Por entrosamento, Unilever passará festas de fim de ano na Suíça



Com o retorno das jogadoras que estavam na Seleção Brasileira, a Unilever vai aproveitar as folgas de fim de ano para ganhar entrosamento para o início de temporada no Top Volley, tradicional torneio de clubes disputado na Basileia.

O time viajará no dia 25 em busca do tricampeonato (venceu em 2006 e 2009). Além da Unilever, participam da competição o Dinamo Bucarest, da Romênia, o Volero Zürich, da Suíça, campeão nacional na temporada, o Rabita Baku, do Azerbaijão, atual campeão mundial de clubes, o Racing Club de Cannes, da França, e o Severstal Cherepovets, da Rússia.

A disputa começa no dia 27, com dois jogos da fase classificatória para o grupo da equipe carioca – a Unilever vai enfrentar, na sequência, Dinamo Bucarest e Volero Zürich. Os dois primeiros do grupo passam para as semifinais, no dia 28. A decisão do título será no dia 29.

– As jogadoras da seleção se juntaram à Unilever somente agora, no fim de novembro, e teremos pouco tempo para entrosar o grupo. Por isso, a importância ainda maior do Top Volley, que, tradicionalmente, tem um bom nível técnico e servirá como preparação para os jogos da Superliga – comentou Sheilla.

Fernanda Venturini, que nunca disputou a competição, aprova o torneio.

– Na Suíça, vamos conseguir ter fortes equipes pela frente, o que nos ajudará a não perder o foco durante o recesso de fim de ano. Particularmente, estou bem fisicamente e agora preciso jogar, jogar e jogar para pegar ritmo – afirma.



  • Diogo (Oz)

    Acho que a ida do Unilever, se da pelo fato do VF ter disputado ano passado e Osasco ter ido ao Mundial. De olho no Volero que ganhou o caneco ano passado encima do VF, Cannes que ganhou 1 jogo contra o Vila Cortese na Liga dos Campeões e Rabita Baku nem precisa de apresentações.

    Adoro ver as turcas jogar, principalmente as atacantes de extremidade, que no RB tem uma das gemeas *-* Uma coisa é certa, o Unilever vai sofrer com o saque das turcas.

  • Afonso (RJ)

    A BandSports está passando alguns jogos da Liga dos Campeões da Europa no feminino.
    Tive a oportunidade de assistir a dois jogos na íntegra (transmitidos ao vivo da Itália):

    1 – Vakifbank (Istambul) 3×0 Bergamo:
    Com direito a Valentina Diouf, Piccinini e Arrighetti pelo lado italiano, e a alemãzinha Fürst pelo lado turco.
    O jogo foi um massacre. A recepção italiana simplesmente não funcionou. Um verdadeiro desastre. Não dá nem para comentar, porque os erros de recepção eram tantos, que quase não teve jogadas. Méritos também para o contra ataque turco, quando de vez em quando a bola voltava, com uma eficiente oposta com nome de compositor russo: Glinka.

    2 – Pesaro 3×0 Dinamo de Moscou:
    Pelo lado italiano Ortolani e a levantadora Ferreti, e pelas russas Markarova, Goncharova, Merkulova e Perepelkina. Jogou ainda pelo lado russo a cubana Ortiz.
    Nessa partida teve jogo. Um bom jogo, aliás. O que se viu foi o time italiano muito mais entrosado e com um excelente volume de jogo. A levantadora Ferreti fazendo um ótimo trabalho de distribuição e a Ortolani inspirada completaram a diferença. As russas, apesar do ataque forte, tinham dificuldade de pontuar por causa do eficiente sistema de bloqueio/defesa das italianas. Destaque para Goncharova pelo lado russo. Foi um bom jogo de se ver.

    Os próximos jogos serão na semana que vem, com transmissão bela Band (espero).

MaisRecentes

A velocidade do Sesc, com Thiaguinho, impressiona



Continue Lendo

O novo conceito da FIVB para 2018



Continue Lendo

Apenas Lebes/Canoas faz o dever de casa na rodada



Continue Lendo