O melhor momento de Fabíola?



Fabíola e Fê Garay na Rússia (Reprodução)

Fabíola e Fê Garay na Rússia (Reprodução)

Título da Copa da Rússia, melhor levantadora e MVP da competição… O fim de ano não poderia ter sido melhor para Fabíola.

A brasileira liderou o Dínamo Krasnodar à conquista de um título após longos 20 anos de jejum, ao vencer Omichka Omsk, no tie-break. Não vi o jogo ontem, mas li vários elogios para a brasileira. Chego a me questionar se Fabíola passa pelo melhor momento da carreira. E talvez a resposta seja sim.

A transferência internacional para um grande centro, o amadurecimento forçado após algumas pancadas (principalmente na Seleção), a adaptação necessária para jogar contra a força e a altura do vôlei russo, sem falar do frio e do idioma.  Fabíola se encontrou ao lado de craques como Sokolova e Kosheleva, tendo Fernanda Garay como porto seguro nos momentos mais complicados.

O torcedor brasileiro espera que esta mesma Fabíola se apresente à Seleção em meados de 2015. E possa fazer sombra para Dani Lins, algo que não tem acontecido nos últimos anos.  Isso pode fazer um bem enorme para o Brasil em seu ano pré-olímpico.

 

 

 



  • José

    Ela sempre foi tao boa quanto a Dani Lins. O que ocorre é que o Zé não gosta do jogo dela que não é tão marcado por levantamentos para o meio como o de Dani. Porém ela inverte mais que Dani e tem maio r precisão para as bolas de extremidade. Sinto um pouco de implicância deste blog em relação a ela, como quando afirmaram que ela foi demitida do Osasco. Isso é absurdo. Ela recebeu propostas acima do valor do mercado brasileiro. Ao redor do mundo todos conhecem o seu trabalho graças aos três anos em que ela trabalhou no Osasco, ao campeonato mundial 2010 em que ela conseguiu prata (coisa que Dani titular não conseguiu). Ao mundial de clubes que ela conseguiu ouro e prata em dois anos diferentes. É uma levantadora reconhecida que não necessita da confiança do Zé e deste blog. Suas qualidades são incontestes.

    • Euri

      Concordo totalmente com você. Se fosse a Dani Lins que tivesse vencido um torneio russo, no primeiro ano no país, levando o time ao título depois de 20 anos, em um campeonato com craques como Sokolova, Kosheleva, Gamova e Goncharova, tudo quanto é blogueiro brasileiro estaria tendo orgasmos múltiplos. Como é a Fabíola, o discurso é o mesmo de sempre: ela ainda precisa mostrar serviço e não faz mais do que a obrigação. É só analisar os discursos de narradores e comentaristas pra perceber a diferença que a dita mídia esportiva trata as duas levantadoras: Quando a Dani faz uma jogada linda é como se ela estivesse fazendo um grande favor para a humanidade e o esporte nacional. Quando a Fabíola faz a mesma jogada linda, é porque ela é “corajosa” e está “evoluindo”. E não é preciso nenhum especialista em esporte para perceber a má vontade com a Fabíola.

    • Luiz

      Ela não foi demitida, só não teve seu contrato renovado, desde a temporada passada o Osasco tenta a Dani, a saída dela foi um acordo dos dois lados, mas ela parece ter ficado sentida, na despida dos fãs, até falou para torcida não ficar triste porque agora tinham a Lins…

  • Fofão com 50 anos coloca tanto a Dani Lins como a Fabíola no bolso.
    Tivemos época de levantadoras excepcionais com Venturini e Fofão e agora o nível caiu muito, é natural que essa oscilação entre as gerações ocorra, numa geração tenhamos uma levantadora genial, na outra uma oposta, uma meio de rede….
    Mas as levantadoras mais novas que estão surgindo agora não dão segurança nenhuma. Nenhuma delas parece que chegará nem mesmo ao nível das duas selecionáveis atuais.

  • Billy

    Assisti o jogo e a Fabíola realmente esteve sensacional.A alegria dela jogar contagia todo o time.Ela é muito vibrante e até as jogadoras russas(normalmente frias já gostam muito dela-principalmente a Kosheleeva).Fabíola é sensacional e se ele tiver que retornar para algum clube brasileiro de novo,que seja para o Rexona(do Bernardinho-esse sim um verdadeiro técnico e não aquele PANACA e BOBALHÃO do Luizomar de Moura(Osasco).Enfim merecido o título para o Dínamo Krasnodar e os prêmios individuais para a nossa íncrível Fabíola.Abraços…

  • Lucas Santos

    José, não vamos começar de novo com essa lenga lenga de que não gostam da Fabíola, que coisa mais antiga. O blog que perseguia a Fabíola era um outro. Até onde eu sei, nem existe mais. O Daniel nunca perdeu o tempo dele detonando nenhuma jogadora, não precisa disso, isso ocorria em outro lugar, portanto não vamos confundir as coisas.

    • José

      Não, quando diz que Fabíola não vem fazendo sombra pra Dani há um pouco de exagero. Todos nós sabemos que o Zé Roberto é imparcial. Preferiu perder com Dani o mundial do que dar oportunidade a Fabíola. Este blog afirmou há 6 meses que Fabíola foi demitida do Osasco. Com Dani Lins o Osasco teve que abrir mão de outra atacante 7 como Sheilla, Jaqueline ou Tandara e está tendo que contar com a inconstância de Ivna e com o que está sobrando de Mari. Com certeza não é vantajoso ter Dani Lins pro Osasco. Ela se lesionou em período crítico enquanto que Fabíola já jogou com febre. Não deixo jamais de torcer pelo Osasco mas preferia que Luizomar trouxesse uma atacante 7 e a dupla Macris e Ananda do Pinheiros.

    • José

      Não confundi as coisas. Fabíola não faz sombra a Dani Lins, ela tem luz própria. A matéria ter terminado com esta sentença é um tanto taxativa na minha opinião. A imprensa toda teve grande má vontade com Fabíola, má vontade esta compartilhada pelo treinador já que quando ele precisou dela em 2010, passou confiança e deixou ela jogar tanto o Grand Prix quanto o Mundial. Depois ela recebeu 2x seguidas o título de melhor levantadora da superliga. Em 2012 ele queria treinar Fernandinha na seleção e resolveu cortar Fabíola que tinha feito uma ótima temporada. Para se fazer justiça deveria levar as duas que estavam jogando durante todo o ciclo.

