O novo calendário já me preocupa



Já usei este espaço, algumas vezes, para defender um novo e mais racional calendário para o vôlei brasileiro. Existe espaço para criação de uma Copa nos moldes do que é feito na Europa, além de um jogo das estrelas, eventos rentáveis para patrocinadores e TV.

Mas tenho ficado com a pulga atrás da orelha depois de alguns desdobramentos. O primeiro foi a demora para definição da Superliga e a publicação de tabela com algumas coisas estranhas, como  um time, por exemplo, estrear um mês depois de outro. Hoje, mais um motivo de preocupação: o Paulista feminino vai começar apenas no fim do mês e a primeira fase terminará somente em 22 de novembro, fazendo com que a fase final se arraste até o fim do ano. Ou seja: vamos misturar o nacional com o estadual mais forte do país, já que os oito participantes do Paulista estarão na Superliga.

Acho, no mínimo, perigoso. Voltaremos a ver, assim, equipes jogando três vezes por semana, deixando de escalar a força máxima em alguma ocasião para privilegiar um torneio ou outro… E estamos falando de uma temporada em que a Seleção vai forçar uma parada no calendário. E como ficarão as atletas selecionáveis?

Tenho tentado entender a lógica de algumas atitudes e ainda não consigo compreendê-las por inteiro. A constatação é de que estamos perdendo uma boa oportunidade de mexer no calendário para melhor.



  • carlos

    a ideia de adiantar a superliga é muito boa, mas tudo parece que é feito muito às pressas.se nem tudo tava organizado para esse adiantamento, por que ja adiantar esse ano? O que me pareceu foi uma corrida pra colocar todas as ideias em prática , inclusive os 21 pts, e complicando ainda mais o calendário. Se é um ano concorrido com muitos campeonatos de seleção, com decisões sobre formato do calendário acontecendo ate outro dia nao precisava dessa corrida toda. E nesse meio ainda querem Copa do Brasil, jogo das estrelas. adiantou os jogos, pra depois os jogadores continuarem na mesma correria de jogos de antes. Saldo final : nada resolvido, tudo complicado.

  • Luan Delecrode

    A lógica? Sai Globo e entra CBV! Simples.

  • diogo

    Ridiculo essa historia..Principalmente pq os times paulistas ñ teram o msm descanso q as equipes do Rio,do Praia e do Brasilia,ou seja,Osasco,Sesi e Campinas q tbm são favoritos ao titulo ficaram em desvantagem..
    E por causa disso o paulista pode passar de principal campeonato estadual para coadjuvante,pq os times fatalmente iram poupar suas jogadoras(pelo menos na fase classificatória)..
    CBV de mal a pior!

  • Marcian

    No fim, ficou a mesma coisa. Olha, por enquanto é só decepções. Espero que os grandes clássicos compensem toda esse azedume que estão fazendo com regras e datas….

  • Almir

    Os jogos do Campeonato paulista serão um por semana, assim como a Superliga (mulheres – sexta / homens – sábado).

  • Afonso RJ

    Um problema no calendário do vôlei é que a única competição de real importância sempre foi a superliga. Campeonatos regionais, e aí incluo o carioca, sempre foram irrelevantes. O único que ainda tem uma certa importância tanto pela quantidade quanto pela qualidade dos participantes é o paulista. Portanto me parece haver apenas poucas possibilidades de conciliar uma superliga mais longa com o paulista: Ou encurta-se o paulista ou fatalmente ambos os campeonatos vão se interpenetrar. Vamos ver como a coisa funciona esse ano.
    No mais, um campeonato com rodadas desencontradas nunca foi do meu agrado, pois dificulta o acompanhamento da classificação, assim como jogos muito espaçados fazem com que o interesse tenha tempo de arrefecer entre eles.
    Dito isso, e mais o desastre de sets de 21 pontos, essa superliga tem tudo para ser de longe a pior da história. Estou extremamente pesimista. Nem sei se vale à pena acompanhar.

  • Euclides Costa

    Acho que a solução é simples…a adoção da mesma lógica que tem se tentado para o futebol…até o momento sem sucesso é verdade…mas acho que deveríamos simplesmente acabar com os estaduais.

  • Fernando Lopes

    Campeonatos estaduais são responsabilidade das federações e dos clubes, que obviamente concordam. A CBV está de mal a pior quando o assunto é gerir e organizar competições nacionais, porém, a meu ver, não é de sua responsabilidade organizar campeonatos estaduais. Estes clubes também aceitam tudo. Queria ver se fossem unidos e organizados se as regras seriam impostas desse jeito.

  • Iuri

    Os estaduais q antes serviam de preparacao pra SL perderam essa função. Totalmente sem sentido.

    E ah…não falaram mais nada de Copa do Brasil e jogo das estrelas, podem esperar que não haverá esses eventos. Tudo balela pra nós caírmos feito bestas!

  • Natacha

    Eu acho impossivel se ter um calendario perfeito….sempre teremos as vantagens e desvantagens…fica complicado conciliar os desejos dos clubes e atletas em se ter mais folga entre os jogos, da globo em ter seus beneficios claro, da cbv em ter mais times na superliga….
    Muitos a favor de se ter menos times na superliga, mas tb os que defendem que mais times melhor, e por ai vai…..acho que nao tem como nao ter campeonatos simultaneos e nem acho que isso seja um grande problema….no futebol acontece….cabe aos times priorizarem…..

MaisRecentes

Sada/Cruzeiro sai do Mundial com bronze e cabeça erguida



Continue Lendo

Rodada define confrontos da Copa Brasil masculina



Continue Lendo

Dia de aplaudir o Zenit Kazan



Continue Lendo