Que semifinal foi essa?



Senhoras e senhores, que virada da Seleção brasileira feminina em Toronto, hein?

Porto Rico fez o jogo de sua vida, abriu 2 sets a 0 e teve 6 a 2 no tie-break. Vai ser difícil dormir na Vila Pan-Americana hoje…

O Brasil precisou praticamente de todas as jogadoras para virar o placar. Rosamaria substituiu Joycinha no início do jogo e melhorou o aproveitamento da virada de bola. Mari Paraíba entrou no lugar de Jaqueline e mais uma vez melhorou o passe e deu volume de jogo. Angélica foi outra que saiu do banco para não sair mais. Michelle foi outra que fez boas entradas para sacar. No último set, quando o placar apontava a vantagem de quatro pontos para as caribenhas, José Roberto inverteu o 5-1 com Ana Tiemi e Joycinha, que havia sido preterida em outras inversões por Bárbara. E a dupla foi decisiva para a virada, com a levantadora pontuando no saque e a oposto marcando pontos no ataque e no block. Vejam quantas jogadoras citadas em apenas um parágrafo.

Para ser justo vale citar os 28 pontos de Fernanda Garay, maior pontuadora do time. Excelente opção pelo fundo e chamando a responsabilidade quando o time mais precisou.

Para fazer a lógica prevalecer e se garantir na final, o Brasil precisou mostrar que no Pan não vive apenas das titulares.

 



MaisRecentes

Vaivém: Site crava volta de Hooker ao Osasco



Continue Lendo

Brasil não toma conhecimento da Argentina



Continue Lendo

Termina a parceria campeã olímpica de Alison e Bruno Schmidt



Continue Lendo