      • Billy

        Concordo em grande parte com você José.O Zé Roberto foi muito incoerente,injusto e desumano em ter cortado a Fabíola ás vesperas da Olimpíada ,pois era o maior sonho dela participar(assim como de qualquer outra atleta de alto nível).Mas digo e repito-o título olímpico de 2012 só foi possível por causa da união das jogadoras e não por mérito do Zé Roberto,pois durante toda a olimpíada as jogadoras simplesmente não o aturavam mais.Embora o Bernardinho não tenha no currículo ainda um Tri-olímpico, ainda assim acho ele muito superior ao Zé Roberto pois o seu vasto currículo de conquistas(superiores ao do Zé) já dizem tudo.Quanto à incrível Fabíola realmente ela tem muita luz-própria mesmo e não precisa provar mais nada à ninguém.Gosto também da Dani Lins e de outras levantadoras,mas a Fabíola é a minha preferida desde sempre.Abraços…

        • Leo

          Concordo que o corte de Fabiola em 2012 foi muito injusto. Ela devia ter ido a Londres! Mas dizer que o bi olimpico so veio pela uniao das jogadoras, desculpe falar, é não entender de vôlei. Zé fez muita cagada msm, mas sem ele o titulo nao viria. Lembro nitidamente das instruçoes dele, principalmente no jogo final contra os EUA, onde ele disse: ‘ataca no meio do bloquieo que vai passar’! As jogadoras assim fizeram e, de fato, a bola passou, que o diga Jaqueline! Fora a carta na manga em sacar na Davis! A propria Fabizinha reconheceu isso. As grandes vitoriosas foram as jogadoras, mas Ze Roberto foi fundamental nessa conquista.

  • klaus

    Ela está jogando muito bem.O tie-break foi muito sofrido, principalmente quando o time tomou 2 x 0, sendo o segundo ponto uma bola que a Fabíola tentou de segunda e ficou na rede.Alternei esse jogo com o do Molico.Não sabia qual assistir direito.Ela merece demais e o jogo poderia ter sido 3×1, pois no primeiro set o time estava vencendo por 24×21 e tomou a virada.Isso tem sido constante no Dínamo Krasnodar.Sofre alguns apagões e perde sets ganhos.A única coisa que está faltando é a Kosheleva voltar a ser tão decisiva quanto foi na seleção.Talvez seja o desgaste físico, ainda mais que agora ela está jogando de oposta.

    • Bernardo

      Na verdade ela continua como ponteira só que não participa do passe, a oposta é a Sokolova que faz a linha de passe com a Garay. A Kosheleva continua sendo incrível no ataque, o que talvez tenha mudado é que ela não ataque tanto quanto na seleção pois a Fabíola joga bastante com as centrais quando o passe fica bom, ao contrário da seleção russa que nunca tem passe perfeito.

      • klaus

        Obrigado Bernardo pela dica.Mas acho que ela foi tão fantástica pela seleção esse ano que sempre esperamos ela detonando no ataque e nesse jogo ,em particular, ela estava com dificuldade pra concluir as jogadas.Estavam conseguindo defender as bolas dela, tanto que não foi eleita pra seleção do campeonato.Uma coisa que tem me agradado muito é como ela tem sido legal com a Fabíola e com a Fernanda.Sempre incentivando, abraçando.Muito legal isso.A Sokolova, nem preciso dizer, essa é única.Todas as bolas que ela ataca, mesmo não fazendo ponto, ela procura incentivar a Fabíola.Dá pra ver o carinho que ela tem.A Sokolova é demais.

        • Billy

          Klaus faço minhas as suas palavras em relação ao incentivo e união das jogadoras russas do Krasnodar com as brasileiras.Muito legal mesmo da parte das russas,pois não é fácil ir jogar num país tão distante do Brasil(como é a Rússia e fora as diferenças extremas de clima-concorda ?) A Sokolova ainda é uma jogadora incrível mesmo já bem veterana(acompanho a carreira dela desde o ínicio quando surgiu na seleção russa e para a admiração de todo o mundo do voleibol) Quando ela era mais jovem eu me lembro que ela tinha um saque viagem muito regular e devastador(assim como a Godina-outra fera russa e já aposentada).Enfim,grandes lembranças… Abraços Klaus.

    • José

      Kosheleva é uma falsa ponteira no Krasnodar. Só passou no jogo contra o time finlandês na Copa CEV em que Calderon jogou de oposta. Sokolova atua no Krasnodar como oposta passadora.

  • marcian

    Fico feliz por elas, brasileiras, e pela Sokolova. O Krasnodar é o time que mais simpatizo das russas rsrs

  • fernando

    so resta o bernadinho nao puxar o tapete dela novamente… como poucos sabemm e foi muito bem feito por debaixo dos panos e muitos panos, foi feito um acordoo… se ele voltasse com ricardinho na seleççao masc para as olimpiadas… ele queria a cabeça da fabiola… pois ele nao aceitou aquela final q ela foi melhor levantora da superliga e se tornou campea.. e melhor jogadora dele jogo da final..e a esposa dele ficou de fora sem nenhuma homenagem,, sendo que seria a despedida dela q foram varias ne despedidas… ninguem fez nada para a despedida da fernanda SUCURINI…quem convive em saquarema sabe……funcionarios de mais simples cargo..(SIC)…. sabe disso…ISSO O BERNADINHO NA FALA NE… agora queerr ferver com CBV ele quer…MANIPULADOR…. Q PENA Q ESSA BOMBA NAO EXPLODE.. QUEM SABE DAQUI UNS ANOS

    • Clara Dias

      Meu Deus, que viagem, esse se superou.

  • Afonso RJ

    Fabíola joga muito com o passe na mão. Se tiver que dar mais de 3 passos para fazer o levantamento se torna uma levantadora comum, que o volei mundial está cheio. Aliás, são os passes B e C que realmente separam o joio do trigo.
    Infelizmente a Fofão já não é mais a mesma devido as condições físicas, se bem que volta e meia ainda exibe aquele brilho da genialidade.
    No cenário nacional Dani Lins é a melhor no momento, seguida pela Fabíola. As experientes Carol Albuquerque e Karine cumprem bem seus papéis, apesar de já não serem mais esperanças, assim como a Ana Tiemi, que jogou fora a carreira se conformando a ser banco por tanto tempo. Para o futuro, gosto muito do jogo da Macris do Pinheiros (25 anos).

    • José

      Vc é louco. Dani é mais refém do passe que a Fabíola. Sem passe Dani faz menos que nada.

      • Afonso RJ

        Tudo bem discordar, mas me ofender chamando de louco eu não admito. Vá se catar, seu mal educado.

    • Paulo

      Dani Lins sem passe nas mãos também é mediana, se não for pior que a Fabíola. Pra mim as duas se equivalem. Fabíola joga melhor com as ponteiras e Dani com as meios.

    • Euri

      Sinto discordar, mas isso da Fabíola não saber jogar sem passe não faz sentido nenhum. O passe dos times russos chega a ser imoral de tão ineficiente. Pelo menos nos jogos que eu tenho acompanhado. Na maioria das vezes, as levantadoras precisam correr metade da quadra pra chegar na bola e fazer o levantamento. A Garay é melhorzinha e está em uma fase péssima no passe. E mesmo com essas dificuldades a Fabíola ainda foi eleita melhor levantadora e o Krasnodar foi campeão. As vezes eu acho algumas pessoas gostam tanto da Dani Lins que têm pavor de que ela perca a vaga de titular da seleção, e morrem de medo que a Fabíola tenha algum sucesso. Não deveriam se preocupar com isso porque todo mundo sabe que o ZR sempre vai priorizar a Dani Lins ou alguma levantadora baixinha e ineficiente.

