O ouro bateu na trave no Pan



O Brasil teve 2 sets a 1, além de 12 a 6 no quarto set. A medalha de ouro no Pan-Americano esteve bem próxima, mas escapou no tie-break.

A Argentina, com sua força máxima, viu Luciano de Cecco e Facundo Conte, os dois astros desta geração, assumirem a responsabilidade, conseguindo uma virada que parecia impossível. Uma lição para alguns jogadores que já poderiam estar em um outro patamar no cenário internacional, como o oposto Renan e o ponta Maurício Borges.

Para eles, o Pan serve como uma sobrevida. O gigante de 2,17m até viveu bons momentos em Toronto, sendo o maior pontuador do time e tendo um aproveitamento superior a 50% no ataque. Seu problema atualmente é ter como concorrentes Wallace, Leandro Vissotto e Evandro. Difícil imaginar Renan furando essa fila até a Rio-2016.

No caso de Maurício, capitão da Seleção no Pan, a competição talvez sirva como recomeço. Ele é o jogador desta equipe com maior histórico recente na Seleção principal. Já viveu fases bem melhores e poderia ter um lugar cativo entre os pontas do time A, tendo em vista a atual carência do setor.

Por fim, uma menção honrosa para o momento de Thiago Brendle. O líbero tem jogo para brigar atualmente com Mário Júnior pelo posto de líbero reserva da Seleção A.

Entre os mais novos, o ponta Douglas é quem tem o maior potencial. Já teve uma chance no elenco principal na última Liga, mas precisa de rodagem. E digo isso também no cenário local, na Superliga. Ele precisa jogar. Só assim poderia se transformar em realidade, não apenas uma aposta de futuro.

 



  • Marcelino

    Maurício Borges, um “capitão” sem liderança. Desde o primeiro sete ele não decidia nada e errava muito. Era incapaz de fazer o seu trabalho. E o técnico Rubinho trocava todo mundo, menos o “capitão” opaco Maurício Borges.

  • Alex Lima

    Ainda bem que o vôlei de areia ainda nos salva!!!! Ano complicado antes de 2016. Que sirva de lição e que se arrumem as casas direito!!!!

  • Murasaki

    Maurício Borges, capitão e jogador mais experiente do grupo, fez todo tipo de lambança na final. Tomou cartão, quinou quando não podia, tem uma dificuldade enorme com passe flutuante, mas não conserta o erro…E por que não testaram os outros jogadores, pelo amor de Deus? O psicológico das seleções brasileiras está um horror

  • Rafael silva

    Pra ser bem sincero eu não achava que esse time não chegasse nem na final,a lógica seria ter uma final Argentina x Canadá já que eram as duas equipes que estavam com seus times principais. Alem do mais o começo da seleção Brasileira na competição não foi nada promissor, foi fraco.
    Renan virou bastante bola durante a competição, ele mostrou melhoras no seu desempenho, eu sempre achei que ele era um Clone piorado do Vissoto, mas ele nessa competição mudou minha opinião, gostaria de ver ele tendo mais oportunidades, depois do ciclo olímpico já que o panelismo da seleção dificilmente vai dar oportunidade a novos valores.
    Douglas e um jovem promissor e se tiver cabeça boa, desenvolvimento de talento,evolução de fundamentos pode seguir o mesmo caminho de Lucarelli.Thiago brendle e melhor que o Mário Jr,mas o panelismo não dara oportunidade antes das olimpiadas,mas e bom saber que temos um libero jovem e talentoso pro futuro,assim como Otávio que e bom central e Murilo Radke que e alto e bom levantador que e a tendencia,atualmente os levantadores dos times de pontas são todos nesse perfil.
    Maurício Borges e a Natalia do vôlei masculino a eterna promessa que nunca conseguiu se firmar no time principal e ao que parece em time nenhum, e muito fraco.
    Diante das circunstâncias a prata ainda foi lucro pra esse time, esse mês foi negativo pro vôlei em geral,mas temos que manter a esperança por recuperação durante esse ano que ainda resta antes das olimpíadas.

  • Luciano

    Acredito que até foram longe demais.
    Mais como vc mesmo disse Daniel, estávamos ganhando de 12 a 6 no quarto set, levamos uma virada que vai ficar na cabeça de todos. Até que tínhamos um passe bom, mais o psicológico ou até mesmo o desentrosamento do grupo fez diferença. Maurício Borges na minha opinião ainda é o pior ponta que já esteve na seleção, sem constância nenhuma, e ainda acreditam que ele se enquadra na seleção A.

