O melhor venceu



O Molico/Osasco provou ser o melhor time do país na atualidade. O líder invicto da Superliga conquistou, neste sábado, a Copa Brasil feminina, ao vencer o Sesi por 3 a 1, no Ginásio Chico Neto, em Maringá.

Como a coluna Saque deste domingo será sobre o tema, vou levantar alguns tópicos aqui para discussão.

– A equipe de Luizomar de Moura está um degrau acima de todos os adversários no Brasil hoje. Hoje conseguiu até fazer uma jogadora do banco, no caso Gabi, aparecer como destaque. Uma das críticas ao time atual era ter uma base titular galáctica e um banco com poucas opções para mudar um jogo. Percepção que começa a mudar.

– Thaísa segue sendo a melhor jogadora brasileira em atividade. Dá para dizer até que é também a melhor do mundo. Para um país que nunca teve nas centrais seu grande triunfo, tal notícia é animadora para a Olimpíada de 2016.

– A criação da Copa Brasil é um dos pontos positivos da temporada no vôlei nacional. Logicamente, pode melhorar bastante. Mas estar no calendário é um avanço.

– Esperava mais gente no Chico Neto. Maringá lidera a média de público na Superliga masculina, o ginásio foi reformado… Para as próximas edições, vale repensar fazer masculino e feminino no mesmo local, vale estudar horários mais atrativos, valores de ingresso…

– Ter a TV aberta é fundamental para qualquer esporte. Certamente Nestlé e Fiesp estão satisfeitos com a exposição da marca hoje na Rede Globo. Mas ficou claríssimo na transmissão que o Brasil é um país quase monoesportivo. É por isso que Luiz Roberto precisa explicar o motivo de a líbero ter camisa diferente, por exemplo. E olha que estamos falando de regra com que já existe há décadas…

– Se a decisão fosse para o tie-break, a regra de 21 pontos não impediria que a grade da Globo fosse comprometida.

– Ainda me surpreendo com os apagões que acontecem no vôlei, principalmente em times femininos. Já toquei nesse tópico outras vezes e espero não ser chamado de machista. Mas é incrível como uma diferença de oito pontos pode ser aberta e logo depois desfeita.

– Por força do destino, a decisão não teve o ingrediente extra de valer vaga no Sul-Americano. Por a sede ser em Osasco, o Molico já estava garantido, fazendo com que o Sesi, mesmo sendo vice, também se classificasse.

– A saída de Osasco fez bem para Ivna. Como reserva de Sheilla, ela só jogava quando a titular estava na Seleção. No Sesi, ela ganhou espaço e certo protagonismo, algo que se esperava desde quando apareceu bem no Minas. Se diminuir os altos e baixos durante os jogos e se livrar as contusões, pode se firmar no cenário nacional.

– Como defendeu Camila Brait hoje!

– Como oscilaram as levantadoras! E incluo no pacote as semifinalistas Fofão e Claudinha também!

Bom, assuntos de sobra para vocês opinarem aqui



  • Juju

    Não Daniel, vc não é machista, realmente as mulheres oscilam mais que os homens, mas eu gosto, não acho necessariamente ruim, gosto tanto da constância dos homens quanto da inconstância das mulheres, em todos os esportes. Gostei do Sesi, a Ivna, a Dani, a Bia e a Fabiana jogam muito, as outras estão um pouco abaixo. Quanto ao time do Molico, é uma seleção, tinha obrigação de ganhar, a Gabi hoje é um fato isolado, continua não tendo banco. Agora, como é antipático este time do Molico, e antes que a torcida me xingue, para quem não torce pra ninguém e está simplesmente vendo o jogo(meu caso) elas gritam demais, comemoram provocando e a Thaísa xinga toda hora, me lembra aquela seleção de Cuba da década de 90. Enfim a torcida do Molico, frise-se bem, deve achar legal, eu não gosto, transforma o jogo em uma guerra, com clima tenso, não acho interessante, pois cumprimentar o adversário depois do jogo é uma idéia totalmente contrária a espezinhar o oponente.

