O Mundial é dos gigantes



Deu Muserskiy no masculino. Deu Gamova no feminino.

O título da página de vôlei publicada no LANCE! hoje era sobre eles: Gigantes que incomodam!

Incomodam os clubes brasileiros. Incomodam muito a Seleção.

Estava voando de Belo Horizonte para o Rio de Janeiro no horário da partida entre Dínamo Kazan x Molico/Osasco. Mas pelo que li foi um atropelo russo em cima da base da Seleção Brasileira. Vocês que viram o jogo podem confirmar se este domínio foi tão claro assim na partida.

Na minha coluna Saque, que excepcionalmente será publicada nesta segunda-feira, no LANCE!, abordo as derrotas brasileiras nos Mundiais. Amanhã publicarei neste espaço para ouvir a opinião de vocês.



  • romano

    bom…não há muito o que dizer, a superioridade foi GRITANTE, a Superliga Feminina esse ano foi de baixo nível técnico, nenhuma equipe jogou em alto nível, Osasco, Rio, Sesi e Campinas tiveram bons momentos, mas todos foram muito irregulares, o Rio cresceu muito nos playoffs e foi o campeão. A invencibilidade do Osasco mostra isso, como uma equipe tão frágil nas pontas, com uma recepção ruim de doer só foi batida nos playoffs?

    as jogadoras brasileiras, inclusive da seleção, não mostraram muita evolução esse ano, exceção feita à Fabiana, Garay [que joga no exterior] e talvez Tandara. Acho até que algumas jogadoras renderam pouco ou se acomodaram, caso da Fabíola, Camila Brait, Thaísa e Sheila. Como uma central alta e forte, bicampeã olímpica, pode ser tão irregular? Não vai bem no ataque, então faça bem o seu trabalho no bloqueio, a Adenízia conseguiu, nesse mundial, ser bem melhor que a Thaísa… pra mim a grande decepção do Osasco.

    foi uma AULA esse jogo, de um time jogando em alto nível, com jogadoras comprometidas, fazendo muito bem o seu papel, sem grandes furos ou deficiências, inclusive uma jogadora excepcional. Do outro um time irregular, muito fraco na recepção e sem comando, daí tudo vai caindo, foi triste ver o baixo nível técnico do time em vários momentos. Péssima temporada para o Osasco, um verdadeiro fiasco. Imperdoável até, pelo investimento, pelas jogadoras da seleção, pelas condições que tem.

    Jogadoras que falaram tanto que não comemoram derrotas sendo demolidas, derrotadas sem lutarem dando o seu melhor, caíram sem terem sido capazes de se levantarem e ir pra luta. Parabéns ao Dínamo e espero muito que tenhamos melhor sorte com a seleção brasileira.

  • Roberto

    Incauto blogueiro, sabe quando o Brasil enfrenta o Peru! Pois é, só que neste caso o Peru foi o time do Osasco. Ridículo! A Sheila não é nem a unha da Gamova; a sensação que eu tive é que a Gamova nem suou.

    • Afonso RJ

      É, mas na Olimpíada…

      • wms

        Episódios como o da Olimpíada são um porto seguro para colocarmos a fé, viu!
        Esse mundial mostrou que nossa superliga está mesmo devendo, dado o tamanho alarde que se faz em torno dela. Ideias como nosso ranking se sustentam com o argumento de melhorar o esporte no âmbito nacional, mas a coisa não parece ter dado frutos até agora. Como temos um time realmente bom na seleção feminina, ainda há esperanças de o Mundial de Seleções não repetir o mesmo constrangimento de hoje, apesar do histórico bom da Rússia nessa competição e justo contra o Brasil. Ajuda na expectativa, o fato de que Fabiana e Dani Lins, mais um time melhor de ponteiras que o Osasco, fizeram um jogo mais equilibrado contra as Russas. Em outras palavras, a realidade na seleção pode tender ao nosso lado até com certa previsibilidade.

        Quanto ao Masculino, a expectativa é mais pra um quase-milagre mesmo. Nenhum ponteiro veterano do Brasil está jogando o que o Tetchuking (não sei é essa a escrita) está jogando, nenhum Central está no nível do Muserski, escadinha não está em quadra e não há substituto à altura que se firmou, além de o saque das duas seleções (das duas escolas, de forma geral) definitivamente estarem em mundos bem diferentes de eficiência, com desvantagem para nós. Nossos levantadores são melhores e nossos opostos rivalizam bem com eles, mas precisaremos do time todo funcionando melhor que eles. Resta torcer para que Bernadinho, faça na seleção e num campeonato de alto nível, o que ele conseguiu fazer no clube em um campeonato (nesta temporada) de baixa qualidade.

