Outro caso de racismo na Superliga. Até quando???



Exatamente 10 dias atrás, publiquei neste mesmo espaço um texto com o título “Basta”, sobre o caso de racismo contra o oposto Wallace, do Sada/Cruzeiro, durante jogo com o Vivo/Minas.

Nesta sexta-feira, o crime voltou a acontecer. Desta vez em Rio do Sul, Santa Catarina, onde o time da casa perdeu por 3 a 1 para a  Usiminas/Minas. As cubanas Ramirez e Herrera foram alvo de ofensas racistas.

Ramirez descreveu a situação em sua página no Facebook.

– Estou muito triste. Me sinto mal. Um torcedor do Rio do Sul chegou perto da quadra onde estavam Herrera e eu para gritar na nossa cara ‘negras de merda, voltem para Cuba. É triste em pleno século 21 termos atos de racismo. Um povo ignorante é triste. Não tem respeito pelo ser humano. Isso que me incomoda. Pode ser um país rico, mas cadê o ser humano?

Cabe o mesmo parágrafo escrito neste blog na semana passada: “É inadmissível ver isso acontecer em pleno século XXI. O ser humano ainda não aprendeu a respeitar o seu igual. Não aceita opções sexuais e religiosas. Vê diferenças na cor. É intolerante. Que mundo é esse? Até onde iremos com tamanha discriminação?”.

Já passou da hora de a CBV agir. Se conversar não funciona, se a polícia não identifica e prende os culpados, que se puna os clubes, então. Não importa se foi um grupo de torcedores ou apenas um infeliz. Talvez assim, com o clube perdendo pontos, mando de jogos ou sendo suspenso do campeonato, estes criminosos pensem duas vezes antes de fazer bobagens e as autoridades locais tenham mais vontade de identificá-los e puni-los.

E não venham me dizer que isso é normal, que acontece sempre, que era uma rivalidade Brasil x Cuba, blablablá. Chega! Passou dos limites e já manchou esta Superliga.

Via Twitter, a indignação, como já visto no caso Wallace, foi exposta pelo ponta Filipe, do Sada/Cruzeiro

“Mais uma vez o preconceito…Até quando? Dessa vez foi a Ramirez, atleta cubana que joga no Minas Tênis. Ato sofrido em Santa Catarina. Força Ramirez…Não serão algumas palavras que apagarão o brilho e a alegria que você traz para o Desporto. Estamos juntos…Força”



  • Graca

    Na verdade, o preconceito de uma forma geral; seja ele racial, religioso, sexual ou qual for, é fruto da falta de educação generalizada que assola o povo brasileiro… O Brasil tem ficado sempre nos últimos lugares do mundo nas Avaliações Iternacionais do Ensino. Entre os países submetidos ao exame para medir a capacidade de leitura dos alunos, o Brasil é o pior da turma. Leitura e domínio da linguagem são os pontos fracos da educação brasileira. Os estudantes brasileiros pouco entendem do que lêem. O Brasil ficou em último lugar, numa pesquisa que avaliou, sobretudo, a compreensão de textos em alunos de 15 anos. A Finlândia, Coreia, Cingapura e Noruega atingiram o nível 4, enquanto a média brasileira não passou do nível 1, o Brasil encontra-se atrás de países latino-americanos que tem menos força econômica, mas investem mais na educação:Chile, Uruguai, Colômbia e México. O problema é que o Brasil gasta muito, mas gasta MAL com a EDUCAÇÃO… enquanto as pessoas preferirem cantar letras degradantes, violentas e obcenas de alguns lixos sonoros que alguns chamam de música em detrimento da valorização dos princípios éticos e morais, manifestações preconceituosas tendem a tomar cada vez mais espaço tanto no esporte, quanto no trabalho ou na escola. INFELIZMENTE!

    • João

      Concordo com quase tudo que voce disse… entretanto racismo e preconceito não são mazelas exclusivas da sociedade brasileira. Em todos os países esse tipo de ignorante existe, até mesmo nas sociedades mais desenvolvidas!

  • Gilberto

    Todo mundo faz campanha pra acabar com racismo… usam camisas, faixas e etc mas na hora da rivalidade seja em qualquer esporte a torcida adversaria escolhe um atleta mais “chegado na cor” para começar a palhaçada. Racismo é CRIME e isso tem q acabar , ta na hora de tomar providencias e prender essas pessoas q praticam esse crime injusto , todos somo iguais independente da cor !!!