    • Edu

      As jogadoras do Molico(não sei se por determinação da direção) tem como norma após a conclusão do jogo na sua quadra em Osasco atender por uma hora os torcedores com fotos, cumprimentos e as assinaturas nos objetos de praxe(camisas, bolas, cartazes…).Por isso a torcida as idolatram independente da localização geográfica do país em que esteja.No Maranhão, na semana passada, mais de quinhentos torcedores a recepcionaram no aeroporto.Quanto a postura dentro de quadra, perdoe-me , senhora, mas isso se chama competitividade.

      • Fernando

        Competitividade em si é jogar com coragem, com regularidade, não tremer… olhar na cara e gritar pode ser uma característca, porém não é exigência de competividade. Sheila, por exemplo, é muito competitiva, que o diga a Rússia, Fabiana idem, porem não são de encarar e gritar, resolvem na bola. Adenísia, Jaqueline e Thaísa são exageradas, gostam de intimidar. Por isto são “antipáticas”. Sheila sabe que não precisa disto, lógico que erra, porem na maioria das vezes, resolve na bola. Thaísa e Jaqueline são excelentes atletas, porem gostam de intimidar, especialmente atletas com nível inferior a elas. Isto é característica delas, não obrigatoriedade de competitividade…

    • Carlos

      Não sei porque essa implicância das torcidas adversárias com as comemorações das jogadoras do Osasco. As jogadoras do Sesi, por exemplo, gritam escandalosamente quando fazem ponto. E isso não é condenável. Pelo contrário, mostra a vontade de vencer. E a vontade de vencer é fundamental no esporte em geral, não apenas no vôlei. É por causa dessa garra, dessa vontade de vencer, que a seleção feminina tornou-se bicampeã olímpica. É essa emoção que dá vontade de assistir ao vôlei, que dá ânimo às partidas.
      E o time de Osasco está de parabéns por, a cada jogo, independente do adversário ou do campeonato, com ou sem obrigação de vencer, mostrar sempre a mesma garra e vontade.

    • Lilika

      Juju, acho que vc precisa ver mais jogos, detalhadamente verás que todas, literalmente todas, vão gritar ou soltar um palavrão em algum momento, e não somente as jogadoras do Osasco…cansei de ver Jucielli e Fabizinha soltando.os petardos (até Fernanda Venturini falava no calor do jogo)…eta povinho que adora causar polemica afff…

    • JUJU, você não entente nada cara, tem que ter raça, vibração, até agora nenhuma comemoração vibração virou guerra,

  • Lilika

    Bom, parabéns ao Osasco merecia realmente o título…o Sesi inicio de 2014 está melhor que o fim de 2013, mesmo assim não foi o bastante…o que comentaste da vantagem dw pontos desfeita…é psicológico, não adianta bater muito na tecla isso sempre vai acontecer no feminino rs (até com as “geladas” russas isso acontece, e nós sangue latino, então rsrs…), sobre as levantadoras, uma pena mas Fofão já tem os aspectos negativos que o avançar da idade na vida de um atleta profissional proporciona…se ela quer continuar parabéns pra ela, mas…Claudinha ou melhora ou “dança”, ainda mais trabalhando diariamente com ZRG, é boa sim, mas não tanto quanto falam (prefiro a Ana Tiemi rsrs)…Lins e Fabíola, é aquela coisa da psicológico, vão oscilar um momento ou outro, não tem jeito rs. No mais, que bom nossas centrais estarem tão bem rs, Brait joga muito e não é de hoje, é que o povo só fala da Fabi do Rio que tbm tem seus méritos óbvio rs…e de modo geral, que bom que temos boas opções de jogadoras para a seleção, afinal vem Mundial aí rs. abs.

  • Edu

    Boas sacadas, com perdão do trocadilho infame.Só colocaria também como destaque a Fabíola que fez o esplendidamente o dever do oficio e defendeu, atacou, fintou(fingindo um ataque que rendeu ponto) demonstrando que quando entra esta numa boa fase é disparada a melhor levantadora do país.Parece que vive esta fase novamente(aquela que colocava facilmente a Dani Lins no banco) muito mais pró ativa em quadra e escorregando, vejam só, em alguns impropérios no calor de certos lances que tiveram a conclusão inesperada

