O melhor momento do Sesi e a briga pelo terceiro lugar



O início foi cambaleante, a recuperação foi lenta, os altos e baixos ainda existem, mas o último jogo foi animador para a torcida do Sesi.

O time comandado por Talmo não deu chances para a sensação Banana Boat/Praia Clube, vencendo por incontestáveis 3 a 0, parciais de 25-16, 25-19 e 25-22.

O resultado deixa o Sesi com 24 pontos, quatro atrás do rival de ontem. Ou seja: a briga pelo terceiro lugar, posição bem favorável para os playoffs, está aberta. Vale lembrar que o terceiro cruza com o sexto colocado nas quartas de final, provavelmente a Usiminas/Minas, enquanto o confronto o quarto jogará contra o quinto, atualmente o Vôlei Amil.

O Sesi teve uma atuação quase perfeita contra as mineiras.  O bloqueio me chamou muito a atenção e deixou claro que as variações táticas que Spencer Lee adora usar nos jogos foram estudadas e neutralizadas por Talmo. A central Bia marcou DEZ pontos no block, número fantástico para um jogo de três sets, ainda mais sem parciais longas. Como comparação, a bicampeã olímpica Fabiana fez apenas três. Gostei também da distribuição de Dani Lins, segura em quase todo o jogo. Elisangela e Tandara, com 13 pontos cada, lideraram o Sesi.

Para quem dizia que o Praia não sentiria a falta de Herrera, o jogo de ontem serviu como ótimo parâmetro. Faltou uma definidora para as jogadas, alguém que transmitisse segurança total para as levantadoras Juliana Carrijo e Camila Adão.

A próxima rodada pode ser decisiva para o Sesi arrancar de vez na competição. Em Campinas, na sexta, vai enfrentar a equipe de José Roberto Guimarães, que soma 23 pontos e também vê o terceiro lugar como meta viável. Quem vencer o jogo (por 3 a 0 ou 3 a 1), tem boa chance de arrancar rumo ao top 3.



  • Volleyball Motorsports

    O “problema” é que o Praia Clube pega o São Caetano, 9º colocado.

  • Daniel

    Ótima apresentação do Sesi. O Praia sem Herrera pode dar trabalho aos grandes, mas com uma atuação consistente, Rio, Osasco, Campinas e Sesi conseguirão impor sua força. E ainda teve um monte de gente desdenhando da importância de Herrera, dizendo que ela era apenas uma boa atacante, que Dayse era muito mais completa e que ajudaria muito mais ao time. Repito o que já havia dito aqui: Herrera é uma das melhores jogadoras do mundo e era insubstituível no Praia.

  • Juju

    Fiquei feliz pela ótima partida do Sesi, finalmente o time demonstrou na prática o que no papel era bom. Partidaça de Bia, Dani Lins e Elisangela. A regularidade da Fabizona também é impressionante, nunca joga mal, tá sempre contribuindo com o time, mesmo que não apareça nas estatísticas.

  • Afonso RJ

    Ontem 4 jogos encerraram a 3a rodada do returno:

    1 – SESI 3×0 Praia Clube: Daniel já disse tudo eu só acrescentaria que o Talmo está com uma tática interessante que é de usar duas líberos. A regra mudou recentemente para permitir a substituição da líbero. O Talmo tem usado a Verê (com mais experiência mas mais pesada) para dar mais consistência ao passe e a Juju (com mais juventude e mobilidade) para a defesa e volume de jogo. Ontem essa tática deu certo.

    2 – Amil 3×1 Rio do Sul: Foi um bom jogo. Para que esperava que o Rio do Sul fosse massacrado pelo time de Campinas, foi uma surpresa. Eu já tinha assistido ultimamente a outros jogos do Rio do Sul, e percebi uma evolução significativa. O bom saque forçado vem incomodando os adversários, a levantadora Ananda tem feito ótimas partidas e as atacantes Neneca e Elis também tem tido bom rendimento. Nesse ritmo, já deixou para trás S.Caetano e S.Bernardo, e pode vir a incomodar o Pinheiros.
    O Amil vem apresentando um bom conjunto e tem feito bons jogos, mas a instabilidade das ponteiras é sempre uma incógnita. A perda de um set para o Rio do Sul tem que ser visto mais como um mérito do adversário do que um demérito do time campineiro. Mas a tônica da partida foi a contusão da oposta Daimi Ramirez. Mesmo sem ela, substituída pala muito jovem Rosa Maria (18 anos), o time do Zé Roberto conseguiu fechar o jogo graças principalmente às boas atuações das ponteiras. Não sei da gravidade da contusão da cubana – espero que não seja grave – mas sem ela o time do Zé perde muito em poder de fogo.

