O time olímpico dos Estados Unidos



A Federação Americana anunciou nesta manhã os 12 jogadores escolhidos por John Speraw para a disputa do torneio olímpico masculino no Rio de Janeiro.

A principal surpresa foi a inclusão do veterano ponta Priddy, de 38 anos, que vai disputar a quarta Olimpíada da carreira. O jogador esteve na Cidade Maravilhosa, no último fim de semana, disputando a etapa brasileira da Liga Mundial.

Priddy, à esquerda, em ação na Liga (Alexandre Loureiro)

Priddy, à direita, em ação na Liga (Alexandre Loureiro)

Priddy, campeão olímpico em Pequim-2008, sofreu uma grave lesão no joelho durante a Liga Mundial de 2014, em uma partida com a Bulgária. Naquele momento sua carreira praticamente foi dada como encerrada.

A convocação possui ainda outros três jogadores com experiência olímpica (Matt Anderson, David Lee e David Smith), além de oito estreantes.

Com a definição, Speraw utilizará todo o restante da Liga para dar ritmo de jogo para a base escolhida.

Confira os convocados:

1 – Matt Anderson (oposto)
2 – Aaron Russell (ponta)
3 – Taylor Sander (ponta)
4 – David Lee (central)
7 – Kawika Shoji (levantador)
8 – Reid Priddy (ponta)
9 – Murphy Troy (oposto)
10 – Thomas Jaeschke (ponta)
11 – Micah Christenson (levantador)
17 – Max Holt (central)
20 – David Smith (central)
22 – Erik Shoji (líbero)

 

 



  • will

    Bem a cara do time americano esse planejamento claro de quem vai mesmo para os jogos Olímpicos onde eles sempre fazem o planejamento pra este momento,na última edição dos jogos o time americano teve uma infelicidade de pegar uma Itália que sacou demais nunca vi os italianos sacarem tanto como naquele jogo,pra sorte do Brasil que já tinha perdido pra eles(americanos)na primeira fase e cruzou com a Itália que não fez nem 50% do que tinha feito nas quartas.nessa lista a volta do veterano Priddy já considerava visto que ele fez um bom campeonato italiano e jogou como titular nas champios,e os americanos mesclam bem essa coisa de jovens com experientes outro destaque é o jovem Thomas Jaeschke que não estava inscrito nas partidas do Rio,Essa fase final promete ser já um grande aperitivo temos 6 seleções que vão estar querendo chegar bem com título por enquanto os americanos se encontram fora da fase final a Sérvia largou bem e não perdeu nenhum set contra Rússia e Polônia,Bulgária.

  • Nome

    Seleção americana também é aquilo “na conta do chá”, tem só um time titular e se precisar de uma inversão, uma substituição de central, ferrou geral…

    • will

      verdade ao contrário da seleção feminina a equipe masculina tem um grande time titular e ótimos atacantes digo ponteiros pois tanto oposto esse Murphy Troy como central Smith são normais que não fazem tanta diferença,eu preferia até Holmes que foi liberado pois é um central mais rápido nas ações de ataque e bloqueio..

    • César Castro

      Disse tudo!

  • Billy

    Acho pouco provável que essa seleção americana consiga chegar pelo menos até as semi-finais dos jogos olímpicos.À menos, que se superem e joguem muito bem.Não apostaria minhas fichas nesse time atual dos Eua de jeito nenhum…E também não simpatizo com aquele central dos Eua(o Lee).Acho que já está meio decadente e também costuma provocar os brasileiros(vide jogos anteriores entre as duas seleções,alguém se lembra!??).

    • will

      É verdade Billy esse time americano é pra mim uma incógnita depende e muito como vai sair dessa tabela da primeira fase pois na verdade quem sai entre os 2 primeiros tenho quase 100% de certeza que está nas semi pois a diferença técnica e de peso é enorme pra quem sair de lá tanto Iran,Argentina ou Cuba aliás essa sim tem uma carta na manga pois tem jovens muito talentosos e altos…Mas me arrisco apontar Brasil e França entre os 4 aí deixar Itália,EUA,Rússia e Pôlonia quem leva melhor

      • Billy

        Isso mesmo Will.O que todos sabemos é que o torneio de vôlei nas olimpíadas promete grandes embates.Teremos vários jogos equilibrados e de ótimo nível técnico.Espero que o fator casa(torcida à favor)seja um diferencial positivo à favor do Brasil e que consigamos chegar à final e vencer.Vamos torcer demais pelo Brasil…

  • kleber

    Previsível embora questione o banco. Gosto do Troy oposto reserva.