  • thallita

    Tem torcedor de vôlei que esta sendo domesticado para serem agressivos ,daqui uns dias vai ter torcedor querando entrar dentro de quadra pra dá na cara de jogador por ter perdido uma partida,porque falando palavras homofobicas e racistas já estão dá pra agressão fisica é um pulo…Tem torcedor confundindo Voleibol com Futebol vôlei é familia vai crianças ao jogos,se for pra ir aos jogos para xin…gar os jogadores fica em casa creio que o vôlei não precisa de torcedores assim,daqui uns anos os pais vão fica com medo de levar as crianças aos ginásios por causa de torcedores assim..Porque ao invés de fazerem isso não fazem uma corrente uma campanha pra tornar o VOLEIBOL mais popular e valorizado no Brasil..
    #ficadica

  • Artêmio Junior

    Enquanto a lei não for aplicada corretamente,essa idiotice irá continuar.Temos que nos unir,e cobrar das autoridades,punições.Esses dias uma mulher ofendeu um policial dentro da delegacia,pagou fiança e saiu numa boa.Racismo,é crime inafiançavél,e um dos piores defeitos do ser humano,se é que podemos chamar essas pessoas de humanos.

  • Olha so, hoje fico pensando porque ainda tem gente desse naipe, sendo que debaixo de uma simples pele, existe um sangue igual,nao tao igual porque tem sangue ruim igual a deste povinho ignorante,somos todos iguais,as vezes doi mais que um tapa,eu fico muito chateado por saber que existe isto ainda.

  • Carlos

    O racismo se exacerba na medida em que, a pretexto de uma buscar-se uma igualdade, criam-se leis que promovem injustiças quanto ao mérito. Por que razão um vestibulando perde sua vaga em uma faculdade, mesmo tendo nota superior, só pelo fato de ser branco? Isto acaba gerando um sentimento de frustração que alimenta o preconceito. Este famigerado sistema de cotas, quer em universidades, quer no serviço público ou em qualquer outro nível é o maior combustível para o racismo.

    • Leonardo

      Engraçado sou NEGRO eu não precisei desse sistema distributivo para estudar na USP disputo com voce em qualquer hora lugar ou esporte se bem q com esse português pobre homem perdido dentro do mundo imaginario que criou claro q com esse comentario pobre baseado em nada com coisa nenhuma so poderia sair uma tempestade de asneiras.

      • Carlos

        Talvez você não tenha precisado, mas muita gente se utiliza disso para entrar em inúmeras faculdades em todo o Brasil. Não estou querendo disputar nada com você, só estou emitindo minhas opinião. Outra coisa, portugues pobre é o seu, pois tive que ler duas vezes seu post para entendê-lo. Você já ouviu falar em vírgula, aquele sinalzinho que se usa para separar frases? Nãso entendi as duas últimas linhas, tá muito confuso. Acho que aí sim houve uma “tempestade de asneiras”>

        • Leonardo

          com um comentario ridiculo como o teu não me espanta que não entenda umasimples refutação e sobre a virgula é usada para separar palavras e não frases meu caro e não coloquei porque não achei necessidade pois estamos conversando de modo coloquial agora um conselho importante antes de criticar algo saiba fazer e no seu post o uso da virgula em alguns casos esta errado OK.

          • Carlos

            Ridículo é você, pois o seu comentário corrobora a minha idéia de que não há necessidade de cotas para pessoas como você entrarem na faculdade. Agradeço muito. Agora me diga, em que curso você entrou? Medicina, Odontologia, Engenharia ou um daqueles que tem mais vagas que candidatos inscritos????

        • Leonardo

          Não me interesso por essas areas do saber mas sim por marketing porque me encanta o marketing esportivo e cultural algo desconhecido para a maioria dos habitantes da cosmopolita SÃO PAULO( melhor cidade do país) até agora voce não falou sobre graduação não assim ampliamos a discussão de modo inteligente agora se houver um curso na USP com mais vagas do que vestibulandos com certeza você era 1

          • Carlos

            Parabéns!!!!!!
            Você deve ser o orgulho da mamãe. Que pena que não há sistema de cotas para mestrado e doutorado, senão você poderia fazer um, não é? Por favor, faça a pontuação correta no seu texto. Fica muito difícil compreender o que você está tentando dizer!!