  • Edu

    Prezado Daniel, essa premiação da Fabíola, acredito, inédita no voleibol brasileiro,como a primeira e única brasileira eleita MVP e ao mesmo tempo a melhor da posição no segundo mais importante campeonato da liga russa com praticamente 100% das atletas daquele selecionado participando do certame tem alguns detalhes interessantes.Fabíola e Fê Garay chegaram na Russia três dias após o encerramento do ultimo mundial feminino como uma parada de desembarque quase que forçado pela CBV de 24 horas pelo Brasil e participaram de apenas um treino de reconhecimento com a nova equipe para inicio ao campeonato russo.A partida inicial foi contra o Dinamo Kazan, na condição de visitante e jogando contra o atual detentor dos títulos mundial e europeu.Conseguiram uma vitória depois de perderem os dois sets iniciais.Numa atitude corajosa do treinador Ushakov que as manteve em quadra e o novo elenco desde do inicio: independente qual seria o nível de entrosamento.Então a situação para dar química foi na base da vontade e marra.Nessa partida já se mostrava a personalidade incentivadora,generosa, carinhosa e extremamente motivadora da Kosheleva. Mesmo dividindo a condição de estrela da equipe com a Sokholova ela já rompia a barreira do idioma russo em relação ao português agradecendo a Fabíola ,na convivência de menos de 24 horas, com carinhosos beijos na testa quando efetivava com sucesso seus ataques.Logo esse time pareceu dar liga.Desclassificaram o Novara pela CEV Cup ,equipe que lidera tranquilamente o campeonato italiano na terceira semana de treinamentos e contra uma Hill que acabava de receber o título de MVP do Mundial.Depois ficaram quase dois meses invictas num período de catorze partidas consecutivas.No festejos, instantes após o final da decisão, Fabíola abraçou de imediato a Sokholova de forma apertada por quase um minuto como que agradecendo a confiança e apoio da capitã, também mãe como ela e maior incentivadora da contratação das brasileiras.Na pausa para a premiação se vê ainda a Kosheleva,hoje uma das maiores e mais bem remuneradas jogadoras de vólei do mundo, pegando com imenso carinho e gentileza a filha da Fabíola e a levantando alto em seus braços.Um mero detalhe: a menina deve ter uns 8 a 9 anos, e esta enorme de alta para a idade e pela genética herdada dos pais e a Kosheleva tinha jogado os cinco sets num ritmo avassalador de saltos,bloques e ataques por quase duas horas e meia.Então, nem mesmo com essa carga de exaustão a impediram de ser o que nos brasileiros temos tido a oportunidade mais próxima e frequente de presenciar assistindo aos jogos do Krasnodar.Uma linda mulher que ao falar algo imperceptível ao ouvido da Sokhlova ,no final da partida abraçadas, arranca um intenso marejar de lagrimas comovidas de sua capitã.Se mostrando mais bonita ainda do que exteriormente já o é.

    • Billy

      Edu achei muito lindo e tocante tudo o que você escreveu.Concordo com tudo .Não conheço a Fabíola pessoalmente,mas sempre admirei e admiro o modo de ser dela nos jogos em que ela participa.Ela é sempre dedicada e esforçada(erra às vezes,pois ninguém é perfeito), e a sua maneira vibrante e alegre de comemorar os pontos é o que mais admiro nela.Enfim gosto das jogadoras de modo geral,mas em especial prá nossa Fabíola.Abraços e Feliz Ano-Novo prá todos do Blog.

  • Paulo

    Ver Sokolova jogar realmente é gratificante. Ela tem uma elegância jogando que chega a ser absurda. É muita técnica numa jogadora só. Vale citar que em apenas dois meses, parece que já está totalmente entrosada com a Sokolova e quando o passe sai não tem medo de arriscar com as centrais. Se ela evoluir como espero, será difícil parar o Krasnodar essa temporada. Também concordo que há uma certa preferência da mídia em relação à Dani Lins, não acho que seja perseguição com a Fabíola. Era a mesma coisa quando era Fofão e Venturini, parecia que só a segunda era levantadora da seleção. Sempre gostei mais do estilo da Fabíola e acho que esse tempo na Rússia fez muito bem a ela, mais do que imaginava. Se voltar ao Brasil tomara que seja pro Rexona, pra ser treinada por um mestre e não por um amador como o Luizomar.

    • Billy

      Concordo Paulo.Não sei se você acompanha a carreira da Sokolova desde o início(eu sim).Ela nos dias atuais ainda é ótima jogadora,mas nos primeiros anos de sua carreira ela era simplesmente sensacional(ela já era ótima em todos os fundamentos,mas a potência e precisão dos seus saques e ataques eram maiores ainda do que são hoje).Concordo também que se a Fabíola retornar para o Brasil que seja treinada pelo Bernardinho(excelente treinador) e não pelo Luizomar(muito limitado como técnico na minha opinião).Abraços…

      • Paulo

        Não acompanho a Sokolova a muito tempo não, mas já vi alguns vídeos do youtube de alguns anos atrás, realmente ela continua sensacional.

