Quanto vale o Grand Prix para o Brasil?



Começa na madrugada desta sexta-feira o Grand Prix. A Seleção Brasileira feminina estreia às 2h (horário de Brasília), contra o Japão, em Busan, na Coreia do Sul (Sportv e Esporte Interativo transmitirão ao vivo).

Alemanha e Coreia serão as demais adversárias do time de Zé Roberto nesta etapa. Mais do que um título (importante, diga-se de passagem), o GP serve como ponto de observação importante para a Seleção, em um ano de definição de vagas olímpicas na Copa do Mundo.

Apesar de ter uma base montada, o técnico iniciou a temporada com testes para algumas jogadoras novas em amistosos e torneios menos relevantes. E a experiência de jogar o Grand Prix pode ser decisiva para elas.

Tandara é um exemplo. Ela se encaixa na característica multifuncional que Zé Roberto tanto gosta: pode jogar na saída de rede ou como passadora. O ataque é seu ponto forte, enquanto a recepção ainda precisa ser aprimorada. Como Zé Roberto não tem uma reserva para Sheilla, Tandara pode conquistar de vez seu espaço. Se não der certo, Zé pode fechar o grupo apenas com Sheilla como especialista da função, deixando uma ponteira a mais do grupo, já que pode usar, se necessário, Mari ou Natália (corrigindo) na saída. Aí pode surgir espaço para Fernanda Garay, outra estreante neste GP, permanecer entre as pontas.

No meio de rede, Juciely é a cara nova. Com Fabiana e Thaisa intocáveis, ela briga pela posição na reserva com Adenízia. Características diferentes. Um “duelo” interessante.

Sobre a estreia, espero um jogo complicado contra as japonesas, que só foram batidas pelo Brasil no tie-break na semi do último Mundial. Vale a pena ficar acordado na madrugada.



  • Afonso (RJ)

    Imperdível o jogo hoje (amanhã) para quem gosta de vôlei. Minha maior curiosidade é qual será a outra ponteira, visto que para o Zé a Mari é intocável. Será a Paula Pequeno ou a Natália? Provavelmente será a Paula, mas a briga das duas a meu ver promete. Mais que entre a Adenísia e a Jucieli, que brigam apenas pela reserva.
    A Paula Pequeno foi mal na última superliga, mas fez uma ótima campanha no Pan do México. Além de ser uma jogadora que alia a experiência com uma garra impressionante. Já a Natália é bem mais forte no ataque e vem ano após ano aprimorando a técnica. Hoje em dia, onde a força bruta ganha cada vez mais espaço no vôlei feminino, vejo a Natália com boas possibilidades de ganhar a posição.
    Também vejo com bons olhos a Tandara, como reserva da Sheilla. Desde dos tempos do Brusque/Pomerode ela vem se destacando na superliga, e se enquadra bem nessa tendência atual do vôlei força bruta. Acho porém que ainda lhe falta um pouco mais de técnica. Inclusive, em caso de necessidade, no momento, acho que a Natália seria melhor substituta para a Sheilla. Mas vejo como de fundamental importância ir dando experiência e currículo para a Tandara. Ela ainda pode vir a ser muito útil para a seleção.
    Ausências marcantes nessa última convocação são Camila Brait, Joycinha e Jacqueline.
    Quanto a Joycinha, foi questão de opção por jogadoras mais fortes, além do fato dela não ter feito uma boa superliga.
    A Jacqueline pediu dispensa para casar, depois para ter neném, etc… Tudo bem, ela tem todo o direito de ter sua vida privada. Mas o profissionalismo também importa, principalmente em esportes de alto nível. Ela fez a escolha dela, e o Zé Roberto também fez a escolha dele ao deixá-la de fora. Ambos estão cobertos de razão, mas acho que a Jacqueline vai ter que ralar bastante se quiser recuperar seu lugar na seleção.
    Vejo com certo receio irmos para uma competição de alto nível com apenas uma líbero. Mas é uma posição que não se permite substituição durante o jogo. Aliás parece que a regra vai mudar, para permitir que a líbero seja substituída apenas uma vez durante a partida, ou coisa assim. Eu me sentiria mais seguro com a Camila Brait (que eu acho uma líbero espetacular) no grupo. Mas, confio na decisão do Zé Roberto.
    Finalmente, pode ser que eu esteja errado, mas acho que se a Ana Tiemi se esforçar mais na superliga e se sair bem, ela ganha mole mole o lugar da Fabíola na seleção. Já andou “batendo na trave” várias vezes.
    Depois de tudo isso, esse Grand Prix promete.
    AVANTE, MENINAS DO BRASIL. Vocês me enchem de orgulho!! 🙂 🙂 🙂

  • Diogo Márcio

    Joycinha que se cuide… além de briga com o novo coringa do Zé, Tandara, vai ter outro pariu duro pela posição de oposta: Ju Nogueira que exerce também a nova caracterista táctica proposta pelo Zé (Oposta>Ponta)… coisa ta feia para Joycinha!