      • newton pr

        Concordo com o Afonso. A Sheila é mais técnica, mais jogadora e, com um 1,85m, ganhou tanto quanto a Gamova, com 2,02m. Imagine se tivessem a mesma altura?

        • Roberto

          A Gamova não é uma jogadora grosseira como pintam aqui, tem técnica, e no jogo mostrou isso com várias largadinhas quebrando a defesa do Osasco, deu show. A Russa é muito mais importante e decisiva e quem dera o Brasil tivesse uma jogadora como ela e altura não é demérito é qualidade e argumentos como “se tivessem a mesma altura”, me desculpe, nem vale apena contrapor. Reitero minha opinião, a Gamova é de longe a melhor jogadora do mundo.

      • Roberto

        E quem está falando de Olimpíada? O jogo que se trata é Dínamo x Osasco e a Gamova é sim muito mais determinante do que a Sheila.

  • Lilika

    Foi o massacre mesmo…assim como foi ano passado, Vakifbank e Brakocevic literalmente passaram um rolocompressor em cima do Rio e Bernardo…e agora o Dinamo e Gamova fizeram o mesmo com o Osasco e Luizomar….vamos pensar agora na seleção, mundial já está aí e a Rússia é a pedra no caminho que vai deixar nosso caminho no feminino e masculino mais difíceis…

    • Pitoco

      Lilika…acho que vimos um Rio x Vakifbank diferente, então!!! O jogo foi bem parelho, com o Rio começando a todo vapor (se não me engano chegou a abrir 4×0). O primeiro set foi disputadíssimo, com os dois times tendo oportunidade de fechar a parcial. O segundo set foi o mesmo equilíbrio, mas no final prevaleceu o conjunto do time turco. O terceiro set foi equilibrado até a metade da parcial, quando o Vakif abriu e o Rio não teve forças para reagir, talvez até baqueado pela derrota nos dois primeiros, onde poderia ter ganhado perfeitamente. Vale lembrar que o time da Unilever estava em formação ainda, início de temporada, jogadoras novas entraram na equipe (Mihajlovic, por exemplo, fez sua estreia no mundial), já o time turco vinha de duas temporadas inteiras jogando juntas, estavam invictas a uns 70 jogos +/-. Enfim…pode até ser que mesmo entrosado o Rio não ganhasse aquela final, mas poderia ter dado ainda mais caldo do que já deu. E a diferença dessa equipe está justamente na preparação técnica e tática, tem uma comissão diferenciada. Já o jogo de ontem entre Dínamo e Molico, esse foi foi um verdadeiro passeio russo, com direito a torcedores do Osasco dormindo no ginásio!

  • Paulo

    No Brasil geralmente culpa-se o levantador quando o time perde, entretanto não foi o caso do Molico. A bola simplesmente não chegava nas mãos de Fabíola, a linha de passe do Luizomar foi massacrada pelo saque russo e quando as osasquenses sacaram não forçaram. Foi um passeio do Dínamo. E não foi só a Gamova que jogou, o time todo jogou muito bem, pra mim a melhor em quadra foi a Larson. Ficam duas lições: o ranking limita os times brasileiros, qualquer time europeu com o mesmo poderio econômico é muito mais competitivo e, não adianta ter uma boa levantadora e boas atacantes se a linha de passe é inexpressiva; o Molico sentiu isso na pele.

  • Andréa

    Deu pena das meninas do Osasco…
    O time não tem passe, as estrangeiras são muito inseguras.
    Azar do Osasco que não quis a Jaque para a fase final da Superliga e Mundial de Clubes.
    Ela sem ritmo é melhor que Sanja e Caterina juntas!

  • Guilherme

    Por favor. Não envergonhem o Pais dizendo que temos a melhor oposta do mundo. Isto fará com que nunca mais tenhamos respeito e seremos motivo de risadas por todos os cantos. Pra quem comenta sem ver direito as coisas. a oposto do Moliço recebeu apenas 7 bolas a menos que Gamova. Fez 8 pontos e a melhor do mundo, russa, marcou quase 20. Só de ataque. Então, caiam na real. Por favor!

