Quer ser líder? Não, obrigado! E o equilíbrio aumenta



A rodada pós-Carnaval da Superliga masculina poderia marcar a troca na primeira posição. Mas vai ficar marcada por equilibrar ainda mais a disputa na zona de classificação para os playoffs.

O líder Sesi foi até Montes Claros e perdeu por 3 a 1 para os mineiros, quarto colocados, com parciais de 25-18, 27-29, 25-23 e 25-19.  Murilo reclamou do saque do time paulista. Já o técnico Giovane lamentou as falhas no passe. É perceptível que o conjunto, como um todo, ficou devendo.
Logo depois, a Cimed, ainda sem o levantador Bruninho, foi Contagem, também em Minas, para encarar o Sada/Cruzeiro, terceiro melhor. Um vitória bastaria para que os catarinenses assumissem a ponta. Mas eles caíram em sets diretos, parciais de 25-20, 25-23 e 25-18. Nitidamente, o titular da Seleção faz a Cimed ser um time capaz de brigar pelo título. E precisa voltar rapidamente.

Assim, os quatro agora estão mais próximos na classificação: 49, 48, 44 e 43. Mas a disputa pelo primeiro lugar está polarizada entre Sesi e Cimed.

Quem tem a lamentar é o Vivo/Minas, que, apesar da sétima vitória seguida (3 a 1 sobre o Soya/Blumenau), não conseguir diminuir a distância para o G4. Foi a 41 pontos.

Vale citar ainda a importante vitória do Vôlei Futuro (também em quatro sets) sobre o Londrina/Sercomtel, em confronto direto. Os dois dividem o sétimo lugar com 38 pontos, no limite de classificação para os playoffs. O Medley/Campinas está na cola, com 37.



MaisRecentes

Coluna: Minas e um dia histórico para o vôlei nacional



Continue Lendo

O tremendo desafio de Minas e Dentil/Praia Clube no Mundial



Continue Lendo

Coluna: Sinal de alerta com as chuvas no Brasil



Continue Lendo