O surgimento de Carol no cenário internacional



O quinto lugar da Seleção feminina no Torneio de Montreux ficou aquém do esperado. Mas, para uma jogadora em especial, a competição na Suíça pode ser um divisor de águas em uma temporada importante do ciclo olímpico.

A central Carol aproveitou a chance recebida e foi o destaque do Brasil. Na despedida, no 3 a 1 de virada sobre o Japão, a jogadora da Unilever foi a maior pontuadora com 17 acertos, seis deles no bloqueio. Pelas estatísticas abaixo, ela é fortíssima candidata a ser a melhor bloqueadora do torneio.

Na véspera, contra a República Dominicana, quatro dos seus sete pontos haviam sido feitos no fundamento. Na primeira fase, os números de Carol foram: Suíça (13 pontos, sendo seis no block), China (17 pontos, oito no fundamento) e Rússia (5 pontos, com dois no bloqueio).

Ainda é cedo para prever o futuro de Carol no cenário internacional. A estatura (1,83m) para a posição sempre pareceu um empecilho e existirá uma dificuldade natural em jogos contra times gigantes, como o russo. Mas a “baixinha” já começa a colocar as manguinhas de fora e tem capacidade para se colocar entre as 14 inscritas em cada grande competição daqui pra frente.



MaisRecentes

Quem fica com as últimas vagas na Superliga masculina?



Continue Lendo

Giovane encaminha manutenção do vôlei carioca na Superliga



Continue Lendo

Basta! Nada justifica ameaças de morte



Continue Lendo