  • R.Tigre

    O melhor momento de Fabíola? Sim, claro que sim!
    O que faltava à carreira de Fabíola era jogar fora do Brasil. Até então, Fabíola havia feito sua carreira atuando apenas em times brasileiras, nunca houvera tido uma experiência no exterior. Recebeu uma proposta russa irrecusável muito fora da realidade do atual mercado brasileiro e foi estrear internacionalmente justamente na Terra das Gigantes Russas, mulheres-girafas de altíssima potência de ataque e alcance de bloqueio.
    Sabe o que significa ser MVP na Rússia? Muito. Fabíola foi MVP não só porque é uma excelente levantadora, mas porque também bloqueia e saca muito, além de, quando tem oportunidade, não dispensar um ataque de segunda. Fabíola foi MVP competindo com diversas Bi-Campeãs Mundiais Russas e bloqueando essas jogadoras!
    Sabe o que é bloquear as gigantes bicampeãs mundiais russas? É muito difícil! Mas a Fabíola consegue!
    Essa tática de atacar na saída de rede tentando explorar o bloqueio da levantadora não funciona com a Fabíola, porque ela sabe bloquear muito bem! E o fato de Fabíola ser uma jogadora completa, que não apenas levanta, mas que sabe executar os outros fundamentos muito bem encheu os olhos dos russos e a tornaram MVP!
    Fabíola começou a carreira como atacante, pela seleção brasileira infanto-juvenil, foi campeã sul-americana em 1998 e vice-campeã mundial em 1999 e em 2000, ganhou a medalha de ouro no Sul-Americano Juvenil, todos esses torneios jogando como atacante.
    Como atacante foi contratada pelo Rexona em 2000, e Bernardinho percebendo sua habilidade com o toque e o domínio do fundamento a aconselhou a tornar-se levantadora.
    Considerada alta para a posição de levantadora com 1,84m, Fabíola chega a ser mais alta do que algumas atacantes da seleção brasileira como Fernanda Garay(1,79m), Gaabriela Guimarães(1,80m) e Monique(1,78m), e tem no bloqueio e no saque um grande diferencial.
    Acontece que o técnico Zé Roberto da seleção brasileira sempre teve muita má vontade com a Fabíola, talvez até por uma rixa com o Bernardinho, até porque foi Bernardinho que teve o olho clínico para descobrir a potencial levantadora que existia na até então atacante Fabíola.
    Após a aposentadoria de Fofão em 2008, passou a ser convocada constantemente junto com as também levantadoras Dani Lins e Ana Tiemi. Inicialmente era considerada a “terceira levantadora”, participando dos treinamentos, mas sendo cortada da lista final, pois Zé Roberto sempre deu várias chances à Tiemi e à Lins, mas nunca dava oportunidade de Fabíola mostrar seu potencial.
    Porém em 2010, Fabíola foi jogada na fogueira para salvar as panes de Dani Lins quando começou o Grand Prix como reserva e ganhou a posição no decorrer do campeonato, assim como viria a acontecer novamente no Mundial onde novamente começou na reserva e conquistou a titularidade dentro de quadra, ocasião em que o Brasil foi Prata.
    Em 2012, num dos melhores momentos de sua carreira, Fabíola ganhou os seguintes prêmios individuais:
    – Melhor Levantadora da Superliga 2012
    – Melhor Levantadora do Sul-Americano de Clubes 2012
    – Melhor Levantadora do Troféu Melhor do Vôlei 2012
    Mas nem as atuações desde 2010 e o excelente ano de 2012 forma suficientes para quebrar a má vontade de Zé Roberto com ela, e mesmo assim foi injustamente cortada da lista das convocadas para as Olimpíadas de Londres 2012, causando surpresa, indignação e comoção no mundo do Vôlei.
    Fabíola sempre foi muito querida pelas outras jogadoras que sentiram muito seu corte e principalmente pela Jaqueline Endres que pensou até em pedir dispensa da seleção em solidariedade à amiga.
    Fabíola é mesmo muito humilde, paciente e boa de grupo para passar por todas essas injustiças e aceitar voltar para seleção. Mari Steinbrecher, não teve a mesma paciência com o Zé e criticou publicamente a sua “panela” na seleção.
    Sempre achei que Fabíola deveria ser a titular da seleção, não apenas pelo levantamento, mas principalmente pelos outros fundamentos como o ataque de segunda, o bloqueio e saque que ela executa muito bem.

    • Billy

      R.Tigre: Sensacional tudo o que você escreveu sobre a Fabíola.Li e reli várias vezes.Parabéns.Abraços á você e á todos do blog.Feliz ano-novo prá todos.

  • Mari

    Eu sempre gostei do jogo da Fabíola, e como muitos fiquei P da vida com o ZRG quando a cortou junto a Mari pra levar a lesionada Natália e a péssima levantadora que é a Fernandinha. Acho que ela pra ser titular da seleção tem que mostrar mais personalidade, fazer q nem no mundial de 2010 quando a Dani se apresentou pessimamente e agarrar com unhas e dentes a vaga de titular. Na minha humilde opinião, a Dani e a Fabíola se equivalem, a diferença fica na bola de saída/fundo que a Fabíola tem melhor e nas bolas de meio que a Dani se destaca, talvez pra privilegiar a Thaísa e a Fabizona, o ZRG tenha se equivocado na estratégia de jogo contra as americanas na semi-final do Mundial.
    A Fabíola não tem que provar nada a ninguém, e espero q nesse ano de 2015 ela tenha mais chance de ser titular, deixa a Dani descansar um pouco.
    Tb acho q quando a Fabíola voltar ao Brasil (se voltar) ela seja treinada pelo Bernardinho, aí sim ela vai crescer e muito!!

    • Paulo

      O problema é que as oportunidades dadas pelo ZRG à Fabíola são raras e quando acontecem são em partidas e torneios de menor expressão. O Zé é muito teimoso. Não ganhamos o mundial por teimosia dele. Todos diziam que no Grand Prix ele deveria poupar as titulares, pra não mostrar excessivamente o jogo do Brasil (que todos já sabem: é só quebrar o passe que Dani Lins encarna a Pane novamente) e pra não cansar as titulares já que todas vinham de temporadas exaustivas; o que ele faz? Usa as titulares na maior parte da competição. O que vimos no mundial foi reflexo de um planejamento mal feito. O único bom jogo da seleção foi das nossas reservas contra as reservas americanas. Talvez as titulares só apresentaram um jogo parecido com o que esperavámos no jogo contra a China. Na semi contra os EUA mesmo com toda situação de caos ele preferir não arriscar e manter Dani no jogo. Acho que enquanto o ZRG permanecer como técnico dificilmente Fabíola poderá brigar de igual pra igual com Dani.