  • Juliano Castro

    Eu acho esse time forte candidato ao ouro. Mas é assim. Se um do time titular se lesionar, já era. Conseguiram resgatar o Priddy a tempo. Pq é óbvio q os dois ponteiros jovens n vão aguentar td sozinhos. Como foi a eliminação patética no mundial. N conseguiram ganhar da Argentina e perderam os pontos q precisavam p classificar.

    Holt é um baita central. Já o Lee está em declínio e sempre anda machucado (na liga russa vivia no departamento médico). Mas contra o Brasil Lee joga diferente. Joga o maximo. Os dois conseguem bloquear o Lucão com uma facilidade q dá medo. N esqueço o bloqueio com o braço direito q o Holt deu no Lucão na final da liga mundial de 2014. Foi humilhação completa do Lucas. Desanimou tanto q jogou mais nd e foi substituído (pq sucederam outros tocos).

    O oposto depressivo chegará voando. Só o Matt pegar ritmo que já ficará bem mais forte a seleção americana, já q ele é adaptado.

    O lado que pode ser mais vulnerável dos EUA é no levantamento. O levamtador é bom e tal. Mas é jovem e sente a pressão. Ele praticamente enterrou o Lube no italiano. Na hora mais importante, q foi nos play off do italiano e no final 4 da Champions, n raciocinava e fazia à Dani Lins. E o reserva e nv tbm, quase n joga p piorar.

  • Marcelo Braga

    A seleção americana só tem uma desvantagem, que é média de idade, mas que pode ser bem trabalhada com a presença, principalmente dos craques Priddy e David Lee! Possivelmente é a seleção que mais reuniu jovens para esta olimpíada. Depois do mundial de 2014 em que fizeram o mais difícil e tropeçaram no mais fácil, demonstraram que podem lidar muito bem com o emocional, vide o título da copa do mundo do ano passado! É impressionante como o veterano Lee dá um CORO no Lucão, por exemplo! Ao meu ver, os centrais americanos são os que conseguem parar mais o ataque dos brasileiros, especialmente dos centrais. Dois Lucão não dá meio Lee, essa é a verdade. Priddy dá um banho nos ponteiros brasileiros, com exceção do Lucarelli. Christenson é talento puro. É claro que a comissão técnica americana realiza um bom preparo psicológico com os atletas. Se esses garotos conseguirem domar os ânimos, não vejo uma seleção mais favorita do que eles. É uma possibilidade um duplo ouro americano no voleibol, não custa nada!

    • Billy

      Não concordo com você(mas respeito a sua opinião).Prá mim o Lucão está anos-luz á frente do Lee(americano).Priddy já está velho,mas ainda dá pro gasto.Christenson ainda é irregular.O muito que esse time poderá conquistar será um bronze,no meu entender.

      • Marcelo Braga

        Lucão anos-luz na frente do Lee?????? Em que mundo você vive? Todo confronto envolvendo os dois, Lee consegue marcar o brasileiro no bloqueio. No último confronto foram duas vezes, tirando o central do jogo totalmente. Lee tem um saque flutuante que tem feito mais estrago do que o projeto de saque forçado de Lucão! Lee tem ótima leitura de bloqueio, salta muito e tem ainda muita potência no ataque. Nem parece que está prestes a se aposentar. Precisa e mais qualidades técnicas para evidenciar a superioridade do americano perante o brasileiro???Ahh esqueci: Lucão só tem um melhor desempenho no ataque quando joga com o seu amigo Bruninho. Logo, Lee >>>>>> Lucão!!!

MaisRecentes

Vaivém: Mais reforços para o Corinthians/Guarulhos



Continue Lendo

Vaivém: Definições no Sesc (ex-Rexona)



Continue Lendo

Vaivém: Selecionáveis repatriadas pelo Vôlei Nestlé



Continue Lendo