        • Leonardo

          você é tão limitado que não entendeu um simples comentário sem virgula eu não preciso de cotas pra nada e nossa Carlos quanta raiva no coração será que alguém perdeu a namoradinha para um HOMEM NEGRO tadinho

    • William Garcia

      Que texto DEMAGÓGICO, você está justificando um CRIME por conta do sistema de cotas. Esse é o texto mais falacioso que eu já li na vida. Você argumenta que há preconceito racial no Brasil por conta do sistema de cotas (que ridículo). Quer dizer que só há racismo no nosso país desde 2003 (quando a UERJ institui tal política de acesso à instituição)!? Racismo é algo injustificável e não é porque você questiona tal instrumento de ingresso no nível superior (o que é um direito que você tem) que devemos matizar a gravidade de situações como esta. Até porque se se o sistema de cotras gera pessoas frustradas, imagina a frustração que não causa a tradição de uma sociedade escravizou afro-descendentes por quase 4 séculos e que mesmo depois de 123 anos de abolida a escravidão continua segregando este setor da população!?

  • Que coisa mais chata, escrevo aqui tomado de tristeza e vergonha. Como pode uma pessoa se achar superior ou diferente a outra, somente pela cor de sua pele.
    Quem pensa que é essa branquelo de m… (a tempo, sou branco também)? Queria pedir desculpas em nome do povo Brasileiro as atletas ofendidas, embora tenha se tornado comum, não reflete o pensamento dos brasileiros.
    Concordo com você Daniel, é preciso urgente de medidas contra isso, se não “consegue” identificar e punir esses criminosos, que se puna o clube.
    Pois o Brasil só é o Brasil, com toda sua criatividade e jogo de cintura, com atletas de ponta, com troféus, medalhas e pódios, graças aos negros, que aqui vieram em condições desumanas, e ajudaram a construir esse país, com suor, lágrimas e sangue.
    NEGRO É LINDO!!!!!

    • Carlos

      Interessante o seu ponto de vista. Usando suas palavras, chamar de “branquelo de m….” pode, é normal. Agora “negras de merda” não pode, é crime! Qual a diferença???? Não é preconceito da mesma forma, não é ofensa da mesma forma? E quanto a chamar uma pessoa de gorda, vesga, aleijada, ladrão, FDP???? Também não é ofensa??? Mas isto pode. Só não pode chamar de negro ou de bicha, aí é crime! quanta hipocrisia!

      • Ok Carlos, reconheço que foi um pouco exacerbado chamar o ariano sulista de m… . Porém, contudo, todavia, deves ter reparado que escrevi que também sou branco. Devo salientar que escrevi tomado de tristeza profunda e raiva incontida, talvez o correto fosse: pessoa de m…, ou homem de m…
        Concordo com você no que diz respeito a outros tipos de preconceitos, mas (in)felizmente não nos conhecemos pessoalmente, pois saberia que não comungo e concordo com nenhum tipo de preconceito e tratamento depreciativo com qualquer condição humana.
        Agora Carlos, não é poque umas pessoas se referem a outras como gorda, vesga, aleijada, ladrão, FDP, que podemos ofender as pessoas pela cor da sua pele ou opção sexual.

  • Lucas

    Daniel, pra mim o caso é simples. Se o clube não identificar o criminoso e entregá-lo à polícia está eliminado da competição.
    Simples assim, sem negociações ou julgamentos em tribunais esportivos.
    Aconteceu crime de racismo na quadra do Osasco, por exemplo, o clube tem 1 semana para identificar o criminoso, seja por vídeo ou testemunhos, à polícia. Não identificou? Eliminado de forma sumária.
    Só joga ano q vem.
    Assim os clubes iriam colocar câmeras de vídeo em seus ginásios e policiar a torcida.

    • Apoiado!!!

    • Felipe Lima

      Eliminar de forma sumária não seria uma boa saída, não. Até porque, mesmo quando as câmeras pegam o ‘elemento’, até identificar e punir vão beeem mais de uma semana – falo pelos casos de crimes onde foi possível enxergar o autor por câmeras.
      Outra, quem garante que, numa partida, um clube não pague alguém para bancar o “racista” na torcida rival, visando a eliminação deste rival pela sua ideia de regulamento. Eu sei, poucos tem esse espírito de porco, mas são suficientes para chacoalhar qualquer ambiente.

  • graca

    Concordo com o CARLOS, o GOVERNO ultimamente só vem estimulando o RACISMO com esse FAMIGERADO sistema de COTAS, ou seja, o governo transformou o racismo em LEI… Na verdade só existe uma raça: a raça HUMANA. Diferenças etnicas como tonalidade de pele, não são suficientes para definir uma nova raça… Logo, privilegiar pessoas pela sua cor de pele, inclusive com vagas na UNIVERSIDADE PÚBLICA é RACISMO! Seria mais justo cotas para pessoas de BAIXA-RENDA, com dificuldades de pagar seus estudos, independentemente da cor da pele… Esse governo está adotando políticas racistas BURRAS, só aumentando a TENSÃO… O reflexo disto vemos nos esportes.