  • Edu

    Para finalizar o assunto Fabíola.Sim, hoje , seu momento é melhor que o da Dani a se considerar o encerramento do Grand Prix e os quatro meses consecutivos.Ocorreram alguns momentos marcantes desde da sua efetivação, em 2010, como levantadora do grupo da seleção principal que lhe causaram certo desconforto pela sua personalidade e jeito de ser.O maior deles , o corte absurdo que sofreu ás vésperas da Olimpiada por outra levantadora que no aspecto técnico não o fez por merecer.Me recordo depois do fato após a semifinal sofrida no Mundial de 2010, a Globo decidiu de surpresa fazer um link ao vivo com ela na quadra e a casa de seus pais em Brasilia.Naquele momento ocorreu uma exposição desnecessária sobre uma família austera, gente muito simples e trabalhadora, seria que acorda ao raiar do dia a vida inteira e que tem tremenda ojeriza a uma invasão de privacidade desnecessária .Acho que permitiram a transmissão para não prejudica-la perante a CBV mas se sentia seu desconforto ao falar com os pais perante uma audiência de milhões de pessoas ao vivo do outro lado do mundo com enorme respeito e simplicidade.Um segundo fator e sua dedicação as atividades de missionaria religiosa na companhia do marido.Já era de amplo conhecimento em Osasco que sua rotina era de um pequeno apartamento que alugava perto Jose Liberatti a sede do clube.Não saia de casa, fora um evento combinado com o patrocinador da equipe porque na chamada folga se deslocava sistematicamente a MG para a pequena cidade onde vive seu núcleo familiar(marido e filha) e as atividades religiosas que se dedica.Neste período de Russia e pela distancia geográfica o foco exclusivo recai sobre o voleibol.As viagens são essencialmente para o deslocamento da equipe e ela esta tendo um convívio mais intenso com o time.A Fê Garay colocou uma foto no Instagram há algum tempo em que as garotas do Krasnodar posaram numa especie de “bar balada”.Foi ai que surge um comentário da Gabi Gabiru dizendo “não acredito, o que a Fabíola esta fazendo na balada noturna”.A Fê teve colocar água na fervura já dizendo “calma, foi um simples jantar com o time depois da partida”.Mas que a Fê estava elegantérrima para um simples jantar as imagens assim se descrevem. Fabiola e Dani são as melhores levantadoras do Brasil de longe com a iniciante Carol tentado ser a terceira na sucessão.Dani viveu uma fase melhor desde da Olimpiada onde pode conduzir o time com muita segurança.Tem uma leitura melhor do plano de jogo e é muito relaxada,hoje, quando a partida começa a engrossar sendo mais precisa nos levantamentos de curta distancia. Fabiola e dois centimetros mais alta, mais atlética ,bloqueia melhor,saca melhor e consegue imprimir um ritmo mais veloz quando a partida pede.Reconheceu o melhor momento da Dani após a Olimpiada sempre a apoiando na titularidade e cedeu ao pedido pessoal do ZRG que retornasse a seleção quando tinha decidido deixar o grupo de vez após seu corte olímpico. Recentemente relevou com elegância uma tentativa de reprende-la com vigor do ZRG perante o grupo durante a campanha do Grand Prix.Não levou para o lado pessoal e nas comemorações do Grand Prix, quebrou “o gelo com o técnico” ao chama-lo para posar ao seu lado com o grupo nas comemorações.Sempre foi convicta que o futuro lhe reservaria algo melhor.E isso parece estar acontecendo nesta fase.

    • Fernando

      Esse comportamento exemplar da Fabiola é devido a Religião, acredito que não é novidade pra ninguém que a Fabiola é Pastora Evangélica. Tem o testemunho dela internet, tem até pregação dela.

      Demorei anos para entender pqe o apelido dela é “Pastora”.

  • Billy

    A nossa Fabíola realmente merece tudo de bom que esta acontecendo na carreira dela.Jogadora bonita,talentosa,esforçada e aguerrida.Adoro a sua maneira de ser e de jogar.Sorte prá ela e para toda a nossa seleção (vamos precisar,pois o vôlei hoje esta muito parelho nas forças mundiais e qualquer detalhe ou algo a mais fazem a diferença hoje nos jogos mais equilibrados).

  • Gonça

    Eu vi o jogo e fiquei feliz pela Fabíola, percebi o carinho principalmente da Sokolova e da Koscheleva com ela. Achei que ela está melhor do que nunca. Vendo ela misturada com as jogadoras Russas, parecia uma delas na aparência e no entrosamento, e olha que ela e a Garay só estão no time a dois meses. Engraçado também o nome delas em russo. As duas já marcaram seus nomes no Dinamo Krasnodar para sempre, um time que não ganhava este título a 20 anos. Sokolova parecia ter a mesma idade das jogadoras. Uma incrivel jogadora que aos 37 anos mostra toda a sua performance. Depois deste jogo estas duas e as demais jogadoras russas tem ainda mais o meu respeito e admiração.

    • Fernando

      Kosheleva e Sokolova sempre foram simpáticas e sorridentes, ao longo da carreira delas.

      Quem gosta de afrontar e provocar as brasileiras é a Goncharova e a Gamova Boneco de Olinda.

      • Edu

        Uma moça que lidera uma das torcidas organizadas do Osasco trabalhou na equipe de apoio as atletas estrangeiras na rodada paulista do Grand Prix por São Paulo.O que essa moça ,já na época, enaltecia a Kosheleva como a mais simpática e gentil das jogadoras russas sempre com um sorriso aberto e uma demonstração de afeto e carinho a todos da organização, independente do nível hierárquico e constantemente tentando romper a barreira do idioma para melhorar o nível de comunicação.Segundo li, no sitio do saque viagem, assim que acabava os jogos da seleção russa ela se aproximava da torcida que gritava seu nome e recebia sem reservas de insegurança as lembranças e os abraços dos torcedores brasileiros. Kosheleva foi para Krasnodar para equilibrar as finanças do voleibol russo.Junto com Gamova e Goncharova ganha naquela faixa acima do milhão de euros por temporada e precisavam ser separadas por equipes.Ás três atletas são os maiores salários do voleibol russo e para garanti-la também empregaram seu marido na comissão técnica do Krasnodar.

  • Rafael cruzeiro

    Fabíola e Dani se equivalem, mas Lins leva vantagem por ter segurado a pressão no pior momento em Londres 2012. Fofão, para mim, é insuperável. Ela, assim como a Fabizinha, faz parte de uma categoria de atletas excepcionais. Por fim, assisti o jogo, e nem parecia uma decisão na Rússia, com muitos erros e baixíssimo nível técnico.

    • Fernando

      Já assisti outros jogos do time e nem todos foram assim, acredito que foi nervosismo da final mesmo, tanto que no final algumas jogadoras falaram que estavam nervosas por terem chego na final depois de tantos anos. Só lembrando que os dois times, eliminaram Dinamo Kazan e Dinamo Moscow, para chegar até a final. E o Kazan é o atual campeão Mundial e da CEV.

      O Cannes esse ano venceu o todo poderoso Vakifbank na CEV e perdeu pro Molico todo quebrado no Top Volley.

      O volei tem dessas coisas, nem sempre o jogo é de alto nível.

  • andré L.

    quanto delírio! adoro a fabiola, é otima e parece ser uma pessoa excelente. tambem gosto muito da dani, tao humilde quanto a primeira.

    mas a maioria dos comentarios em prol da fabiola sao diminuindo a dani, desnecessariamente. todos sabemos que ambas se apoiam muito e a propria dani sentiu o corte da fabiola em londres.

    no mais, muitos podem dizer que ‘em terra de cego, quem tem olho é rei’, mas fabiola nao vou eleita so a melhor levantadora, como foi MVP. vive otimo momento mesmo.

    a dani, pra mim, ainda é a melhor do brasil, com a fabiola logo em seguida. o resto, so muito trabalho (e olho na roberta, na ananda e na naiane).

    • Fernando

      Em relação aos cortes e boicotes à Fabiola, eles sempre existiram e isso é fato.

      Concordo com você que ambas (Fabiola e Dani) são muito humildes e amigas entre si, uma apoia a outra e é notável o respeito que elas tem, tanto que a Dani nunca ficou chateada em dividir a posição com a Fabiola. Desmerecer a Dani em prol da Fabiola, como se a primeira (Dani) fizesse parte da panelinha de boicote à Fabiola, isso não tem nada a ver.

