O vôlei na neve em PyeongChang



Aconteceu nesta quarta-feira a partida de exibição de vôlei na neve, promovida pela Federação Internacional (FIVB), em PyeongChang, durante as Olimpíadas de Inverno. Para quem não leu, escrevi uma coluna sobre o tema no fim de semana.

A FIVB disponibilizou o vídeo da partida, que contou com os brasileiros Giba e Emanuel em quadra. Fora dela, a presença de dirigentes do Comitê Olímpico Internacional, entre eles o príncipe Albert, de Monaco, e presidentes de Comitês Olímpicos Nacionais. O público esperado para um esporte que sonha em fazer parte de próximas edições da Olimpíada e precisará de apoio nos bastidores.

– Eu creio que o vôlei na neve é uma boa ideia para criar mais seguidores e apelo para o vôlei – disse Albert, que tem no currículo participações nos Jogos Olímpicos de Inverno.

Emanuel cumprimenta Albert de Monaco (Divulgação)

A Federação Internacional disponibilizou um vídeo da partida em PyeongChang, inclusive com algumas entrevistas (repórter fala em alemão, mas a maior parte está em inglês). Você vai perceber no vídeo que várias características das principais competições organizadas pela entidade estiveram presentes. Na questão do entretenimento, “Monster Block” vai ficar martelando sua cabeça como ficou a minha durante toda a Rio-2016.

Giba fez algumas postagens sobre o jogo nas redes sociais. Uma delas vocês pode ver abaixo. A quem me perguntou anteriormente, jogar de luvas é uma das características.

Os dirigentes da FIVB demonstraram sensação de dever cumprido ao fim do evento em PyeongChang. O próximo passo para aumentar a divulgação do vôlei na neve é a realização do Circuito Europeu, com a primeira das seis etapas entre 23 e 25 de março, em Wagrain-Kleinarl and Flachau, na Áustria. Os austríacos, inclusive, foram os anfitriões do jogo na Coreia do Sul e são grandes incentivadores. Segundo a FIVB, 17 federações europeias irão realizar campeonatos nacionais de vôlei na neve na temporada.

– Inovação é a palavra-chave do nosso trabalho na FIVB. Mas isso não significa apenas adotar novas tecnologias ou tornar o esporte cada vez mais apto ao engajamento dos torcedores. É preciso criar novos produtos, ter visão de longo prazo, planejar e executar projetos com capacidade para tomar dimensões não imaginadas. Minha longa carreira no mundo dos negócios me ajuda a identificar as oportunidades de investimento no crescimento do vôlei sob diversos ângulos – disse Ary Graça, presidente da FIVB.

Os planos para os próximos anos são o lançamento do Circuito Mundial em 2019 e a disputa do Campeonato Mundial em 2020.

 



MaisRecentes

O “Fora, Bolsonaro!” virou mais um incêndio



Continue Lendo

12 anos. Mas parece que foi ontem em Pequim



Continue Lendo

Unir concorrentes mostra o tamanho de Rodrigo Rodrigues



Continue Lendo