O que é melhor? Ou menos pior?



Hoje é dia de decisão no Mundial feminino de clubes.

Três vagas estão em jogo para as semifinais, já que o Eczacibasi está garantido.

A tarefa do Rexona-Ades não deve ser das mais difíceis. Precisa de dois sets diante do Mirador, da República Dominicana, para avançar. Tranquilidade garantida após a boa estreia diante do Volero Zurich, que terminou com uma vitória por 3 a 1, com parciais apertadas e demonstração de força a cabeça no lugar no momento de decidir. Creio que será dia para descansar Fofão, como escrevi na semana passada, já pensando em um confronto bem mais complicado na semifinal.

Vou chover no molhado a esta hora e elogiar a jovem Drussyla, que entrou bem no lugar de Natália, sendo importante para que o Rexona conseguisse os três pontos. Menina que mostra personalidade, algo que poderá ajudar na longa estrada que ela ainda tem a evoluir na carreira.

Voltando aos númros. Saindo em primeiro lugar, o Rexona pegará o segundo da outra chave. As turcas fecharam a participação com quatro pontos e torcem por triunfo do Dínamo Krasnodar sobre o Hisamitsu para se manterem na ponta. Este cenário permitiria um possível confronto Brasil x Turquia apenas na final. Para as japonesas interessa até uma derrota no tie-break, que garante a classificação em segundo lugar.  Para as russas é vencer por 3 a 0 ou 3 a 1.



MaisRecentes

Teve de tudo no maior clássico do vôlei



Continue Lendo

O que esperar do Mundial feminino de clubes?



Continue Lendo

Não sei em quem apostar na Superliga feminina



Continue Lendo