O jogo que não deveria ter acabado com um erro



– Ah, queria que o jogo não acabasse.

Foi a frase de Thiago, meu filho de 7 anos, que acompanhava comigo o fim do tie-break de Brasil Kirin x Funvic/Taubaté, já entrando na madrugada de sábado para domingo. O “espertinho” queria enrolar o pai mais um pouco antes de dormir.

A minha frase, como comentarista, seria:

– Ah, queria que o jogo, ou melhor, o fantástico tie-break, acabasse sem um erro da arbitragem.

Para quem não viu, o 21-19 a favor do campeão paulista foi marcado em uma bola fora, que a arbitragem não viu. O bloqueio de Chupita passou longe da linha. Ele comemorou efusivamente e a dupla de árbitros, além dos bandeirinhas, não viu que a fora saiu.

Faltou o desafio eletrônico, ou a tecnologia, ou o videocheck, chamem como quiser. Faltou fazer justiça ao jogão que aconteceu no tie-break. Foram vários match points desperdiçados por ambos os lados. Ataques para fora, que pararam no bloqueio, que foram defendidos e viraram contra-ataques. Os dois times fizeram um fim de partida dos mais emocionantes.

E poderia ter sido um tie-break ainda melhor com o auxílio externo para o olho humano do árbitro, que, principalmente no masculino, não acompanha mais a velocidade do jogo.

 



  • Osmar Cordeiro

    Superliga tem os 2 árbitros e 4 bandeirinhas mesmo assim ocorreu o erro , no Italiano não existe mais bandeirinha e fica de cargo do árbitro ou vídeo check . Infelizmente é aquela coisa do custo benefício , mas poderiam incentivar empresas do Brasil para desenvolver este tipo de desafio que poeria auxiliar os árbitros

  • Caio

    Faltou fair-play.

  • klaus

    Mas e aquele desafio que tinha sido desenvolvido por uma empresa e que seria implantado no Paulista?Não ouvi ou li mais nada.Alguém sabe de algo?

    • Caio

      O desafio do Paulista é da Penalty (bola usada no campeonato), e a SL usa Mikasa, a tecnologia está ligada a bola se não me engano.

      • klaus

        Obrigado Caio por me responder.

  • Eron

    O grande defeito desse árbitro é perder a compostura e bater boca com jogadores, isso acontece quase todo jogo que ele apita. Mas o erro foi grosseiro demais para ser percebido apenas via video check.

  • Edu

    Foi um erro grosseiro, como já referido, para passar desapercebido já que quem assistia na televisão na hora registrou o lance sem a necessidade da confirmação do replay.A camisa do Taubaté começa a pesar na dúvida das arbitragens.Não obstante, foi um jogão.

  • Paulo César

    Este não foi um erro normal. A credibilidade da Superliga está em cheque

    • SPORTS IN THE WORLD

      O pior meu caro Paulo Cesar é que este juizinho de m….., tal de Flavio Campos, comete um erro brutal destes prejudicando, mudando mesmo o resultado do jogo, matando o Brasil Kirin de forma impiedosa e os “carinhas” na CBV continuam colocando ele para apitar outros jogos, incrível mas é verdade. Veja nas Notas da CBV. Quem são os responsáveis por continuar botando este mala no mínimo mal intencionado para apitar? Uma vergonha!

MaisRecentes

Minas espera Hooker ainda em outubro



Continue Lendo

Vaivém: Vôlei Nestlé confirma apresentação de peruana



Continue Lendo

Vaivém: Polonesa é esperada em Barueri



Continue Lendo