  • wmscarro

    A transmissão na TV aberta fica um pouco mais chata por causa da baixa frequência do vôlei em sua programação. Em todo caso, melhor uma transmissão assim do que nenhuma, pois os patrocinadores vivem de visibilidade e os times vivem de seus patrocinadores (no sentido de que eles não são suficientes, mas são imprescindíveis). Enquanto outros canais não investirem no vôlei (ou pq não querem, ou pq não podem), o menos pior é a transmissão didática-matutina-tendenciosa da Globo. Ainda bem que o Rio não tava na final, senão teríamos que aguentar a Leila torcendo descaradamente enquanto “comenta” a partida. Os comentários do Gávio foram melhores do que costumam ser as participações nas transmissões da Globo.

    O Sesi-de-sempre deu o ar da graça quando deveria manter o bom ritmo de jogo da Copa, e fez isso diante do melhor time da atualidade no Brasil. Resultado justo.

    Se o cenário da temporada se mantém assim, Amil, Sesi ou Praia Clube só chegam (talvez) à final da Superliga se pegarem o Rio na Semifinal. Quanto ao título, fica difícil não acreditar no Osasco, por enquanto…

  • João Lucas

    Meus destaques são esses:
    -Molico/Osasco realmente está em outra estação, é um time muito interessante, pois, tem em Thaísa, Sheilla e Adenízia a regularidade uma vez que as ponteiras Sanja e Bosseti são muito irregulares e constantemente Luizomar vai ter que ir atrás de Gabi.
    -Thaísa é gigante. Sem dúvidas é a melhor Central do mundo e a melhor jogadora do Brasil.
    -Ivna Marra também se mostrou interessante e vem numa acrescente.
    -Camila Brait já é realidade. Deve ser testada de verdade na seleção.
    -O SESI/SP surpreendeu, agora está com cara de time e não é mais aquele amontoado de boas jogadoras. Cresceu e muito no sistema defensivo, está defendendo demais e no ataque, soma-se a volta de Bia que recuperou a boa forma e a dupla fantástica formada por Dani Lins e Fabiana. É um time perigoso e ainda tem as voltas de Ju Costa, Pri Daroit e Mari Cassemiro.
    -O Unilever vem decepcionando. A levantadora Fofão não tem mais fôlego e a linha de passe do time é risível. Se eu fosse Bernardo pensaria em Roberta.
    -Amil Campinas é aquilo. Claudia é inconstante e as centrais Walewska e Carol Gattaz pouco fazem. É muito dependente de Tandara.
    -O Praia Clube/Uberlândia é a incógnita. Michele e Monique não definem , Mayhara e Natália Martins não bloqueiam e Juliana Carrrijo é jaqueira. E assim segue o time do Praia.
    -Acima falei de Thaísa, mas cabe falar também de Fabiana que é outra central fantástica. Há alguns anos que elas e Sheilla vem carregando a Seleção.
    -Citei as nossas centrais, mas quem vai substituí-las depois? Seria bom o Zé esquecer Walewska, Carol Gattaz e Juciely e começar a apostar em outros nomes, eu sugiro dois Bia do SESI e Valquiria do Minas. Val é uma excelente bloqueadora e chama o jogo a todo momento me lembra Thaísa no começo.

  • Junior

    O Sesi jogou bem hoje, mas mostrou que é um time limitado. Ivna carrega o time nas costas, já que Suelle e Dayse pontuam pouco. Bia é mal aproveitada por Dani Lins, Suelen não compromete (apesar do peso) e Fabiana merecia jogar numa equipe de ponta.
    O Osasco tem um bom time, com destaque para Thaisa (muito acionada no ataque e eficiente no bloqueio) e Sheilla (que sabe variar bem os ataques). As estrangeiras (Bosetti e Sanja) alternam bons e maus momentos, a Brait dá muito volume de jogo ao time e a Fabíola joga o que sabe.
    Osasco é favorito ao título da Superliga, mas não é invencível. Se o Unilever jogar o que sabe e conseguir explorar os pontos fracos do Osasco, consegue mais um título. É aguardar…

  • Giovani

    Bom, sobre essa Copa Brasil, destacaria o seguinte:

    1. Uma pena o Praia ainda não contar com um time coeso. Herrera e Mari ainda não entraram no ritmo dos jogos e isso tem dificultado o ataque para elas. Monique, embora tenha crescido muito e ser habilidosa demais, tem suas limitações (inclusive físicas mesmo). A Glass é aquela coisa… Alta demais, uma boa atacante, mas não é bola de pepino igual dá para levantar para a Herrera. Quanto às centrais, acho uma boa dupla a Natália e a Mayhara, mas o ataque das bolas rápidas não foi eficiente na Copa. Ju Carrijo, para mim, é uma grande levantadora e deve começar a brigar por vaga na seleção… Ela, para mim, é melhor que a Claudinha e não fica muito atrás da Fabíola… Ainda oscila muito, mas o potencial dela é enorme… Pena que não é muito alta;

    2. Fiquei muito decepcionado com os jogos da Unilever. Fofão tem mais de 40 anos, não dá para ela jogar com o brilhantismo de sempre com uma linha de passe que não entrega nada na mão dela. Mihajlovic podia ser testada como oposto (já foi feito em algum jogo) porque a Sarah Pavan não está bem como esteve na temporada passada. Além disso, a sérvia sofre demais no passe. Engraçado que a Unilever, desde os tempos de Mari, Sheilla e Fernanda Venturini, não consegue acertar uma dupla de ponteiras boas de passe. Logan Tom decepcionou, Mihajlovic não é boa passadora. Meu único destaque é a competente Carol no meio de rede (mesmo assim mais no bloqueio que no ataque);

    3. Agora, sobre o Vôlei Amil… Acho que é o único time que se crescer mais faz frente ao Molico. Primeiro porque tem uma defesa que tem muita consistência. Segundo porque a Hildebrand finalmente desencantou no ataque e passou a ser mais confiável… Falta a Natália embarcar nessa também… Embora tenha evoluído muito no passe e defesa, tem deixado a desejar na hora de decidir… Claudinha é instável demais e faz muitas opções erradas, mas no geral tem uma precisão razoável. Tandara ainda pode rifar menos as bolas que ela recebe… na semi final ela pôs uma boa no meio da rede no fim do jogo que ficou até feio… Enfim, apesar de ter Walewska e Carol Gattaz no meio, o jogo do Amil é melhor pelas pontas…

    4. Sesi surpreendeu. Enquanto a Pri Daroit não voltar da contusão só vai ter a Ivna no ataque, o que é muito perigoso… Ela adora encher a mão pra cima do bloqueio, toma dois, três seguidos antes de mudar de estratégia. Enfim, para mim é mais força que jeito. De todo modo melhorou muito. Na ponta, Dayse e Suelle são jogadoras de volume… Ataque para elas é um ou outro numa bola bem acelerada com bloqueio simples, senão elas não viram. Não são jogadoras de decisão… Em compensação são mais consistentes no fundo de quadra. Junto com a Suelen fazem a defesa funcionar. Não gostei muito da atuação da Bia… A Fabiana melhorou bastante e tem bons momentos. Dani Lins é a levantadora mais consistente no Brasil hoje, embora ainda faça umas coisas que não dá para entender (tipo levantar primeiro tempo bem na frente da Thaísa na final);

    5. Para terminar, sobre o campeão… Eu ainda sou mais o time deles no ano passado… Primeiro, porque as ponteiras eram melhores… Bosetti é boa no fundo de quadra e no ataque, mas Jaqueline era muito mais jogadora. Malagurski não tem sido jogadora de decisão no ataque como a Garay foi ano passado. Além disso, a sérvia sofre muito no passe… Se o time não tivesse Sheilla, poderia voltar a ser oposta. Aliás, achei que a Sheilla jogou muito abaixo do que pode na final. Certo que a Fabíola errou um monte de levantamentos para ela, mas a quantidade de bloqueios e de bolas que ela pôs pra fora foi estranho para ela. Sobre a Fabíola, tem hora que dá dó de ver… 30 anos de idade, mas instável demais da conta… No 4º set da decisão se ela não contasse com o elenco de atacantes que tem tinha perdido… errou muitos levantamentos… Aliás, ela e Adenízia não são jogadoras de confiança para a hora de pressão. São ótimas quando o time está ganhando. Apesar disso, sem dúvida o Molico está um degrau acima dos outros. O time tem um conjunto que impressiona! Camila Brait é uma líbero pronta e dá condições de contra ataques velozes, inclusive com a Thaísa, sem dúvida nenhuma a melhor central na atualidade. Efetiva no ataque, no bloqueio e no saque…Uma central muito completa…