      Em relação as levantadoras que você citou, elas estão bem longe de chegar na seleção, a Macris é a única que vem evoluindo constantemente dentre as citadas e logo chegará a seleção para ser testada (em algum torneio amador ou seleção B).

      • andré L.

        Fernando,

        concordo até a parte em que cita a macris. mas é mais porque eu nao gosto do estilo de jogo dela. admiro a parte técnica de uma levantadora, da plástica e tal e às vezes me dá um arrepio na plásticada macris. muitas vezes, olhando pra movimentação de pernas dela, dá pra advinhar pra onde a bola irá. reconheço que ela tem uma boa visao de jogo e personalidade, mas nao é mais tao jovem e a técnica fica dificil de corrigir.

        já a ananda e a roberta têm uma técnica muito boa e podem evoluir na visao de jogo, eu acho.

        • Fernando

          Ananda e Roberta, podem evoluir muito mesmo, isso é fato, elas tem um futuro promissor!
          Eu acredito que esse ano quando a Fofão se aposentar o Bernardinho tentará trazer a Fabíola a todo custo para o time.

          Mas conforme eu citei, ainda acredito que na escadinha da evolução ainda a Macris está na frente de Ananda e Roberta, pelo menos em resultados visíveis. A Ju Carrijo que só tem 22 anos, tem uma margem muito grande de evolução também, desde que ela trate o psicológico e emocional primeiro.

      • Edu

        O Marcos Freitas, retirando ás vezes um certo ufanismo e exageros sobre a dimensão do voleibol brasilero , definiu bem a Macris recentemente.”Uma levantadora precisa e de boa técnica,mas carente daquele algo mais”.Justiça se faça ela tem a melhor segunda bola de levantadora do vólei brasileiro.Quanto a Carol, hoje a mais promissora levantadora jovem do voleibol brasileiro e de uma péssima segunda bola, recebeu do Marcos Freitas o seguinte comentário ” a mais apta levantadora brasileira a ser a nova Fofão”.

        • Fernando

          Edu, concordo!

          O problema da Macris é que ela falta ter mais experiência e bagagem de jogadas, como o time é todo ano praticamente o mesmo e carece de boas centrais, ela acaba não usando todo o potencial que tem. Coloca uma Thaisa e uma Fabiana no Pinheiros pra ver. Acredito que ela ainda possa evoluir, e o principal que acho ela bastante estável, não fica oscilando.

    • Juliano

      Acho a Roberta uma boa levantadora, com ótimo potencial para figurar na seleção brasileira no futuro. Bernadinho sabe o que está fazendo e escolhendo. A atual fase da Bruna só mostra que o Bernado cuida bem do seu banco e sempre está pronto para fazê-lo crescer de nível.

      Mas a Roberta tem uma situação peculiar. Como reserva de Fofão, fica difícil para ela. Não na questão de jogar ou não, mas sim no tocante às comparações. São todas injustas. A menina é jovem e está começando, e a Fofão é a melhor levantadora do Brasil de todos os tempos.

      Se ao comparar Dani Lins e Fabíola com a Fofão a diferença fica gritante, o que dirá da Roberta, que é jovem e em início de carreira. Daí fica fácil um monte de gente falar da Roberta, que não é boa levantadora, que é muito jovem para ser testada etc.. Fala sério, tem garota que passou por mais pressão? Ela simplesmente substitui a Fofão quando esta não está bem fisicamente. Se o Rio vai mal, cai tudo em cima da Roberta. E olha que ela nem merece as críticas negativas, principalmente se considerar o ano passado, época em que ela mais atuou, na qual o Rio simplesmente não tinha passe e todo mundo jurava que o clube não passava pelo Pinheiros. E quem tava lá segurando as pontas e a pressão? A Roberta, é claro.

      É sim uma boa promessa no levantamento. Só a vejo junto com a Macris para fazer algo de novo no cenário atual. Sou ainda mais a Roberta pelos bônus: volume na defesa, no bloqueio e no saque.

      E tem mais, ficou como reserva sim, mas olha de quem: Venturini e Fofão. O que tem de bagagem e ainda vai crescer esta menina!

      • Fernando

        Faz sentido o que vc diz, mas a Roberta já está indo pros 25 anos, não é tão nova.
        E com a atual fase da Dani e Fabíola, ela não chegará na seleção antes de 2016. Talvez consiga uma oportunidade na seleção B num futuro próximo.

        Ananda, Macris, Roberta e Ju Carrijo, são a nova safra que talvez, consiga chegar na seleção no futuro.

    • Edu

      Não li comentários, na minha visão, diminuindo a Dani.Ela por mérito é a titular da seleção brasileira.Tem um entrosamento pessoal incrível com o grupo e é uma campeã olímpica de fato e de direito.O que pode ser dito em relação a Dani na temporada passada e que ela foi a melhor levantadora do Grand Prix e teve um mundial, infelizmente, regular.Talvez tivesse faltado um toque de ousadia no ZRG(naquela terreno do imponderável) duante o decorrer da partida contra os EUA em colocar a equipe brasileira que as derrotou na fase anterior.Ela estava mais preparada para o jogo de velocidade estadunidense e que desnorteou a equipe brasileira na transição da partida.Talvez um pouco de jogo mais ágil com as ponteiras já que as centrais da seleção estadunidense também são muito boas jogadoras.Sugiro um olho mais apurado também na Carol, hoje a levantadora jovem jogando com mais brilho técnico no voleibol brasileiro.Hoje, segundo o Marcos Freitas, a mais apta jogadora a ser, no estilo técnico, uma nova Fofão.

  • Juliano

    Sobre a Fabíola.

    Gosto dela, realmente. Para mim, ela simplesmente deixa no chinelo a Dani Lins com as bolas nas pontas. Outra coisa que ela faz muito bem, e que a Dani Lins não, são as inversões. Nossa, Dani Lins simplesmente é terrível nestas bolas. Ela tenta muitas vezes surpreender ao não inverter, quando a jogada induz isto, mas só faz as ponteiras levarem tocos monstros. Mostra disso foi o mundial, no qual em dezenas de vezes a Dani Lins poderia muito bem inverter para a Sheila, que era a maior distância. Mas não, ela insistia com a Garay que tava no lado pronto para levar um toco monstro. Mostra desta falha dela na época é que Sheila durante a temporada toda na seleção brasileira esteve apagadíssima.

    Mas a Fabíola merece suas críticas. O meio é a arma da Dani Lins, principalmente numa seleção que conta com jogadoras de meio que são boas atacantes, como Thaísa e Fabiana. Fabíola está numa crescente em jogadas de meio na Rússia. Aliás, foram estas jogadas que praticamente marcaram o crescimento dela na Copa da Rússia, ora com a Sokolova, ora com as duas centrais. É uma bola que é boa para ser utilizada com a Fabiana.