  • rafael schmidt

    Esse douglas é horroroso!! Só leva toco! Péssimo! Tenho fé no Luan, que jogou no Canoas e se lesionou seriamente. Tava voando até se machucar. Luan promete, mas douglas é fraquíssimo!!

  • Rômulo

    Achei um vacilo e uma frustração enorme aquela virada no quarto set. de 13/7 pra 23/25. Mas entendo que a seleção ainda tem um pessoal inexperiente nesse nível e que a Argentina impôs um gás no saque e no ataque surreal naquele momento, principalmente com o Conte e o De Cecco. A prata, pra um time B/C de novos, tá de bom tamanho. Só fica ruim a sensação de que poderiam ter conseguido mais mesmo, mas fica pra próxima (e pro pessoal do U23!).

    No mais, pra uma seleção que tava desacreditada por mim, ver o desempenho desse grupo do Brasil no Pan foi ótimo. Douglas já é realidade e vai, com certeza, ser mais utilizado no SESI esse ano. Brendle precisa participar mais da seleção principal e Renan finalmente deu conta do recado num momento que precisou, virando umas bolas incríveis. Otávio também rendeu bem em todos os fundamentos, como também o Murilo – gostei muito da precisão e do saque dele. No mais, os dois Maurícios, que eram pra ser a base mais experiente do time, ficaram devendo, como eu esperava.

  • Edu

    Caro Daniel, o maior erro da comissão técnica foi colocar o Mauricio como capitão da equipe.Sua falta de serenidade e liderança em quadra prejudicaram o selecionado brasileiro.A vantagem do quarto set começou a se esvair quando ele começou a bater boca com a arbitragem e tomou o cartão vermelho.Imediatamente o Rubinho pediu tempo e já começou dizendo que “não queria ninguém falando com a arbitragem”.Num lance anterior até o Thiago Brendle o segurou pelo ombro para ele não ir lá reclamar mais.Depois da partida o Rubinho e ele, até ele se atrasou para os cumprimentos na rede, tiveram uma conversa pouco amistosa, flagrados pelas câmeras.Deu para perceber que um pouco da instabilidade do time teve a interferência direta do Mauricio.Discordo, respeitosamente, e acho que um jogador que deve merecer mais consideração apos esse Pan e o Renan.Mostrou muito mais volume de jogo e confiabilidade que o Vissoto , por exemplo.Apesar de enfrentar outros adversários.

    • Kleber Alves

      Maurício Borges é bem fraco e devia ter bancado mais. Nunca foi e pelo visto visto, nunca será um jogador de confiança.