    • Desculpe-me Graça, mas tenho que discordar…
      Pois a condição dos afrodescendentes de hoje é reflexo dos tempos da senzala. O Brasil foi a ultima nação do mundo a abolir a escravidão.
      Viveu mais de século sob o regime escravocrata com a anuência, complacência e legalismo do Estado. De modos que acho de extrema importância que o Estado tenha ações para minimizar certos erros históricos.
      Cota ainda é pouco!

  • Marcio Monzane

    Vejo nos comentários aqui uma generalização equivocada na analises do racismo: primeiro começam com o quesito educação ou a falta de educação, assim tenta mostrar que racista e pobre que não estufou em boas escolhas, a primeira mentira, ou seja sim é verdade que pobre também pode ser racista mas educação não tem nada a ver comediu, prova disso é a Europa cada vez mais semidivina ainda que com índices educacionais elevadíssimos, nos países nórdicos existe muito racismo e xenofobia e porque não falar da elite, dos empresários que pagam mais aos homens que mulheres, que cobrearam afro-brasileiros para os cargos de menor salário. E a opus dei, a elite religiosa brasileira todos de Bia Familia e boa escola, que em sua maioria pregam o racismo descaradamente ( existe negros na opus dei?). Logo um outro argumento tão absurdo quanto o primeiro, o de que praticas de inclusão positiva gera racismo, o que não e verdade, política de cota é extremamente necessária em pais com tanta exclusão e com tanta agressão aos afro descendentes, as mulheres e as minorias indígenas. Si queremos ser melhores é obrigação do Estado reduzir as diferenças, e garantir uma sociedade mais equilibrada.

    • Marcio, perfeito sua colocação.
      Pois a condição dos afrodescendentes de hoje é reflexo dos tempos da senzala. O Brasil foi a ultima nação do mundo a abolir a escravidão.
      Viveu mais de século sob o regime escravocrata com a anuência, complacência e legalismo do Estado. De modos que acho de extrema importância que o Estado tenha ações para minimizar certos erros históricos.
      Cota ainda é pouco!

  • voleyball

    Galera, esses lances de racismo e preconceito estouraram mais agora.
    Alguem pode lembrar no inicio da decada de 90, a rivalidade da epoca era L’acqua de Fiori/Minas X Colgate/São caetano.
    Todas as vezes que o time de minas ia ao ginasio de São Caetano o coro da arquibancada era unico: MINEIRO, VIADO!!!
    quem se lembra vai concordar cmgo, mas muitos não são da epoca.
    Acho que deveria ser dado um basta nisto faz tempo, afinal, todos somos seres humanos e merecemos respeito.
    Muitos vão acertar as contas em outro plano por olharem apenas para o proprio umbigo.
    Falta algum dirigente ter peito e iniciar um “protesto”.

  • icaro

    olha estive ontem no jogo logo acima do banco da usiminas ta bem que não pode fazer isso mas uma atleta profissional não pode fazer o que ela fez !

  • Larissa

    Fui no jogo ontem, foi apenas um torcedor e logo a policia o tirou do estadio! A jogadora generalizou, falar que somos é um povo ignorante não é legal, e Cuba tem um histórico das jogadoras – feminino – serem bem agressivas, tanto até que ontem a jogadora Herrera levou um cartão amarelo após confrontar com as jogadoras de Rio do Sul, a ponto de ser segurada pela sua equipe. E o que ela falou para as nossas jogadoras? Pode ter sido preconceituoso também, porém as nossas jogadoras não ficaram reclamando! E alias a capitã da equipe Usiminas/Minas, Natasha, joga muito bem, fiquei impressionada com os bloqueios dela, digna de seleção, só que para para ser convocada na seleção humildade também conta, coisa que ela não tem.

  • gmf-rj

    Daniel tudo isso se resume numa palavra: “IMPUNIDADE”. Infelizmente as Leis em noso País só vale para os pobres. Hoje estamos cansados de ver ato de Racismo, Corrupção, Roubalheira e ninguém é processado e preso. Vide exemplo do Sr. Ricardo Teixeira na CBF, provas cristalinas de Corrupção e o que aconteceu com esse cidadão até agora? NADA. Pasme senhores todos os processos contra ele foi arquivado pela Justiça. E agora vamos acreditar em quem neste País? Triste, o Brasil é uma vergonha mundial em matéria de IMPUNIDADE. Pergunto a você Daniel: o que aconteceu com esse torcedor que praticou esse ato vergonhoso de Racismo? Com certeza nada, como sempre, esse é o Brasil Daniel, um País muito sériooooooooooooooooooooooooooooo.