    Mas o meio tradicional, que é o forte da Thaísa, ela ainda está aquém, e fica mais complicado na Rússia, principalmente se Garay continuar com aquele passe e sendo metralhada a cada jogo.

    Uma coisa é fato. No mundial, no jogo mais importante, a Fabíola não foi usada. ZR tem que ter noção que a culpa é dele. A seleção brasileira, com exceção da Fabiana, seria simplesmente o Osasco campeão do mundo. Deixa eu me lembrar: Garay (sim), Jaqueline (sim), Brait (sim), Thaísa (sim), Sheila (sim)!!!! Todas elas totalmente entrosadas com a FAbíola. E o ZR só a usava com a Tandara. Não teve coragem alguma de tirar a Dani Lins, que aliás ainda está numa péssima fase, para colocar a Fabíola.

    Fora um monte de cachorrada que o ZR já aprontou com a FAbíola, como foi o corte em Londres.

    Daí, o que acontece? Fabíola totalmente desmotivada e desanimada. Totalmente sem psicológico para jogar. Eu, no lugar dela, sinceramente ficaria desanimado. Como jogar e se dedicar todo o ciclo para ser cortado no final? Complicado. Como jogar se no momento em que o time precisa de mim o técnico, sei lá por ego ou por burrice, não tem coragem de me colocar no jogo que eu poderia ter feito a diferença?

    Desejo todo o sucesso para ela nesta temporada.
    Espero o MVP sirva como uma impulsão ao crescimento da autoestima dela. Precisa confiar no seu voleibol, na sua qualidade como profissional. Não precisa se preocupar com o Zruela, ela é muito mais do que ela pensa.

    E mais, ZR. Para este ano, que teremos dois times. Um Fabíola e Thaísa. E outro Fabiana e Dani Lins. Pfvr, né! Não me vá levar duas excelentes levantadores para fazer uma bancar a outra, quando se tem a oportunidade de colocar as duas para jogar como titular.

    —-
    OBS:

    Um zé povinho anda falando por aí que Fabíola estava péssima no começo da Superliga russa. Não discordo, porque a achava meio irregular, mas era questão de entrosamento. Ela nunca tinha jogado com as companheiras, com exceção da Garay.
    O MVP foi muito merecido porque ela fez uma MARAVILHOSA Copa da Rússia. Contra o Kazan, único jogo que o time dela perdeu na Copa da Rússia, ela até bloqueou a Gamova. hohoho
    Na semi e na final ela simplesmente foi espetacular. As bolas rápidas de meio, estilo China, acabaram com os adversários. O entrosamento era tanto que parecia que ela jogava com as jogadoras há anos.
    A coisa é tão psicológico que na seleção a Fabíola errava o tempo da bola de meio fundo. No Krasnodar, sem o desestímulo do ZR, a bola com a Fe Garay no fundo é a bola mais efetiva do time. Nem Kosheleva dá tanta garantia de virada como a Garay pelo fundo (pelo fundo, porque pela ponta Garay está igual o passe dela).

    • Edu

      Bom comentário, o ZRG insano, aquele que ofende com palavras desairosas o ouvido de sua própria jogadora desconhece meu respeito.O ZRG que pediu de forma pessoal que a Fabíola retornasse em 2013 e abandonasse seu desejo de renuncia a seleção comandando a campanha de mais de 15 vitórias e apenas uma derrota no ano e conquistasse todos os títulos disputados com uma seleção mista e ausente das titulares da campanha olímpica é curioso.Foi o mesmo que ressuscitou uma Ana Tiemi que perdeu espaço no voleibol turco.Este se mostra completamente inábil em gerir grupos fora da linha da quadra de forma sadia e integra.

      • Fernando

        Quando se comenta do ZRG, as pessoas vem jogar na cara as três medalhas olímpicas.
        Mas até onde sei… a carreira consagrada dele, foi em cima do ápice da PP, Mari, Sheilla, Fabizona e Fofão, uma geração de sucesso!.

        Alguém lembra do que aconteceu com o time do Campinas onde tinha Tandara e Natália nas mãos dele?

        A Natália passou a superliga inteira sendo vitimizada e carregada no colo por ele e a Tandara fazendo 80% dos pontos do time. E o que aconteceu na seleção? A Natália ficou no banco entrando só pra sacar e a Tandara maior pontuadora da SL, entrava só nas inversões.

        No Rio de Janeiro onde a Natália é tratada como profissional, além da linha de passe, ela participa da defesa, do ataque e do fundo de quadra, e tem figurado entre as 3 melhores atacantes da competição.

        Esse ano tem copa do mundo, título que nunca ganhamos, e ele irá levar o mesmo time e as mesmas jogadoras irão jogar e seja o que Deus quiser.

        • Juliano

          Não sei se a gente vai neste ano, já que a Copa serve praticamente para se conseguir vagas às olimpíadas (as três primeiras posições ganham vaga direto) e a gente já tem vaga pro sediar as olimpíadas.

    • Fernando

      Mas no Krasnodar ela chegou como ídolo e salvadora, na seleção o Zé trata ela como mais uma qualquer, além das discussões e situações constrangedoras que rolam nos bastidores e ficamos sabendo depois, por meio das jogadoras e mídia.

      Em relação a Seleção Brasileira, nem adianta ter escrito esse texto enorme (nada contra, até concordo com você), mas o Zé Roberto, é muito esoterista, místico e supersticioso, ele nunca mudará um jogo ou uma estratégia dele, ele fica no conservadorismo. Lembro muito bem das dezenas de tocos que a Garay levou durante o campeonato e mesmo assim ele não a trocou. Hoje a Sheilla é a maior pontuadora do Vakifbank e na seleção nem acionada ela era, e quando a bola chegava, tava toda quebrada e espetada, só jaca.

      Ficou tratando a Gabi e Natália como promessas pra 2016 e não tirou o melhor delas quando pode. E hoje podemos ver na superliga o grandioso trabalho bem estruturado que o Bernardinho tem feito com elas.

      Enfim acho que o Zé Roberto é muito parecido com o Luizomar, só sabem trabalhar com as melhores jogadoras e acham que o elenco ganha jogo e não dão oportunidade para o time todo jogar.

      • Juliano

        Texto grande sempre vou escrever, quando percebo já foi, e não tem problema por isto, porque digito muito rápido mesmo. rs

        Isto me irrita também. Nas olimpíadas, ele diz que só ganha quando encontra um auxiliar estranho, e que o viu em Pequim e Londres.