  • Patricia

    Foi um vexame, um massacre, o D. Kazan não tomou conhecimento do Molico, deu uma aula de volei. O Molico não tem passe e assim a bola não chegou às mãos da levantadora, o bloqueio não existiu, parecia jogo time profissional contra amador.
    Há muitas reflexões mais profundas que devem ser feitas a partir desse resultado.
    1- Por que os times estão contratando estrangeiras de baixo nível técnico, só pelo status de ter uma estrangeira no time? As do Molico e do Minas são verdadeiras aberrações de jogadoras, é a minha opinião.
    2- O baixo nível da recepção de todos os times da SL, me parece deficiência que vem desde a base, há que ver como estão sendo preparadas as futuras jogadoras brasileiras.
    3- O time russo é altíssimo, o time brasileiro muito mais baixo. Sei que tem meninas altas em alguns times pequenos da SL, e a impressão que dá é que os técnicos não conseguem desenvolvê-las.
    4- Já estou preocupada com o mundial de seleções, mas muito mais com as olimpíadas, vejo jogadoras estrangeiras altíssimas e evoluindo, e as nossas nada de nada, e lá vem a Rússia de novo no nosso caminho.

  • Thiago Reis

    Os times Brasileiros , principalmente o Feminino , nao deveriam ir a esses Campeonatos ! Essa droga de ranking , so beneficia os Europeus que sao verdadeiras maquinas ! O time do Kazan é a Seleçao Russa em peso sem Goncharova e sem Sokolova ( no lugar delas tem Larson e Del Core q sao selecao american e Italiana ! ) . Qual a graça ? Queria ver se no lugar da Adenisia tivesse Fabizona , no Lugar da Brait a Fabi , no Lugar da Fabiola Dani Lins e de gringa tivessemos 1 cubana e uma americana boa de bola ! Esse ranking é feito pra nos humilhar internacionalmente . Em tempo , so seremos competitivos se nossas estrelas parerem com esse chororo e irem pra outros paises jogar ! Todo atleta de qualquer modalidade quer ir pra fora do pais , ganhar euros ou dolares e escrever o nome no cenario mundial ! So no Brasil que elas ficam com esse mimimi sair daqui … Sendo treinandas por Luiz Omares da vida e joganda essa meleca de super liga de 21 pontos , vamos tomar pau de no mundial e olimpiadas por aqui , tendo em vista que renovaçao nao existe ! Se a Dani lins nao estiver bem ? Quem entra ? Sheilla , mesmo estando ruim tem estrela , nao confio na tandara nem ivna q sao 2 jamantas e so batem pra baixo , forca sem tecnica nao adianta nada , principalmente enfrentando russia bulgaria servia , q sao bloqueios altos e pesados ! Enfim , continuamos torcendo né fazer o que , mas ja vamos nos acostumar … Pq o que vimos em londres foi magico , e nao podemos contar sempre com isso !

    • Roberto

      Na minha opinião um dos problemas de algumas jogadoras da seleção, é que elas chegaram a um tal ponto de estrelismo que não suportam serem cobradas, por fim adoram treinadores como o Luizomar, o paizão.

    • Pitoco

      Thiago,
      O Dínamo Kazan não é nem de longe a seleção russa em peso. De todas, apenas a levantadora Startseva e a Gamova que são da seleção hoje em dia, sendo que a Gamova não é mais por que não quer, embora ainda acho que ela volta! Das demais, nenhuma outra tem sido convocada, nem mesmo a central Borodakova, que nesse mundial provou o porque tem sido esquecido, mais um rendimento péssimo para sua conta, mas ontem sequer entrou em quadra durante a final para sorte do Dínamo, pois no jogo contra o Sesi ela fez cada cagada. As demais jogadoras também não tem sido convocadas, merecidamente (as selecionáveis têm muito mais bola)…injustiça apenas com a líbero Ulanova, que mais uma vez mostrou que é a melhor da Rússia e merece estar na seleção novamente. A central Malkova também mostrou ter futuro, mas ainda é muito nova e tem jogado pouco no lugar da Borodakova (injustamente).
      O diferencial dessa equipe está justamente nas estrangeiras. É impressionante como a Del Core e a Larson ditam o ritmo de jogo do Dínamo, caíram como uma luva para esse time. Com elas (+ a líbero que tem defendido tudo e mais um pouco) o volume de jogo é garantido. O Kazan, diferente de qualquer outra equipe russa, tem jogado com o passe na mão o tempo inteiro. E dessa forma, ainda contando com uma Gamova (que é sem dúvidas a melhor atacante do mundo), fica fácil. Ontem o que vimos foi até cômico: uma equipe brasileira capengando na recepção contra uma equipe russa jogando com o passe na mão o tempo todo.

