Pessoal, aguardem o “início” da Copa Pan-Americana



Pessoal, vamos esperar para uma análise mais profunda da Copa Pan-Americana feminina.

É muito precipitado fazer um comentário individual em um triunfo sobre 25-12 ou 25-10 sobre a Costa Rica, que é um ninguém no vôlei.

Pela formação, José Roberto Guimarães quer dar o maior tempo possível de jogo para Fernanda Garay, já que está sem Mari, Jaqueline e Natália. Uma opção lógica. E também são válidos os demais testes, com Juliana Nogueira e Suelle, por exemplo.

Mas, como dizia meu avô, devagar com o andor que o santo é de barro.



MaisRecentes

Coluna: Como é estranho ver eliminações em série do Sada/Cruzeiro



Continue Lendo

Coluna: Está na hora de o Brasil olhar mais para “fora”



Continue Lendo

Coluna: Retrospectiva de A a Z do vôlei em 2018



Continue Lendo