Polônia B faz 3 a 0 no Brasil



A terceira derrota do Brasil em quatro jogos em casa nesta Liga Mundial aconteceu nesta sexta-feira. A Polônia, sem seus principais jogadores, venceu com autoridade por 3 a 0 em Maringá, parciais de 26-24, 28-26 e 25-21.

Resultado preocupante pela atuação brasileira (mais uma vez), pela dificuldade que já está colocada para a classificação para a fase final (vejo isso como o menos importante em ano de Mundial) e por ter acontecido contra o time B polonês (sinal de alerta ligado!).

Vamos aos três pontos citados aqui:

1 – Bernardinho iniciou a partida com três mudanças no time titular: Gustavão, Theo e Chupita, nos lugares de Sidão, Vissotto e Murilo. Mas erros recorrentes voltaram a acontecer: a linha de passe segue instável e ainda pouco confiável com Mário Jr. oscilando demais, dificuldade na virada de bola e um saque que pouco incomodou os poloneses. Dos três que iniciaram, o central foi quem mais tempo ficou em quadra, em seu primeiro teste real nesta condição. O oposto, após levar alguns bloqueios, e o ponta, após errar dois passes seguidos, acabaram saindo no segundo set. Outro que entrou e ficou na equipe naquele momento foi o levantador Rapha. O Brasil teve alguns lampejos de bom bom voleibol, em momentos diferentes da partida, mas eles foram insuficientes para que a atuação pudesse ser considerada ao menos regular. Lucarelli, com 13 pontos, foi o maior pontuador do time, seguido por 11.

2 – Com três pontos em 12 disputados, o Brasil está em terceiro lugar no grupo. A Itália soma nove em nove possíveis, enquanto a Polônia tem três em seis disputados. O Irã, com apenas um jogo feito, ainda não pontuou. A preocupação não deve ser com a Azzurra, já classificada por ser a sede das finais, mas sim com os rivais de hoje, daí a importância deste resultado de hoje. Assim, o Brasil terá de arrancar vitórias em Katowice e Lodz para seguir na luta, uma tarefa, pelo momento atual, bem complicada. E quem perder pontos para o enjoado time iraniano vai se complicar…

3 – Vejam que toda a base polonesa considerada titular –  que deve ser utilizada no Mundial – não foi relacionada para esta viagem pelo técnico francês Stephane Antiga. Kurek, Wlazly, Zagumny, Winiarski, Kubiak, Mozdzonek, Nowakowski não estavam presentes. Dá uma noção do que este time poderá fazer ao jogar o Mundial em casa, empurrado por sua fanática torcida.

 

 



MaisRecentes

Vaivém: Abouba espera aproveitar chance da vida no EMS/Taubaté



Continue Lendo

Vaivém: Arlene, com 48 anos, segue em atividade no Sesi Bauru



Continue Lendo

Vaivém: Sada/Cruzeiro emite nota oficial sobre situação de Simon



Continue Lendo