Pequeno giro pela Europa



Infelizmente o título deste post não tem a ver com minha programação no último Carnaval. Trabalhei todos os dias ao lado do Sambódromo, já que LANCE! e Marquês de Sapucaí são praticamente vizinhos. E vocês? Curtiram a folia?

O título do post tem como objetivo falar um pouco sobre os jogos importantes que rolaram nesta terça na Europa, pelos campeonatos continentais.

Pela Liga dos Campeões masculina, o brasileiro Chupita está no Final Four. O Zaksa Kedzierzyn-Kozle, da Polônia, superou o Arkas Izmir, time turco de João Paulo Bravo, por 3 a 1, parciais de 25-23, 25-21, 21-25 e 25-19. O francês Rouzier liderou os poloneses, ao anotar 27 pontos. Chupita colaborou com 19. Pela lado turco, o colombiano Agamez teve 25 acertos. Bravo, que começou na reserva, fez sete. Vale lembrar que semana atrás o Zaksa conquistou a Copa da Polônia, além de liderar o Campeonato Polonês. O time dirigido pelo argentino Daniel Castellani está voando na temporada.

Outros dois finalistas saem dos duelos “caseiros” entre Cuneo (ITA) x Macerata (ITA) e Dínamo Moscou (RUS) x Zenit Kazan (RUS).

Já pela Copa CEV feminina, o Fenerbahce, de Paula Pequeno e Mari, avançou para a fase final com muita dificuldade. Depois de perder para o Uralochka, da Rússia, por 3 a 0 (25-15, 25-20 e 25-21), o time turco venceu o golden set por 15 a 11. Para quem está pouco familiarizado com as competições europeias, o golden set – que é um tie-break – ocorre quando cada equipe vence um duelo no no mata-mata, independentemente do placar (corrigindo o que escrevi antes após o comentário do BSB).

Paula Pequeno foi titular e fez apenas cinco pontos. Na reserva, Mari entrou e anotou um. A coreana Kim, com 2o, liderou o Fener, seguida por Seda Tokatliogu, com 16. A cubana Yumilka Ruiz (lembram-se dela?) liderou as russas com 16.



  • bsb

    No masculino não seria o ZENIT Kazan? E o golden set é jogado quando cada equipe vence um confronto independente do numero de sets vencidos em cada partida, certo?

    • Daniel Bortoletto

      Tem razão em ambos os apontamentos e já corrigi. Fui traído pelos placares iguais entre russas e turcas. Obrigado

  • JP

    Eu fui bem. Não tenho o sambódromo ao lado, mas aproveitei em família a folga. Agora o ano começa.

    Daniel, a fase técnica da Mari é tão ruim assim a ponto de mantê-la no banco? Será que ela e Paula ficarão na Turquia na próxima temporada?

    E você o que fez além de trampar? Ficou feliz com a Mocidade Alegre?

    • Daniel Bortoletto

      Acho muito difícil a permanência. As duas estão bem aquém do que o Fener imaginava.

      Curto todo o tempo possível ao lado dos meus filhos de 6 e 4 anos.

  • Guga

    Sinceramente Paula e Maria deveriam pagar pra jogar, paula agora so marca 5 pontos na maioria dos jogos mesmo jogando todos os sets de titular, e Mari um heuhuae, se nao fosse a Kim pra segurar esse time, so jesus na causa… Prox ano a Kim deve sair do Fener ai quero ver como sera

  • Emanuella

    e o Trentino???

  • Caco

    É fácil analisar esse jogo. Como todos sabem, o termômetro do Fener é a Kim. Ela jogou extremamente mal nos três primeiros sets. Logo, o ataque do time não funcionou: vitória do time russo. Jogou muito bem no golden set. Resultado: o ataque da equipe voltou a jogar, inclusive a Seda, e o time venceu. Simples assim…
    Do lado do time russo, acho que fatou agressividade no golden set. Ficaram com medo de errar, não arriscaram e perderam. A estratégia de saque que vinha funcionando nos primeiros sets era o de sacar na frente da Paula e da Kim, que estavam mal na recepção. No entanto, é um saque de maior risco. No golden set, começaram sacando no fundo de quadra e as passadoras começaram a devolver na mão da Berg. Foram voltar à estratégia antiga só no final do set, quando já era tarde e as jogadoras estavam recuperadas no ataque. O Fener jogou sem pressão e ganhou. É aquilo que o Zé Roberto falou: quem não arrisca não merece ganhar!

  • Juju

    A PP4 tem jogado bem, normalmente tem pontuado tanto quanto a oposta, ontem foi uma noite atípica, além disso a Kim está muito mal na recepção nesta temporada e tem sobrecarregado a outra ponteira, até porque as líberos do Fener tão iguais as do Sesi. A Mari vem de uma longa sequencia, há pelo menos 02 anos, de muitas lesões em muitos lugares do corpo, agora parece que finalmente está bem fisicamente, o que ela precisa é de ritmo de jogo. O Fener tem que pensar pra contratar, muitas estrangeiras não é inteligente, a Berenika ontem estava nitidamente sem tempo de bola, pois não joga nunca. E o técnico? É muito fraquinho, treina mal, escala mal, mexe mal, não lê o jogo, as vezes parece que ele vai chorar na beira da quadra, individualmente é um time com boas peças poderia estar jogando melhor. Pela Champions tomara que a final seja entre Macerata x Dinamo, jogam muito os dois times.

  • ana maria

    Vi o jogo do Zaksa contra o Arkas e gostei muito. Acho que ir para a Polônia fez muito bem ao Fonteles (como está na camiseta do clube). Gostei de ver o MIneiro também, embora na reserva. Ele é jovem e ainda tem muito a contribuir e a desenvolver.

  • Michel Pereira de Oliveira

    Daniel, jogaço mesmo pela Champions League foi o jogo de volta entre Vakifbank 3 x 1 Eczacibasi. O time de Furst e companhia jogou uma bola redondinha, tanto é que chegou a fazer 20 a 09 no terceiro set (isto em um clássico que valia vaga na Final Four). É visível que as estrangeiras do Vakifbank estão fazendo diferença (Furst, Brakocevick, Glinka…).
    Pelo Eczacibasi vejo que a grande decepção fica por conta da atuação da Sokolova. Definitivamente a jogadora não vem fazendo uma boa temporada, deixou de ser a bola de segurança de pouco tempo atrás. Até o passe, um dos seus melhores fundamentos, vem seguindo uma linha de decadência, tanto que o último ponto do jogo foi em um erro de passe da jogadora.
    Sinceramente, pelo nível do jogos desta edição eu creio que o Final Four este ano será ainda mais compensatório do que nas temporadas passadas. Mal vejo a hora de assistir aos próximos capítulos, digo, jogaços.

MaisRecentes

A dor de Gabi e de quem estava ao lado



Continue Lendo

Duas gratas surpresas na Superliga



Continue Lendo

Minas espera Hooker ainda em outubro



Continue Lendo