  • Guilherme

    O Brasil se desestabiliza muito fácil com erros de arbitragem e deixaram q dois erros no 4° set de um representante dessa vexatória arbitragem dos jogos pan-americanos impedisse uma vitória certa contra o time A da Argentina, porém não foi o q aconteceu e até a Argentina mesmo contra nosso time C nos ganhou no vólei e a pergunta q fica é quando voltaremos a ganhar algo no vólei masculino. Sobre aspectos individuais, os dois Maurícios como já esperado foram as decepções e penso q não devem fazer parte do ciclo pós 2016, surpresas positivas o Murilo Radke quem diria hein, diferente de Ana Tiemi e Joycinha esse sim aproveitou a experiência no exterior para poder evoluir e olha q essa evolução se deu no alternativissimo vólei montenegrino , espero q tal evolução continue no forte campeonato polonês onde ele vai atuar. Otávio como eu já esperava pois sou torcedor do Minas e já conhecia seu potencial, foi bem, ele tem muito daquela característica de centrais da era de áurea do vólei brasileiro como Gustavo, Andre Heller, Rodrigão quem passavam longe de ser gigantes em estatura mais eram extremamente ágeis e tinham enorme capacidade de leitura do ataque adversário, tem tudo pra formar a dupla de centrais titulares com o Isac para o próximo ciclo, gostei muito do Douglas q dentro das possibilidades de um jovem de 19 anos correspondeu ao esperado e teve um bom pan-americano, Sobre o Renan eu já tenho dito isso algumas vezes não se pode desperdiçar um oposto canhoto de 2,17, até o Brasil se desestabilizar com a arbitragem no jogo de ontem ele tava estraçalhando com o sistema defensivo da Argentina ele literalmente passava por cima do bloqueio portenho, jogador com ainda muita margem de evolução o q é muito positivo visando o futuro. sobre o Brendle é uma sacanagem um cara com essa qualidade só estar tendo oportunidade agora já com 30 anos a completar em 2015, mais uma vítima da panela da seleção masculina do brasil, era pra ser ele o libero do time principal e não o Serginho com 40 anos e o Mário JR com seu reconhecido desequilíbrio emocional. Claro q todas essas constatações só valeram se pós 2016 for efetuada de fato uma reformulação da seleção brasileira, reformulação essa q ao meu modo de ver não passa pelas mão do Bernardo que se continuar vai jogar as competições pós 2016 com todos esses mesmos jogadores só q já não mais na casa dos 30 e sim na casa dos 40, vale ressaltar q muitos destes jogadores já deveriam ter tido espaço no elenco principal não fosse o grupo do time A fechado para qualquer tipo de oportunidade a quem não faz parte da “família”. Aliás é bom q se ressalte q os últimos bons resultados do Brasil foram com o Rubinho e não com o Bernardo (ouro em Guadalajara, copa do mundo de 2013 e mundial sub23).
    Jogadores a serem trabalhados pós rio 2016: levantadores (Murilo e Thiaguinho), pontas (Lucarelli, Lucas Lóh, Canuto, Douglas, João Rafael e Kadu), centrais (Isac, Otávio e Flávio Gualberto), opostos (Renan e Rafael Araújo), líberos (Kachel e Felipe).

  • Francisco

    Daniel, gostei das atuações do Renan e do jovem Douglas, esse menino têm que ser mais trabalhado porque tem futuro . A seleção perdeu por falta de maturidade e rodagem.OBS: Não imaginava essa seleção na final , evoluíram bastante como seleção.

  • kleber

    Essa seleção foi longe demais. Teve chance de ganhar o título mas não teve a capacidade de fechar o 4º set. Parabéns a Argentina. Do brasil, destaco o Renan e o Douglas, que poderiam já ser lapidados na principal. Thiago Brendle não é surpresa pois no pouco que jogou na Liga Mundial foi superior ao Mário Jr.

  • Maria

    Os Argentinos ganharam esse jogo na experiencia dos seus jogadores e seu técnico cheguei a pensar no quarto set que o jogo estava definido para o Brasil mais eles reagiram e foram com toda moral para o quinto set e o Brasil não viu mais a cor da bola, no mais gostei muito do nosso libero e fiquei animada sim com o Douglas quem sabe para 2020.

  • Fernando

    Sem tirar o mérito do bom jogo da Argentina, mas pior arbitragem que eu vi nos últimos anos… Sem condições…

    E outra, não sei o porque do Rubinho não usar mais o banco da seleção nessa final, porque o Mauricio deu maior prejuízo para o Brasil no passe. Infelizmente eles sentiram a pressão e não foi dessa vez.
    A Argentina jogou bem mesmo, mas também, não fez mais que a obrigação, levou a seleção principal.

  • Edu

    Apesar da imensa dificuldade da classificação da Argentina para a Olimpiada ela tem o melhor treinador do seculo XX, segundo a FIVB, no banco e que tem uma maestria imensa em manejar o banco e determinar estrategias.Não faz cara azeda, não levanta a voz incontrolavelmente e não deforma seu uniforme em acessos de ira.O Facundo Comte, além de filho do maior jogador argentino de todos os tempos , também ficou na seleção de top six dos melhores por posição da ultima CL.Confirmou a presença do DNA.

  • jose herbert de araujo

    Concordo, Tiago é o único que tem sobrevida para Rio 2016. Ousado, corajoso, se joga mesmo nas bolas. Agora o Renan uma pena mesmo, com aquela altura!!!, é muito inconstante. Não dar pra confiar. Os Maurícios pra mim é aquele arroz com feijão, não sai disso. Resumindo, acho que Bernardinho vai ter de se virar com o que tem, pois não sobrou mais nada. Infelizmente.

MaisRecentes

Joelho afastará Gabi das quadras



Continue Lendo

As primeiras transmissões da Superliga na TV



Continue Lendo

Vaivém: Thaisa jogará a Superliga



Continue Lendo