  • Gilmar

    De que adianta sermos uma das maiores economias do mundo? Se para o povo falta tudo, falta saude, falta segurança, e pra esses casos de racismo falta educação e justiça, racismo é crime, não é? Então cadeia pra essas pessoas, e não adianta ficar 1 noite, no minimo 5 anos.

    BRASIL BRASIl… Sempre se tem um jeitinho pra tudo.

  • Danilo

    Uma pessoa não nasce racista.. ela é ensinada a ser racista, isso é questão de educação ! sou Negro e pela história teria todos os motivos pra não gostar de brancos mais não eu o respeito! sei lá viu… a historia é hoje e os brancos racistas estão saindo do armário, Triste! Mais hoje os negros não são como 100 anos.. hoje temos a educação e as Leis ao nosso Lado!

    pra cima dos racistas malditos !

  • Astolfo

    Um absurdo são atos isolados como esse serem considerados racismo de uma forma tão abrangente….pelo amor de deus

  • Ricardo

    Bom dia a todos.

    O único estopim dessa conversa toda, que é o racismo, é somente o reflexo de décadas de déficit na educação do nosso país, que produziu uma geração de imbecis a qual é manipulada por poucos para se perpetuarem no poder e permitir aberrações como a cota para afro-descendentes, índios e afins, quando a cota mais justa seria para pessoas POBRES, sejam elas brancas, negras, roxas, etc., melhorar o ensino PÚBLICO básico e secundário, pois a Carta Magna não separa ricos e pobres, brancos e negros, ateus ou religiosos, mas fala de POVO!!!Todos temos de ter as mesmas chances para obter a felicidade, mas só se consegue com EDUCAÇÃO, que é, repito, a maior causa de nossas mazelas(a falta da EDUCAÇÃO).Mas, infelizmente, o estrago já está feito!!Precisamos de algumas décadas para que se corrija essa disparidade no ensino.E a propósito:também sou negro, tenho curso superior, sempre estudei em colégio público e realmente é muito difícil estudar nesse país, só com muita força de vontade e perseverança.Leiam, debatam, se informem, pois só assim vamos conseguir mudar esse quadro tão triste, que é o nosso Brasil, botando essa cambada de político safado pra correr.Queria que hoje nós morássemos em Cingapura.Lá sim, a coisa tá funcionando!!!

  • Ramirez Rodriguez

    Este caso de racismo só expõe, mais uma vez, como somos bons de papo e ruins de ação, raramente conseguimos demonstrar coletivamente o nosso desprezo por esse tipo de atitude, é impossível NÃO saber que cometeu essa idiotice, é inacreditável que num lugar que tinha seis pessoas por metro quadrado ninguém tenha sido testemunha… ninguém ouve, vê… Omissão.

    • Bruno César

      melhor comentário.
      no jogo do Minas também fiquei pensando como ninguem sabe ou viu quem foi que ofendeu o Wallace.
      a Arena Vivo é grande mas é fácil saber o que uma pessoa do seu lado faz.
      Omissão é a palavra certa.

  • icaro

    danilo claro que sim mas a ofensa foi apenas as duas jogadoras cubanas valendo lembrar que havia mais jogadoras negras no usiminas e em nem um momento foram ofendidas mas me responda uma coisa por que duas jogadoras ofendidas valem mais do que uma torcida de mais de 1.000 pessoas ? que tambem foram ofendidas

  • Renata

    Nada justifica um ato de racismo, sou totalmente contra, eh lamentavel. Acompanhei o jogo, mas o que ocorreu no partida na cidade de Rio do Sul tambem nao foi citado pela midia. A jogadora Herrera do time do Usiminas em uma bola de ataque que o juiz marcou ponto pra o time de Rio do Sul a mesma se alterou dizendo que havia pego na jogadora do time adversario, ela nao aceitou a marcacao e foi a rede bater boca ate mesmo tentando agressao fisica. A companheira de equipe Fernanda Isis teve que puxa-la e tentou acalma-la. A mesma foi punida com cartao amarelo pela sua atitude, a partir dai a torcida local passou a vaiar o time adversario, gritando timinho. A propria Herrera passou xingar a torcida e a cada ponto do Usiminas passou a comemorar ao extremo para provocar ainda mais a torcida. Cade o profissionalismo de uma atleta do nivel da Herrera?

MaisRecentes

Joelho afastará Gabi das quadras



Continue Lendo

As primeiras transmissões da Superliga na TV



Continue Lendo

Vaivém: Thaisa jogará a Superliga



Continue Lendo