Texto do leitor: Brasil na final do Sul-Americano



Reproduzindo comentário do fiel leitor Afonso, um dos poucos fãs do vôlei com paciência para ter visto todo o Sul-Americano feminino.

Sulamericano de Vôlei Feminino: Semifinal: Brasil 3×0 Colômbia:25×18 25×7 25×20
Brasil: Dani Lins, Sheilla, Fabizona, Thaisa, Mari, Jaqueline e Fabizinha. A partir de mais ou menos metade do segundo set Jucieli no lugar de Thaisa. Sassá entrou no final para fundo de quadra. Em nenhum set houve inversão 5/1, e portanto Fabíola e Tandara não entraram.

O Brasil começou um pouco inseguro e fez um jogo ponto a ponto até mais ou menos a metade do primeiro set, mas depois abriu no placar e venceu o primeiro set com facilidade. No segundo, a Sheilla criou raízes no saque com uma recepção colombiana horrorosa, e foi uma lavagem. No terceiro set o Brasil abriu no placar, mas deu uma cochilada no final do set, permitindo as colombianas fazerem a maior pontuação (20) que o Brasil levou num set em todo o campeonato, mas o Zé pediu tempo, botou ordem na casa e o Brasil fechou o jogo até com relativa facilidade.

A Colômbia tem uma jogadora forte no ataque, que joga na liga coreana como oposta, e portanto sem muita familiaridade com a recepção. Hoje jogou como ponteira, e a Sheilla fez a festa sacando encima dela no segundo set. Há outras jogadoras jogando profissionalmente em ligas de menor expressão pelo mundo. As levantadoras são amadoras. Pretendem lutar para serem a terceira força no continente, e ainda teem esperança de irem às Olimpíadas.

No Brasil, achei a Sheilla mais decisiva hoje. Atacou com mais decisão, com menos largadinhas ou meias batidas. Méritos também para a Dani Lins, que vem cada vez mais se firmando na posição. Mari e Jacqueline também muito bem no ataque. Fabizinha também fez boa partida com defesas difíceis e boas coberturas. A Thaísa realmente estava meio devagar (será TPM?), e a Jucieli entrou melhor, dando mais velocidade às bolas de meio, apesar de cometer dois erros em saques fáceis.

Na outra semifinal a Argentina venceu o Peru por 3×0, parciais 25×15, 25×23 e 26×24.

Vamos ver a final amanhã contra as hermanas às 20hs de Brasília com transmissão do SporTV.



  • Daniel_Sam

    Por mais que muitos digam que a Argentina e o Peru brigam para ser a segunda maior potência da América do Sul, eu discordo, pois acho que a Argentina é superior ao Peru(O Grand Prix é um exemplo disso),e ,se a Georgina Pinedo(gostosa pra caramba)jogar pela sua seleção(Argentina) daí sim que o Peru fica sem chance nenhuma!!!

    • Diogo Márcio

      Pinedo é fantástica!!! Pena que ela é baixa para os padrões e não foi convocada para esse sulamericano. Quando ela vai sacar, fico torcendo que seja Ace – Acho o estilo de saque dela muito bonito, dentre os que já vi.

  • Diogo Márcio

    Assistir o Sulamericano você fica bocejando, porque da sono! Cada ano vai evoluindo aos poucos (devagarinho), mas evolui; Espero que um dia fique parecido com o europeu ou da Norcega.

    Esperança é a última que morre.

  • Afonso (RJ)

    Acabei perdendo os dois primeiros sets da final. Normalmente a preliminar é a disputa de 3o lugar, com a final como jogo de funso. Pois eles trocaram, pois o time da casa (Peru) vai disputar o terceiro lugar. Fiquei a ver navios.

    Rescaldo do campeonato: Brasil venceu todos os jogos com facilidade por 3 sets a zero, sendo que em apenas um set tomou 20 pontos. Grande parte dos sets o adversário nem passou dos 10 pontos. Valeu para ver como andam nossas jogadoras, pela classificação para o Mundial, e como treino de luxo.

    Vou perder boa parte do panamericano, pois estarei viajando. Talvez chegue a tempo de assistir à finais. Mas no mundial, estarei aqui firme e forte.

    Finalmente, desculpem desabafo: Está certo que o nível das adversárias é pífio, mas a gente tem sempre que prestigiar nossas atletas. Não concordo com o ar de menosprezo pela conquista e a sonolência de alguns. Depois ficam reclamando que a TV não transmite. Porque haveria de transmitir, se a audiência é desinteressada ou sonolenta e não “dá IBOPE”? De minha parte, vou sempre assistir aos jogos das nossas meninas, nem que seja de madrugada pela internet, com imagem borrada e locutor coreano, jogando contra time amador de Burkina-Faso.

    • Rafael B.

      Afonso, você tem meu voto!!! rs
      Também assisto aos jogos para ver nossas meninas em ação.
      Gravei o VT do jogo, às 05:30h da manhã, e acordei mais cedo pra vê-lo antes de ir ao trabalho, mesmo sabendo que tinha sido um 3 x 0 e sem maiores problemas.
      Não dá pra reclamar de cobertura da TV e deixar de ver as oportunidades televisionadas!!!

  • graca

    O Sulamericano evoluindo? Eu acho o contrario, o sulamericano ja’ teve emocao ate’ a de’cada de 90, quando as peruanas PRATA nas olimpiadas de 88, perdendo no tie break para as russas, tinham um timaco… O ultimo titulo do PERU com aquela geracao espetacular foi no SULAMERICANO de 1993, depois disso so’ deu Brasil. E agora o SULAMERICANO RETROCEDEU tanto, que eu nunca tinha visto uma final com 25×10 e 25×7: HORRIVEL!!!

MaisRecentes

E vem mais um Zenit Kazan x Sada/Cruzeiro por aí!



Continue Lendo

Após virada incrível no 3º set, Minas avança na Copa



Continue Lendo

O tetra está vivo! Sada/Cruzeiro na semi do Mundial



Continue Lendo