Quantos pontos você faria na Coreia?



O leitor Cadu citou um antigo post do blog para comentar o recorde batido pela búlgara Vasileva na Coreia, esta semana. Resolvi recuperá-lo: http://wp.me/p1b2tr-1ij

A jogadora, ex-Vôlei Amil, anotou 57 pontos (51 de ataque, 4 de bloqueio e dois de saque) na vitória do Heungkuk Pink Spiders sobre o Korea Expressway no tie-break.

Com um pouco de treino, disciplina e alguns quilos a menos, nós poderíamos fazer sucesso lá do outro lado do mundo? Alguém se arrisca a tentar?

 

 



  • Afonso RJ

    Treino, disciplina, quilos… Nem precisava disso tudo. Para mim bastariam alguns anos a menos… 🙂

  • Perikito

    Mandaria Garay ou a Tandara pra Coreia pra aniquilar com esse recorde facilmente.

  • Felipph

    Qual será o “problema” da liga coreana que permite que alguns casos bizarros desse aconteçam?
    A liga nacional não parece tão fraca – tendo em vista que a seleção é razoável/boa – e algumas jogadoras internacionais conhecidas até vão para lá, não consigo entender como uma jogadora consegue pontuar tanto.

    Fico imaginando o festival de pontos que seria caso uma Gamova, Goncharova, Brakocevic, Darnel, Hooker, Tandara, Sheilla, Montano (já marcou 54 pontos na mesma liga), De La Cruz ou mesmo a Kim (voltasse) atuassem lá.

    A própria Fawcett, que nem titular dos EUA é, já chegou a marcar 55 pontos em uma partida por lá…

    • Caco

      A Hooker já atuou na Coreia, atuando pelo GS Caltex, por algumas partidas e não bateu o recorde.

      A seleção é boa porque tem uma excelente ponteira e consegue reunir um grupo razoável. No entanto, os clubes são diferentes. As jogadoras são baixas e acaba ficando fácil para boas atacantes pontuarem. As atletas mais altas costumam ser selecionadas para a seleção, porém o resto das atletas são baixas e não têm um bom bloqueio.

      • rapha

        Em quase nenhuma liga do mundo os opostos (ponteiros de definicao) recebem 90!!!!!!!! bolas por partida, e foi quase isso que a búlgara recebeu…junte-se isso os bloqueios baixos……daí os recordes…dá-se a impressao de qualidade tecnica ruim, mas o problema eh a pouca variacao de jogo das levantadoras….Hooker, Gamova e Tandara fariam parecido, mas nao mto mais que isso…

        • Caco

          É verdade! A variação é pouca e, principalmente nos momentos de maior pressão, quase todas as bolas são levantadas para as estrangeiras.
          A qualidade técnica de algumas jogadoras é boa, porém acho que as comissões técnicas são muito fracas. O próprio fato de variarem pouco prova isso.

  • Jairo(RJ)

    Podemos fazer o check in agora?

  • Aline

    Eu marcaria uns 87 pontos so de SAQUE, fora os meus BLOCKS implacaveis e meus ataques fulminantes.
    Ja a TANDARA…. Tandara ja ta deitando e rolando na Superliga, imagina TandARA na Korea.

  • Manuel C.

    Em algumas ligas as estrangeiras estão lá para serem protagonistas, então tome bolas para elas, em um jogo anterior ela também saiu com uma pontuação muito alta, se tivesse mantido o ritmo tinha quebrado o record antes. Me preocupa as condição física dessa jogadora, tudo bem que o nível do campeonato não é lá essas coisas, mas só ela que recebe bola, o desgaste deve ser enorme, sortudas são as companheiras de equipe que podem acompanhar o jogo de dentro da quadra rs

  • Caco

    Não sei quantos pontos faria, mas a Gamova faria uns 80, com certeza.

  • Iuri

    Não sei se vcs sabem, mas na Coreia do Sul, cada ponto do fundo de quadra vale por 2…ja teve ate brasileira mediana fazendo chuva de pontos por lá.

    • Livia

      Hahaha, a liga coreana tem regras próprias tipo a brasileira com seus 21 pontos? Isso daí estaria mais para pontuação do basquete.

MaisRecentes

Zenit campeão com méritos. “Cubanos” dominam premiação



Continue Lendo

Sada/Cruzeiro sai do Mundial com bronze e cabeça erguida



Continue Lendo

Rodada define confrontos da Copa Brasil masculina



Continue Lendo