Os garantidos na Copa do Mundo masculina



Para quem tem dúvidas, os participantes já garantidos na Copa do Mundo masculina. Os dez primeirão são oficiais, enquanto o convite para a Polônia ainda será oficializado pela FIVB.

A dúvida que persiste é o segundo país convidado. Será mesmo a Rússia?

1 – Brasil
2 – Japão
3 – Sérvia
4 – Cuba
5 – Irã
6 – Egito
7 – Itália
8 – EUA
9 – Argentina
10 – China
11 – Polônia



  • rainmix

    O Brasil vai ter de tomar muito cuidado nessa copa pelo vôlei que vem apresentando.Pela decadência atual nas seleções qualquer um em dia bom pode levar.

  • klaus

    Daniel, qual o motivo da Polônia sempre receber o wild card,seja no feminino quanto no masculino?São razões contratuais?

    • Daniel Bortoletto

      o vôlei é muito popular no país, os patrocinadores são atuantes, a TV transmite. Com essa somatória, ficam na frente de países com até mais resultados

      • tigrão

        A FIVB reconhece os países que investem no Vôlei, e ultimamente os países que mais tem contribuído para o vôlei no cenário mundial são a Polônia, o Japão, a Turquia e a Itália. Independente dos resultados de suas seleções esses países contribuem muito para o crescimento do voleibol, investindo muito dinheiro em campeonatos, tem patrocinadores fortes, trazem estrelas do mundo a fora para reforçarem suas ligas, dão valor aos “clubes” que formam jogadores, e “acima de tudo” valorizam o “torcedor” não só transmitindo os campeonatos como fazendo “transmissões espetaculares” com riqueza de detalhes, imagens e informações. Vocês se lembram dos detalhes das câmeras na transmissão polonesa da LIGA MUNDIAL?
        Na contra-mão está o Brasil que apesar de conseguir excelentes resultados, principalmente após a Era Bernardinho, “não transmite jogos de volei”. Ou quando transmite, a qualidade é péssima, com locutores que não entendem quase nada do esporte e erram nome de jogadoras e chegam ao ponto de dizer que jogador que está no banco marcou ponto. Também acontece de cortarem a transmissão do vôlei para mostrar “corrida de rua” ou “ônibus de time de futebol” chegando na concentração: é muita falta de respeito com o vôlei e com o torcedor no Brasil. Fora isso os “CLUBES” não são valorizados. Vem um Campeonato Mundial importante por aí e não dá p/ imaginar ver o Sollys/Osasco jogar carente de suas principais jogadoras por causa de campeonantos sem importância como Sulamericano ou PAN onde poderia ir time B. E só para alertar, as equipes investiram muito e vão para o Mundial muito fortes: A equipe da Turquia(VakifBank/Istambul)vem comandada pelo excelente técnico Italiano Giovanni Guidetti, com as gigantes:Polonesa Glinka(1,90),Sérvia Nikolic(1,94) e Alemã Fürst(1,92), e boa parte das Turcas que deixaram as Russas fora da “COPA DO MUNDO” com um massacrante 3×0 no EUROPEU. A equipe do Azerbaijão(Rabita Baku)vem comandada pelo Sérvio Zoran GAJIC que reforçou o time com um exército de 6 jogadoras Sérvias:Krsmanovic,Majstorovic,Popovic,Golubovic,Osmokrovic,Starovic; a capitã é a MVP do Azerbaijão Natalya Mammadova(1,95), e ainda tem a Alemã Radzuweit, a Yankee Kimberly Glass e a Turca Pelin Celik. A equipe da Tailândia(Chang)comandado pelo técnico tailandês Kiattipong Radchatagriengkai, não mediu esforços para repatriar todas as jogadoras da Seleção que estavam no exterior, ou seja, o CHANG é,nada mais nada menos que,a própria Seleção da Tailândia no Mundial.Destaque para: a habilidosíssima levantadora Nootsara Tomkom(que defendeu o Azerrail Baku do Azerbaijão);Onuma Sittirak(que defendeu o Dinamo Kazan da Rússia)e para as experientes jogadoras trazidas da LIGA TURCA:Pleumjit Thinkaow;Malika Kanthong e a Capitã Wilavan Apinyapong.

        • Jailson

          Excelente comentário tigrão.

  • Diogo Márcio

    Entrando como favoritos + ego em alta por ganhar a LM, esperavam que já tivesse tudo garantido, mas a história se mostrou diferente. Perdeu para Sérvia na semifinal e ainda se viu sem medalha alguma, perdendo a decisão do “3° Lugar” para Pôlonia.

    Rússia sendo convidada pela FIVB? Injustiça, seria o melhor adjetivo para responder essa pergunta. Tinha time para chegar as finais e consequentemente a vaga na CM; com medo que a história da LM se repita na CM, até porque o que interessa é a vaga para Londres, se o título vier junto ótimo. Tem seleções que destacaram no continental: tendo um time mediano, banco sem a mesma qualidade dos titulares, etc e tal… Será que elas não merecesse esse convite? Para que possa ganhar experiência (se o caso for), sendo um motivo para o investimento no esporte para que na próximo continental possa lutar de igual para igual contra as seleções fortes.
    No feminino um exemplo disso é o time turco, ganhou da Itália e eliminou a Rússia, emergente no volei – caso não se classifique merece um Wild Card.

    Vamos esperar os próximos capítulos!

  • Álvaro Médio

    Os critérios da FIVB são bastante questionáveis. Agora, verdade seja dita, se for para dar emoção ao mundial, a Rússia deve sim ser convidada. É um time de ponta e com jogadores talentosos e fortes.
    Para o Brasil, é melhor eles ficarem de fora. Para a competição, é melhor que eles entrem.