    3 – Minas 3×0 São Bernardo: vi pouco do jogo pois dei preferência aos outros jogos. Mas pelo pouco que vi, tirando o segundo set quando o time paulista conseguiu levar a decisão para o “vai a dois”, os dois outros sets foram um massacre, especialmente o terceiro. Não consigo entender muito bem como um time que tem a levantadora Ana Cristina, Renatinha (ex seleção) e algumas outras jogadoras razoáveis (incluindo uma cubana), consegue ter um rendimento tão baixo. Quanto ao Minas, após surpreender a todos inexplicavelmente tirando a invencibilidade da toda poderosa Unilever, vem fazendo apresentações apenas medianas. Outro ponto a destacar nessa partida, é que a ponteira Thaisinha do Minas foi eleita a melhor jogadora da rodada! (não me perguntem quais os critérios usados pela CBV).

    4 – Finalmente Unilever 3×0 Pinheiros: Outro jogo totalmente previsível e portanto chatérrimo. O time carioca passou como quis sem dar a mínima chance para o adversário. Nem há muito o que comentar sobre o aspecto técnico, dada a facilidade do jogo. O time carioca saiu com a Regis como titular no lugar da Natália. No meio do segundo set, a Jucieli torceu o tornozelo e assustou a todos. Foi substituída pela “miss” Luciane, mas felizmente a entorse não foi grave e a jogadora conseguiu voltar bem para o terceiro set. O Bernardinho voltou a dar ritmo de jogo para as reservas, assim como contra o S. Caetano. No terceiro set, além da volta da Natália e da Jucieli, a ponteira Gabi iniciou no lugar da Logan Tom. A levantadora Roberta juntamente com a oposta Bruna entraram numa precoce inversão de 5×1 e não saíram mais. E mesmo com praticamente todo o time reserva em quadra, o Unilever fechou o set e o jogo com facilidade.

    • Felipe Lima

      “…Não consigo entender muito bem como um time que tem a levantadora Ana Cristina, Renatinha (ex seleção) e algumas outras jogadoras razoáveis (incluindo uma cubana), consegue ter um rendimento tão baixo. Quanto ao Minas, após surpreender a todos inexplicavelmente tirando a invencibilidade da toda poderosa Unilever, vem fazendo apresentações apenas medianas…”

      Eu assisti ao jogo do S. Bernardo contra o Praia Clube na rodada anterior. A impressão que me deu é que esse rendimento seja explicado pela linha de passe, que não faz boas recepções (naquele jogo em especial errou muito!).

  • andré L.

    acho que o talmo ontem fez a sua melhor partida pelo sesi. pedidos de tempo nos momentos mais adequados e mostrou que tinha estudado mto o praia. so errou quando deixou a jessica passando no lugar da sassa e o sesi quase entrega.

    agora, dani lins ontem tava bem ruinzinha. mesmo assim, conseguiu fazer o time jogar com a fabiana marcadissima. a proposito, o tempo de bola das duas ontem tava ruim mesmo. mas ‘acidentes’ acontecem… contra o sao caetano, por exemplo, a fabiola acertou a maioria das bolas com a thaisa. e toda jogadora tem direito a um dia ruim (ou iluminado, rs).

  • @Felipe_hiego (BA)

    Tou muito fã da Bia, 10 Pontos de Bloqueio, Pra uma menina que vai completar 21 anos agora em fevereiro, pelo amor de deus ! Disparou 6 pontos de Bloqueio em relação a Juciely que é a segunda colocada nas estatisticas (Jucy tem 41 e Bia 47). Tandra defendeu de mais também um aproveitamento quase perfeito de 93 % de aproveitamento !

MaisRecentes

Semana positiva das Seleções adultas



Continue Lendo

Coluna: O polêmico teste na regra do vôlei



Continue Lendo

Vaivém: Mais estrangeiras na Superliga?



Continue Lendo