    A posição de central tem uma longa lista de reservas: Adê, Natasha, Nat Martins, Jucy, Letícia Hage; cada uma querendo garanti sua vaga. Carol Gattaz ainda não foi lembrada devido sua lesão, mas logo deverá ser mais uma opção. Tendo ainda apostas para a futura geração com Ana Beatriz, Marjorie e Fran.

    Ana Tieme podendo ser titular do VF, Dani e Fabíola terão que demonstrar desde já suas qualidades se quiserem vestir a camisa. Temos Nat, PP4, Mari, Garay sendo as principais referência ofensiva do time, Fabi dando volume de jogo.

    Vala da ênfase para a GRANDE Sassá. Na semifinal do mundial do ano passado, BRA 0X2 JAP, Sassá entrou com tudo e mudou a história do jogo. Brasil ganhando de virada e se classificando para a Final. Que a história não se repita, meu coração não vai aguenta outra dessa kkkk

  • Ana

    Paula na saída, como assim, Bial? Daniel, me diga que você quis dizer Natália! kkkkkkkkkkkkkkkkkk Paula NUNCA soube atacar na saída de rede. NUNCA! Paula é um monstro na entrada, na 4, onde ela sabe jogar. E do meio fundo muito raramente. Por favor! Diga que quis dizer Mari e Natália e pararei de rir. se formos de PP4 na saída, só Jesus! kkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Sobre o GP é sempre o mesmo. Alguns times dão importância outros nem tanto. Os europeus estão preocupados com o europeu que classifica para Copa do Mundo. O Brasil, como não tem adversários sulamericanos, vai com tudo. A competição vai servir para decidir as últimas vagas. Mas quem está lá sai na frente, claro. CREIO/ESPERO/SUPLICO/ACREDITO que ele não invente de levar Jaqueline para Copa do Mundo.

    vale lembrar também que Pan e Sulamericano são muito perto. Talvez ela divida o grupo. Não sei.

    • Daniel Bortoletto

      verdade. lapso total

  • Paulo Dantas

    Como não AMAR vôlei fem? Vídeos dos maiores AFRONTES do vôlei.

    Piccinini x Zoila Barros – Atenas 2004 http://www.youtube.com/watch?v=YgoZKuB7Z7A&feature=related

    Ramirez gongando Sheilla http://www.youtube.com/watch?v=Tt-oVv4o6LY&feature=related

    Afronte da Ramirez – Grand Prix 2006 http://www.youtube.com/watch?v=3kclfT3rV9U&feature=related

    Piccinini vs Ramirez http://www.youtube.com/watch?v=gmPkQ5MYElo&feature=fvwrel

    ÉRIKA ACERTA ADENÍZIA http://www.youtube.com/watch?v=-sYkFi_BMYU&feature=related

    Torcida Unilever: SACA NA MARI / MARI PIPOQUEIRA http://www.youtube.com/watch?v=xdCy1na58qA&feature=related

    Mari manda Banana pra torcida Unilever http://www.youtube.com/watch?v=OjRkcMouSYE&feature=related

    MARI X THAISA http://www.youtube.com/watch?v=Bu5mR7Ap7mU&feature=related

    • Afonso (RJ)

      Essa banana da Mari é antológica. A torcida do Unilever pegou no pé dela e ela deu o troco. Entrevistada logo após o jogo, disse que não tinha “sangue de barata”. Me lembro muito bem.
      Logo na temporada seguinte, a Mari veio para o Unilever. A torcida a recebeu muito bem e apoiou a Mari o tempo todo. Mesmo em grande parte da temporada em que ela esteve machucada. Não viam a hora dela voltar a jogar! Todos levaram o incidente na maior esportiva. Um barato!

  • Simone Gomes

    Fiquei muito feliz com a oportunidade que foi dada a Tandara, ela é de muita força, muita garra e coragem.
    Tem um saque forte e colocado, acho que só falta mesmo um pouco de maturidade em quadra, mas isso ela terá tempo de sobra pra conquistar, está com 22 anos e é muito talentosa!
    Torço pela seleção e por ela principalmente.

MaisRecentes

Definidos os grupos do Mundial masculino de clubes



Continue Lendo

As quartas de final do Paulista masculino



Continue Lendo

Bruninho e Renan analisam conquista



Continue Lendo