Playoffs bem encaminhados na Superliga feminina



Os jogos de sexta-feira deixaram o caminho para os playoffs bem pavimentados na Superliga feminina.

Rexona-Ades e Sesi já garantiram o primeiro e o segundo lugares, respectivamente, com as vitórias sobre Dentil/Praia Clube e Molico/Osasco por 3 a 1. Assim ficam em lados opostos da chave e poderão se enfrentar apenas na decisão, repetindo o resultado da temporada passada.

Matematicamente ainda existe briga pelo terceiro lugar. O instável Molico, com 50 pontos, ainda pode ser alcançado pelo Camponesa/Minas, com 46, e pelo Praia, com 45. Mas não vejo muitas chances para as mineiras, já que o time de Osasco terá o São José pela frente na última rodada e deverá vencer sem dificuldades. Desta forma, o clássico contra o Rexona, na próxima rodada, não terá efeito para as comandadas de Luizomar. Ainda assim é bom o Molico começar a jogar o que sabe para não entrar ainda mais pressionado nos playoffs.

Com o terceiro posto encaminhado, Minas e Praia vão brigar pelo quarto lugar, que dará vantagem do mando de quadra nas quartas de final.  A equipe de BH, que chegou a ser lanterna no início do turno, terá pela frente Brasília, fora de casa, e o São Cristovão/São Caetano, como mandante. Não serão molezas, mas o Minas pode vencê-los sem necessidade de tie-break e assim garantir o 4º posto. O Praia, por sua vez, pegará São José e Maranhão, adversários teoricamente bem mais tranquilos. Minas x Praia nos playoffs promete fortes emoções.

O Pinheiros já tem o sexto lugar garantido e espera apenas pela confirmação do Molico como rival nas quartas. O duelo paulista, se confirmado, deverá ser muito equilibrado por vaga na semi.

Por fim, Brasília (30) e São Caetano (27) ainda brigam pelo sétimo lugar. O time da capital federal receberá o Minas e encerrará o returno contra a Uniara, em Araraquara.  Já a equipe do ABC jogará em casa contra o Rio do Sul  e contra o Minas, em Belo Horizonte. O Brasília, assim, é favorito para manter a posição e duelar com o Sesi, deixando a missão de encarar o líder Rexona com o São Caetano.

 



  • marcian

    Torço abertamente pelo Minas e pelo Pinheiros; quero esses dois nas semi! Molico, sinceramente, desisti de torcer nesta temporada. Onde já se viu estar ganhando de uns 5-7 pontos de vantagem e simplesmente perder o set? Logo contra um rival direto? Resultado, vai ficar na 3ª posição e pegar o Pinheiros, que dará muito trabalho, e que espero que vença!

  • Ciro Andy

    A tendência é q a final seja novamente Rexona x Sesi (na torcida para q o Sesi leve dessa vez). Outra final seria surpresa.

    Para as semi-finais aposto nos confrontos:

    Rexona x Praia Clube

    Sesi x Pinheiro

    • Arthur

      Uma final antecipada seria REXONA X MINAS.

      Não há nenhum time na superliga que está jogando mais bola do que esses dois.

      QUEM LEVAR ESSE CONFRONTO NA SEMI, LEVA O TÍTULO DA SUPERLIGA SEM PROBLEMAS.

      • Ciro Andy

        1o o Minas tem q passar pelo Praia.
        Apesar do Praia ser irregular, tem times q seu jogo encaixa. E o Minas e Sesi, são exemplo. Por isso aposto q passa o Praia Clube.

        • Arthur

          No confronto do segundo turno entre esses dois times, deu Minas com expressiva facilidade e o Praia já estava jogando completo, sem o desfalque da Ramirez.

          No provável embate nas quartas, deve haver mais equilíbrio, mas pelo o que o time de Belo Horizonte vem apresentando na maioria dos fundamentos além de uma elogiável consistência (segunda melhor campanha no segundo turno), o favoritismo recai sobre o Minas, sim!

  • ícaro

    torço para passarem, Rexona, Sesi, Pinheiros e Minas!

