Qual a maior surpresa da terça-feira?



Quero ver a escolha de vocês. Os jogos desta terça-feira resolveram contrariar a lógica na Superliga masculina. E fica difícil ter certeza de qual foi o mais surpreendente.

Se formos levar em conta a classificação, escolheria o 3 a 1 do BMG/São Bernardo, então sétimo colocado, sobre o atual campeão e ex-líder Sesi, fora de casa. Mesmo sem Murilo, o time de Giovane Gavio era favoritíssimo. Wallace fez 29 pontos, que não foram suficientes. A diferença no jogo foi o bloqueio do time do ABC, responsável por 14 pontos. Já o do Sesi fez apenas três.

Se formos levar em conta o que os times vinham jogando até então, ponto para o RJX, que era o oitavo colocado e tinha uma mísera vitória sobre o Volta Redonda, no tie-break. E o estrelado (e ainda desentrosado) time foi até Florianópolis para quebrar, de virada, a invencibilidade da Cimed/Sky, que entrou na rodada na quarta posição. Chupita e Lucão foram muito eficientes.

Se formos levar em conta a diferença na classificação, ficaria com Sada/Cruzeiro 3 x 2 Londrina/Sercomtel. Mesmo jogando em casa, o novo líder suou mais do que imaginava para derrotar o penúltimo colocado. E perdeu um pontinho que pode fazer falta mais adiante. Os centrais Douglas Cordeiro e Rogério fizeram 17 pontos cada (oito deles, no total, no block).

Por fim, se formos levar em conta o equilíbrio esperado, voto para Vivo/Minas 3 x 0 BMG/Montes Claros. O time da capital mineira era a quinta colocada, logo à frente do rival do norte do estado. As parciais (25-21, 25-20 e 25-19) foram categóricas. Pelos números, o Minas foi bem em todos os fundamentos. Henrique marcou quatro pontos no block, Rejlek anotou três aces, Lucarelli foi o maior pontuador e Marcelinho, o MVP.

A palavra agora é de vocês.

 



MaisRecentes

Brasil impõe primeira derrota à Turquia na Liga das Nações



Continue Lendo

Entrevista com Kerri Walsh, três vezes campeã olímpica



Continue Lendo

Vaivém: Oposto troca Sada/Cruzeiro por Ribeirão



Continue Lendo