      • Thiago Reis

        Pitoco ! Concordo com algumas coisas que voce disse , mas , o que vc nao entendeu , foi que eu quiz dizer sobre o peso dos times Europeus , nao so pela liga forte , mas tbm por montarem verdadeiras Selecoes em seus times ! No Brasil pelo ranking seria impossivel montar um time com selecionaveis e ex selecionaveis como o Time do Kazan ! Como eu frizei , se colocar a Goncharova e sokolova nesse time do Kazan daria uma Seleçao Russa !
        Kazan e Krosnodar sao as 2 potenciais russas e todas jogam junto o que facilita muito ! Na minha visao elas sao chatas iguais a Brasileiras que nao gostam de sair do pais , mas a diferenca é que elas jogam Ligas fortes na europa e ainda juntas em Clubs … Enfim …
        Realmente a Del E larson nesse time sao de encher os olhos , pq nas seleçoes sao amarelonas !
        Voltando a russia , eu duvido muito que Gamova Sokolova Startseva Goncharova irao deixar de se tornarem Tri mundiais ! Ilusao ! Estao todas descansando e vao voltar com tudo pro Mundial !
        Por tudo que fizeram até hj , essa geraçao merece essa medalha , mas acho muito dificil ! Pra mim que alem de torcer gosto de volei , quero todas as melhores e Inclusive Cuba com força maxima , pra se o titulo vier , vir mais brilhante !

        • Mauricio

          Desculpe, Thiago. Mas o Osasco tinha e tem plenas condições, tanto financeiras quanto com relação ao ranking, de montar uma equipe no nível do Kazan. O que o time fez foi escolhas erradas para as pontas, assim como reservas sem condições de reverter situações adversas. A Sanja principalmente só deu prejuízo, tirando os jogos contra o Rio. As duas gringas são novas e inexperientes em grandes times. Teria sido mais sensato contratar uma só e investir em jogadoras brasileiras ou então outra estrangeira mais experiente. Com passe das ponteiras, Thaisa/Ade atacam muito mais que as centrais russas e a Sheilla acaba ficando menos pressionada. O Kazan não é uma super seleção. Pelo contrário. Ali, só as ponteiras e opostas se destacam de verdade. As outras são jogadoras eficientes que compõe bem o elenco.

          • Edu

            Meu caro a própria Sheilla disse no Twitter que banco do Sesi ganha mais que titular do Osasco.É uma organização tradicional que cultiva a escola do voleibol e tem estrutura excelente com uma torcida enorme e fanática.Uma jogadora top mundial tá ganhando na base de 600 mil euros uma temporada de sete meses.Nos locais onde se paga mais são as republicas desmembradas da antiga URSS, a Rússia e a Turquia onde o dinheiro vem principalmente da movimentação financeira dos bilionários que se apropriaram nas privatizações dos negócios de mineiro, gás e infraestrutura do antigo estado soviético.Na Turquia, o dinheiro vem da ocidentalização desse dinheiro pelos patrocinadores financeiros comoo Vafikbank.Não sei a carga fiscal de lá mas as estrangeiras pagam em dois domicílios: o pais de origem e o onde joga.No Brasil é vinte e sete e meio recolhido na fonte .A Larson esta morando cinco anos em Kazan com um frio de mais de vinte negativos no inverno e parece bem feliz e entrosada com uma cultura absolutamente antagônica a uma interiorana do Nebraska.Deve estar feliz porque esta ganhando bem e pagando imposto digerível na Russsia e nos EUA.

          • Thiago Reis

            Bom entao vimos jogos diferentes … Pois essas centrais fracas que vc diz , eu vi a Moroz dando uns 5 tocos sozinha na Thaissa … Vi as 2 sacando e duplo o tempo em cima !

      • Carlos

        Gamova, Startseva, Moroz e Borodakova são da seleção Russa. Você acha que estas jogadoras não valeriam 7 aqui no Brasil? Sem contar as reservas que jogam muito. Voronkova, Popova, Rossamakina e etc… Molico foi sim humilhado, mas com estas ponteiras eu já esperava um resultado assim. Quem sabe não apagam este ano da memoria e começam a montar o time pelo banco???

