Por CNPJ próprio, Corinthians estuda formar dois times na próxima temporada



Corinthians/Guarulhos na Superliga Cimed Masculina. E Guarulhos, com chancela corintiana, na Superliga B.

Os dirigentes do clube paulista admitem a possibilidade de dupla participação na próxima temporada. E a explicação não é muito complexa: por um projeto a longo prazo, o Corinthians quer ter o próprio CNPJ, uma exigência da Confederação Brasileira (CBV), para poder disputar a principal competição nacional sem a necessidade de mais parcerias.

Na semana passada, o Timão, que já acertou a continuidade do projeto com a Prefeitura de Guarulhos, decretou um fim pouco amigável da parceria com a Associação Desportiva São Bernardo, “proprietária” do CNPJ que possibilitou a participação do time alvinegro na atual Superliga. Desta forma, o Corinthians está no mercado em busca de um novo parceiro para confirmar a vaga na próxima temporada (a explicação está no post do fim de semana).

Para a temporada 2018/2019, o projeto alvinegro não tem outra saída para participar da próxima Superliga: precisa de uma parceria para se manter na elite. E, neste caso, tem três frentes de negociação. Com a formação de um time na B, porém, já pensa em subir para a divisão principal e assim ter vaga assegurada em 2019/2020.

Anderson Marsili (à esquerda) está à frente da gestão do vôlei corintiano (Divulgação)

– Conquistando a vaga via Superliga B (ser campeão ou vice), acaba nosso problema. Nós temos a intenção de fazer um projeto a longo prazo e faz todo sentido ter o CPNJ próprio. Para ficar sustentável, precisamos ter o controle total da situação. Por isso a ideia de ter um time na B, formado por muita molecada, com alguns atletas mais experientes, para serem as referências – explicou Anderson Marsilli, novo gestor do Corinthians.

Com a criação de um segundo time, o Corinthians deixará de ter um time sub-21, aproveitando os jovens talentos na equipe formada para a Superliga B.

Sobre as negociações com um parceiro para confirmar a vaga na elite em 2019, Anderson afasta de imediato a possibilidade de não participar da Superliga.

– Zero de risco. Tem esse plano para a B, mas a prioridade é a A. Estamos focados nela, mas ainda presos em uma situação burocrática. Vamos cumprir todas as regras existentes, mas precisamos definir o quanto antes. Estamos trabalhando a montagem do time, negociando renovações, olhando o mercado por reforços e também a formação da comissão técnica – comentou o dirigente.

LEIA TAMBÉM

+ Bruninho participa de lance polêmico em semifinal na Itália



MaisRecentes

Copa altera o status da Seleção Brasileira masculina



Continue Lendo

Coluna: Vale prestar atenção na vizinhança



Continue Lendo

Coluna: Já esperava ver a Seleção em outro patamar



Continue Lendo