  • @alcidesxavier

    Concordo com o texto, apenas em relação as levantadoras. Houve sim, um destaque e este chama se Fabiola! Principalmente no jogo contra Amil, ela engoliou Claudinha. Impressionante, como Osasco joga diferente contra Amil, principalmente Fabiola!! #GoOsasco #CampeaoInvicto

  • EU REALMENTE GOSTEI DA FINAL POR QUE COMPROVEI DUAS COISAS O MOLICO OSASCO ESTÁ DE PARABÉNS PORQUE CONSEGUIU MONTAR UM TIME QUE NO INÍCIO NINGUEM DAVA LIGA POIS AS DUAS ESTRANGEIRAS ERA UMA INCOGNITA POIS BEM A CATERINA ESTÁ EVOLUINDO MUITO COM O SEU PAPEL DE VOLUME E FUNDO DE QUADRA ENQUANTO SANHJA ESTÁ FAZENDO O QUE SE ESPERA DELA QUE É DERRUBAR AS BOLAS NA QUADRA RIVAL,NO DEMAIS O QUARTETO SHEILA,THAÍSA,ADENISÍA E FABÍOLA ESTÃO VOANDO LITERALMENTE!
    O SESI CONSEGUIU LEEVANTAR A POEIRA DE 2013 E VOLTOU PRA 2014 COM CARA DE TIME QUE QUER ALGUMA COISA NA SUPERLIGA POIS ESTÃO DEFENDENDO DEMAIS JUNTO COM A POSTURA DE IVNA QUE ACORDOU E DECIDIU QUE ELA REALMENTE PODE DERRUBAR AS BOLAS QUE SE ESPERAM DE UMA OPOSTA,A BIA ESTÁ VOLTANDO A TER O RENDIMENTO QUE ELA VINHA TENDO NO ANO PASSADO ANTES DA LESÃO…BOOM A SUPERLIGA VAI NOS MOSTRAR SE O OSASCO VAI CONTINUAR A 1000,E O QUE A UNILEVER VAI TIRAR DA CARTOLA PRA CHEGAR A MAIS UMA FINAL DE SUPERLIGA PRA TENTAR QUEM SABE MAIS UM TÍTULO,E ESPERAR PRA VER..

  • Samantha

    O Molico esta de parabéns demonstrou esta muito bem para conquistar qualquer titulo, com as suas titulares pois o bom ainda deixa muito a desejar, a Gabi jogou bem hoje mas nem sempre é assim. O Sesi demonstrou que trabalho e treino pode sim melhorar uma equipe que estava desmotivada, não porque ganhou ontem do Unilever, mas por manter uma disputa com o Molico nesta final.
    No Unilever é começar a treinar as partes básicas, pois o time esta terrível… muitos falam do banco do Molico, mas em se tratando de banco o pior time é com certeza o Unilever pois começando com a levantadora que já devia ter aprendido algo sendo reserva de Dani Lins, Venturine e Fofão mas toda vez que entra não ajuda, de oposta reserva temos Bruna que não se vira no ataque, não tem altura e sofre no bloqueio, nem vou comentar do resto pois das ponteiras não tem nenhuma que saiba recepcionar, ai fica complicado.
    O Praia joga bem mas não finaliza, é capaz de chegar em 20 x a 15 e deixar a outra equipe virar, não sei o que acontece…
    Falar de final é complicado, mas Molico até agora é que possui o melhor time titular sem sombra de dúvidas, mas espero que tenhamos surpresas, mesmo que no fim o Molico se consagre o campeão espero uma volta de superliga mas agitada e como times mas consistentes.