        • Thiago Reis

          Ufa , até que enfim alguem parece que leu e entendeu o que eu escrevi ! VALEU Carlos ! Foi exatamente esse ponto que quis tocar …

  • Lucas

    Uma pena que esse veículo tenha dado mais atenção ao mundial masculino, as brasileiras deram show enquanto os brasileiros ficaram a ver navios, caso não tenha sido informado, além da prata do Osasco, o SESI-SP ficou com o bronze.

    • Daniel Bortoletto

      eu estava em BH, não na Suíça. E hoje estava no avião enquanto o Molico jogava. Mesmo assim se não tinha no meu blog, estava no canal de vôlei no LANCENET! e teve abres de página no LANCE!.

      • wms

        Lucas, isso já foi respondido em outros posts. Mais recentemente, houve acusação de bairrismo de um paulista contra… times paulistas. Vamos com calma, pessoal.

    • Gustavo Soares

      Grande campanha do SESI-SP, a Suelle até foi escolhida para a seleção do campeonato. (não precisei estar na Suíça para saber disso).

  • Mario

    Putz, muito engraçado os comentaristas e os torcedores puxa-sacos da Sheilla. Insistem em chamá-la de melhor do mundo e a cada jogo fica mais claro que isso é pura mídia. Pior é ver grande parte culpando, por vergonhas como esta derrota pra russas, a Fabíola. Gente, vejam estatísticas. A sheilla recebeu quase 30 bolas e só fez 8 pontos. Fato. Aproveitamento vergonhoso. Têm a petulância de culpar Thaisa. Pô, desde quando, em qualquer outra seleção ou equipe do mundo, a responsabilidade é de jogadora de meio? Desde quando as meios são definidoras? Não!!! Pelo amor de Deus. A responsabilidade é de quem ocupa a posição de oposto. Este é o papel das opostos de qualquer equipe. Além de que, se Sheilla é tão boa assim, deveria ter tido a dignidade de pedir bola (embora tenha recebido apenas 7 a menos que Gamova, que fez quase 20 de ataque e encerrou qualquer idiotice de comparação entre ela e a oposto brasileira). Na boa, se eu fosse dirigente do time turco, jamais fecharia o contrato com este engodo chamado Sheilla, construida e mantida pela mídia e por quem precisa, urgentemente, de lentes de aumento pra enchergar a realidade. Os turcos vão se arrepender. E muito!

    • Leiga

      Mário, não se faça de louco, Thaísa sempre foi mais a bola de segurança do que a Sheila no Osasco. O time turco monta uma verdadeira seleção, não vai ficar nas costas de Sheila. Hoje, Sheila não consegue aguentar um time sozinha, por isto que o Osasco contava muito com Thaísa e as ponteiras. Até na seleção, se vc reparar, a Sheila nunca foi a definição, ela sempre era chamada quando tudo estava perdido em razão de algum problema de recepção ou por causa da jogada de meio fundo.
      São poucas as jogadoras do Brasil que são do tipo “definidoras”. O Brasil sempre foi um grupo homogêneo, nunca investiu na dependência de uma só jogadora, e isto fez o Brasil ser o que é hoje.

      • Mario

        Rsrsrs. Leiga, não tinha me dado conta de que no Brasil acabaram mudando o propósito da existência de um oposto num time. Nos demais, este atleta constantemente é o maior pontuador, o definidor, visto que está livre da recepção. Então, desculpe aí e viva a Sheillinha!

    • Pitoco

      Mario,
      Vá com calma, rapaz! Menos, beeem menos aí…
      Concordo em nr, gênero e grau nos elogios à Gamova. Também a considero hoje a melhor atacante do mundo. Mas para elogiar e reconhecer os méritos de uma atleta, não precisamos desmerecer ou esculhambar uma outra. A Sheila foi e continua sendo uma das melhores nessa posição no mundo. E não precisa provar mais nada para ninguém. Ela é bi-campeã olímpica não é à toa. Teve papel fundamental tanto em Pequim como em Londres, nessa última então deu o nome e sobrenoma diante da seleção russa da mesma Gamova em questão, e não fosse ela o Brasil jamais teria vencido aquele jogo histórico. Alias, a Sheila é sem dúvidas um dos grandes nomes responsáveis pelo Brasil hoje estar no topo do vôlei feminino.
      A diferença é que a Sheila é um oposto diferenciada, mais técnica, e assim como todas as atacantes brasileiras, depende de um passe bom para virar com mais eficiência. Aquela Sheila encapetada do jogo contra Rússia em Londres foi uma exceção, quando virara diante de duplos, trilpos, quádruplos…rsrs. Já a Gamova não tem bola ruim…até mesmo pelo biotipo, com um altura privilegiada, ataca tudo quanto é bola de todos os lados da quadra sem muitas dificuldades. Com o passe saindo ou não, ela vira. Isso faz dela uma atacante mais decisiva, o que também não tira os méritos da Sheilinha.

