certo ou errado, não posso dizer que você está errado, mas não concordo contigo. Como jogos da fase de classificação não valem nada? As posições de classificação pros playoffs são o que? Pra você tanto faz se classificar em 8º e pegar o Sollys ou em 5º e pegar o Praia (não sei se é essa a colocação da equipe mineira de momento)? Esses jogos valem sim e valem muito. Valem a chance de prolongar um pouco mais a vida de equipes pequenas que possam se classificar pros playoffs enfrentando equipes não tão fortes. Vide o exemplo do Sesi ano passado: vacilou e enfrentou o Minas, sendo que poderia ter jogado com uma equipe de menor expressão. Fora que o desempenho na etapa classificatória e totalmente influenciável quando começam os playoffs. O Unilever ano passado baixou a bola no final do returno e não conseguiu se reestabelecer pros jogos finais, perdendo inclusive partida pro Mackenzie nas quartas. Ao contrário do Sollys, que teve uma arrancada impressionante e manteve o excelente ritmo de jogo nos jogos que “valem”, segundo você.

      • Afonso RJ

        O que eu quero dizer com esses jogos valerem pouco ou quase nada, é porque no final das contas, vamos ter Sollys, Unilever, Amil e Sesi nas quatro primeiras posições – não necessariamente nessa ordem. Banana Boat pode entrar aí, mas para mim é zebra. E para esses times, pegar qualquer um dos quatro últimos não faz tanta diferença assim. Pode fazer alguma diferença numa semi, mas time que quer ser campeão tem que encarar qualquer um. Para mim, o mais justo seria pontos corridos, turno e returno. Para que play-offs? (sim, razões comerciais). Aí sim, todo jogo seria importante. Do jeito que está essa primeira fase serve só para entrosar as equipes e definir os adversários dos play-offs, sendo que essa definição no fim acaba dando quase na mesma. Pode fazer sim, uma pequena diferença lá pelo meio da tabela (Praia Clube e Sesi, por exemplo), mas nas extremidades da tabela acaba não influindo muito. Mas é bom que se diga, eu curto muito todos esses jogos da primeira fase, pois a maioria é interessante, como eu já disse, graças ao profissionalismo das atletas e comissões técnicas.

  • Mateus

    Realmente é difícil de explicar uma situação dessa, Daniel. Mas acho qua a “vergonha” do campeonato está na posse do São Bernardo. Tudo bem que não tem alto investimento pra contratar jogadoras de mais expressão, mas os jogos que assisti da equipe foram horríveis. A equipe não saca e não passa. Como vai ganhar? Ana Cristina não pode fazer nada com passe Z nas mãos. Renatinha está tendo a missão de passar também, coisa que nunca lhe coube. A cubana parece atacar bem e tem um bom saque, porém deixa muito a desejar no fundo de quadra. Uma pena.

    Mudando de assunto, você sabe me informar se no vôlei, assim como no futebol, ao avançar uma fase as equipes recebem alguma quantia em valor pela classificação? Uma espécie de premiação?

    • Daniel Bortoletto

      não recebem

    • Adriano

      O São Bernardo, de fato, é um time horroroso. Mas já tendo sido transmitidos uns 2, 3 jogos deles, dá pra notar o – talvez – principal problema da formação no time: ele não joga com ponteiras, mas com jogadoras improvisadas na ponta. Obviamente, isso se deve ao fato de terem contratado ponteiras muito fracas para essa temporada, à exceção da cubana, algo que já se tinha anunciado desde a metade do ano. Vivi, Fernanda Kuchenbecker, Carol Azevedo (contundida), o que é isso? Daí ele tem uma cubana na ponta que não passa ou, na certa, passa pior que a Herrera… uma líbero improvisada na ponta (Thais Bruzza) e já tentou duas opostos improvisadas na ponta que nunca passaram na vida (Eduarda e Renatinha).

      Não, essa de pôr a Renatinha pra passar foi a gota d’água.

      Acho até que o São Bernardo tem chances de conseguir a primeira vitória no campeonato contra o São Caetano, porque o São Caetano é muito jovem e costuma jogar mal contra São Bernardo. Mas continuarei achando São Bernardo o pior time da superliga.

MaisRecentes

E vem mais um Zenit Kazan x Sada/Cruzeiro por aí!



Continue Lendo

Após virada incrível no 3º set, Minas avança na Copa



Continue Lendo

O tetra está vivo! Sada/Cruzeiro na semi do Mundial



Continue Lendo