  • Osmar Cordeiro

    Parabéns Molico pelo título e o Sesi pela classificação para o sul americano , tive a oportunidade de assistir todos os jogos no Chico Neto e como um bom maringaense fiquei decepcionado com um público abaixo do esperado , infelizmente não houve divulgação e em raros momentos que divulgavam apenas citava as oito melhores equipes feminina , ao invés de trabalhar com propagandas , mostrar as equipes e as jogadoras , out dor , jornais e outras ferramentas que a organização pecou demais . Muitos torcedores não sabiam da realização do evento , somando férias + jogos em dia de semana às 15 e 17 + final num sábado de manhã + Copa Brasil Masculina acabou se tornando um fracasso , seria mais justo levar a competição feminina para São Luis que tem um público apaixonado e acredito que no masculino vai ser a mesma coisa já que o Moda Maringá não está disputando a parte final . Algo que me chamou atenção que muitos que foram gostam de acompanhar o feminino e não seguem o time masculino do Moda Maringá , muitos deles de outras cidades e de Maringá pouca gente que foi , eu que estava na fila os carros paravam e me perguntavam o que tinha , eu dizia Vôlei e automaticamente a pessoa dizia é o Moda , eu respondia não é o feminino e simplesmente a pessoa ia embora , enfim , quem gosta de vôlei foi e aproveitou como eu , uma oportunidade de ver as melhores jogadoras em ação não sei se vou ter outra oportunidade .

  • Osmar Cordeiro

    O Molico se tornou outra equipe depois daquele Golden Set contra o Pinheiros na semi do paulista , virou uma equipe agressiva em todos os setores ( saque , bloqueio , ataque , defesa e sem contar as estrangeiras que estão pegando confiança ) . O Luizomar e sua equipe técnica tem grande parte nas vitórias , as inversões de 5×1 e a Gabi entram pra quebrar uma sequência das outras equipes , na minha opinião o Molico já é campeão sul americano e só não vence a Superliga se algum dia de domingo de manhã outra equipe estiver inspirada . O Sesi ganhou muita confiança depois da vitória contra o Praia Clube , estive no Chico Neto e percebi que o Sesi estava disposto e com muita garra e o Unilever com várias mudanças de jogadoras de nada resolveu , o Sesi que está desfalcado de três ponteiras jogou a competição inteira apenas com a Suelle e Dayse . Eu esperava mais do Amil , a linha de passe é um problema sério a Daldegan defende muito mas no passe não tem o mesmo êxito , a Nathália apagada e o jogo só na Tandara , o dia que vai ela leva o time nas costas e qdo não dá vai morrer na praia de novo , eu não me assustaria de ver o Sesi numa final de Superliga depois que houve no paulista e copa brasil . A Unilever vai ter q mudar muita coisa pra próxima temporada , eu não acredito que em 2 meses o Bernardo eleve a técnica e garra da equipe . O Praia Clube não avançou pra semi por causa da contusão da Kim que estava fazendo uma grande partida . O Pinheiros que vem caindo de produção , gosto muito do trabalho do Wagão mas a equipe sofre na linha de passe de suas ponteiras , gostaria de ver uma Rosamaria ou Gabi do Molico nesta equipe . O Minas e Rio do Sul só tiraram a vaga do Brasília e São Caetano que tem mais times .

  • Rodrigo Coimbra

    Bom o Molico/Osasco é um grande time, mas o Sesi/SP não fica atrás. A grande diferença foi que a Sheylla teve o apoio da Thaysa pontuando e bloqueando muito, Camilla dando muito volume de jogo, enquanto a Bosetti se saiu bem no passe e no ataque quando acionada com destaque pra Gabi que veio do banco e ajudou bastante a levar o titulo, tirando a maior força de decisão Sanja, Fabiola sem comentários… grande levantadora comandando um time como o Molico. Já o Sesi/SP faltou definição apesar da Ivina ter se saido mto bem no ataque carregou o time nas costas junto com as geniais Fabiana e Dani, Bia fez um bom jogo vai crescer muito mas não comprometeu não deveu nada na posição, Suellen q que é isso apesar do peso joga fácil e levanta mto bem também … como havia dito o q faltou pro Sesi foi definição nas pontas, com a Ivna sobrecarregada facilmente marcada, pois a Dayse e Suelle são boas jogadoras, no passe devem um pouco no ataque sentiram falta principalmente da Pri Daroit que é ponteira de definição como Ju Costa e Mari Casemiro.
    Não acredito vida fácil pro MOLICO/OSASCO na SL não, pois o CAMPINAS/AMIL , BANANA BOAT/PRAIA CLUB e o proprio SESI/SP não são os mesmos do primeiro turno. O UNILEVER/RIO se jogar o que sabe também pode ser campeão novamente!!

