Os americanos estão vivos. Já os italianos…



O início da segunda fase do Mundial serviu para que duas conclusões já fossem possíveis de ser feitas no Grupo E, muito mais equilibrado do que o F.

Os Estados Unidos, campeões da última Liga e que vinham de uma campanha instável até aqui, provaram nesta quarta-feira que seguem no páreo. A vitória por 3 a 1 sobre a Polônia, calando a fanática torcida da casa, recolocou os americanos na briga.

Três pontos agora separam o time de John Speraw, quinto colocado, da surpreendente líder França: 10 a 7. Entre eles, poloneses e sérvios, que somam nove, e Irã, com oito. Ou seja: os cinco vão brigar pelas três vagas na próxima fase nos confrontos diretos.

Já Argentina (três pontos), Itália (dois) e Austrália (zero) serão as minas vagantes (expressão de Bernardinho) e podem explodir os sonhos dos demais, caso roubem algum pontinho nas três próximas rodadas.

A Azzurra, que chegou ao Mundial pensando em sair do quase nas grandes competições, deverá voltar para casa com mais interrogações do que certezas, ao pensar na Olimpíada de 2016. Hoje, derrota para a Sérvia em sets diretos e o sentimento de que sem Zaytsev é um time comum.

Nesta quinta, a Itália terá pela frente a Polônia. Mais uma sapecada pela frente? É bem possível!

Nos demais jogos, um confronto direto entre EUA x Sérvia, além de um interessante Irã x Argentina. Em quem vocês apostam?

Diferentemente do outro grupo, já quase definido com Brasil, Rússia e Alemanha (12, 11 e 9 pontos, respectivamente), este dos donos da casa mostra que o regulamento, em 2014, não foi tão camarada como o de 2010 com a Itália.

 



  • aline

    Daniel acho que depois dessa RASTEIRA que os EUA deu na POLONIA, não duvido nada que a ITALIA vença os POLONESES amanhã…
    Os poloneses são muito instáveis psicologicamente, e, pelo que parece, eles sentiram muito o golpe da derrota para os EUA. Até então eles estavam muito confiantes, mas não sei se eles terão cabeça de se recuperarem a tempo de enfrentar a ITALIA. A POLÔNIA saiu de um grupo tranquilo e pegou logo os times do GRUPO DA MORTE que já estão com ritmo de jogo melhor. Acho que a POLONIA pode acabar se complicando, afinal de contas não seria a primeira vez que eles nadam, nadam e acabam morrendo na praia…

    • Arthur

      Os EUA já estão se ajustando e a tendência é que a partir de agora eles evoluam ainda mais. Acho que as seleções que estavam no grupo da morte vem bem mais preparadas e já lidando com jogos com muita pressão. Isso é muito bom para o prosseguimento da competição que tende a ser cada vez mais tenso. A exceção é a Itália que, muito infelizmente, perdeu Zaytsev, mas que já não vinha bem como um todo, muito irregular.

      Não acredito que a Polônia, devido à derrota para os EUA, vai transportar a decepção pela derrota para o confronto com os italianos, afinal os poloneses continuam bem na briga por uma das vagas. O que pode acontecer é a Itália voltar a se apresentar bem, mesmo com chances mínimas de classificação.

      Se os americanos confirmarem o favoritismo contra os sérvios amanhã, a tendência é que, se não houver zebras, os americanos encaminhem a sua classificação, pois depois enfrentarão Argentina e Austrália.

      A França ainda tem Polônia e Sérvia pela frente. Penso em um confronto equilibradíssimo contra a Polônia,e um duelo mais tranquilo contra a Sérvia, isso se a França mantiver o nível de jogo espetacular que vem mostrando.

      O Irã é uma incógnita. Bateu a Austrália, algo já previsto. Contra a Argentina deverá ser mais difícil, mas ainda assim, o Irã tem mais bola. Já contra Sérvia e Polônia, é totalmente imprevisível!

  • Edu

    Pequenas considerações.Não deixem os EUA crescerem na competição.Hoje é a equipe mais promissora do mundo com um jogador no minimo espetacular, o oposto Anderson (o melhor disparado do mundo na posição).Importante reforçar que o levantador Christenson já recebeu ofertas para jogar no mercado europeu.No entanto, por estar no estágio universitário, declinou todas elas ciente que na realidade econômica e social estadunidense quem não tem o curso universitário já é considerado cidadão de segunda classe.Outra é a respeito dos primeiros dois cortes(do exigido três) da seleção feminina para o campeonato mundial.Andreia e Ana Tiemi constaram da relação.A primeira, na minha expectativa, conseguiria um espaço na seleção por ser : líder natural e uma jogadora multifuncional que poderia tanto atuar como oposta, ponteira ou central.Todavia, teve a infelicidade de não estar bem em 95% das oportunidades que vi a entrar em quadra.A segunda, retornou a seleção depois de quase três anos e teve a infelicidade de se lesionar na entrada do Grand Prix. Antes recebeu poucas oportunidades , a maioria durante a excursão pelos EUA com uma extensão ao Havai. Não brilhando, porém, nas poucas oportunidades que teve.O corte restante parece pairar entre Monique,Carol e Adenizia(com mais chances de ficar pelo histórico olímpico e experiencia)

    • aline

      Bem lembrado Edu, mas e a Natália? Não estava contundida?
      O Zé vai repetir Londres e levar Natália mesmo MEIA-BOMBA???
      Entre Adenízia e Carol, eu cortaria a Adenízia e levaria a Carol, afinal de contas o que importa é o momento atual da jogadora e a Carol provou que atualmente está melhor que Adenízia.
      Nunca cortaria uma jogadora como a Monique, extremamente técnica, com um saque muito eficiente, defende muito e ataca com inteligência.
      Portanto, cortaria Adenízia ou Natália, pq não acho justo que,se ela não estiver novamente em forma, tome a vaga de uma jogadora que esteja bem fisicamente.

    • Lili

      Logan Tom nunca terminou a faculdade e é um ídolo por lá, não é a faculdade que determina a posição da pessoa.

  • Na verdade eu estava esperando esse jogo pra comprovar que os EUA sabem jogar com pressão da torcida contra muito me lembrou a semifinal da liga mundial contra o Brasil num maracanãzinho lotado jogando contra eles, hoje eles fizeram a mesma coisa jogando muito bem claro errou muitos saques mais recuperou na virada de bola e no bloqueio a seleção polonesa não jogou ruim não mais a pressão que os americanos impôs sobre eles a partida toda incomodou demais eles que vieram de um grupo tranquilo e de repente se viu enfrentado umas das seleções do grupo da morte precisando de pontos para se manter vivo no mundial, agora os EUA vão fazer da partida de amanhã o jogo que pode carimbar seu passaporte pra próxima fase já que enfrentam os sérvios adversários diretos na classificação vencendo por 3×0 ou 3×1 passam a sérvia e pegam Austrália e Argentina então amanhã é sim a partida decisiva pro decorrer no grupo.

    • Arthur

      Bem colocado! Os EUA se continuarem nessa crescente podem ganhar de qualquer seleção!

MaisRecentes

O novo conceito da FIVB para 2018



Continue Lendo

Apenas Lebes/Canoas faz o dever de casa na rodada



Continue Lendo

Um líder por pontos ganhos. Outro por pontos perdidos



Continue Lendo