Quase mais uma zebra!



Que calor! Antes de escrever qualquer linha sobre vôlei, é preciso um desabafo sobre o assunto dos últimos dias no Rio de Janeiro.  Está difícil encarar a calça jeans para trabalhar! Prefiro não imaginar como serão os próximos dois meses nesta terra!

Desabafo feito, vamos ao assunto do título do post. Acompanhei os três sets finais da vitória suada da Unilever sobre o Banana Boat/Praia Clube, ontem, e cheguei a imaginar que as mineiras fossem conseguir derrubar as carioca, mantendo a invencibilidade na Superliga feminina.

Não conseguiram pois Logan Tom levou a melhor sobre Herrera na reta final da quarta parcial e também no tie-break. Além de executar o passe com precisão, a americana virou bolas importantes em momentos decisivos e sacramentou a virada, no quinto set, no saque. Tom, que não estava aparecendo tanto ofensivamente, terminou a partida com 15 pontos, menos do que a metade da cubana (31). Como escrevi na semana passada, o duelo das estrangeiras está empolgante na atual temporada.

Entre as brazucas, algumas constatações:

1) Concordo com Marco Freitas, que durante a transmissão disse que Fofão parece não ter 42 anos. Pelo que está jogando, a levantadora realmente parece ser bem mais nova. Dá para falar o mesmo da líbero Arlene.

2) Grata revelação a central Angélica, de 23 anos, autora de 14 pontos para o time de Uberlândia. No ataque, colocou no chão dez das 16 bolas que recebeu.

3) Bom ver Natália participar ativamente de um jogo de cinco sets. Falta ainda oscilar menos, mas é questão de tempo caso o físico se mantenha distante de problemas.

Na classificação, após cinco rodadas, quatro times com campanhas idênticas: 4v e 1d. O Praia Clube está na frente, com 13 pontos, por ter somado um pontinho na sua única derrota. O Sollys/Nestlé tem 12, um a mais do que Vôlei Amil e Unilever. Bom ver um equilíbrio na Superliga feminina.



  • Eduardo Araujo

    Olá amigos, vi o jogo e não estava gostando do jogo ate o 3 set, ate então ambas as equipes estavam errando demais, mas do 3 set em diante o jogo ficou muito bom.

    Discordo do Marcos Freitas quando ele tenta justificar o sufoco da equipe do Unilever falando que é uma equipe com muitas mudanças e não teve um torneio forte para se preparar, tudo isso é vdd, mas ele esqueceu de falar que o Praia se encontra na mesma situação.

    Pra mim é mérito do Praia elas estão jogando um vôlei muito bom, vão dar muito trabalho se continuar assim!!!

    Quanto a Pavan, acho que o problema esta em parte na Fofão que ainda não achou os tempos da bola para a Pavan, eu pelo menos não estou gostando dos levantamentos feitos para ela.

    Quanto ao jogo do SESI eu achei que ele iria perder quando fiquei sabendo que estava 2 X 0 para o MINAS e elas se recuperaram, isso pode dar moral para o SESI no próximo jogo e acabar com a moral do MINAS já que uma virada assim não é fácil de aceitar.

    Na segunda as 18:30 vai ter um jogo muito interessante entre o primeiro colocado (Praia) contra o Segundo colocado (Sollys).

    Esse jogo vai ser marcado por alguns duelos legais, como por exemplo:

    O melhor ataque(Sollys 29,60) vs o 3 melhor ataque (Praia 26,05)

    O melhor bloqueio (Sollys 25,81) vs 3 melhor bloqueio (Praia 24,23)

    O segundo melhor saque (Sollys 6,73) vs o 3 melhor saque (Praia 5,90)

    A melhor defesa (Sollys 40,75) vs a 6 melhor defesa (Praia 31,56)

    O Melhor levantamento (Sollys 20,25) vs o 5 melhor levantamento (Praia 13,84)

    A quarta melhor recepção (Sollys 36,33) vs a sétima recepção (Praia 28,65).

    Pelos números da equipe e não do individual vai ser um jogo muito bom de assistir.

  • Felipe (BA)

    Não acho que seria uma zebra. Acho que Spencer Lee pecou na entrada da Danielle Scott, Sendo que rodou poucas bolas (acho que 3 se não me enganooje) e não ajudou no bloqueio. Acho que no Lugar da Mayhara deveria estar a Leticia Hage, que eu acho que poderia ter proporcionado ao Praia Clube, uma vez que hoje, joga melhor do que as outras duas centrais (Mayhara e Scott). Já pelo lado do Unilever vejo uma certa paciência do Bernardinho em relação a Natália uma vez que fez uma ótimo primeiro set e só foi jogar bem na metade final do quarto set.