  • Paulo

    Tendo o SESI-SP como adversário, acho bem provável que o Molico se garanta no Mundial de Clubes, vamos ver que importância dará para a Superliga a partir daí.

    Osasco continua tendo um banco fraco, Gabi entrou e resolveu, mas nem sempre é assim, acho que ela tem o mesmo talento e limitações que sua xará da Unilever, pena não ter o mesmo marketing.

  • Léo

    Bom o balanço final dessa copa foi positiva. Campeonato forte, rápido e com uma proposta que atende a expectativa. Acho que essa regra de 21 pontos não agrada o público e prejudica na média de público. Vide a SL, a diferença da média passada pra essa é gritante.

    MINAS: O único comentário é sobre Mayara (acho que é esse o nome), garota de futuro. Pega muito forte na bola, até a Sheila falou isso.

    PRAIA: Esperava mais. Valeu pela cravada da Herrera. A Camila Torquete sempre me chamou a atenção, mas depois de sucessivas contusões ela continua com a ousadia de sempre mas zero em precisão. Já a Juliana é zero em ousadia e um pouco mais precisa. Será que não se fazem mais levantadoras como antigamente?.

    AMIL: Também estava na expectativa com o time. Pra mim o problema dos times que o Zé Roberto vem montando é simples: Levantadora. Cristo-Rei! Já passaram Ana Tieme, Ana Cristina, Fernandinha e Claudinha. Com esse tanto de ótimas atacantes não tem outra explicação. Imagino a FOFÃO nesse time, ela ia fazer a festa. Receita pra ganhar do Campinas é fácil, duplo na TANDARA.

    UNILEVER: Um amontoado de problemas. Desde a formação do time que optou por contratar uma ponteira que não passa. Gosto da GABI mas ela não é e não pode ser a primeira opção de ataque. A REGIANE sempre entra bem mas fica devendo em todos os fundamentos que não seja o saque. SARA me dá preguiça até pra comentar. JUCIELE não é a mesma do ano passado. CAROL bloqueia muito mas não ataca nada. FOFÃO não tem mais o fôlego de uma jovem mas defende bem e com a bola na mão faz estrago, basta lembrar a final do ano passado. FABI muito concentrada e toma conta do fundo de quadra. Agora a inversão do 5 x 1 meu Deus, só o Bernardinho que não vê que não dá certo. Enfim, o RIO sempre cresce na fase decisiva.

    SESI: Fiquei feliz por ter conseguido quebrar a hegemonia RIO-SP, mas sabia que seria presa fácil pro Osaco. Um time que depende de IVINA não faria frente. SUELE não pontua no ataque, a líbero passa muito e defende também, se ela fosse mais leve… DANI LINS é regular mas peca nas escolhas na hora decisiva (se bem que ela não tem tantas opções, tá perdoada). Se esse time contasse com a JÚ COSTA ia longe.

    OSASCO: Parabéns. Tá bem entrosado e focado. Só perde a SL se entrar com oba oba igual ano passado. THAÍSA é a melhor do mundo. SHEILA decepciona nas decisões. Agora, se o OSASCO não parar com esse ar de arrogância que passa pra torcida poderá criar uma antipatia nacional como aconteceu com o VOLEI FUTURO. Mas a verdade é que o melhor time atual do Brasil é o MOLICO.

    Agora bora pra SL.

  • debygoiania

    Sheilla e Thaísa estão insuportáveis.
    Até a pastora entrou na onda, falando palavrões para as adversárias. Coisa feia.
    Engraçado que, jogando contra as européias, as osasquenses não têm a mesma postura.
    Thaisa é sim uma boa jogadora, mas, se é a melhor do mundo na atualidade, é sinal de que o vôlei feminino atual está capegando…
    É lenta, em jogos internacionais seu bloqueio não é tão efetivo e no ataque não tem lá essa eficiência e potência toda, principalmente depois que turbinou os airbags.
    Basta compará-la com Perez, Carvajal, Torres e Fernandes, e mesmo Ana Flávia e Ana Paula, para perceber a diferença.