      • Mario

        Caro Pitoco, respeito sua opinião. Mas tenho o direito de não gostar disso, pois, pra mim, a atribuição do oposto é ser decisivo, colocar a bola no chão, como fazia a Mari quando pontuava mais que a própria Gamova (basta ver o resultado lá de 2004, quando ela acabou sendo massacrada, por errar onde “não podia”, mesmo com 37 pontos). Agora, pensando no futuro de nosso vôlei, é evidente que o mundo está vendo que basta marcar as meios (Fabizona e Thaisa), porque são as verdadeiras bolas de segurança. E, desconsiderando a partida que você comentou, não temos oposta decisiva, matadora. O pior: todas que aparecem, acabam, parece que pra não fazerem sombra à Sheillinha, jogadas paras as pontas. Isso aconteceu com a Mari (que determinou a derrocada dela), com a Natália, com a Tandara…e, depois dessas, não apareceram qualquer outra. E não me conformo quando sempre, por menos que Sheilla faça, cometendo erros, comprometendo, todos vão em sua defesa, como se nunca tivesse culpa. É a melhor e pronto, acabou! Na lambança da final do último mundial de clubes, ela atacou da saída, pra fora, e depois invadiu na rede, dando ponto para as russas. Penso que se fosse qualquer outra, seria defenestrada. Mas da Sheillinha, não. Não se pode falar…paradoxal isso, não acha?

  • perikito

    Eu acho um absurdo essas críticas que estão sendo feitas a Sheila. Os turcos não são cegos. Eles veem o mesmo vôlei que nós brasileiros vemos. Se Sheila chegará lá com o status de estrela é porque de fato é.

    Cada jogadora tem as suas características. Se a da Gamova é a pancada, a da Sheila é a habilidade. Gamova também tem seus dias de vira-lata. Basta levar um toco pra começar a bater leve, largar, e ontem quando o SESI fez três bloqueios seguidos nela, pude observar isso. Pena que ele não é um time coeso.

  • Osmar Cordeiro

    Será que o problema é o ranking ? Infelizmente está sobrando refugo das estrangeiras para o nosso mercado , tirando a Kristin que estava com a seleção americana na Copa dos Campeões de 2013 , o resto das jogadoras bem abaixo . O Molico tem base de 5 jogadoras da seleção brasileira e mais jovens de seleções de base , a equipe não conseguiu manter a Fê Garay e ainda vejo comentários dos mais entusiastas dizendo que o Saori . Brakocevic e outras poderiam aparecer em alguma equipe , muito difícil … Na equipe do Dinamo no primeiro jogo contra o Molico haviam 4 à 5 jogadoras de 18 anos e jogando um ótimo voleibol e no Molico só vejo a Gabi que foi a coringa da temporada inteira entrando . Enquanto estamos comemorando ouros pra lá e pra cá na base estamos decaindo , caso a sub 23 no passado que não foi bem no campeonato mundial e daqui 2 olimpiadas com as jogadoras consagradas aposentadas .

  • Leiga

    O problema não é o ranking. O problema foi quem escolheu o time.
    Ora, o time tem como contratar duas jogadoras de 7 pontos e mais duas estrangeiras. Ou seja, o time já pode conseguir quatro jogadoras nível 7 (estrangeira não chega aqui com pontuação máxima!).
    Líbero e levantadora (com exceção de Dani Lins) não chegam ao 7 pontos.
    Logo, dá para montar um time muito competitivo, mas é só saber escolher.
    No caso do Osasco, já tinha Thaísa, Adenízia, Camila e Sheila. Portanto, só bastava contratar duas boas ponteiras. Se as contratadas não renderam, a culpa não foi de ranking, foi de escolha do time.
    O ranking fez Fernanda Garay sair do time, e foi muito bom para ela, que melhorou consideravelmente no fundo de quadra. Está uma Jaque com qualidade de ataque. Ou seja, o passe da seleção será, no mínimo, excelente. Além disto, já contamos com Thaísa e Fabiana com ótimas centrais. De ponteiras, é só escolher, tem Gabi (que o Bernadinho conseguiu recuperar), Garay, Jaqueline, Tandara e Natália. Tudo isto sem contar a Dani Lins em ótima fase para fazer este time jogar.
    O que menos me preocupa é a seleção neste momento, mas sim o trabalho da comissão técnica na tentativa de controlar as emoções destas jogadoras. Algumas delas são muito volúveis, e isto é preocupante.
    A preocupação a longa prazo é a função de oposto. Sheila ainda rende uma olimpíada, mas e depois? Andreia está bem, mas vai começar a decair em razão da idade pós 2016, assim como a Sheila.
    Nós temos que nos preocupar é com a nossa base, com as novas jogadoras, e não porque o time de clube não ganhou um campeonato por falta de qualidade da comissão técnica do Osasco em escolher boas passadoras. Esta geração vai render um pouco, mas não estou vendo uma renovação.