        Como se fosse isto, e não o elenco, que tivesse ganhado as olimpíadas…

      • Edu

        Gosto do Luizomar.Ele até pode ser melhor gestor que técnico em si.Mas o ambiente em que trabalha fica suave, as jogadoras se sentem respaldadas e ele não se omite quando tem que puxar a orelha de alguém como recentemente advertiu a Thaisa para apoiar a Diana na partida contra o RJ.Quando pesou para a Fabíola a campanha quase que invicta em 2014 para o fracasso nas semis, no sulamericano e o vice do mundial tenho certeza que jogou limpo com ela já anunciando de antemão que não iria renovar seu contrato porque precisava reformar a estrategia de jogo da equipe com uma nova levantadora.Quanto ao ZRG, tiro o aspecto técnico, e aquela coisa obsessiva com as mandingas e os hábitos que levaram ao campeonato olímpico .Aquela coisa da camisa, do casaco, da entrada… Ontem lembrei um fato bem contraditório.Quando a Fabíola e a Jaqueline concederam aquela entrevista ao Elia Jr no Band Sports expondo todos os detalhes do corte de forma comovida e a Jaque declaradamente a apoiando e mais tarde acabou virando um hit de visualizações no you tube – o treinador decidiu deixar de dar entrevistas aquele canal esportivo até hoje.Sendo que o próprio Elia Jr passou a estranhar a atitude dizendo até que se considerava amigo do ZRG pois juntos tiveram longas conversas pessoais fora do âmbito do voleibol. Ocorre aquela nodoa em sua carreira ao rechear o ouvido da Claudinha de ofensas desrespeitando uma jogadora de forma injustificada mesmo que ela estivesse jogado a pior partida de sua carreira.As imagens e o som foram captados de longe pelo Sportv.Veja se ele foi corajoso o suficiente para deixar de dar entrevistas aquela emissora que captou o fato mais constrangedor e desabonador de sua carreira.Pontuando as imagens com a narração ” o fato mais negativo da partida ocorreu fora da quadra e foi cometido pelo treinador ZRG”

        • Fernando

          Sem contar as inúmeras vezes dele se estressando com a Tandara e Kristin no Campinas, e passando a mão em cima das cagadas da Natália, sempre protegida. Tanto que na seleção ela (Natália) virou uma Amanda da vida, entrando só para sacar.
          Além do mais o ZRG teve dois anos vergonhosos e sem resultados á frente do Campinas.

          Ele aparentemente é uma pessoa super difícil de se lidar, certas estão a Thaisa, Mari, PP4 e Jaque de botar a boca no trombone. Ele gosta de ser adorado e idolatrado, até hoje não me conformo que o time reformulado do EUA foi campeão mundial e o semi juvenil da China foi vice. E nossas Bi Olímpicas ficaram comendo poeira.

          • Edu

            Encerrada o Olimpíada e na comemoração do título se ajustou como meta prioritária o Mundia em 2014 dois anos antecipadamente.Em 2013, houve uma tentativa pálida de tentar renovar a seleção com novos talentos abortada muito precocemente na minha opinião.Foi a campanha que a Fabíola foi titular quase o ano inteiro ,por motivo de licença a pedido da Dani, com 16 partidas, uma derrota e todos os títulos disputados ganhos.Em 2014, quinto no Montreux e uma excursão capengante como a derrota de cinco partidas consecutivas pelos EUA e contra aquele selecionado.Já naquele momento era uma oportunidade para se criar antídotos contra aquele jogo em alta velocidade e intensidade já que a Russia não era a mesma seleção histórica sofrendo a transição de novos valores.Fora a aposentadoria ocorrida de forma inesperada da Fabi.A vitória no Grand Prix maquiou a falta de vontade em testar novas alternativas táticas se acorrentado a um sistema eficiente ,porém, marcado de jogo.Nesse ínterim, o Kirally colocava seis meses antes três jovens novas jogadoras no sexteto títular.Na semana passada se noticiou que o Kirally escolheu duas dezenas dos mais destacados talentos da ultima liga universitária para trabalhar por 15 dias.Enquanto isso a ultima imagem que temos do ZRG é assistindo de forma escondida o jogo do RJ contra o Sesi na Vila Leopoldina.Quanto ao finado Campinas basta dizer que os 10 milhões de dólares empregados no time tiveram como melhor título o vice paulista de 2012.Nesta partida especifica ainda o ZRG ficou furibundo protestando em atitude de mal perdedor e danificando sua relação pessoal com o Luizomar ao alegar que jogava quase contra a totalidade da seleção brasileira.

  • Edu

    Esqueci de comentar, a Fabíola e a Garay com apenas um dia de treinamento e dois dias de chegada a Russia com fuso e horas exaustivas de voo simplesmente comandaram a virada e a vitória sobre o Kazan de Gamova e Del Core ,com ambas em quadra, na primeira partida que participaram justo na casa das adversárias.Isso e começar com absoluta magnitude sua temporada na Russia.

    • Paulo Souza

      Daí você tira que o nível não tá lá grandes coisas.

  • JSG

    O ZRG deve montar duas seleções fortes para 2015, jÁ que o pan e grand prix serão na mesma época. Alem de possibilidades de títulos, assim todas as jogadoras estariam em ritmo de jogo pra Copa do Mundo( competição por pontos corridos no qual todas as seleções deverão levar força e máxima e ai nosso time poderia ser efeticamente testado visando Rio 2016) . Meus times seriam:

    Pan : leia;dani lins;fabiana;bia;natalia;suelle; tandara.
    Reservas: roberta; mara;ellen;michely ;rosamaria

    Grand prix: brait;fabiola;adenizia;thaisa;jaque;garay;sheila.
    Reservas: macris; carol; gabi;monique.

    Obs: ao fim do pan retornariam para a disputa do grand prix : dani ;fabiana e natalia/tandara..

    • Fernando

      Não viaja amigo!
      O ZRG ira levar o time titular em todos os torneios, irá fazer testes caso alguma selecionável peça dispensa da disputa. As levantadoras serão Dani e Fabiola, não tem nem o que citar Macris, Roberta, ou Carol, essas só entrarão na jogada caso ele queira novamente sacanear com a Fabiola.

      Liberos serão Brait e Leia mesmo, dificilmente ele irá convocar a Bia, mara, ellen, michele e rosamaria.

      • Edu

        Bia perdeu espaço na seleção pois recusou uma convocação alegando uma lesão e a comissão técnica desconfia até hoje que ela não queria perder um pacote comprado de ferias pelos parques da Disney.Abriu caminho para a Carol.Hoje ,na atual fase da Superliga, as centrais Roberta e Mara estão num estágio melhor que a Carol.E a Bia, nas estatísticas, é o melhor bloqueio da competição e a jogadora certamente que mais fala impropérios na quadra.Atualmente a terceira melhor libero, independente da obesidade, jogando no pais é a Suellen do Sesi que esteve na seleção em 2013.Ela é a melhor líbero da Superliga nesta temporada prévia aos play offs.

MaisRecentes

Joelho afastará Gabi das quadras



Continue Lendo

As primeiras transmissões da Superliga na TV



Continue Lendo

Vaivém: Thaisa jogará a Superliga



Continue Lendo