    • João Lucas

      Oi??????? Thaisa lenta internacionalmente???????? Você assistiu os jogos Olímpicos de Londres????? Pelo jeito não, mas vou lhe contar. Thaisa ajudou Sheilla a derrubar a Rússia, fez 24 pontos naquela semifinal, quando a Seleção esteve mal ela era a única que esteve bem. Bernardinho técnico multicampeão disse em uma entrevista que Thaisa e Fabiana remetem a Torres e Carvajal. Quanto as comparações com Ana Paula e Ana Flávia são risíveis, pois, as Anas quase nunca atacavam quem carregava o piano era Fu, Virna, Leila, Hilma e Moser. Nunca tivemos centrais como Thaisa e Fabiana e hoje Thaisa é sim a melhor do mundo. Não gostar da postura de uma atleta em quadra é uma coisa desmerece-la por isso é o que não pode.

      • Rafael Pais

        Thaísa é hoje a melhor central do mundo. Bem melhor que Ana Flávia e Ana Paula na rede, sem dúvidas, mas inferior a Carvajal e Regla Torres, me desculpem. As cubanas batiam bola alta no meio da rede, coisa que Thaísa não faz. E também eram mais rápidas no deslocamento de rede. Fabiana, no início da carreira, parecia que chegaria perto das cubanas, mas se acomodou e não evoluiu tanto. É excelente, não tenho dúvidas, mas hoje é inferior à sua companheira de seleção. Thaísa evoluiu bastante e é hoje referência no voleibol mundial. Se fosse ela, iria pra Europa ano que vem jogar uma Champions League. Em relação a Fabíola, considerando o nível das levantadoras atuais, ela é uma das melhores, mas longe de ser regular, na minha opinião. Dani, idem. Claudinha, muito irregular.

        • debygoiania

          Concordo mais com o Rafael.
          Quando citei as Anas, falei no sentido geral, pois as duas, mesmo não atacando tanto, tinha importância grande na composição da equipe, tanto que aquele time era bem coeso.
          Thaísa é importante pq o voleibol atual caiu de nivel.
          Como o Rafael disse, a Fabiana no começo prometia, mas infelizmente se acomodou.

          • João Lucas

            O voleibol mundial caiu? ou foi a Seleção Feminina de Vôlei que não sabia vencer coisa que agora sabe. Quando citei que Bernardinho disse que Thaísa e Fabiana remetem as cubanas Torres e Carvajal é pelo simples motivo que as duas atualmente compõe a melhor dupla de centrais da atualidade devido a importância que têm para a equipe na virada de bola , coisas que não tínhamos comas outras centrais, e não que são melhores que as cubanas.

          • Rafael Pais Fernandes

            Discordo. Walewska e Valeskinha eram uma dupla de referência no ataque, ainda mais com a Fernanda levantando.

  • Marcian

    Enfim, deu a lógica mesmo; mas eu estava torcendo muito pelo Sesi (sempre torço pro lado “mais fraco”); fiquei feliz com a melhora do time! Espero que engrene de vez na Superliga. No quesito decepção, o Amil vence; jogo péssimo, sentia era vergonha. Tandara é otima jogadora, mas não faz milagre. Natália é a decepção em forma de atleta, está jogando péssimo; não passa, e nem no ataque é aquela Natália de antigamente.

    E em relação aos elogios a Fabiola, sinceramente, uma levantadora ter que colocar 3 bolas de primeiro tempo, pra vê se a Thaisa acerta pelo menos uma, pra mim não é boa levantadora; num jogo mais equilibrado, esses pontos fariam falta.

    E por fim, a Gabi. Nao sei, mais ela depois do Grand Prix, não é a mesma jogadora. Tá com dificuldade pra passar, e não é mais tão efetiva no ataque, está um pouco apagada.

MaisRecentes

Uma vaga aberta na semi do Mundial: a do Sada/Cruzeiro?



Continue Lendo

Sada/Cruzeiro sofre com o “próprio veneno” no Mundial



Continue Lendo

Copa Brasil com TV apenas na final



Continue Lendo