    Perto do que Mari e Paula Pequeno jogaram, é um retrocesso o futuro ser a menina Gabi, por exemplo. Ademais, Tandara nunca rendeu fora de clube.

    Tenho medo do futuro, porque as promessas eram Pri Daroit e Natália. Acabaram com a Pri, que tem tudo para ser uma jogadora de seleção, e agora estão querendo ferrar a Natália, que, ao invés de ser uma exímia oposto, fica lá como ponteiro, e pior, para segurar passe!

    ZR e Bernadinho poderiam trocar de novo para ver se muda alguma coisa muda agora, né?

    • Edu

      De leiga, você não tem nada.Parabéns, ótima análise.Só discordo que hoje existe uma ameaça concreta e real em não levarmos os dois títulos de mundial.Pela simples razão que a Russia esta alguns degraus acima nos times masculino e feminino.Muito se mascarou pela vitória em Londres e da campanha cambaleante até as semis. Depois do título se insinuou uma tentativa de renovação por parte da comissão técnica visando o Mundial desse ano que foi travada pela ausência de consistência dos promissores talentos.Como você citou hoje a base não consegue mais títulos e repercute na falta de jogadoras talentosas.Temos carência para as Olimpíadas de opostas e ponteiras de melhor técnica e principalmente estatura e levantadoras.Por mais que não se queira admitir Dani e Fabíola são as duas melhores levantadoras em atividade no vólei e as outras do mercado estão ainda longe delas.Não podemos contar com a Fofão por suas próprias limitações atuais.O restante envolve coisas estruturais do volei que tem comprometido e até prejudicado muito a evolução do esporte como a falta de mais centros de formação de base privilegiando os elencos estrelados de curta temporada de existência.Veja o caso de Campinas.

  • Jorge

    E, com essa política de contar apenas com duas jogadoras de 7 pontos, vai ficar pior ainda. Os clubes brasileiros não chegarão nem na final…

  • Lucia

    Acho que a seleção feminina,com Dani Lins, Fabi, Fabiana e Garay mais Thaissa e Sheila tem todas as condições de enfrentar e ganhar qualquer campeonato.Fico desanimada com a seleção masculina, embora os ótimos levantadores Bruno e Rafa e o quadro de centrais, com Murilo ainda longe da sua melhor forma física não sobrou nenhum ponteiro com o nível de excelência do Giba, Wallace que era nosso melhor oposto demonstrou o seu descontrole quando está perdendo e Evandro, que poderia também ser titular, nem foi convocado. Acho que Isac, bem trabalhado pelo Bernardo, tem mais potencial que Gustavão que realmente é mais lento e não saca forte.
    Foi visível também o estrago que o set encomendado de 21 pontos fez com os atletas brasileiros em relação aos demais que se mantiveram acostumados a jogar partidas de maior duração.

  • VEXAME

    Os times brasileiros não deveriam participar desses campeonatos. Esse maldito ranking só serve para isso. Para os times brasileiros passarem vergonha. Primeiro nossos times não tem poderio financeiro e depois o RANKING limita a montagem de grandes times. Soma-se a isso essa maldita regra de sets de 21 pontos que atrapalhou em muito a SUPERLIGA 2013/2014. É nítido que houve um retrocesso na evolução dos jogadores que participaram da SUPERLIGA 2013/2014.

  • A DERROTA DO OSASCO ONTEM FOI HUMILHANTE

    A Camila Brait é muito fraca. Ela não passa e não defende nada. Eu errei um tempo atrás ao dizer que ela deveria substituir a Fabi na seleção, mais ela é horrível. O pior é que ela não tem personalidade nos grandes jogos.
    Outra que caiu de rendimento foi a Adenizia. Ela que tinha seu melhor fundamento o bloqueio, nem isso ela rendeu essa temporada.