  • wms

    Até o momento o Osasco sintetiza nele mesmo algumas decisões equivocadas que agora geram frutos:
    1. Mari saiu de uma regularidade promissora no final da temporada passada no Praia Clube para amargar as indefinições do Osasco, já que não serve como ponteira diante da melhor opção ofensiva que Carcaces tem sido e nem consegue ficar como titular no lugar de… Ivna (soa até estranho isso). Pra piorar, voltam as sombras de lesões com aquela história do joelho antes da partida contra o Sesi. Sempre estive indignado com os juízos que foram feitos sobre ela depois das Olímpiadas de Atenas e acho que o título de Pequim foi a lavada de alma mais justa que presenciei, por causa dela. Mas a saída do Praia Clube acabou se revelando prematura demais ou pelo menos com direcionamento equivocado. Sou um dos fãs dela, mas os fatos e resultados (ausência deles) não podem ser ignorados.
    2. A comissão técnica enfiou os pés pelas mãos na montagem de elenco ou pelo menos na organização dele. Juntaram uma Samara e uma Gabi para não ter nem metade de uma Jaqueline. De que adianta ter uma Thaísa se o passe não chegar. Dani Lins não tem ousadia pra ficar jogando pelo meio com passe B o tempo todo, simples assim, pois o que a distingue é o toque refinado e preciso. Não manter a Jaqueline foi uma manobra infeliz, e a proximidade do atual time dela na tabela mostra isso de forma cristalina.
    3. O equívoco em uma das pontas não foi compensado com um acerto nas outras bolas de altura: Carcaces está pontuando muito, mas qualquer time mais observador (tipo o Sesi ou o Rio) percebe rápido que ela insiste na diagonal meio que a vida toda e usa a paralela mais pra dar pontos ao adversário, porque ela ainda é limitada tecnicamente em sua variação de golpes. Na saída está a Ivna (ou é balão ou é bloqueio…), que também devia ter se segurado lá no Sesi, uma casa que já estava mais arrumada desde a temporada passada. Infelizmente ela e Samara não repetiram o que a Carol fez no Rio – sair da reserva pra crescer em outro time e voltar conquistando a titularidade absoluta.
    As fichas a serem apostadas numa quebra de mesmice no vôlei feminino este ano voltam a ficar com o Sesi, a menos que o Osasco banque a Fênix na reta final. Digo isso porque, assim como o Sesi masculino, o Osasco não demonstra ser nem sombra do que espera-se dele até às portas dessas quartas-de-final.

    • JR

      Boa análise wms. Sobre a bola da Carcaces, num dos tempos no jogo de sexta o Talmo foi bem claro qnto a bola de diagonal que a cubana estava atacando. Resultado foi que na primeira bola da volta do tempo bloque nela e olha que havia uma avenida escancarada para ela atacar na paralela.
      Gostei mto de ver a Suelle e a Bia jogando. A primeira tá se virando super bem no ataque, virando bolas altas. A segunda tá bloqueando muito. Acho que as duas estãao merecendo uma convocação do Zé Roberto.

  • wms

    E mais uma vez o Praia Clube vai para a disputa mais equilibrada das quartas-de-final por sua reiterada insuficiência: é o time que promete mas não chega. O adversário desse ano não é bem o Sesi ressurgido do ano passado, mas o problema do Praia é sempre dentro de sua própria quadra. A semi-final está mais uma vez no tudo ou nada para Uberlândia.
    O Pinheiros tem um adversário instável esse ano, mas num momento ruim. Na hora decisiva, é sempre difícil apostar na turma do Wagão, apesar do feito da Copa Brasil ter sido uma boa surpresa. Graças ao momento do Osasco será outro duelo muito interessante, em todo caso.
    Os outros duelos indicam bons treinos para Rio e Sesi.

  • Bernardo

    A culpa toda dessa vergonhosa temporada do Osasco é mais uma vez de quem montou o elenco, que deve ter sido o Luizomar. Acho que se a regra não mudar o Osasco terá de se desfazer da Dani Lins para trazer a Jaque, pois a duas temporadas o problema do time é o passe, caso contrário mais uma temporada deprimente se desenhará para quem deveria ser disparado o mais forte do Brasil.

MaisRecentes

Joelho afastará Gabi das quadras



Continue Lendo

As primeiras transmissões da Superliga na TV



Continue Lendo

Vaivém: Thaisa jogará a Superliga



Continue Lendo