    • Adriano

      É, também me chamou a atenção o fato de a Letícia Hage, nessa partida, ter sido a quarta central do Praia. Tenho a impressão que o Spencer considera a Danielle Scott e a Mayhara como centrais da rede de 2 brigando por uma vaga e a Angélica e a Hage, na rede de 3, brigando por outra. Como a Angélica estava sendo a principal atacante do Praia depois da Herrera, ele nem cogitou a entrada da Letícia. Mas é verdade, também, que o melhor fundamento da Hage é o bloqueio, e o Praia teria se beneficiado de um upgrade nesse fundamento, ao longo da partida.

      Falando em bloqueio, acho que vale destacar também a bela atuação da Valeskinha, a meu ver, a melhor entre todas as centrais do jogo. O ataque da Juci ajudou a Unilever, mas no bloqueio e no saque, ela não foi bem. A Valeskinha foi constante durante o jogo todo, virou as bolas dela e ajudou o time no bloqueio. Achei merecido o troféu pra Tom, pela importância dela nos últimos dois sets, mas a Valeskinha também foi um belo destaque.

      Negativamente, pra Unilever, a atuação da Sarah Pavan, que só se destacou mesmo no bloqueio, deixando muito a desejar no saque, no ataque e na defesa. Não sei, não estou ainda convencido por essa jogadora. Não sei até que ponto foi um bom investimento. E, dado o equilíbrio do campeonato, eu diria que esse ano, principalmente, isso pode ser fatal. Vejo o Amil com muito espaço pra crescer e se, eventualmente, Unilever e Amil se enfrentarem numa semifinal, é possível que finalmente seja quebrada a hegemonia das finais no feminino. Tá cedo ainda, é verdade, mas eu já vislumbro essa possibilidade. Nunca uma terceira força do campeonato teve um técnico tão high profile quanto o Zé Roberto e sabemos que com as peças que ele tem na mão, isso pode fazer toda a diferença. A Unilever, afinal, mostrou sua vulnerabilidade nesses últimos dois jogos.

      Por fim, falando de equilíbrio… eu concordo que essa SL feminina esteja mesmo bastante equilibrada. Mas a maior prova de equilíbrio que identifico num campeonato foi o que aconteceu nessa última rodada no masculino. O Minas estava em 3º e o Volta Redonda em 10º. Os dois jogaram e o Volta Redonda conseguiu uma surpreendente vitória por 3 x 1. Resultado: eles empataram em pontos, mas o VR supera o Minas nos critérios de desempate e agora ele é 6º, enquanto o Minas é 7º. Não consigo imaginar maior prova de equilíbrio.

      • Felipe (BA)

        Sua Análise foi perfeita Adriano, Uma vez que pelo a Hage mostrou nas duas ultimas superligas a sua jogada de ataque de maior sucesso é a Chutada de Meio( tanto que ano passado ela sempre ficava na rede de três e a Luciane na de 2 pelo fato dela ,Luciane, jogar com as bolas rápidas por trás do levantador), e esse tipo de jogada é mais comum na rede de Três, e como angélica tava atacando com sucesso e bloqueando bem o Spencer preferiu deixa-la em quadra, mas mesmo assim acho que ela deveria ser titular.

  • Afonso RJ

    Só queria acrescentar mais algumas coisinhas:

    1 – No primeiro set, vencido pelo Unilever, quem desequilibrou foi a Natália. Jogou muito, além de levar sorte no saque. Não sei porque ela depois caiu de rendimento no ataque. Me pareceu ter o dedo tático do Spencer Lee. Mas ela jogou muito, a meu ver com uma recepção melhor que em jogos anteriores.

    2 – A Logan Tom, lá pelo meio/fim do quarto set, mesmo com vantagem no placar, saiu braba para questionar a arbitragem, e foi contida pela Jucieli. Isso mostra que a americana estava mesmo a fim de jogo. Tanto é que desequilibrou daí para a frente. Às vezes ela faz cara de “bored”, mas é puro engano. Na hora H é raça pura.

    3 – Concordo com os comentários sobre Fofão, Arlene e Angélica. Mas queria acrescentar que a levantadora do Praia fez um trabalho muito bom. Não é à toa que barrou as duas Camilas (Adão e Torquete). E parece que é bem nova. Pena que injustamente me esqueci do nome.