  • Mauricio

    Nessa temporada ainda podiam 3 jogadoras de 7 pts, mas o Osasco preferiu esperar a Jaqueline pós-parto do que investir em outra jogadora TOP. O campeão mundial não possui centrais espetaculares e líbero e levantadora (por mais que a Startseva seja seleção) também não são estrelas caríssimas e diferenciadas. Ou seja, o elenco não é nada de estelar, com exceção das ponteiras e da oposta. O Osasco tinha orçamento e peças disponíveis para montar um time TOP. A verdade é que o título do Kazan foi merecido. Se antes era só Gamova e Larson, veio a Del Core pra arrumar a casa e deixar a Startseva mais a vontade na mão. Quanto à Sheilla, torço pra ela treinar mais e ficar menos nas redes sociais digitando asneiras (Thaísa o mesmo). Sheilla é incrível, mas não vai ser sempre que vai fazer o que fez em Londres contra a Gamova. Gamova é fenomenal e melhor que ela, acho que só as cubanas dos anos 90. É muito mais que 2m de altura.

    • Edu

      Se você perceber a Gamova jogou a meia força esse mundial.Toda parada técnica ela nebulizava o nariz e foi nitidamente poupada no primeiro jogo contra o Osasco.Não tem mais a mesma velocidade de 2010 e joga mais na inteligencia e técnica que estourando todas as bolas.Percebeu que hoje precisa otimizar mais sua eficiência em quadra.

  • lucoelho

    A final com o Molico foi vergonhosa, a diferença entre os dois clubes era evidente e só houve algum equilibrio no terceiro set, quando, provavelmente, o Dinamo relaxou e começou a errar e a forçar menos as jogadas.

    Mas o que vale de reflexao foi a semifinal que o time do Sesi fez contra o Dinamo. O SESI jogou o primeiro set de igual para igual perdendo pela diferença minima. Ganhou o segundo set, e levou o terceiro em equilibrio até a segunda parada técnica quando finalmente as russas abriram uma vantagem. O quarto set foi amplamente favorável as russas. Em resumo, o Sesi fez contra o Dinamo o que todo mundo esperava que o Molico fizesse: botou pressão. E se não conseguiu vencer foi pelo esgotamento da distribuição da Dani Lins, pela competência do bloqueio russo que achou a Ivna, pela esgotamento das ponteiras.

    O que faltou ao Osasco foi elaborar um estratégia que as colocasse em pé de igualdade com as russas mesmo tendo em vista sua sua recepção deficiente. Nunca na minha vida achei que eu fosse elogiar o Talmo por elaborar uma boa estrategia. Mas parece que o jovem técnico do Sesi cresceu demais nessa temporada.

    E sem dramas. Já ganhamos da seleção russia uma vez, podemos ganhar de novo. Gamova é boa, mas não é duas. Na seleção, são outras peças, outra estratégia e é outra história. No masculino, admito, a coisa é mais complicada. Vencer os russos já está quase virando tabu.

  • perikito

    Daniel, parabéns pela cobertura do Mundial! Deu gosto de ler tantas postagens legais nessa última semana. Me acostumou mal, viu!

    • Daniel Bortoletto

      Valeu

  • cesinha

    ola olhei todos os comentarios cada um tem uma opiniao mas e fato soberba e arrogancia nao ganha titulo algumas atletas devem ter pensado que estavam jogando contra rio do sul com todo respeito um time que se diz melhor do brasil levar um vareio como foi fazer 3 pontos de bloqueio onde ao meu ver quem teve mais personalidade foi a sensacional , fora de serie sanja nao da luizomar nao cobra postura nao e firme nao muda o time nunca tem um plano b sempre previsivel com aquelas mascaradas o outro time pode ate nao ser tao bom assim mas quis mas a vitoria falam tanto da antipatia da gamova nao vi isto vi uma profissional seria sem estrelismo essa e a minha opiniao

  • Pedro Tiuna

    Vi o mundial ao vivo. Moro em Zurique. O time Russo está em outro nível. É certo que faltou garra ao Osasco e falhas grotescas foram feitas durante o jogo. Mas o Dinamo é muuuuito bom.

MaisRecentes

Um líder por pontos ganhos. Outro por pontos perdidos



Continue Lendo

Camponesa/Minas quebra longa invencibilidade em Osasco



Continue Lendo

Placar RedeTV!: Futebol 2 x 0 Vôlei



Continue Lendo