  • Afonso (RJ)

    Sulamericano Feminino:
    Brasil 3×0 Argentina: 25×19, 25×10, 25×8
    O Brasil jogou com o time titular, formado por Dani Lins, Sheilla, Mari, Jaqueline, Thaisa, Fabizona e Fabizinha. Entraram Fabíola e Tandara na inversão 5/1 e Sassá no final do 1o e 3o sets para saque e fundo de quadra. Fe Garay começou jogando no lugar da Jaqueline no 3o set, e na metade do 3o set Jucieli substituiu a Fabizona.

    No primeiro set , peguei mais para o final, e não sei o motivo da maior resistência esboçado pelo time argentino (fizeram 19 pontos). No segundo e terceiro sets, o Brasil sobrou em quadra. A Dani Lins muito precisa nos levantamentos, usou bastante as ponteiras, bolas atrás da linha dos 3 metros e bolas de primeiro tempo. Achei que deu relativamente poucas bolas para a Sheilla. Aliás, desde o último Grand Prix, acho que a Sheilla não está repetindo as grandes atuações que marcaram toda a sua carreira. Nesse jogo, por exemplo não me lembro dela ter batido uma só diagonal curta, que é sua marca registrada. Posso estar sendo injusto, mas não consigo afastar essa sensação.

    TV peruana com boa transmissão, imagem padrão SporTV. Mas chega a perder pedaço de bola em jogo para meter comerciais. O locutor não perde uma oportunidade para anunciar alguma coisa e volta e meia aparece uma tarja no pé da tela com algum anúncio. Haja saco.

    Finalmente amanhã e depois o SporTV está anunciando a transmissão dos jogos.

  • Afonso (RJ)

    Sulamericano de Vôlei Feminino: Semifinal: Brasil 3×0 Colômbia:25×18 25×7 25×20
    Brasil: Dani Lins, Sheilla, Fabizona, Thaisa, Mari, Jaqueline e Fabizinha. A partir de mais ou menos metade do segundo set Jucieli no lugar de Thaisa. Sassá entrou no final para fundo de quadra. Em nenhum set houve inversão 5/1, e portanto Fabíola e Tandara não entraram.

    O Brasil começou um pouco inseguro e fez um jogo ponto a ponto até mais ou menos a metade do primeiro set, mas depois abriu no placar e venceu o primeiro set com facilidade. No segundo, a Sheilla criou raízes no saque com uma recepção colombiana horrorosa, e foi uma lavagem. No terceiro set o Brasil abriu no placar, mas deu uma cochilada no final do set, permitindo as colombianas fazerem a maior pontuação (20) que o Brasil levou num set em todo o campeonato, mas o Zé pediu tempo, botou ordem na casa e o Brasil fechou o jogo até com relativa facilidade.

    A Colômbia tem uma jogadora forte no ataque, que joga na liga coreana como oposta, e portanto sem muita familiaridade com a recepção. Hoje jogou como ponteira, e a Sheilla fez a festa sacando encima dela no segundo set. Há outras jogadoras jogando profissionalmente em ligas de menor expressão pelo mundo. As levantadoras são amadoras. Pretendem lutar para serem a terceira força no continente, e ainda teem esperança de irem às Olimpíadas.

    No Brasil, achei a Sheilla mais decisiva hoje. Atacou com mais decisão, com menos largadinhas ou meias batidas. Méritos também para a Dani Lins, que vem cada vez mais se firmando na posição. Mari e Jacqueline também muito bem no ataque. Fabizinha também fez boa partida com defesas difíceis e boas coberturas. A Thaísa realmente estava meio devagar (será TPM?), e a Jucieli entrou melhor, dando mais velocidade às bolas de meio, apesar de cometer dois erros em saques fáceis.

    Na outra semifinal a Argentina venceu o Peru por 3×0, parciais 25×15, 25×23 e 26×24.

    Vamos ver a final amanhã contra as hermanas às 20hs de Brasília com transmissão do SporTV.

  • Dug

    Daniel, gostaria que voce me respondesse se, ao seu ver, tem alguma chance de a Turquia ser convidada no feminino, ou se o lobby da Polônia é insuperável. Se não for abusar, gostaria que você informasse também em que data estes convites serão divulgados. Na minha visão, já que seria muito criticado fornecer dois convites para a Russia (feminino e masculino) e também seria muito criticado não fornecer nenhum, o mais lógico é fornecer apenas para o masculino, onde “não tem muito o que inventar”. A mesma coisa cabe para a Polônia (entre receber nos dois ou não receber em nenhum, acho que cabe melhor receber apenas no masculino). Sendo assim, seria plausivel fornecer os dois convites do feminino para Itália e Turquia.

    • Daniel Bortoletto

      Apesar de não duvidar de nada que possa sair da FIVB, acho que a Turquia tem poucas chances. Essas questão políticas para escolha dos convites impedem que questões mais técnicas sejam decisivas

      • Marcio Macapá

        Parece que a divulgação dos convites vai ocorrer até o fim dessa semana.
        Já estão confirmadas as seguintes seleções(feminino): Japão(sede), Brasil, EUA, Sérvia, Quenia, China (Continental champions), Republica Dominicana, Alemanha, Argelia e Coreia do Sul.
        Faltando somente os dois convites ( um de certeza será da Polonia).

MaisRecentes

A velocidade do Sesc, com Thiaguinho, impressiona



Continue Lendo

O novo conceito da FIVB para 2018



Continue Lendo

Apenas Lebes/Canoas faz o dever de casa na rodada



Continue Lendo