Os playoffs da Superliga feminina



A rodada desta sexta-feira definiu os confrontos dos playoffs da Superliga feminina 2015/2016.

O Pinheiros/Klar ficou com a última vaga em jogo ao vencer o confronto direto com o São Cristovão/São Caetano por 3 a 1. Com a vitória, o time da capital paulista se credencia a enfrentar o Rexona-Ades, melhor time da fase de classificação com apenas uma derrota em 22 jogos. As cariocas mais uma vez passearam diante do maior rival. O Vôlei Nestlé não conseguiu equilibrar as ações no Ginásio do Tijuca e perdeu novamente por impiedosos 3 a 0 (25-18, 25-19 e 25-21). Não é normal essa diferença de nível no maior clássico do país. A equipe de Luizomar de Moura parece entrar em quadra já derrotada, psicologicamente abatida. E assim vira presa fácil. O passe segue falhando muito diante de um Rexona que quase não erra e assim não dá brechas para o rival buscar alternativas para uma virada.

Comemoração do Rexona no maior clássico do país (Divulgação)

Comemoração do Rexona no maior clássico do país (Divulgação)

Com a segunda colocação já garantida, o Dentil/Praia Clube foi até Santa Catarina e perdeu para o Rio do Sul no tie-break. E olha que o time da casa não contava com a levantadora titular Giovana. No resumo geral da fase, os dois times merecem aplausos pela campanha na fase de classificação. A equipe de Uberlândia conseguiu deixar para trás rivais bem mais poderosos, enquanto o Rio do Sul mostrou ser, em casa, quase imbatível. O time do Triângulo agora terá pela frente o Sesi, maior decepção da Superliga. Apenas sétimo colocado, sem conseguir mostrar em grande parte da competição um vôlei convincente, mesmo com Fabiana, Jaqueline e outras atletas de peso no elenco. Vai ser um duelo curioso de se ver. Será que o Sesi muda da água para o vinho nos playoffs?

O terceiro lugar acabou com o Camponesa/Minas, que bateu o São Bernardo por 3 a 1, de virada. Era o resultado que o time de Paulo Coco precisava para roubar a posição do Vôlei Nestlé.  Terá pela frente agora o Rio do Sul, um osso duro de roer, como provam os confrontos diretos dos dois na competição (veja resultados abaixo). No papel, as mineiras têm vantagem. Mas não acho que terão vida fácil nos playoffs.

Por fim, o confronto entre quarto e quinto será Vôlei Nestlé x Terracap/Brasília. Em tese deveria ser o mais equilibrado de todos. Mas as paulistas levaram a melhor nos dois confrontos disputados. Vai ser interessante observar a performance de Paula Pequeno contra o ex-time. A ponta foi uma das agradáveis surpresas desta Superliga, atuando em muitos jogos no nível que a consagrou.

Por fim, o emparceiramento impede uma final entre Rexona-Ades e Vôlei Nestlé. Os dois ficaram do mesmo lado da chave e poderão duelar na semifinal. Certeza de uma decisão diferente nesta temporada.

Confira abaixo o retrospecto de cada duelo nesta temporada:

Rexona-Ades x Pinheiros/Klar
3 x 1 / 3 x 1

Dentil/Praia Clube x Sesi
2 x 3 / 3 x 0

Camponesa/Minas x Rio do Sul/Equibrasil
1 x 3 / 3 x 1

Vôlei Nestlé x Terracap/Brasília
3 x 2 / 3 x 0



MaisRecentes

Quem se deu bem nos grupos da segunda fase do Mundial masculino?



Continue Lendo

Brasil cumpre obrigação e agora torce por rival por liderança



Continue Lendo

Brasil se recupera, vence o Canadá e ainda pode ser 1º do grupo



Continue Lendo