    4 – Achei a Sarah um pouco melhor, principalmente no block e participando bem da defesa. Mas ainda está devendo no ataque. Me pareceu meio insegura nesse fundamento.

    Para resumir o que achei do jogo:

    Praia mostrou um melhor entrosamento, umqa recepção excelente e uma defesa com muito volume de jogo, mas peca por depender muito da Herrera no ataque. É difícil, mas se o adversário marcar bem a cubana, a coisa pode complicar. O resto do time é de mediano para bom, mas sem nenhuma outra grande craque que desequilibre. Também falta banco. Deu trabalho mas caiu no primeiro adversário forte que encontrou, e ainda tem pela frente Sollys/Osasco e Amil/Campinas.

    Já a Unilever, apresentou altos e baixos de algumas das principais jogadoras como o caso da Natália, Sarah Pavan, e a própria Jucieli e mostrou um entrosamento inferior ao time mineiro. Mas levou vantagem pela a experiência de algumas jogadoras, como a Fofão (nunca vi ningém levantar bola de manchete como ela), Fabizinha e principalmente dessa cracaça de bola que é a Logan Tom. Acho que foi o troféu Viva-Vôlei mais merecido até agora.

  • Afonso RJ

    Ah, antes que eu me esqueça: Daniel, bem vindo ao mundialmente famoso verão carioca. Sugestão: Encabece aí na redação um abaixo assinado para permitirem trabalhar de bermuda. E compre um ar condicionado de no mínimo 5000 BTU 🙂

    • Daniel Bortoletto

      já meu quinto verão carioca. mas parece que a cada ano esquenta mais

      • Afonso RJ

        Quinto? E ainda não se acostumou? 🙂

        Brincadeira: estou aqui há muito, mas muito mais que isso (desde que nasci) e para ser franco nem sei se eu mesmo me acostumei 🙂

        Só digo uma coisa: particularmente acho melhor ter 3 meses de calor infernal e o resto do ano com clima ameno, do que 3 meses de clima ameno e o resto do ano congelando que nem picolé!

        (corrigindo 18.000 BTU)

  • Jairo(RJ)

    É amigo, decididamente você não tem um caso de amor com o RJ!

    Na sua opinião, a Pavan vai demorar mais ou menos o mesmo tempo que a Hooker para encaixar com a Fofão ? Emblemático ontem foi ver a Fofão fazendo um afago nela quando virou uma boal difícil, tipo mãezona!

    • Juju

      Mesmo Jairo, também achei bem legal o carinho da Fofão com a Sarah, que parecia chateada de não estar rendendo, o time parece bem unido e o Bernardo tá gritando menos.

  • bsb

    O jogo foi muito bom, o Praia jogou muito bem. A Herrera é uma super atacante e como já falei acho que deveriamos naturalizar ela (a Italia faz o mesmo com varios jogadores). O Praia porem pecou no final do 4° set, se não poderia ter feito até 3 pontos. Quanto as observações a Arlene foi incrível, defendia tudo, estava em todas as bolas e com um físico invejavel, já a Fofão tem habilidade mas errou em vários momentos da partida distribuindo mal as jogadas. A Angelica já tinha feita uma boa superliga passada e agora pode até ser mais observada pela seleção brasileira.

  • Daniel_Sam

    Só quero pontuar duas coisas:
    1°- O Praia Clube/Bananaboat caiu, mas caiu de pé!!!
    3°_ A Logan Tom, deu um show dentro da quadra, mas fora de quadra se mostrou muito arrogante, enquanto a Dani Scott que estava conversando com ela, deu um show de simpatia…
    “alguém mais viu a Logan Tom fazendo a cara arrogante estilo-Luana Piovani, quando a câmera foi filmar ela conversando com Dani Scott?”

    • Alanda

      Concordo com você Daniel. Aliás, a Logan parece que está jogando no Brasil por falta de opção, porque faz cara de nojo para tudo. Tem sido super antipática e arrogante. A Pavan e a Vasileva estão se esforçando para entender e falar português, a Logan faz questão de nem tentar. Se não queria vir jogar no Brasil, se não se interessa em “fazer parte”, porque veio então?

MaisRecentes

Uma vaga aberta na semi do Mundial: a do Sada/Cruzeiro?



Continue Lendo

Sada/Cruzeiro sofre com o “próprio veneno” no Mundial



Continue Lendo

Copa Brasil com TV apenas na final



Continue Lendo