Que semifinal foi essa?



Senhoras e senhores, que virada da Seleção brasileira feminina em Toronto, hein?

Porto Rico fez o jogo de sua vida, abriu 2 sets a 0 e teve 6 a 2 no tie-break. Vai ser difícil dormir na Vila Pan-Americana hoje…

O Brasil precisou praticamente de todas as jogadoras para virar o placar. Rosamaria substituiu Joycinha no início do jogo e melhorou o aproveitamento da virada de bola. Mari Paraíba entrou no lugar de Jaqueline e mais uma vez melhorou o passe e deu volume de jogo. Angélica foi outra que saiu do banco para não sair mais. Michelle foi outra que fez boas entradas para sacar. No último set, quando o placar apontava a vantagem de quatro pontos para as caribenhas, José Roberto inverteu o 5-1 com Ana Tiemi e Joycinha, que havia sido preterida em outras inversões por Bárbara. E a dupla foi decisiva para a virada, com a levantadora pontuando no saque e a oposto marcando pontos no ataque e no block. Vejam quantas jogadoras citadas em apenas um parágrafo.

Para ser justo vale citar os 28 pontos de Fernanda Garay, maior pontuadora do time. Excelente opção pelo fundo e chamando a responsabilidade quando o time mais precisou.

Para fazer a lógica prevalecer e se garantir na final, o Brasil precisou mostrar que no Pan não vive apenas das titulares.

 



  • Rafael silva

    Misericórdia que jogo foi esse!!!! O banco trabalhou de verdade,Joyce e Tiene no tie break recuperaram o jogo no tie com um ace da japa e um bloque da Joyce que depois de tomar um gelo nas inversões jogou bem no último set.
    Mari substituiu Jaque a altura,Angelica bem no lugar de Barbara, que segurou as inversões quando a Joyce tava mal,que foi substituída pela Rosamaria que segurou ben a saída de rede.O que falar da Fernanda Garay,começou mal o jogo, foi se recuperando, resgatou a confiança, foi usada a exaustão terminou o jogo com 28 pontos, jogadoraca que não se entrega e tem a capacidade de se recuperar durante o jogo.
    Agora e cabeça na final que vai ser outra pedreira. Que jogo!!!!!!!!

  • Mônica

    O Brasil com campeãs olímpicas em quadra quase perder esse jogo para Porto Rico?! Pelamor!!

  • Fernando

    Jogo da Vida do Time de Porto
    Rico, a levantadora estava solta, onde colocava a bola, as atacantes
    respondiam.

    O Brasil com calma e paciência
    foi achando o jogo, e vale destacar a força da Fernanda Garay, pra mim podem
    falar o que quiserem, mas a Natalia jamais chegará no nível da Garay, se ela
    for convocada, será pro banco eterno, porque não tem condições, o passe dela,
    acaba com qualquer jogo. Garay, chamou pra si a responsabilidade e destoou no
    ataque, esse é o papel de uma verdadeira titular da seleção brasileira.

    Mari Paraiba, mais uma vez
    respondeu na bola, tudo bem que no ataque ela precisa melhorar, mas mesmo
    assim, ontem quando foi acionada, algumas vezes para tirar o peso ,
    principalmente da Garay, ela respondeu, fez três pontos consecutivos de ataque,
    e deu um alivio no jogo. Fundo de quadra e passe, nem precisa comentar, ela da
    um banho.

    Rosamaria, vale a pena ser
    destacada, ontem virou bolas excepcionais, algumas afastadas da rede, desafogou
    a Garay em alguns momentos cruciais do jogo, com certeza esse torneio, esta
    sendo importantíssimo pra ela, e acho que a principio quem ganha mais é o
    Minas.

    Pra fechar, eu fiquei assistindo
    as entrevistas das jogadoras no final do jogo, e percebi a humildade da
    Joycinha, mais uma vez, quando o Brasil precisou dela, ela entrou e resolveu.
    Sabemos que no ataque, ela esta devendo, mas ontem percebi que ela tem essa
    consciência, acho que a insegurança esta atrapalhando ela, mas se ela conseguir
    manter esse ritmo de jogo que ela esta impondo nos sets finais, acredito que o
    Zé achou a reserva imediata da Sheila.

    • cristiane

      concordo..Natalia nao aguenta uma pressao nao.. joga aqui so em liga nacional.. se estiver q levar ela pra olimpiada…jamais levaria,, prefiro Paula Pequeno na reserva do ela

  • Alex Lima

    Essa seleção de Porto Rico não é mole não!!! Se bobear pega um bronze contra as Dominicanas. Ainda mais que estão com essas Dominicanas na garganta por conta da vaga na Copa. Jogam certinho e tem um ataque potente. Um jogo em que se viu um técnico de verdade. Tipo…a estrelinha do time não está virando, está desatenta, ruim de passe… Vai pro banco e não volta mais. Ao contrário do masculino, o Zé testando de verdade e dando um alerta do tipo “aqui tem que jogar e ganhar”. Teste pra torcedor cardíaco!!!

  • Edu

    O Brasil não apenas perdia nos dois primeiros sets.Estava sendo iminentemente surrado.O chamado caso de perderem o respeito pela chamada amarelinha.Não se pode tirar o mérito de Puerto Rico em razão disso.Falou mais alto a intervenção técnica e o manejo de grupo.Se tirou a Jaque, que por suas condições físicas nem deveria ter ido ao Pan ou ao GP.Incidindo naquela mania de tentar homenagear uma jogadora que não participou de uma campanha interrompida por lesão reconduzindo posteriormente a mesma competição.As mais cascudas assumiram o rumo.Adenizia e Garay que vinha sofrendo algumas criticas injustificadas que não virava mais bola – quando a sua bola de preferencia e a mais distante na rede e capturada na progressão de seu saldo.Mari PB entrou em grande forma para estabilizar o passe e Angélica para fazer uso da força e mais bloqueio.Rosamaria entrou com confiança e fez o seu trabalho.Não acho que Macris tem feito um excelente campeonato, suas bolas são mais baixas que as habituais já que prefere promover maior velocidade.Mas a garota não se intimida, sendo fria e procurando ter uma boa leitura de jogo na sua primeira competição oficial de selecionado.Atitude de veterana.Assim se refez o Brasil, muito pela interferência técnica do ZRG e com jogadoras como Garay e Adenizia assumindo a responsabilidade.Todas as demais que entraram contribuindo – até a Joycinha que pre
    cisa descer mais a mão – e no quinhão individual construindo o coletivo.Não faltou emoção.Impossivel não corroborar com o Sérgio Mauricio depois de uma sonora da Garay.Além de excelente jogadora como se expressa bem e com propriedade a Garay.Fora ser uma mulher belissima, uma das melhores representantes da safra afro-gaucha.Com um pequeno pecadilho de ser casada com um sujeito meio, digamos assim, fora da imagem e formas de um Adonis.Mas ninguém e imalucadamente perfeito.

  • Jairo Pralon

    Teste para cardíaco mesmo. Ainda bem que estou medicado.. rs

  • Maria

    Bastante Irregular a nossa seleção mais o que falta de regularidade sobra em raça mais acho que será necessário mais para superar as americanas novamente e ficar com o ouro vai ser um jogo muito difícil

  • MVP do blog

    Uma pena nao estar acompanhando os jogos, mas o que de raça sobra neste time, parece que falta ao outro.

MaisRecentes

Joelho afastará Gabi das quadras



Continue Lendo

As primeiras transmissões da Superliga na TV



Continue Lendo

Vaivém: Thaisa jogará a Superliga



Continue Lendo