Por Olimpíada, Sidão arrisca não operar ombro lesionado



O meio de rede Sidão decidiu não operar ombro direito para seguir sonhando com a Rio-2016.

O jogador, que não está disputando a Liga Mundial, optou pela fisioterapia como forma de recuperação, já que uma operação poderia afastá-lo das atividades por vários meses. Ainda assim não é certo que a intervenção cirúrgica no tendão supraespinhoso esteja completamente descartada, como confirma o próprio Sidão.

– Enquanto eu fiquei em Saquarema, não fiquei totalmente parado, fiz alguns treinos específicos. A ideia agora é permanecer por dois meses de total repouso, só com fisioterapia e sem levantar o braço. A esperança é de que a lesão se cicatrize e eu possa escapar da cirurgia – explicou o jogador.

O jogador sentiu a lesão em um jogo do Taubaté, seu ex-time, contra o São Bernardo, na última Superliga.

– Era uma coisa que estava me incomodando muito, inclusive eu não conseguia nem dormir direito. Fiquei um mês parado na Seleção, mas mesmo após esse período as dores continuaram. Junto com os médicos, decidi me afastar da Seleção para resolver esse problema – disse Sidão.

Enquanto se recupera, Sidão vê alguns “concorrentes”, como Riad e Isac, ganharem terreno na Seleção.

– São jogadores excepcionais, que estão sempre entre os melhores. Sabemos que a disputa é boa, e também é muito sadia. É importante ter essa disputa para não ficarmos acomodados. Quando não tem ninguém te incomodando, você acaba relaxando e não colocando em prática tudo aquilo que você pode – finalizou Sidão, que nesta temporada volta a defender o Sesi.



MaisRecentes

Brasil impõe primeira derrota à Turquia na Liga das Nações



Continue Lendo

Entrevista com Kerri Walsh, três vezes campeã olímpica



Continue Lendo

Vaivém: Oposto troca Sada/Cruzeiro por Ribeirão



Continue Lendo